aki

cadastre-se aqui
aki
Política
08-08-2017, 8h24

Ovada em Doria incentiva intolerância e deve ser condenada

Mas prefeito também faz discurso que estimula agressividade na política
16

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A ovada no prefeito de São Paulo, João Doria Jr., é um episódio que tem de ser condenado, porque estimula a intolerância e a agressividade no debate público. Doria foi alvo de um protesto ontem em Salvador. Ele recebeu da Câmara Municipal o título de cidadão soteropolitano. Um vídeo mostra o prefeito sendo atingido por um ovo.

Nenhuma agressão deve ser comemorada ou incentivada no debate político, porque não é um ato civilizado. Os manifestantes tinham direito de vaiar e discursar contra a homenagem a Doria. No entanto, no momento em que usam ovos para agredir seus adversários estão endossando a mesma estratégia do escracho e do ataque físico que seus aliados sofrem, por exemplo, em restaurantes e aeroportos.

Essas agressões devem ser condenadas de parte a parte. A civilização do debate público é uma tarefa de todos os que defendem a democracia. A agressividade serve àqueles que têm uma visão autoritária e que acham que podem impor sua vontade na marra à sociedade. Geralmente, a história mostra que termina mal.

*

Aposta na escalada

Logo após a agressão, o prefeito gravou um vídeo em resposta, dizendo que ela partiu de aliados de Lula e que os manifestantes deveriam atirar ovos na Venezuela. Foi uma resposta inteligente do ponto de vista político, porque dada rapidamente.

Mas é uma reação que também joga a favor da escalada de conflitos. Boa parte dos manifestantes deve apoiar o ex-presidente Lula. Isso não significa, porém, endosso automático do petista ao tipo de manifestação.

Quando relaciona o protesto ao ex-presidente, Doria cumpre a estratégia de tentar ser o principal político anti-Lula do país. O prefeito cita a bandeira do Brasil, ressalta ser brasileiro, afirma que a ovada é típica da esquerda e convida os manifestantes a atirar ovos em Nicolás Maduro na Venezuela.

Essas referências à bandeira nacional, à condição de brasileiro (que não é exclusividade de militantes de direita) e a citação à Venezuela também têm cores divisionistas, facistas e xenófobas.

Na semana passada, um refugiado sírio foi agredido no Rio aos gritos de alguém que se dizia “brasileiro” e aos brados de “fora do meu país”. Como o deputado federal Jair Bolsonaro cresceu nas pesquisas com esse tipo de discurso ao mesmo tempo em que tucanos perderam fôlego, Doria incorpora, por cálculo eleitoral, um figurino de direita agressiva e destemida.

Quando age assim, o prefeito também estimula a intolerância e a agressividade no debate público. Apesar de ter sido a vítima de ontem, esse tipo de discurso pode estimular o agressor de amanhã.

*

Cisão histórica

É fato que o ex-presidente Lula e o PT têm recorrido a uma retórica descrita pelos tucanos e outros políticos como “nós contra eles”, adotando linha divisionista no debate público.

É um erro de Lula. Esse discurso funciona bem para os convertidos e ajuda a manter unido um segmento petista e de esquerda numa hora de enfraquecimento político com a Lava Jato e a perda do poder no governo Dilma.

Também contradiz a linha conciliatória que Lula adotou na campanha eleitoral vitoriosa de 2002 e que norteou o governo dele, quando houve inclusão social em doses inéditas na história do país. Lula fez uma gestão conciliadora.

No entanto, é um erro atribuir a cisão do país ao ex-presidente e ao PT. Por cálculo eleitoral, o partido e o ex-presidente têm adotado essa linha.

Infelizmente, a divisão do país não é novidade. Ela é histórica. Está na sua origem. É a divisão retratada pela desigualdade social, pelo expressão “andar de cima e andar de baixo”, pelo uso intensivo da escravidão no seu desenvolvimento, pelo racismo, pelo machismo, pela homofobia, pelo “quarto de empregada”, pela expressão “você sabe com quem está falando?” e por inúmeros outros exemplos.

A cisão social do Brasil não é uma invenção dos novos tempos, mas ela tem servido tanto ao PT como aos seus adversários, como mostra a intensa exploração desse caminho por diversos políticos, inclusive Doria.

