aki

cadastre-se aqui
aki
Política
04-12-2017, 8h36

Datafolha expõe fraqueza do PSDB e governo

Tirar Lula do páreo não é garantia contra Bolsonaro
26

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

Pesquisa Datafolha divulgada no fim de semana mostrou o fortalecimento das candidaturas presidenciais do ex-presidente Lula (PT) e do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC). O levantamento também expôs a fraqueza eleitoral do PSDB e do governo.

Lula lidera em todos os cenários de primeiro e segundo turno. Bolsonaro fica em segundo lugar nas simulações da primeira etapa, numa posição distante dos demais colocados.

No cenário 1 do Datafolha, Lula obteve 34% de intenção de voto. Bolsonaro, 17%. A ex-senadora Marina Silva, da Rede, ficou com 9%. O ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PDT) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), marcaram 6% cada um. O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que está sem partido, registrou 5%. O senador Alvaro Dias (Podemos) teve 3%.

Depois, todos com 1%, vieram o presidente Michel Temer (PMDB), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), a deputada estadual Manuela D’Ávila (PC do B-RS) e o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro (PSC). Votos brancos e nulos somaram 12%. Segundo a pesquisa, 2% não souberam responder.

Há uma tese na praça que diz que as pesquisas têm mostrado uma polarização entre esquerda e direita. Por mais que Lula seja de esquerda e Bolsonaro de direita, essas posições políticas não estão dando o tom da atual disputa. Lula e Bolsonaro têm em comum o fato de fazer oposição ao atual governo. Esse é o corte mais importante hoje.

Somadas as intenções de voto de Lula e Bolsonaro, metade dos eleitores rejeita a administração Temer. Outros candidatos com menor intenção de voto ampliariam bastante esse percentual de oposição ao governo.

Isso significa que a possibilidade de vitória de alguém do campo governista, qualquer que seja esse candidato, será difícil levando em conta o cenário de hoje.

Seria mais fácil uma novidade, um outsider como Joaquim Barbosa, ou uma política como Marina Silva, que não é identificada com o governo, ter espaço para crescer contra Lula e Bolsonaro.

*

Centro e centro-direita estão em apuros

É ilusória a tese de aliados do governo de que haverá espaço para uma candidatura de centro porque Lula e Bolsonaro representam extremos do espectro político.

Lula não foi um presidente extremista. O discurso mais radical agora é resultado do enfrentamento com a Lava Jato. O crescimento de Lula nas simulações de primeiro e segundo turno deve estimular o petista a procurar ampliar os apoios e a suavizar o discurso.

Parte dos políticos da base do governo já cogita aliança com Lula. Isso acontece porque a eleição presidencial não é solteira, como em 1989, quando Fernando Collor venceu.

No ano que vem, haverá disputa também para os governos estaduais, para o Senado e para deputados federais e estaduais. Candidatos a presidente fortes como Lula e Bolsonaro atraem suporte por serem puxadores de voto. Os dois são bons de palanque.

Lula não será um candidato extremista ao longo da campanha e deverá lembrar que o governo dele foi moderado.

Bolsonaro, sim, é um extremista. É candidato de um segmento de extrema-direita que sempre existiu no Brasil e que votava em políticos antiPT nas últimas eleições _tucanos como Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckmin. Agora, essa extrema-direita tem um candidato para chamar de seu, com o qual claramente se identifica.

Mas Bolsonaro também atrai eleitores de centro-direita e até de Lula, caso o petista saia da disputa.

Logo, o desafio do governo será convencer o eleitor de que haverá motivos para eleger alguém colado à atual administração. E isso passa por desconstruir Bolsonaro, que é o maior obstáculo inicial ao crescimento de alguém do campo de direita e centro-direita, segmento onde estão as forças políticas que apoiam o governo.

*

Pedras no caminho tucano

Alckmin não terá um caminho fácil. Bolsonaro já ocupou um espaço que inercialmente optava pelos tucanos por serem opção antiPT. O primeiro desafio será tentar retomar esse espaço.

Há uma contradição com a qual Alckmin terá de lidar. Ele quer obter o apoio de partidos que hoje estão na base do governo Temer, mas não deseja ser um postulante identificado com as políticas da atual administração.

Nesse contexto, será um alvo fácil dos críticos do governo, porque será apontada a ligação do PSDB com Temer. Os tucanos foram avalistas do impeachment e do atual governo. No campo governista, ele também sofrerá críticas pela dubiedade do PSDB, que agora quer romper com o governo.

Hoje, por exemplo, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, abriu fogo contra Alckmin numa entrevista à “Folha de S.Paulo”. Meirelles disse que o governador dificilmente será o candidato do governo. Afirmou que o PSDB não tem compromisso com a atual política econômica nem com o legado da atual gestão.

