aki

cadastre-se aqui
aki
Política
19-06-2017, 8h23

Joesley aumenta dano a Temer, mas não é crível posar de vítima

Lava Jato mostrou simbiose lucrativa entre corruptos e corruptores
6

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A entrevista do empresário Joesley Bastista à revista “Época” tem mais peso político do que jurídico. O empresário recorreu a uma narrativa com cores fortes para desgastar o presidente Michel Temer, acusando-o de chefiar a quadrilha mais perigosa do país. Apesar disso, as acusações são uma repetição do que Joesley e outros delatores da JBS disseram à Procuradoria Geral da República.

As declarações à revista causam dano ao governo, porque ampliam o desgaste de Temer na opinião pública. Também atingem o PSDB e o PT. Joesley espalhou chumbo político, levando o presidente a divulgar uma nota dura no sábado e a dizer que processará o empresário.

Joesley se comporta na entrevista como se tivesse sido chantageado por políticos e não pudesse ter outra saída, senão pagar propina. Mas ele mesmo disse que descobriu que eram falsas algumas ameaças de CPI e de convocação para depor em comissões do Congresso.

Havia uma simbiose entre corruptos e corruptores. Isso está muito claro na longa investigação feita pela Lava Jato. Interessou a Joesley pagar propina e fazer doações eleitorais generosas, porque isso turbinou o crescimento da sua empresa. Houve um investimento na corrupção para ganhar dinheiro. Não é crível posar de vítima dos políticos.

Exemplo: na conversa com Aécio, gravada por Joesley, o empresário joga uma isca, sugerindo o nome de Aldemir Bendine (ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras) para comandar a Vale e, assim, fazer negócios. Aécio afirmou que já tinha sido escolhido outro presidente para a companhia, mas deu corda ao empresário, sugerindo uma indicação para uma lucrativa diretoria, porque esse era o tipo de conversa que estava acostumado a ter com Joesley.

A entrevista desgasta os políticos, mas também atrai a ira da opinião pública contra Joesley, porque ele não tem nada de santo ou de vítima.

*

Reação presidencial

Temer pediu à AGU (Advocacia Geral da União) para estudar medidas judiciais contra Joesley e o grupo JBS por danos à economia do país. O presidente disse que Joesley mentiu na delação e na entrevista.

Segundo ele, isso causou prejuízo econômico ao país, com impacto na Bolsa, na cotação do dólar, na expectativa futura dos juros.

O presidente disse que tomaria medidas para colocar Joesley “na cadeia”. Estava muito contrariado por ter sido acusado de chefiar a quadrilha mais perigosa do país.

Do ponto de vista político, o presidente continuou a reforçar a articulação para barrar a provável denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Temer precisa do apoio de 172 deputados. Mas isso não significa que ele tenha de obter esse suporte em votos na Câmara. Basta impedir que dois terços votem pelo prosseguimento da denúncia.

Ou seja, a ausência para dificultar 342 a favor da denúncia poderá ser um caminho, apesar de o plano A ainda ser obter um placar significativo. Mas, a depender da evolução da crise, esvaziar a votação pode ser uma das armas.

*

Fatiamento de denúncia

É legítimo que a Procuradoria Geral da República tenha a estratégia jurídica que julgar mais eficiente para combater a corrupção. No entanto, parece ruim para o país um fatiamento da denúncia contra Temer, porque deve gerar mais instabilidade política e esticar a crise.

Seria mais sensato o procurador-geral da República reunir todos os elementos que julga pertinentes e apontá-los numa única denúncia.

