aki

cadastre-se aqui
aki
Política
04-08-2017, 8h04

Maia não fez com Temer o que Cunha fez com Dilma

Vitória contra Janot não garante aprovação da reforma da Previdência
8

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Apesar do tom otimista em falas ministeriais, é baixa hoje a chance de aprovação do relatório da reforma da Previdência na Câmara sem que haja modificações.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, quer aprovar essa reforma até outubro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pretende colocar o tema em votação no início de setembro.

O governo está muito interessado na reforma da Previdência para tentar controlar o crescimento dos gastos públicos. Articuladores políticos falam em mudar o discurso de venda da reforma. Foi enfatizado o aspecto fiscal, deixando em segundo plano questões de justiça social e de igualdade de regras.

Acontece que o governo já fez concessões para beneficiar a elite do funcionalismo público. Aquela reforma que igualava regras se perdeu. Os deputados estão mais preocupados em votar um fundo eleitoral entre R$ 3,5 bilhões e R$ 4 bilhões para financiar as campanhas no ano que vem. Perante a opinião pública, está cristalizada a ideia de uma reforma da Previdência que vai prejudicar os mais pobres e manter privilégios.

Nesse contexto, não será fácil. A vitória de Temer nesta semana na Câmara mostra força e ajuda a dar uma chance ao governo de tocar a agenda de reformas. Mas é uma vitória muito maior contra o Ministério Público Federal e outros setores da sociedade contrários a Temer, feita às custas de concessões de cargos e verbas a partidos conservadores, do que um movimento que sinaliza disposição de votar uma reforma da Previdência a um ano das eleições.

No entanto, é possível aprovar parte da reforma, como a fixação da idade mínima de 65 anos para homens se aposentarem e de 62 anos para as mulheres. Outros pontos são mais complicados, como aumentar o tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 25 anos a fim de que o benefício possa ser concedido.

Rodrigo Maia já disse que o governo vai precisar de mais votos do que obteve na quarta ao arquivar a autorização para o Supremo Tribunal Federal analisar a denúncia do Ministério Público Federal contra Temer. Nesse sentido, já está apontando para o governo o caminho para aprovar a reforma: não retaliar os infiéis do PSDB, partido que tem 47 deputados e é a favor da reforma da Previdência.

Temer ganhou na quarta com ajuda fundamental de Rodrigo Maia. O presidente da República quer dar ao presidente da Câmara papel de destaque nas articulações para articular a reforma da Previdência e projetos de mudança na legislação tributária. Rodrigo Maia não fez com Michel Temer o que Eduardo Cunha fez com Dilma Rousseff.

Isso tem enorme peso na sobrevivência política do presidente no cargo e no crescimento da chance de ele concluir o mandato. Por isso, Temer quer ter Maia por perto e prestigiado.

*

Qualidade do bambu

O que pode ameaçar a articulação do governo para aprovar a sua agenda de reformas? A consistência da segunda denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Temer.

A possibilidade maior, diante do placar obtido por Temer na quarta, no qual 263 deputados deram apoio público ao presidente, 19 faltaram e dois se abstiveram, é que o governo consiga derrotar novamente uma denúncia de Janot. Em resumo, 284 deputados ajudaram Temer.

A aprovação de emendas constitucionais demanda o apoio de três quintos de deputados e senadores em dois turnos de votação _308 votos na Câmara e 49 no Senado.

No entanto, será preciso ver quais fatos novos serão acrescentados aos elementos já revelados pelas delações dos irmãos Batista e de executivos da JBS. Sem fatos relevantes obtidos em novas delações, como a doleiro Lúcio Funaro e a do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, Temer tende a obter outra vitória em relação a essa segunda denúncia e poderá aprovar pelo menos parte da sua agenda de reformas.

