aki

cadastre-se aqui
aki
Política
04-09-2017, 20h50

Ameaça de rescindir delação traz boas e más notícias para Temer

Janot responde às críticas de que pegou leve com irmãos Batista
4

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A ameaça de cancelamento do acordo de delação da JBS é uma bomba política que traz boas e más notícias para o presidente Michel Temer. Também é uma resposta do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, às críticas de que pegou leve com os irmãos Batista. E deixa um enorme abacaxi nas mãos do ministro Edson Fachin, que precisará levar em conta o interesse público para decidir o que revelar do diálogo entre dois delatores da JBS.

Enfática e repetidamente, Janot afirmou que, se o acordo de delação for rescindido, isso não invalidaria provas. É uma vacina contra uma previsível reação da defesa de Temer. Assim, o procurador-geral deixa claro que a denúncia por corrupção passiva apresentada e com trâmite no STF barrado pela Câmara não perderia valor. Tampouco a segunda denúncia contra o presidente, que deve ser bastante ancorada na delação do doleiro Lúcio Funaro.

Mas Temer ganha munição contra o seu principal inimigo, Joesley Batista. Desde a eclosão do caso JBS, a defesa de Temer levantou suspeita sobre a atuação do ex-procurador da República Marcelo Miller. Agora, o próprio Janot o investiga. Obviamente, a defesa presidente procurará desacreditar Joesley e a delação.

Se houve mentira ou omissão de Joesley em relação à atuação de Miller, por exemplo, isso também poderá ter ocorrido no que se refere a Temer e outros acusados.

Na reta final do mandato à frente da Procuradoria Geral da República, Janot bateu duro nos delatores da JBS. A opinião pública reagiu negativamente à imunidade judicial conferida aos irmãos Batista e demais delatores da JBS. Ao cogitar cancelar os benefícios, ocorre repercussão positiva para Janot perante o público.

Por último, o ministro Edson Fachin tem um enorme abacaxi a descascar. Pelo que disse Janot, há trechos do diálogo que envolveriam temas da vida privada de outras pessoas. Nesse caso, o interesse público deve prevalecer.

Autoridades e pessoas públicas têm direito de privacidade menor do que os cidadãos comuns. No entanto, a exposição de fatos privados sem importância para a investigação ou o interesse público deveria ser evitada.

Veja a análise no “SBT Brasil”:

Ouça o comentário na rádio CBN:

Comentários
4
  1. Fabio disse:

    Kennedy, um presidente com 93% de rejeição já está mais que enterrado politicamente.
    Sou do interior de SP e por aqui posso te garantir que o Temer não consegui nem uma vaga de coveiro, porque até os mortos querem distancia desse senhor ilegitimo.

  2. VIVA A LAVA JATO, A PRINCIPAL ARMA ATUAL CONTRA A CORRUPÇÃO, DOA A QUEM DOER - EM 2018 TEREMOS OUTRA ARMA : O VOTO! disse:

    A lei é muito clara e a rescisão se resume a não se conceder o benefício ao criminoso – tudo o que ele deu de informações, “que tiverem sido confirmadas”, continua valendo!O benefício pode ser extinto totalmente ou até parcialmente, carecendo de avaliação da intensidade do que foi ocultado. Não haverá favorecimento algum aos bandidos investigados em outros casos, embora, é claro, as defesas vão tentar isso.

  3. walter disse:

    Sinceramente Kennedy, esta sendo a redenção para o Temer; pode questionar rever, conseguir benesses, e empurrar definitivamente com a barriga; se tem absurdo maior que este, nestes processos, é esta incompetência confessada por tabela pelo Janot; esta claro que o Joesley esta aliviando para alguns, que seu objetivo principio, era derrubar o temer; não entendi esta nova posição do janot, que agora vai questionar, até o ultimo momento; esta na hora de se unir a raquel Dodge, para dar sequência…estava muito bom para ser verdade; olha o Brasil nas mãos dos safados de sempre; logo esta delação que não vazou, pode não ter o desfecho ideal; pode isso…

  4. rod disse:

    Finalmente o Temer vai poder governar em país e melhorar esta economia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-09-25 21:23:36