Alckmin também tem forte dificuldade para obter votos no Nordeste, no Rio de Janeiro e em Minas, colégios eleitorais importantes. Portanto, há muitas pedras no caminho do governador paulista.

*

Se correr o bicho pega…

Se a Justiça impedir a candidatura do ex-presidente Lula, deverá transformá-lo numa vítima política. Isso poderá dar força a Lula para apoiar um outro candidato e levar esse nome ao segundo turno.

Hoje, seria mais fácil o petista transferir votos para um candidato mais conhecido, como Ciro Gomes, do PDT. Mas o PT tem o ex-governador da Bahia Jaques Wagner e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como possíveis herdeiros do lulismo.

O processo que pode tirar Lula da disputa é a respeito do apartamento no Guarujá. Há fragilidade jurídica na sentença do juiz Sérgio Moro que condenou o ex-presidente.

Se o Tribunal Regional Federal de Porto Alegre confirmar a condenação, como parece ser a tendência pelos sinais emitidos por integrantes da corte, haverá uma batalha nas instâncias superiores para que Lula possa ser candidato levando em conta as fragilidades do processo.

Se Lula conseguir ser candidato ou se ficar mesmo fora, essa batalha jurídica com ingrediente político deverá assegurar um lugar para um nome da esquerda e da centro-esquerda no segundo turno.

A direita e a centro-direita terão de escolher entre chegar à segunda fase com Bolsonaro ou com um nome que, hoje, é uma incógnita. Detalhe: uma eventual saída de Lula da cédula eleitoral poderá tornar essa missão ainda mais difícil, porque Bolsonaro teria chance de herdar parte de eleitores jovens do ex-presidente que rejeitam o atual governo.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
26
  1. BRAGA BH disse:

    As pesquisas vem refletindo a realidade de nosso país. Comandado por uma camarilha, que retira direitos dos mais pobres, que enriquece ainda mais os mais poderosos, que persegue um líder nato sem provas substanciais e que não dá perspectiva de futuro para as mais novas gerações. Tirar Lula do pleito é o golpe dentro do golpe. Teriam que deixar que as urnas o julguem, que o povo decida o que fazer… Mas não vai ser assim. Se viu claramente no depoimento de Tacla Duran que a Lava Jato é seletiva, desonesta, parcial e que acoberta maus feitos desde que no final das contas os perseguidos sejam sempre os mesmos. É hora de se abrir a CPMI da Lava Jato com todas as informações e investigações sendo colocadas em pratos limpos pra todos os brasileiros verem. A Republica de Curitiba não pode ser superior à Constituição!!

    • jose nogueira disse:

      serio que vc pensa isso kkkkkkk, o maior corrupto da historia do brasil que sera contada no futuro kkkkkkkkkk a vá.

    • Camarilha maior que o PT? Não existe!!

    • p/Braga BH: "SEM PARTIDARISMO"! disse:

      Você não acha que o princípio básico para qualquer candidatura à presidência deveria ser que o candidato não seja “ladrão de cofre público”? Sendo esse o filtro principal, você não acha que a maioria dos candidatos até agora em movimento, seriam excluídos? Afinal não foi o desgoverno e a roubalheira que levaram o país à atual situação de caos moral, político e econômico em que estamos? Você não acha que deveríamos todos os brasileiros, partirmos de dois pontos essenciais:
      1 – Que o nosso candidato à presidência não seja sequer “SUSPEITO” de envolvimento com corrupção;
      2 – Que para qualquer candidato “NÃO CORRUPTO” eleito à presidência consiga governar, será necessário um Senado Federal e Câmara dos Deputados renovados pelo menos em 80% de senadores e deputados federais – visto que esse é, hoje, o número de corruptos e (ou) comprometidos com roubalheiras aos cofres públicos, nas duas Casas?

      • BRAGA BH disse:

        De certa forma, seu raciocínio está correto. ‘Deveríamos’ apoiar apenas aqueles vestidos de branco e sem nenhuma mácula! Mas quem iria montar, propor e fazer funcionar este filtro? O Executivo? Comandado por Temer e Cia? O Legislativo? Com uma gama de subdivisões (bancadas da bala, do agronegocio, banqueiros, evangélicos, etc). O Judiciário? Vc confia 100% nos posicionamentos dos Juizes de nosso país, dando somente dois exemplos: Gilmar Mendes e Alexandre Moraes. O que necessitamos com certa urgencia é de uma Reforma Constitucional, uma Constituinte. Mas não com os parlamentares que aí estão. Prego uma constituinte com os melhores nomes de nossa sociedade. Nomes retirados de todos os segmentos que enxergam o país como nós dois enxergamos e não como o galinheiro que nos serve de ovos e carne vermelha. Existem muitas cabeças boas no seio de nossa sociedade. Nossa democracia ainda imatura necessita de rumo. Este que está sendo proposto pelos poderes que hoje comandam nosso país não me ser

