aki

cadastre-se aqui
aki
Política
02-02-2018, 16h36

Moro dá resposta ruim, mas não é hipócrita

Juiz admite que auxílio-moradia é salário indireto
8

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Foi mal o juiz Sergio Moro ao justificar para o jornal “O Globo” o recebimento do auxílio-moradia.

Moro respondeu à reportagem de hoje da “Folha de S.Paulo” com as seguintes palavras: “O auxílio-moradia é pago indistintamente a todos os magistrados e, embora discutível, compensa a falta de reajuste dos vencimentos desde 1º de janeiro de 2015 e que, pela lei, deveriam ser anualmente reajustados”.

O juiz federal símbolo da Lava Jato admite que o auxílio-moradia é um complemento salarial, não um subsídio destinado a uma situação específica em que seria justificável _como ocorre no caso do resto dos mortais. Moro assumiu que se trata de uma forma de compensar a falta de reajustes salariais que seriam devidos aos magistrados. A Folha revelou que ele recebe o auxílio, apesar de ter moradia própria em Curitiba.

Ao tratar o auxílio-moradia como complemento salarial, Moro admite que o penduricalho é uma forma de burlar o teto salarial imposto pela Constituição. Seria mais honesto defender a necessidade de elevar o teto constitucional a admitir que um expediente “discutível”, nas palavras do próprio juiz, compense “a falta de reajuste dos vencimentos”.

Isso talvez fosse entendido na 13ª Vara Federal de Curitiba como evidência ou indício de possível crime de apropriação indébita ou até como eventual peculato, a depender da interpretação que se queira dar ao direito em nome da moralidade e da ética. Afinal, esses penduricalhos normalmente furam o teto constitucional. E, hoje em dia, há conceitos elásticos no direito penal.

É bom que os magistrados se manifestem abertamente e assumam que usam os penduricalhos para aumentar seus salários contra o que prega a Constituição da República. Um dos bens que a Lava Jato fez ao país foi ampliar o debate sobre a maneira como deve ser tratado o dinheiro público.

Um auxílio-moradia (R$ 4.377) equivale a mais de 24 benefícios médios que foram pagos ao programa Bolsa Família em outubro passado (R$ 179 por família).

Ontem, juízes federais e procuradores da República foram ao Supremo Tribunal Federal defender o indefensável. Eles são privilegiados que não se envergonham de lutar por mordomias num país que tem menos dinheiro para investimentos públicos, para educação, para saúde, para programas sociais.

Uma liminar do ministro Luiz Fux garante a farra do auxílio-moradia para todo o Judiciário. O plenário do Supremo vem empurrando o tema com a barriga há cerca de quatro anos. Agora, em março, talvez os 11 ministros votem a decisão provisória de Fux. Seria um bom momento para libertar quem é escravizado por essa mordomia _ensinando magistrados e procuradores a pescar em vez de lhes dar o peixe à custa do erário.

Na praça, o discurso dos privilegiados é o seguinte: quem critica o auxílio-moradia está incomodado com o combate à corrupção e com a condenação de Lula. Os cavaleiros da ética e da moral poderiam encontrar uma desculpa melhor. Usar o combate à corrupção para justificar supersalários é uma espécie de patrimonialismo moral dos novos tempos.

Poderiam ser sinceros como Moro. O auxílio-moradia é salário indireto. Serve para compensar reajustes que a categoria considera que lhes são devidos. A resposta de Moro é ruim, mas não é hipócrita como a pregação dos colegas que foram pressionar o Supremo a manter seus privilégios e mordomias, escudando-se no combate à corrupção para ganhar uns bons trocados a mais.

Comentários
8
  1. Marcos Roberto dos Reis disse:

    O juiz Sérgio Moro alega que esse auxílio serve para compensar a falta de reajuste nos vencimentos. Assumiu o penduricalho.
    Moro só esqueceu de dizer que, apesar de estarem sem esse reajuste de vencimentos (desde 2015, segundo palavras dele), começou a ganhar o auxílio moradia ainda em 2014. Ou seja, a justificativa usada não cola com a realidade dos fatos.

  2. carlos alberto couto da cunha disse:

    O MM Juiz, em causa própria, como no caso Lula, usa o mal, para fazer o bem(dele).

  3. ticiano endrigo rangel disse:

    Realmente não é hipócrita é imoral.

  4. João disse:

    Me permita uma “correção” caro Kennedy.. na 13ª Vara Federal de Curitiba isso isso já seria crime…. e, dependendo de qual thurma pertença o acusado….já estaria preso…

  5. Pedro Ernesto Sanches disse:

    O auxílio pode até ser imoral, mas não é ilegal. Ilegal e imoral é a situação de alguns técnicos e professores da Universidade Federal do Recôncavo Baiano, que aumentar o salário se utilizando de auxílio transporte: muitos conseguem ganhos mensais de quase 2 mil reais, alegando longos deslocamentos diários. Alguns chegam a afirmar que se deslocam quase 400 km por dia!!!! Isso sim seria um excelente caso para investigação.

  6. Briguilino disse:

    E eu que sempre pensei que ser hipócrita era pregar uma coisa e fazer outra. Exatamente o que faz muitas autoridades do poder judiciário, inclusive o exemplo-mor de honestidade dos últimos tempos. Mas, que particularmente a mim jamais enganou.

  7. Ray Magno disse:

    Não é somente salário moradia que humilha os profissionais de outras categorias e principalmente o povo trabalhador e assalariado, mas todos os demais privilégios de classes elitista e de outras acobertadas por um silêncio denunciador.
    .
    Todas as mordomias de magistrados, e de outros profissionais da justiça somadas, dão em valor inacreditável para a situação brasileira recente e atualíssima.
    .
    Se as mordomias de espertalhões das classes dominantes desse Brasil fossem realmente cortadas, a Reforma da Previdência, possivelmente, não seria necessária, ou se tornaria tarefa bem mais fácil de solução.
    .
    É isso, mas sem isso e outras moralizações jamais sairemos desse rombo gigantesco do país dos conluios e de apropriações de multi-empresas nacionais e internacionais. E tome distrações para tentar manter o povo ocupado. Mas se enganam, chegará a hora!
    .
    Saudações

  8. Julio Moreira disse:

    Estamos aguardando uma resposta de altíssima intelectualidade, transformada em power points, na qual um cidadão abastado demais, adquire duas propriedades do Programa Minha Casa Minha Vida e paga elas com AUXÍLIO-MORADIA, bem me parece que isso não aconteceu no Brasil se não os DD da vida já teriam dado voz de prisão através da Globo a este estelionatário.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-05-21 04:00:28