Daria mais peso jurídico e evitaria a crítica de fatiamento como estratégia processual para desgastar ainda mais o governo. Isso só vai gerar mais uma escalada da crise. Pode ainda aumentar a solidariedade do Congresso a Temer, porque muitos políticos avaliam que amanhã estarão no lugar do presidente e poderão responder a denúncias em série.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
6
  1. walter disse:

    Sinceramente Kennedy, todos os brasileiros sabem que o temer é culpado; já perceberam que as acusações contundentes são seletivas, esta insistência em perseguir o temer e o Aécio, foi sim sob encomenda; não livra a cara do lula, o verdadeiro chefe, mas permite fazer discursos de candidato me novas eleições…Esta viagem do temer, não tem grande significado, já que suas grandes batalhas, estão aqui nos três poderes; precisa provar que tem força na câmara; o tal “sucessor” não esta muito preocupado com isso, quer mais que ele “morra”; sem aprovar os pacotes em curso, não vai restar nada ao temer, a não ser sair. Entrar contra o Joesley não vinga, não pode esquecer o homem da mala, foi pego com o dinheiro endereçado…precisa aprovar, ou será reprovado, já que suas ações estão s/ força iguais a dilma; desta forma vai se arrastar até quando, e o Brasil!!!

    • Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

      Walter tens toda razão !
      Entretanto é fundamental ter em mente que neste país o empreendedor é sempre penalizado por investir, criar emprego e renda !
      Existe todo um arcabouço legal e fiscal, consolidado para esfolar o contribuinte, achacar o empresário, chantagear o capital e fazer do cidadão um refém dessas portarias tributárias diárias que são publicadas para beneficiar os donos da lojinha que este país se transformou… ditadura sindical !

  2. ANDRE disse:

    Kennedy, discordo de sua opinião em relação ao fatiamento da denuncia, exatamente por saber da solidariedade dos políticos com Michel Temer, o procurador fatia as mesmas, para expor mais a já tão enlameada câmara de deputados que tudo indica, independente de estratégia, não permitirá que o presidente seja processada no STF. Se for necessário esticar a crise para que este país recupere a sua honra e sua vergonha, que assim o seja. Em qualquer país sério, este senhor não estaria mais sentado na cadeira que hoje ocupa. Que país é este?

  3. Miguel Ângelo Milioli disse:

    Que iniciemos um pensamento sem indicar culpados. Sem dar nomes aos homens maus que delataram. E sem imaginar que homens não bons e nem maus sejam citados. O problema maior é muitos delatores dizerem: Sempre existiram pagamento de propinas. De outro lado ver na TV um dono de Frigorífico ir na televisão e dizer que nunca conseguiu trabalhar sem pagar propina no Mato Grosso do Sul. Não vamos culpar os homens de que lado sejam. As falas evidenciam que há décadas acontecem coisas que não são legais. E claro que entre trilhões em títulos emitidos para pagamento em 50 anos. Trilhões não necessitavam ser pagos. Trilhões encareceram o asfalto, a ponte, a rodovia, e até mesmo a carne do dia a dia. O problema não é nem mais quem vai virar delator. Nem mesmo sua índole. É que ficou provado que as correntes do atraso deste País, impostas mais duramente após a Monarquia, veio trotando neste mar de pessoas que estão sempre a frente de tudo no País. Não conseguimos mais confiar em ninguém. Só isto.

  4. Ray Magno disse:

    Corruptos e corruptores de quem o povo brasileiro trabalhador e honesto sente asco e náuseas.
    .
    Segundo informações da mídia, a JBS é a maior fornecedora mundial de carne! E o governo brasileiro foi quem a colocou nesse patamar privilegiado, abrindo-lhe as portas contratuais para tantos países.
    .
    Por mais ingênuos que sejamos concluímos que a empresa foi trabalhada para ser nada mais nada menos que uma gigantesca intermediante Caixa Forte.
    .
    Porém, mesmo amicíssimos dos corruptores, os corruptos empresários que ficam com o saco cheio de dinheiro, ficam também de saco cheio dos achaques de seus poderosos e ameaçadores padrinhos cada vez mais famintos.
    .
    E o que acontece? Um belo dia, cansados de serem escarradeiras, mesmo riquíssimos, botam a boca no trombone resolvendo contar “quase tudo”.
    .
    É esse o final infeliz tão comum desse repetido conto verdadeiro acontecido nas altas esferas de importantes e impolutos homens da vida brasileira.
    .
    Qual será o próximo escândalo?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-10-21 04:41:09