aki

cadastre-se aqui
aki
Política
09-10-2017, 8h10

Datafolha mostra que ficou mais difícil Doria ser candidato do PSDB

Estratégia de viagens pelo país desagrada a um segmento do eleitorado
10

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Pesquisa Datafolha divulgada no domingo mostra que ficou mais difícil para o prefeito de São Paulo, João Doria Jr., viabilizar a sua candidatura presidencial pelo PSDB. Os números do Datafolha tiveram o efeito de fortalecer a possibilidade de o governador do Estado, Geraldo Alckmin, ser o candidato tucano a presidente.

Na pesquisa divulgada ontem, a taxa de ótimo e bom do prefeito despencou 9 pontos percentuais em quatro meses, justamente no período em que ele intensificou as viagens pelo mundo e, sobretudo, pelo país. É sinal de reprovação de parte do eleitorado, que entende que ele deixa a cidade em segundo plano e faz dela trampolim para concorrer à Presidência.

Há ainda outros dados ruins para Doria: 55% dos entrevistados querem que ele continue à frente da prefeitura contra apenas 10% que desejariam vê-lo na corrida presidencial. Na opinião de 45%, Alckmin deveria ser o candidato a presidente do PSDB contra 31% que preferem Doria.

Muita água ainda vai passar debaixo da ponte do tucanato. É cedo para achar que Doria é carta fora do baralho no PSDB, mas ficou evidente que a estratégia de viagens pelo país deu errado. O principal objetivo era crescer nas pesquisas. Isso não aconteceu. Doria está empatado com Alckmin no levantamento sobre intenção de voto para presidente. Tem apenas 8%.

Até o início de abril, quando termina o prazo para deixar o cargo de prefeito se quiser concorrer ao Palácio do Planalto, há tempo para Doria eventualmente se recuperar, mas precisará mudar de estratégia.

Deveria começar resolvendo os problemas de gestão da cidade. A zeladoria, bandeira de campanha, tem números negativos, segundo reportagem do jornal “O Estado de S.Paulo”. Se o gestor fizer só política e não entregar resultado, poderá ter números ainda mais negativos nas próximas pesquisas.

Desde o começo da gestão, Doria exagerou no marketing. Marketing ajuda, mas não tapa buraco, não limpa bueiro nem conserta semáforo. Se não houver entregas administrativas reais, esse exagero de propaganda tende a se voltar contra o prefeito.

*

Exagerou na dose

Foi negativo para Doria o saldo do embate que ele travou com o ex-governador Alberto Goldman por meio de vídeos divulgados nas redes sociais. Goldman fez uma crítica dura, mas política.

Essa crítica tem peso porque vem de alguém com história no PSDB, apesar de ser um adversário interno de Doria. Goldman disse que em nove meses de gestação não havia nascido o prefeito da capital paulista. Criticou as viagens e o marketing excessivos de Doria. A pesquisa Datafolha, de certa forma, confirmou as críticas de Goldman.

Doria reagiu com o fígado. Não deu resposta política, mas com ataques pessoais. Num vídeo, surgiu agressivo, chamando Goldman de fracassado e de político que viveu à sombra de outros nomes, como o senador José Serra e o governador Orestes Quércia.

Goldman deu o troco noutro vídeo, dizendo-se velho, mas não velhaco. Doria reforçou a ideia de intolerância às críticas e de agressividade, mas pode ter ganho um caminho para justificar uma saída futura do PSDB a fim de disputar a Presidência por outro partido. O DEM gostaria de tê-lo como candidato, por exemplo.

*

Pisou na bola

No final de semana, a presidente do STF, Cármen Lúcia, disse o seguinte, num evento em São Paulo: “Se o brasileiro soubesse tudo o que sei, tendo visitado 15 penitenciárias masculinas e femininas, seria muito difícil dormir”.

A frase é forte, mas infeliz. Se uma autoridade diz que tem ciência de coisas graves que deixariam a população sem dormir, ajuda a sedimentar a sensação, já alta, de falta de segurança pública que atormenta muita gente. Contribui para disseminar sentimento de pânico.

No caso, o melhor seria a presidente do Supremo dizer o que sabe, até para que a população tenha a exata dimensão do problema e possa avaliá-lo por conta própria. O povo não pode ser tratado como uma criança da qual se escondem notícias ruins.

Aliás, a psicologia e pedagogia modernas não recomendam que se escondam fatos graves de crianças, mas que ocorram conversas francas a respeito deles.