        • p/Braga BH: O POVO UNIDO SERÁ VENCEDOR! CORRUPTO NA CADEIA, DOA A QUEM DOER! VIVA A LAVA JATO! disse:

          Constituinte é a meta. Para chegar a ela, apoio total à Lava Jato – conservando – a como “menina dos olhos” do país mesmo com eventuais equívocos – afinal, infalível só Deus. Só através da Lava Jato serão eliminadas boa parte das quadrilhas de bandidos de altíssima periculosidade travestidas de partidos políticos. Ao mesmo tempo eleição, em 2018, do máximo de “gente nova”, não compromissada com a ladrãozada atual do Executivo, Legislativo e banda podre do Judiciário. É uma luta que só pode ser vencida gradativamente, com paciência. Primeiro o apoio à Lava Jato; segundo a renovação de pelo menos 80% de senadores e deputados federais. Precisamos divulgar, à exaustão, durante todo o ano de 2018, “LISTAS COM OS NOMES DE TODOS OS SENADORES E DEPUTADOS FEDERAIS CORRUPTOS E DEFENSORES DE CORRUPTOS” – todo cidadão consciente precisará se empenhar nisso, melhor forma legal de contribuição para sairmos do lodaçal moral, político e econômico em que os corruptos atolaram o país!

  2. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    … e desde quando a Datafolha tem credibilidade? É um instituto suspeito, alinhado com os esquerdopatas a serviço do fracassado Foro de S. Paulo !

    • walter disse:

      Mas não é só no Data Folha que Lula lidera as pesquisas. Em todos os Institutos e em todas as pesquisas já realizadas até agora, Lula está na frente com folga.

      • walter disse:

        Caro Walter, não é bem assim; estão fazendo as pesquisas, em locais convenientes…são pesquisas suspeitas como sempre…aliás estes institutos de pesquisas são convenientes demais; surgem em horas calculadas pelos acontecimentos…o lula em suas caravanas, “juntou meia duzia de gatos pingados”; tanto é fato, que parou…esta claro que tudo isto é um embuste, não tem moral hoje, para evitar uma rejeição monstruosa, com tantos bens questionados;as pesquisas não são claras pelas perguntas, e nem onde foram feitas…no Sudeste não passa de jeito algum…ele esta certo, vai ser candidato até o fim…infelizmente temos uma justiça que permite…

      • Estaria com folga se pudesse ser candidato!
        Condenado não pode ser candidato!

    • walter disse:

      Exatamente cara Maria Aparecida, mas o lula não deixa de ser uma pedra no sapato; quem definirá se esta apto ou não, é o TSE presidido pelo Gilmar, ninguém tem dúvidas, que será candidato, vai quebrar a cara pela rejeição maiúscula; será condenado, umas duas a três vezes,inclusive em segunda instância, ainda assim será candidato…Quanto ao Alkimin, mesmo assumindo o seu partido, terá uma posição indigesta, pelo conjunto da obra Kennedy…quanto ao Bolsonaro, terá que fazer alianças, diminuir o tom…poderemos ter outra boa novidade, que não surgiu até então; tudo indica, que teremos o lula e o bolsonaro no segundo turno por enquanto, muita água vai rolar até lá…

  3. MAURO ZAIA disse:

    O governo temer é o maior cabo eleitoral do LULA, se continuar insistindo na reforma da previdência vai ser BARBADA para o LULA ganhar a eleição em 2018.

    • Impossível!
      Como vai ganhar a eleição estando condenado?
      É a mesma coisa que vc falar que o Sérgio Cabral tem chance para o governo do RJ!

      • BRAGA-BH disse:

        Com a quantidade de recursos que se pode obter na Justiça, poderíamos dizer que Lula ‘É SIM o proximo presidente eleito. Haja vista a mudança de humores inclusive de Gilmar Mendes. Leia as ultimas declarações dele.

    • p/Mauro Zaia. disse:

      É isso que está acontecendo: é tanto bandido sendo desmascarado, do PMDB e PSDB principalmente, que estamos minimizando o que a ladrãozada do PT fez. É ladrão “saindo pelo ladrão” e, como o povo é dado a se esquecer rapidamente das coisas, estão se esquecendo que o liberou geral para a roubalheira foi dado por Lula. O país está numa situação que acabaremos tendo de optar, na hora de votar, escolhendo o “menos ladrão”! A não ser que a Lava Jato conseguisse colocar na cadeia a maioria da ladrãozada e o povo tivesse a sabedoria de não reeleger ladrão!

