aki

cadastre-se aqui
aki
Política
14-03-2017, 21h46

Janot quer quebra de sigilo para evitar corrida de vazamentos

Congresso busca anistia a caixa 2; Temer se preocupa com ministros
3

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

No Ministério Público Federal, a avaliação é que a nova lista de Janot atinge duramente o governo Temer, mas o impacto alcançará toda a classe devido à amplitude dos pedidos. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal a abertura de 83 inquéritos, entre outras solicitações.

O procurador-geral da Republica, Rodrigo Janot, pediu ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, que quebre logo o sigilo para evitar uma corrida por vazamentos, porque isso gera turbulências políticas e econômicas.

A quantidade de pedidos para instâncias inferiores da Justiça (211) mostra que a Lava Jato criará ainda mais operações filhotes e reforçará algumas investigações que já estão em andamento fora de Brasília.

No Congresso Nacional, cresce o movimento para um acordo entre deputados e senadores a fim de tentar propor uma legislação que recupere o financiamento eleitoral privado com baixo limite de contribuição e maior rigor para o caixa 2 do futuro. Alguns deputados defendem instituir um financiamento público completo e proibir contribuição eleitoral privada. Em relação ao caixa 2 do passado, a ideia é encontrar algum tipo de anistia que se aplique aos fatos investigados pela Lava Jato.

O presidente Michel Temer aguarda os detalhes da delação para saber se os ministros que responderão a inquéritos no STF (Supremo Tribunal Federal) manterão condições políticas para continuar em seus cargos. Pode ser que as revelações inviabilizem a permanência de alguns ou de todos.

Estratégia lulista

No depoimento de hoje, era importante para o ex-presidente Lula dizer que o ex-senador Delcídio do Amaral mentiu. Lula depôs como réu no processo que tramita na Justiça Federal de Brasília, na qual é acusado de tentar obstruir uma eventual delação premiada de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras.

Além de rebater a acusação de Delcídio, havia também o objetivo de responder a acusações que não são investigadas no processo de Brasília, mas pelo juiz federal Sérgio Moro em Curitiba. Daí o tom político da fala.

Lula viu uma oportunidade de tentar recuperar sua imagem perante setores da sociedade que não são petistas e que só viram nos últimos tempos fatos negativos a respeito dele. Lula deve aumentar sua exposição pública para enfrentar o que considera uma perseguição de Moro e de setores do Ministério Público e da Polícia Federal.

Assista aos temas de hoje  no “SBT Brasil”:

Comentários
3
  1. mano disse:

    meus caros: nunca antes na história desse país a corrupção foi tão escancarada. Todos nós sabemos que ela sempre existiu e que é tão resistente quanto a inflação. Pelo visto nos governos deve haver meta de inflação e meta de corrupção. O centro da meta da inflação é o objetivo do governo, já com a corrupção, a meta deve ser o topo, mais ou menos 6,5% do PIB. Enquanto isso, muitos brasileiros estão desempregados, milhares ou milhões ainda vivendo abaixo da linha da pobreza, salário médio reduzindo, vivendo em palafitas, morrendo de fome, sem dignidade, em condição de trabalho escravo, alto índice de analfabetismo e semi-analfabetismo.

  2. ANDRE disse:

    Pergunto ao povo brasileiro: pode estes canalhas conduzirem os processos de reforma da previdência, trabalhista, tributária e política? Pior ainda que a corrupção, é permitir que estes infames que tem a moral toda enfiada na lama, conduzam o nosso destino e o destino de nossos filhos. Em 2013, ouvimos “O gigante acordou”, o que houve ? voltou a dormir? ou será o Brasil medroso, a que se referia o embaixador americano Lincoln Gordon, de volta?

    • jonas disse:

      É muito simples. O “gigante” ignorante e ingênuo foi acordado e usado pela imprensa golpista (que pertence e serve à oligarquia mais corrupta do mundo) apenas para dar um golpe de estado e colocar os maiores corruptos do mundo de volta ao poder já que eles não conseguiam através das urnas.
      Agora que o golpe foi dado, botam o “gigante” para dormir novamente enquanto as maiores atrocidades ocorrem sem grande alarde pela mesma imprensa corrupta que estava tão preocupada com a “corrupção” antes do golpe.
      E daqui a 50 anos, se a oligarquia corrupta se sentir ameaçada novamente, eles acorda o “gigante” assim como fizeram no ano passado assim como em 1964.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-08-19 08:04:45