aki

cadastre-se aqui
aki
Política
28-02-2018, 8h11

Mudança na PF busca apaziguar ânimos internos

Segovia virou problema para Temer e Jungmann
1

KENNEDY ALENCAR
LONDRES

Fernando Segovia virou um problema para o governo, que, quando o nomeou diretor-geral da PF, imaginou que teria um controle maior de investigações de corrupção feitas pela Polícia Federal. Mas uma série de trapalhadas e declarações desastradas minou a credibilidade pública de Segovia e aumentou a contestação interna à gestão dele.

O presidente Michel Temer estava com uma batata quente nas mãos e aproveitou a oportunidade para se livrar dele. A sede de Segovia em agradar Temer criou um clima interno na PF que poderia resultar em investigações mais rigorosas contra o próprio presidente e ministros do governo. A indicação de Segovia se revelou um tiro no pé.

O novo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, acertou ao aproveitar este momento para trocar o comando da PF. A Polícia Federal é a estrutura mais importante do novo ministério. A pasta já sofre contestação por ter sido criada no fim de governo e ter pouco tempo para mostrar resultado. Seria ruim começar um trabalho que dependerá da PF com um diretor-geral tão enfraquecido e capaz de criar crises ao simplesmente abrir a boca.

Com a nomeação de Rogério Galloro, Jungmann faz um aceno para a corporação, apaziguando ânimos internos. Manter Segovia só atrapalharia a vida de Jungmann, que conseguiu dinamitar o pouco apoio político que o ex-diretor da PF ainda tinha. Por exemplo: o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, era um forte fiador da sua permanência.

A gota d’água para convencer Temer foi o pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para que o STF (Supremo Tribunal Federal) emitisse ordem a fim de que Segovia se abtivesse de intervir em inquérito que investiga os portos. A atitude de Dodge foi vista como desmoralizadora para Segovia.

Jungmann argumentou que era a melhor oportunidade para que ele e o presidente se livrassem de um problema. E assim Segovia caiu menos de quatro meses após assumir.

Ouça o comentário de ontem à noite no “Jornal da CBN, 2ª Edição”, feito logo após a queda de Segovia:

Escute o comentário de hoje de manhã no “Jornal da CBN”:

Comentários
1
  1. walter disse:

    Sejamos práticos nesta analise Kennedy; se o Sarney esta envolvido, pode contar que tem muito coisa errada…este Segóvia foi um embuste da pior qualidade, um sujeito com um riso ridículo na cara, o tempo inteiro…já havia sido nomeado a contra gosto, do próprio Torquato…ficou claro e bem desenhado; na PF ninguém isoladamente dá as cartas, o que é ótimo; não fosse esta independência, não haveria Lava Jato…O Temer não dorme com a pressão das acusações que terá que enfrentar…o caso dele é tão grave, que poderá sair, no final de seu mandato, direto para a penitenciária…este caso Rodrimar tem seus rastros em relevo…além de tudo isso; é pressionado pelo cunha, e outros cúmplices, ameaças diárias, causam a sua saúde já comprometida…o mal da política, ‘quando o cidadão é visado, não deveria assumir cargos chaves; nesta hora, os ventiladores são ligados”…morrerá na praia no fim…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-06-24 19:28:53