A situação do sistema prisional brasileiro já é suficiente calamitosa para que seja tratada com mais alarme. O importante seria as autoridades, como a chefe do Judiciário brasileiro, tomarem medidas para combater esse problema. Esse caminho seria mais produtivo do que frases de efeito.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
10
  1. É PRECISO PASSAR O PAÍS A LIMPO, DOA A QUEM DOER! VIVA A LAVA JATO! disse:

    Deveria ser proibido alguém deixar um mandato sem seu cumprimento “total” (até o último dia) para se candidatar a outro cargo. Isso é um desrespeito aos eleitores que o elegeram para um cargo. O principal motivo de nosso país estar essa “VERGONHA MORAL, POLÍTICA E ECONÔMICA” é exatamente o descolamento total da classe política do eleitor. Só nas campanhas eleitorais esse contato existe, “fingido, superficial, interesseiro”. O mesmo acontece quando o eleito deixa o cargo para o qual foi eleito para ocupar função no Executivo. O povo precisa dar uma lição a esses canalhas, nas eleições de 2018: excluir da vida pública todos os atuais políticos comprometidos com o atual governo, com a corrupção, com o “toma lá dá cá”, com os que são contra a Lava Jato, com os que votam contra investigações do judiciário sobre suspeitos com foro privilegiado e por aí afora. É preciso passar o país a limpo, doa a quem doer!

  2. Fabio disse:

    Kennedy, o que posso te afirmar é, tanto eu como minha familia não votamos mais em ninguem do PSDB.

  3. Hideo Nakayama disse:

    Quando o Doria vai começar a governar São Paulo ele deve ter esquecido que é Prefeito só faz politica e nâo troca lâmpadas queimadas , semáforos queimados, buracos nas ruas , transito um caos, transporte público um horror, educação e saúde uma lastima etc

  4. Wellington Alves disse:

    Doria só revelando o que verdadeiramente é. Collor II.

  5. Zeras disse:

    Dória se tornou pior que os políticos tradicionais. É uma pena mesmo, mas nele não voto mais. A cidade está tão ruim, que parece que o Haddad ainda é prefeito… sad but true.

  6. walter disse:

    Tudo dentro do previsto, caro Kennedy; não podemos esquecer, tem muito tempo a frente, o Dória estava se descuidando da prefeitura; foi motivo de piadas no humor da globo, no Sábado…finalmente o prefeito, colocou os tapas buracos nas Ruas…Quanto a pesquisas do Data Folha, é sempre tendenciosas…claro que o Dória mete medo na oposição; mas o correto é sair como candidato, a governador de SP…o Alkimin, faz diferença, por ter realizado grandes obras, enquanto os outros governadores, QUEBRAVAM SEUS ESTADOS; esta marca, ninguém poderá vence lo. Quanto a declaração, de dana Carmem Lúcia, chega a ser triste; se fizessem a lição de casa, poderiam desovar, pelo menos 30%, por baixo, dos excessos não julgados; visitou vários presídios; poderia fazer a diferença, em todo o País; desafogando as cadeias; permitindo a defesa ampla a todos; não há direitos de ir e vir, para pobres no Brasil…somos todos prisioneiros, em nossas casas…

  7. CARLOS GOMES disse:

    O Neoliberalismo iria adorar se Doria fosse o próximo presidente. Mas para “enganar” os eleitores tentarão eleger o Alckmim… será a mesma coisa. Alckmim é mais discreto… o discurso não deixa bem claro suas intenções. Os dois…neoliberais ferrenhos!!!

  8. EXECUTIVO E LEGISLATIVO NÃO JULGAM: FUNÇÃO DE JULGAR É DO JUDICIÁRIO! disse:

    Mas alguém tem dúvida do caos da segurança pública, caro Kennedy? Ela disse isso referindo-se que é mais estarrecedor do que saber, ver de perto, como ela viu. Poderia ter dito que isso é consequência das más gestões e corrupção do Executivo e do Legislativo, que desviam o dinheiro da segurança pública, saúde, educação, saneamento básico etc – setores primordiais abandonados pelos governos há décadas – e da indolência do Judiciário,
    Será um agravante de tudo isso, mais uma vergonha nacional, se o STF, agora na próxima quarta-feira (dia 11), se dobrar aos corruptos do Legislativo que querem que o STF tenha que pedir “permissão” ao legislativo para afastar corrupto de suas funções.
    O mesmo que “RAPOSA TOMAR CONTA DE GALINHEIRO”!
    Será o fim da picada! O caos derradeiro. Em minha opinião o “JOGAR A TOALHA” para a corrupção. Sinal de que as instituições não têm mais condições de manter o país dentro dos princípios republicanos! E que é hora de providências para moralização do país!

  9. luzia disse:

    Sr.Kennedy boa noite, agradeço por seus comentários, são sempre bem informativos mas com linguajar simples e bem completo. Sobre PSDB, a maior parte dos politicos deste partido são pomposos, arrogantes bem instruídos, mas ao mesmo tempo corporativistas e tendenciosos. No fundo falam polidamente, demasiadamente, mas fazem muito pouco, esse dois amiguinhos de longa data não são diferentes dos outros, Sr. Alckmim ha anos não consegue terminar as linhas de metro TÃO DIVULGADAS e vive cantando vitoria. E Sr. Doria só sabe criticar, mas até agora não disse a que veio. Eu ha muito tempo não tenho partido e não voto em ninguém, só o farei quando existirem leis mais severas para punir estes bandidos politicos de estimação. Se todos ficassem em casa no dia da eleição, eles tomariam vergonha na cara.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-12-15 08:18:16