aki

cadastre-se aqui
aki
Política
14-11-2017, 7h31

Alckmin no comando do PSDB dificultaria candidatura de Huck

Aliados do governador temem sonho presidencial de Tasso
10

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

De acordo com o relato de tucanos que conversaram com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ele está indeciso a respeito de assumir a presidência do PSDB. Haveria prós e contras.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tenta convencer os atuais candidatos ao comando do partido, o senador Tasso Jereissati (CE) e o governador Marconi Perillo (GO), a desistir em benefício de Alckmin.

Se Alckmin virar presidente do PSDB, ele fortaleceria ainda mais a candidatura ao Palácio do Planalto e diminuiria a ameaça de outro tucano ser candidato.

Segundo aliados, haveria risco de Tasso, se eleito para o comando do partido, sonhar em disputar a Presidência da República. Tasso já negou isso, inclusive falando com Alckmin. No entanto, o nível de intrigas e desconfiança no PSDB cresceu muito. Tucanos avaliam que o prefeito de São Paulo, João Doria, não desistiu da Presidência da República.

Alckmin deseja ser eleito por aclamação. Precisaria convencer Perillo e Tasso a desistir, mas o partido está rachado e os dois veem chance de vitória.

O governador paulista não quer comprar briga, mas, mesmo na hipótese de aclamação, deixaria setores contrariados, porque teria de quebrar alguns ovos.

Aliados do governador paulista dizem que FHC está ajudando Alckmin na disputa tucana, mas opera com um plano B para enfrentar o ex-presidente Lula, que seria a candidatura do apresentador de TV Luciano Huck pelo PPS. FHC tem conversado com frequência com Huck. É um incentivador da entrada dele na política.

Assumir o comando do PSDB poderia dificultar o projeto presidencial de Huck, porque Alckmin trabalharia desde já para tentar ser o candidato de um campo de centro e centro-direita do eleitorado, seja ocupando um espaço pretendido por Huck, seja tentando desinflar as intenções de voto no deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Em relação ao papel do PSDB, Alckmin defenderia a manutenção do apoio parlamentar ao governo Temer, mas sem participação no ministério. Prometeria, por exemplo, votos para a reforma da Previdência e se distanciaria administrativamente do governo. Esse é o caminho que vem ganhando força interna no PSDB.

*

Temer gostou

Dois fatores aceleraram a decisão do deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE) de pedir demissão ontem do cargo de ministro da Cidade: a decisão do presidente Michel Temer de fazer em breve uma reforma ministerial e a senha dada pelo tucano Aécio Neves, o maior defensor do governo no partido, de que estava chegando o momento da ruptura.

Com o pedido de demissão, Bruno Araújo se antecipa a um movimento de Temer, mas, sobretudo, evita obedecer a um ultimato do PSDB, o que o deixaria com a marca de quem não queria largar o osso. A demissão de Bruno Araújo facilita a articulação de Temer para fazer trocas no ministério e angariar apoio à proposta enxuta de reforma da Previdência.

O gesto de Bruno Araújo serve ainda de aviso aos demais ministros tucanos, no sentido de que também deveriam se antecipar e sair.

Temer vai substituir a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois. Avalia que ela faz um trabalho ruim e se queimou politicamente ao tentar furar o teto salarial.

O presidente se dá bem pessoalmente com Antonio Imbassahy, da Secretaria de Governo. Mas aliados se queixam da ação de Imbassahy na articulação política. Imbassahy está pensando em trocar o PSDB pelo PMDB a fim de ficar no primeiro escalão, em outro cargo.

A situação especial é a do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, amigo e defensor de Temer. Se Aloysio for candidato em 2018, a tendência hoje é que seja substituído. Mas os dois ainda vão conversar pessoalmente.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
10
  1. Fabio disse:

    Como não voto em ninguem do PMDB e do PSDB, pouco me importa o que esses quadrilheiros vão escolher para candidatos.

  2. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Alckmin é um notório desagregador, autocrata e centralizador. Graças a ele, que rachou o partido, Lula se elegeu em 2002.
    Qualquer um que brilhe mais que ele está sujeito a fritura… veja Dória !

    • MOACIR CORDEIRO disse:

      Esse suco de chuchu não agrega nada, se esses tipos aí forem os candidatos é bem possível que o Bolsonaro ou Lularápio se elejam

    • walter disse:

      No fundo cara Maria Aparecida, o Alkimin esta com medo de assumir a presidência do seu partido, e complicar sua campanha…querendo ou não, pode ser conciliador; quanto a sua campanha, vai depender dos concorrentes; muito provavelmente, os candidatos que farão mais barulhos são os Novos…o assunto principal, que vai nortear todas as campanhas, será a Segurança; quem já governava, com índices crescentes da violência urbana, terá muita dificuldade; seus argumentos provavelmente, serão estatísticos; infelizmente diante do quadro geral, em lugar nenhum tem segurança; por estas e por outras, não logrará exito como candidato ao planalto, se for por estes critérios; boas noticias, aonde estão…

  3. Helvio disse:

    Bolsonaro 2018!!!!!

  4. Jó de Carvalho disse:

    O governador Geraldo é um bom administrador mais para Presidente acho que não emplaca.

    • p/ Jó de Carvalho. disse:

      Por que você acha isso? Porque ele tem o nariz grande ou porque é comprometido com todo esse sistema de corrupção do qual o país precisa se livrar?

  5. Brasil a caminho do caos! disse:

    As coisas estão mais absurdas a cada dia que passa! Fala-se da candidatura de Lula como se isso fosse uma coisa “normal”! O corrupto está condenado, com vários processos em andamento, atolado até o pescoço na corrupção! Não bastasse isso cogitam-se candidaturas “meteóricas” ao mais alto cargo executivo do país…figuras inexpressivas em vários aspectos importantes para se governar um país atolado moral, econômica e politicamente na lama!

  6. DIRETO AO ASSUNTO: É PRECISO PASSAR O PAÍS A LIMPO - VIVA A LAVA JATO! disse:

    Lula há de ser candidato a “chefe de ala”… de preferência no mesmo presídio onde estiver Beira Mar, Marcola, Nem… do contrário, só mesmo repetir-se 1964!

  7. DIRETO AO ASSUNTO: É PRECISO PASSAR O PAÍS A LIMPO - VIVA A LAVA JATO! disse:

    Eu não consigo entender como ainda há quem cogite de ver Lula na política! Pior, como Presidente da República. Além de condenado a 9 anos de cadeia, responde a vários processos; grande parte de seus correligionários, ocupantes de cargos importantes em seus governos e (ou) de seu “poste” Dilma, ou estão na cadeia, ou condenados e aguardando recursos, ou respondendo a processos, ou ainda sendo investigados ( Palocci, Dirceu, Vacari, Genoíno, Edinho Silva, Mantega, Dilma,etc – só para citar alguns). Em qualquer país do mundo, quando um político é pego em corrupção, quando consegue escapar da prisão, pelo menos sai da vida pública definitivamente. O que vemos aqui é impressionante: o cara continua se candidatando normalmente, cantando de galo, ou vai ser presidente de quadrilha travestida de partido político. Quando será que entenderemos que o país jamais crescerá “de verdade” enquanto essa ladrãozada da política não for definitivamente excretada do cenário político?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-12-17 23:21:17