É inegável o fortalecimento de Temer neste momento, que tem derrotado poderosos setores da política, do empresariado, do Judiciário, do Ministério Público e da sociedade que desejam derrubá-lo.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
8
  1. walter disse:

    Caro Kennedy, continuo a insistir, que a maior dureza já passou; para o bem o mal, o temer vai conseguir a reforma da previdência, pelo conjunto da obra; todos sabem, que o rombo aumenta mês a mês, e esta responsabilidade recai nas constas do congresso de forma geral;; até para justificar ao eleitor, a permanência do temer com todos os problemas, se é que isto possa ser explicado…terão que fazer a lição de casa, e agilizar a aprovação da previdência sem cortar mais nada, já esta depenada; na verdade o governo só esta preocupado com as idades de aposentadoria, mas a mudança deve ser ampla, e a favor do Trabalhador, ou teremos remendos no futuro próximo…

    • Analista Alpha disse:

      “mas a mudança deve ser ampla, e a favor do Trabalhador,”

      Não entendi sua posição Walter.

      Como uma mudança nas bases da previdência, aumentando seu tempo de contribuição e idade, podem ser a favor do trabalhador???

      A favor dos empresários pode ser.
      A favor dos industriais pode ser.

      Mas para o trabalhador não há nada a favor.

    • walter disse:

      Analista Alpha, não podemos acreditar que todas as responsabilidades, na mudança da previdência devam recair sobre os empresários, tão sacrificados pelo conjunto da obra neste país. acredite as empresas que de fato dão empregos, são as pequenas e médias; as Multis ou grandes setores nacionais, são pequenas nesta hora…tanto isto é fato, que ao menor movimento de queda no consumo, demitem em massa, após ferias coletivas…se há uma chance, de acabar com o desemprego, gerando mais contribuintes para o futuros dos novos aposentados, são as pequenas iniciativas, que vão permitir carteiras assinadas; não vamos nos iludir, que de outro modo; sacrificando os investidores produtivos, que acabaremos com a fila do desemprego; teremos que acreditar, na sanha dos grandes idealistas; temos que acabar com a injustiça tributária em nosso país; portanto caro, só teremos limonada, se tivermos limões, vamos acreditar…

  2. renata vieira disse:

    A permanência do Temer foi muito melhor, esses inconsequentes do povão não tem ideia do custo ao país de um segundo impeachment.

    • Analista Alpha disse:

      A permanência do Temer foi muito melhor para seus defensores, amigos, cupinchas, Xupins e assemelhados.

      Para o povão, aquele que vive do trabalho, ou depende de outros auxílios, o primeiro impeachment já foi muito ruim, péssimo, e só estamos neste estado lastimável exatamente por conta disso.
      O país entrou num vórtice mortal, com essa quadrilha que substituiu a anterior.

      O que desconfio mesmo Renata é que não faz idéia do que estou falando, pois não conhece como vive o povão de verdade.
      Povão que com a entrada do Temer, viu reduzida sua Bolsa Família, a possibilidade de comprar comida, de conseguir trabalho, de sustento.

      O Brasil só piorou com Temer e seus quadrilheiros.

    • Analista Alpha disse:

      Inconsequentes foram àqueles que hastearam suas bandeiras e bateram panelas para trocar uma governante proba por um corrupto velhaco. Quem são mesmos os patos, abobados e manipulados?

  3. TODOS OS BRASILEIROS DEVEM SER IGUAIS “TAMBÉM” NO TETO DE APOSENTADORIA! disse:

    Caro Kennedy, acho que Temer tem “resistido” e isso é bem diferente de vitória. É o mesmo que construir uma bela casa na areia, com alicerce fraco… um vento forte derruba a bela casa. Ele não tem apoio político forte, visto que seus principais apoiadores são corruptos investigados pela justiça, mais preocupados com processos, cadeia e eleição em 2018!
    Da população tem apenas 5% de apoio. Acho que sua grande sacada seria divulgar com ênfase e aprovar urgentemente uma reforma da Previdência onde a população visse a correção das injustiças previdenciárias, tipo um teto máximo para todos os brasileiros, civis, militares, funcionalismo público, políticos, enfim, todos os brasileiros com os mesmos direitos previdenciários no final de suas vidas. Além de reforçar os cofres públicos em 50 bilhões de reais por ano, conquistaria a população aviltada e indignada com tantos privilégios de certas categorias profissionais.

  4. Andre santos disse:

    Temer com certeza está contribuindo para o desenvolvimento do país, diferente do que dizem certos petistas que são cegos de mais para enxergar isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-08-22 00:37:39