aki

cadastre-se aqui
aki
Política
18-04-2017, 21h40

Acelerar Lava Jato no STF surpreende ministros e parlamentares

Avaliação é que denúncias poderão ser apresentadas em até seis meses
7

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

No Congresso e no governo, prevaleceu a avaliação de que inquéritos que demoravam dois anos para virar denúncias poderão ser feitos em apenas seis meses. Motivo: a força-tarefa que a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia, criará para ajudar o relator da Lava Jato, Edson Fachin, a tocar os inquéritos das delações da Odebrecht.

Ou seja, até o final do ano, há possibilidade de o Ministério Público pedir a abertura de ações penais contra ministros e parlamentares. Isso pode acelerar a saída de ministros de Temer, que contavam com a tradicional lentidão do Supremo para permanecer nos cargos até o fim do atual governo, que acabará em 31 de dezembro do ano que vem.

Temer já disse que, uma vez denunciados, ministros deverão se afastar temporariamente.

*

Mais mudança

Após reunião com a bancada feminina na Câmara, o presidente fez uma troca. Em vez de estabelecer um tempo de contribuição menor para as mulheres na comparação com os homens, como disse em entrevista ao SBT, o governo optou por avalizar idades mínimas diferentes para aposentadoria.

Após período de transição, as idades mínimas serão de 65 anos para homens e de 62 para mulheres. Mas haverá debate sobre diminuir o tempo de contribuição das mulheres, porque elas têm mais dificuldade para cumprir esse prazo do que os homens.

Muitas ainda deixam a carreira profissional em segundo plano para cuidar dos filhos. Mulheres mais pobres também têm mais dificuldade do que os homens para se manter empregadas. Logo, essa discussão ainda deverá voltar a ser feita tanto na Câmara como no Senado.

Assista aos temas do “SBT Brasil”:

Comentários
7
  1. PARABÉNS GRANDE MINISTRA CARMEM LÚCIA, EDSON FACHIN E TODOS OS QUE OS QUE COMBATEM OS CORRUPTOS! disse:

    Não se poderia esperar nada diferente dessa grande mulher, ministra do STF Carmem Lúcia. Sua seriedade, integridade são visíveis, só não enxergam isso os cegos e os canalhas. O mesmo já dá para se dizer do ministro Fachin. A nação espera que disenterias verbais e decrepitudes morais sejam suplantadas, esmagadas, vencidas, pela maioria dos outros ministros! O Brasil tem pressa nos julgamentos desses que participaram dos crimes gravíssimos cometidos contra toda a sociedade, por aqueles que, travestidos de “representantes do povo”, demonstraram ser criminosos de altíssima periculosidade, criminosos merecedores de graves punições, gente insensível às necessidades e sofrimentos dos mais necessitados!
    Os políticos tentam desviar as atenções dos corruptos com as reformas que, mesmo necessárias, não deveriam ser feitas nesse momento e por gente inidônea!
    Ainda bem que o STF vai dar celeridade nos casos de foro privilegiado!

  2. Miguel Ângelo disse:

    Kennedy, as famílias não são mais formadas conforme este modelo defendido. Hoje temos muitos brasileiros com a guarda compartilhada. Modelo ideal para quem tem filhos, na minha opinião. Tanto os Pais, quanto as mães, na atualidade se dividem entre o trabalho e as atividades de casa. É uma inverdade dizer que todas as mulheres fazem múltiplas atividades. Os homens correm mais riscos de vida. O modelo de aposentadoria devia levar em conta o tempo de contribuição, e o valor a ser recebido. O Brasil não cria empregos suficientes para manter idosos no mercado. Subemprego vai matá-los. E tirá-los de casa, onde poderiam colaborar na criação de seus filhos e netos. A previdência tem que ser pensada parando a sangria do Governo (retirada dos 30%). Estou esperando chegar a vez do envolvidos no Judiciário, irem para a cadeia. E gostaria que nós não pagássemos a aposentadoria deles. Não temos dúvida que se o Legislativo e Executivo tem envolvidos.O Judiciário também tem. Puna-os sem aposentadoria.

  3. Carlos Antônio Macieira disse:

    Se não desviassem ou roubassem os recursos da previdência nada disso seria necessário!!!

  4. Stanislaw: ISSO É UMA VERGONHA! disse:

    Não sei se estou errado ou há muita coisa errada: enquanto eu vejo o STF julgando um cidadão que furtou uma “barra de chocolate”; ou o campeonato brasileiro de futebol de 1987, cujo título era reivindicado por Flamengo e Esporte, não vejo os julgamentos de Renan Calheiros, Romero Jucá e tantos outros políticos “réus”, protegidos pelo vergonhoso “foro privilegiado”!

  5. Walter Augusto Hanke disse:

    Tenho 65 anos e quero solicitar a minha aposentadoria em meados de maio de 2017. Acho injusto caso a reforma da previdência possa prejudicar quem contribui com a previdência privada e pública com baixos salários uma com menos de 29 (vinte e nove) anos, 9 meses e vinte oito dias e na atual com 13 (treze) anos e três meses e perder o direito de se aposentar proporcionalmente nas duas, totalizando aproximadamente 2,7 salários mínimos menos de três salários mínimos, para quem trabalhou praticamente 43 anos.

  6. José disse:

    INJUSTIÇA!! No final das contas, quem vai pagar a conta da previdência são os servidores públicos (concursados) federais. Sem armas para invadir o Congresso, ficarão de fora das regras de transição. INJUSTIÇA!!

  7. walter disse:

    Esta aí uma excelente notícia caro Kennedy…o supremo já percebeu que a sociedade não tolera esta lentidão costumeira na casa. Podemos creditar a ministra Carmem Lúcia e o Ministro Fachin, a necessidade de demonstrar sensibilidade, diante dos escândalos em cascatas, que já era previsto, diante da delação da Odebrescht…os acusados tem muito peso no cenário nacional; não há mais espaço, para a impunidade, sendo assim acelerar os processos, permitindo que as investigações também caminhem mais rápido…Se o supremo começar a demonstrar versatilidade em suas ações, os envolvidos em desvios, vão todos fazer delação..

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-08-22 00:28:56