aki

cadastre-se aqui
aki
Política
08-09-2017, 8h09

É arriscado fechar delação e produzir provas depois

Com prisão preventiva, Geddel tende a virar candidato a delator
11

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

Depois de ouvir o ex-procurador Marcelo Miller hoje, a tendência de Rodrigo Janot é anular benefícios concedidos aos delatores da JBS Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco de Assis e Silva. Os três colaboradores depuseram ontem.

O procurador-geral da República precisa cumprir formalidades para revogar a imunidade judicial de Joesley, Saud e de Assis e Silva. Retirada a proteção, abre-se o caminho para pedir a prisão dos três e preparar uma eventual denúncia por omissão e mentira no acordo de colaboração que firmaram.

Na prática, Janot tem mais uma semana de poder. Se não fizer isso, muito provavelmente a sucessora dele, Raquel Dodge, tomará a providência _algo desastroso para a imagem do período de Janot à frente da Procuradoria Geral da República.

É frágil a resposta de Joesley de que mentiu no diálogo e de que entregou o áudio para não ser acusado de omissão. O que importa na conversa com Saud é que ali foi traçado o roteiro de uma trama seguida à risca e supostamente orientada por um procurador da República que atuava ao lado de Janot. É algo muito grave para o procurador-geral da República deixar passar em branco.

Ajustes necessários

Olhando hoje, o acordo da JBS foi uma confusão contratada. Houve a celebração rápida de um acordo de delação premiada para produzir provas posteriormente. O depoimento do ex-procurador Marcelo Miller será importante para saber até onde houve um entendimento prévio antes do fechamento da colaboração.

Acordos fechados sem orientação anterior deixaram aberta a possibilidade de produção de provas para um segundo momento. Talvez seja necessário um ajuste na forma de conduzir esses entendimentos. Deixar as provas para depois traz risco de cometer injustiça em relação a acusados. E pode jogar o Ministério Público numa armadilha, como aconteceu nesse episódio da delação de Joesley e companhia. Certamente, o caso servirá de lição para fechar acordos com mais critérios e maior conjunto probatório.

*

Perdeu força

A revista “Veja” trouxe reportagem sobre a delação do doleiro Lúcio Funaro, que teria acusado o presidente Michel Temer de receber propina e de saber de repasses de caixa dois por intermédio de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara que está preso em Curitiba.

Deve ser baixo o impacto político dessa delação em relação à possibilidade de Temer se sustentar no poder. Claro que trará mais desgaste político para o presidente, mas dificilmente essa delação servirá ao propósito de derrubar o presidente da República.

É preciso conhecer os detalhes e esperar as providências que serão pedidas pelo procurador-geral da República _provavelmente, acusações de obstrução de justiça e chefia de organização criminosa.

Mas a trama planejada por Joesley contra Temer fortaleceu a proteção política do presidente no Congresso. Com a delação da JBS em xeque, a colaboração de Lúcio Funaro perde o impacto necessário para desestabilizar o presidente.

Se for confirmada a versão de Funaro de que Eduardo Cunha era o intermediário de supostas propinas para Temer e de pedidos de operação de caixa dois, faltará, mais uma vez, o estabelecimento de um elo direto entre o acusador e o atual presidente da República. O ânimo hoje em Brasília não é favorável a Janot nem à nova denúncia que ele pretende apresentar contra Temer.

*

Candidato a delatar

Segundo integrantes do governo, Geddel tem dado demonstrações de instabilidade emocional enquanto vem cumprindo prisão domiciliar. Preso preventivamente, ele será mais um candidato a fazer colaboração premiada. Isso pode trazer mais problemas para a cúpula peemedebista.

Será difícil justificar a origem e o motivo de ter uma montanha de dinheiro, mais de R$ 51 milhões de reais, no apartamento de um amigo em Salvador. Como obteve esse dinheiro? Era uma fortuna pessoal ou uma reserva para ser dividida com outras pessoas?

Geddel foi um integrante poderoso do governo e figura importante da cúpula do PMDB da Câmara durante anos. Se abrir a boca, pode causar dano a muitos políticos.

Assista aos temas do “SBT Brasil”:

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
11
  1. Carlos Santos disse:

    Está cada vez mais difícil ler, ouvir e assistir noticiários no Brasil. Os números da roubalheira são suficientes para transformar os serviços públicos em serviços de primeiro mundo. Porém parece que uma minoria preferiu roubar o suficiente para ir viver em Miami.

    • walter disse:

      É isso mesmo Carlos, roubam muito, depois fazem a delação, devolvendo a metade, e nem precisam sair do Brasil, para não dar bandeira; vão deixar as coisas esfriarem, e depois curtir os seus milhões, é claro que a maioria é mula de alguém, e vão ter que financiar campanhas a mando, mas mesmo assim, ficam numa boa…O Kennedy tem razão, se for delatar, devem estar tudo preparado para entrega em tempo hábil dos complementos pertinentes aos fatos; salvo quando tem contrapartida de outros delatores…Quanto ao Geddel, a mãe dele já deu depoimento para um repórter, afirmando que o filho é doente; já estão tentando ludibriar a justiça, para que não fique preso…mas com um pouco de cadeia, vai fazer delação, e sabe de todos os podres; este homem é um celeiro…quanto ao Janot como bom mineiro, vai desfazer toda a delação, submetendo-as ao Supremo; seu assistente Marcelo, custou caro neste processo, e não vai librar as suspeitas de ninguém; Janot ficou no “Olho do furacão”, precisa se cuidar..