Os vídeos do prefeito, que inundam as redes sociais, têm pouca conciliação e muita retórica de guerra. Políticos, empresários, jornalistas e cidadãos devem ter a responsabilidade de civilizar o debate público no país. Infelizmente, vemos raramente isso.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
16
  1. Valmir castor disse:

    Quem criou isso foi o PSDB / DEM e tantos outros interessados na derrubada da Dilma e enfraquecimento de Lula e da esquerda como um todo, realmente é algo sério já que o país está dividido, mas quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra, e foi isso que ele e seus asseclas fizeram país a fora, mas esqueceram que eles também podem ser vítimas, como digo sempre, quem viver verá, tempos sombrios batem às nossas portas !!!!!!!!

    • walter disse:

      Desculpe Valmir, somos uma democracia, e jamais plantamos o ódio antes do PT; atacar o Dória, por ser noviço na política, e estar fazendo diferença, esta causando uma preocupação na concorrência; só pode ter vindo da parte do admiradores do lula, que constantemente atacam, tem que ouvir verdades indigestas; não se justifica o ódio plantado pela esquerda de forma geral; erros graves foram cometidos, por isso estamos aguentando o temer que veio da aliança do PT…”o nós contra eles”, veio de quem…o Brasil precisa de credibilidade, e nada disto hoje ocorre, depois de tantos desmandos e corrupção…o Dória será sim, um gestor importante e SP ou no Brasil…

      • Sebastiao Canabrava disse:

        Preocupacao na concorrencia? Sim, veja a reacao dos demais tucanos, especialmente Alckimim.
        Odio plantado pela esquerda? Sei. Quem nao aceitou a derrota? Quem afirmava que nao irir pagar o PATO? Quem afirmava que a esquerda tinha um projeto de perpetuacao no poder? Quem, exerceu um projeto de poder em MG por 12 anos (perdeu por que aqui em MG, descobrimos antes do Brasil – e antes das delacoes da JBS – que o Aecio nao era o que se apresentava). E quem exerce um projeto de poder em SP por mais de 22 anos? Isto nao e’ perpetuacao no poder? Somente para “bitolados” e “manipulados” nao e’. E o Doria, apesar de mais de 6 meses no poder, ainda (com afirmacao de FHC) nao provou ser um gestor (veja a cracolandia). E o tempo esta passando. O que os analfabetos politicos nao veem e’ que o Doria tem um projeto de super promocao. E nao projeto de governo. Ele foi homenageado em Salvador (onde nem e’ conhecido) por que a capital baiana e’ governada pelo Dem, que nao candidato e corre atras de um.

  2. Dimas disse:

    A manifestação conciliadora só tem sentido se for pra valer. O que se pede é uma oratória pacifista, mas ações não condizem com o discurso. Depois de derrubarem uma presidente e implantarem reformas que contrariam mais de 90% da sociedade e que são uma agressão muito mais grave que uma ovada, o discurso conciliador só serve para encobrir a violência que é uma constante em nossa história. Sejamos sinceros. A nossa elite sempre fala em união mas união em torno de sua agenda e não a do povo. Para estes não há concessão. O discurso conciliatório de Lula manteve os privilégios da elite e deu algumas migalhas ao povo mais pobre. Acho que acabou. São séculos de exploração que não vão terminar enquanto não houver uma crise que desencadeie a violência. Qualquer pessoa com um mínimo de clareza sabe que se deve trabalhar agora pelo confronto ou o país continuará mergulhado no pântano.

  3. Edi Rocha disse:

    Mas um ótimo comentário de um verdadeiro jornalista, como é o Kennedy.
    Claro que os fatos citados tem muita importância, mas pergunto: Por que Doria estava recebendo essa homenagem? Não faz sentido. Fez o que pra merecer? É pura promoção política. Usam o “título de cidadão” à tôa.

  4. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    As supostas esquerdas, que na verdade nem sabem o que são, também não sabem conviver em democracia, são apenas analfabetos políticos, carentes e desinformados a serviço dos sindicatos pelegos; estes sim, interessados apenas no dinheiro, nada mais !

    • Sebastiao Canabrava disse:

      Os direitas sao donos da verdade? Sera que voce sabe o que e’ direita ou esquerda? Ou voce nao teve escolha, ja nasceu assim? Todos os sindicatos sao peleguistas? Se todos fossem, nao haveriam sindicalizados. Eu sou e me sinto representado.
      Sempre havera a luta capital x trabalho, e’ logico. E os sindicatos patronais? Sao puros? Voce e’ contra a contribuicao sindical obrigatoria para trabalhador, mas nao vi voce se manifestar contra a contribuicao sindical OBRIGATORIA para empresas. Ou voce nao sabe que existe?
      O debate e’ sempre saudavel. Se feito com respeito. Sim, cada um pode defender o seu lado. Mas cada um tambem deve olhar para seu umbigo. E todos, todos, teem o telhado de vidro. Nao existe um lado DONO DA VERDADE. Depende do angulo que se analisa.