  4. Fabio disse:

    Kennedy, primeiramente os tucanos colhem o que plantaram, deram o golpe na democracia e junto com o quadrilheiro Temer fizeram do Brasil uma vergonha mundial e com isso os tucanos se tornaram politicos rejeitadíssimos.
    Quando ao TRF4, querem fazer justiça fora da legalidade.
    Deixa o cidadão petista concorrer e deixe que o povo decida nas urnas se quer ele ou nao.
    Justiça não tem que ser partido politico e o TRF4 tem que julgar conforme as leis e nao conforme seu pensamentos partidarios.

  5. Carlos disse:

    O Brasil não vai prosperar nunca, o povo votando no Lula, um museu, um ultrapassado, acima de tudo ladrão.

  6. samuel alves disse:

    Quanto as colocações suas Kenedy, acho que nunca houve tanta incógnita na política, Brasileira, o que vejo porém é que quem estiver com o Temer e apoiando ele pelo que observo estará fracassado, condenado e sujo pelo resto de sua vida publica. O brasileiro esta colhendo um fruto podre que plantou, (Infelizmente) porém não existe um salvador da pátria, e acredito que a campanha de 2018 irá se tornar uma luta de gladiadores, e como sempre com perspectivas de batalhas e todo tipo de golpe baixo. Não nego que erramos ao tirar a Dilma, porém também não compactuo dos erros que o PT deixou e um não justifica o outro, e olha que reconheço todos os acertos do PT; mas também concordo com os colegas acima que dizem que o povo deve julgar o Lula, e não um judiciário tendencioso como vemos. Então a unica certeza que temos é que nada temos, e o único que conhecemos como bom é o LULA mesmo. Os demais seriam somente votos de incerteza e indignação.

  7. luiz disse:

    Bolsonaro com discurso que irá privatizar tudo também vai se dar mal e entregar a presidência ao PT. Vender o Brasil para os chineses é o que o atual governo quer fazer. Ainda mais que o economista que Bolsonaro está sondando, Paulo Guedes, é a favor de vender tudo, inclusive bancos públicos como CAIXA e BB, uma vez que o mesmo é um dos DONOS do Banco Pactual e é claro que para interesse dos banqueiros, a venda da CAIXA e do BB trará grandes benefícios para eles e não para a população. Tudo interesse próprio com discurso que é para o bem da economia. Ricos ficando mais ricos e pobres mais pobres. Abram os olhos Brasil!!!

  8. sandro disse:

    Alguém pode me explicar o por que esse povo ainda estar pensando em votar no PT ? Por isso esse país está onde está…..uma vergonha.

    • Robson disse:

      Simplesmente por que foi no governo do PT que houve a maior distribuição de renda que este país já teve, onde os trabalhadores tiveram ganhos reais. Acho que isso explica, mas você não deve saber disso.

    • Raimundo disse:

      Talvez por falta de alternativas viáveis. O PSDB se mostra tão corrupto como o PT, e tem uma agenda elitista. O Bolsonaro é um extremista. Teríamos ainda o Ciro Gomes e a Marina com alguma chance e com algum conteúdo, ambos sem envolvimento em corrupção. Fora esses, só tem aventureiro e extremistas de um lado ou de outro.

  9. paulo roberto disse:

    Privatização imediata de tudo que ainda está falido(correios, petrobras, caixa economica, eletrobras,banco do brasil, universidades federais/estaduais, justiça e penitenciarias tambem) nas mãos destes des-governos civis, desde 1985, destruindo e desmoralizando o Brasil!

  10. Como o Lula pode ser candidato, se for condenado em segunda instância? É impossível!
    Se a justiça permitir ele como candidato nestas circunstâncias, aí acabou!
    É o fim da democracia! É a zorra total!
    Aí tem que ser intervenção militar! Não tem outra opção!!

  11. PÁTRIA AMADA BRASIL! disse:

    Uma pergunta: se você tivesse uma grande empresa e precisasse se ausentar, juntamente com seus familiares, por 4 anos, no exterior. Para administrar sua empresa só tivesse como pretendentes o Lula, Gleisi, Paulo Bernardo, Temer, Geddel, Aécio, Loures, Padilha, Moreira Franco, Jader Barbalho – qual desses escolheria para administrar sua empresa?

    • juscelino gama disse:

      Olá sra Pátria Amada
      Essa tua indagação foi genial. Parabéns.
      Começarei a usa-la sem delongas; pela eventual resposta do meu interlocutor, rapidamente saberei em que mundo o mesmo está vivendo.
      E dependendo da resposta, eu ainda posso perguntar: Por que?
      Diz o ditado que uma imagem vale mil palavras; acredito que uma boa pergunta valha, pelo menos, quinhentas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-12-17 22:57:12