  2. LAVA JATO, O TERROR DA LADRÃOZADA: "AS RAPOSAS NÃO TOMAM MAIS CONTA, 'SOZINHAS', DO GALINHEIRO"! disse:

    A ladrãozada dominante no Executivo e Legislativo do país há anos não se conforma é que, hoje, a PF e MPF resolveram exercer suas funções visando também aqueles que antes só eram alvo de “CPI’s” – fiscalizações internas que sempre não davam em nada, pois eram o mesmo que “RAPOSAS TOMANDO CONTA DOS ‘FÉTIDOS’ GALINHEIROS”! Essa ladrãozada não era incomodada em suas roubalheiras e falcatruas, pois eles mesmos acabavam jogando tudo para debaixo do tapete. Odeiam a Lava Jato, que, mesmo com talvez um erro aqui, outro ali, tem colocado na cadeia os ladrões de cofres públicos travestidos de políticos e governantes, independente do partido político que esteja sendo o disfarce para a quadrilha de ladrões de cofres públicos.

  3. angelim francisco piulati disse:

    É incrível esta politica de deleção, onde evidencia e considerada prova e prova e considerada evidencia. Veja os caso de Aécio e temer e outros corruptos com provas cabais de inlicitos e não são condenados a nada, muito pelo contrario são soltos e inocentados por ministros do STJ e outros ST’f

    • Stanislaw p/Angelin Francisco: STF: TEM QUE SER BERÇO ESPLÊNDIDO... DE LADRÃOZADA NA CADEIA! disse:

      Os políticos corruptos lutam para não perder o foro privilegiado: Lula tentou ser nomeado; Moreira Franco foi; Paulo Maluf se candidata há anos, pelo foro privilegiado.
      Os políticos e governantes corruptos são tão periculosos que conseguiram transformar a mais alta Corte Judicial do País no “Berço Esplêndido” pelo qual todos os corruptos ladrões de cofres públicos lutam para ali ter direito ao aconchego.
      O maior exemplo desse aconchego vergonhoso foi o julgamento do “Mensalão” – penas irrisórias para alguns políticos e penas altas para os empresários, e isso ainda porque o ministro Joaquim Barbosa quase teve que enfartar, de tanto combater os disenterias verbais e decrepitudes morais do STF que pretendiam absolver bandidos. Hoje criticam a Lava Jato a fim de proteger ladrões de cofres públicos travestidos de políticos e governantes! Felizmente são minoria no STF e não hão de prevalecer!

  4. Bras Silva disse:

    As delações e provas contra o Temer não são facas ou frágeis, o problema é que o congresso é formado por maioria de corruptos que estão “pactuados” com o Temer, é uma vergonha, é lamentável, pois nem num país como a Coreia do Sul, um político desses continuaria no poder, todos que conheço no exterior, diz que a situação aqui no Brasil, é surreal.

  5. LUIS CLAUDIO DE M. LIMA disse:

    A tática dos bandindos da JBS/PT deu errado. O tiro saiu pela culatra. Tentaram bagunçar abalando a credibilidade da PGR, mas Jannot pensou rápido. Fiz o acordo e posso acabar com ele. E ainda usarei as provas já existentes. Para os bandidos recuaram igual a um menininho de rua… “Eu estava mentindo”.

    Quanto ao dinheiro…do JáJá… Ele cresceu o olho… tá na cara que aquilo não é só dele. Um dinheiro sujo que não pode ser depositado e hoje tão pouco ser lavado.

    Kennendy Vão ter que jogar dinheiro fora.. Tem muito mais guardados por aí.. As empresas estão com medo de lavar, pois pode ser pegas.

    O Brasil alcançou um patamar de corrupção imensurável. Há bandido em toda classe trabalhadora e social.
    A delação funcionou na Italia. Mas para isso alguns juízes tiveram que sumir engolindo pólvora.

    Enquanto isso vou trabalhando para pagar os impostos e mais as propinas que estão embutidas no nosso produto.

  6. eu tenho vergonha de dizer que sou brasileiro e moro na Bahia. Gedel ladrão.
    Eu sinto vergonha por eles.
    muita gente que eu confiava me decepcionou, temos que que tirar muita gente daquele congresso e passar uma qboa para limpar.
    eu que ficou preocupado em pagar minhas contas, e ser honesto, procuro dar bom exemplo a meus filhos e esposa. Deus me força para eu não cair nessa armadilha e possa toda noite colocar a cabeça no travesseiro e dormir sem tomar remedio.

  7. mano disse:

    prezados: o instituto da delação premiada é algo muito sério, portanto só tem validade, se provas concretas forem apresentadas. Não deve o juiz fazer juízo de valor com base em declarações e definir uma sentença. O Estado Democrático de Direito não pode ser posto em risco. Isto vale para todos as pessoas, independente de credo, ideologia, classe social. Diferente disso, é autoritarismo.

  8. marques disse:

    Esse Instituto da deleção premiada atual é simplesmente ridículo, premia o bandido antes de provar o que diz , tem que ser o contrário somente após as provas ter o beneficio. A delação premiada está servindo para enriquecer alguns operadores do direito, principalmente aqueles bem próximos as Autoridades que avaliam e aprovam as delações é o que temos visto ultimamente, inclusive na Lava Jato do Paraná, onde pareciam serem acima de qualquer suspeita.

  9. juliano disse:

    Onde estão os bate panelas? Os que queriam que os sabotadores tomassem o poder? Os que ajudaram a por esta quadrilha no comando do nosso amado e poderoso Brasil? Porque ninguém se levanta? Será que a resposta é a esperança de um melhor desempenho econômico? Provavelmente sim e também o fato de derrubar um governo de tendência socialista cujo objetivo primordial era a tentar equilibrar a distribuição de 6 trilhões de reais, do orçamento que deveriam ir para a parte mais necessitada da população brasileira, tal como os 22 milhões de nordestinos beneficiados com a transposição do S. Francisco, que ninguém comenta.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-09-25 21:24:42