  5. Douglas Benassi disse:

    as agressões devem sem duvidas ser condenadas inclusive as verbais, né Dória.

  6. Vera Lucia Lucas Pinto disse:

    Kennedy respeito você e seu trabalho, mas a ovada é a mais legítima manifestação de insatisfação que podemos mostrar a políticos como ele, que praticam higienismo, que consideram pobres como cidadãos de segunda classe, que joga água em mendigo em dias com temperaturas de país de primeiro mundo. Só nos resta a ovada como demonstração de que não queremos o que eles estão fazendo. Porque toda manifestação ordeira dentro da democracia não dá resultado. Até flores que ele rescebeu de uma ciclista ele jogou no chão. Eles precisam entender que acabou a paciência

  7. Analista Alpha disse:

    Parabéns Kennedy, mostrou isenção e coragem, sabendo que muitos leitores aqui veneram o Sr Doria, achando que ser trata de um novo santo, de conduta ilibada e salvador da Pátria.
    Ele não é nada disso, pelo que tem demonstrado civicamente e pelo seu histórico administrativo na Embratur.
    Mas está surfando na onda do anti-petismo e anti-lulismo, como se apenas isso bastasse para melhorar o País e seus habitantes, não basta.

    Cadê os apoiadores do Dória com seus comentários? Defendam o indefensável. O Doria, diz, mas é da boca pra fora, que é gestor e não político, mas seus gestou e atitudes mostram outra coisa.

    Ele poderia ser diferente, e teve a chance, mas o poder já o corrompeu e infelizmente é apenas mais um político esfomeado, babando pelo poder, e de ter o poder pelo poder.

  8. Jonas disse:

    Os golpistas fascistas foram aos milhares aplaudir um ex-torturador do DOPS fazendo discurso num caminhão de som em plena Av. Paulista. Diziam que os petistas deveriam ter sido assassinados pelos militares. Agrediram muita gente, incluindo estrangeiros, em todas os lugares e situações possíveis. Mas agora ficam revoltados quando Doria, o prefeito playboy mimado e hipócrita, leva uma ovada.
    E a resposta do mimado é balbuciar sobre “Venezuela”, típico de quem não tem argumentos e apenas fica repetindo as mesmas frases feitas e irrelevantes ao caso.

  9. Marcio Cruz disse:

    Esse ocorrido é demonstração inequívoca de uma política de “ódio” e uma “imaturidade” absurda. Democracia pressupões debate pacífico e ordeiro. A população brasileira não pode aceitar esses fatos como fatos comuns. Isso é baderna de quem não tem argumentos para um debate democrático. Estima-se que, no mínimo, a polícia tenha identificado o autor dessa prática criminosa para devidas providências. Lamentável.

  10. Antonio Wolfgang Bierbauer disse:

    Parabéns pelo profissionalismo Kennedy,
    Sr. Dória é um ótimo gestor, porém concordo com analista Alpha, pois diante uma postura política “salvador da Pátria”o tiro pode sair pela culatra, quanto aos fatos citados devem ser repudiados sem dúvida.

  11. Wellington Alves disse:

    Direita tem que ser combatida. O erro de Dilma foi ter sido democrática, não ter comprado voto. Chega de engolir essa direita esdrúxula, com discurso reacionário, xenofóbico, machista, homofóbico. Fogo contra fogo.

  12. Maria Vieira disse:

    Nós não estamos numa democracia, o Impeachment da Presidente Dilma foi uma farsa, inclusive confessada pelo Vampiro que está presidente. Pode-se dizer o que quiser sobre a Venezuela, mas lá foram realizadas 21 eleições em 18 anos. Além disso, o ódio foi incentivado pelos conglomerados midiáticos que manipulam a maioria dos brasileiros.
    Uma ovada não é nada perto do que estamos passando, não querem ouvir a sociedade e sim o tal do mercado.

  13. Angelo Santiago Federici Coutinho disse:

    Quando o ódio e a intolerância eram praticados pelos que agora são atacados ninguém reclamava né?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-10-23 20:12:26