aki

cadastre-se aqui
aki
Política
30-10-2016, 20h20

Rio é maior conquista do projeto de poder da Universal

Para 2018, não deve ser menosprezado risco de aventura
19

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

A eleição de Marcelo Crivella para prefeito do Rio de Janeiro é uma vitória do projeto de poder da Igreja Universal do Reino de Deus. A Igreja Universal foi a maior força criadora do PRB, o partido de Crivella, e nunca escondeu que desejava ocupar espaços na política.

No Congresso, já existe uma influente e significativa bancada evangélica. A eleição no Rio é a mais relevante conquista do PRB em seus 13 anos de existência. Será o posto executivo mais poderoso já ocupado por um bispo da Universal e senador do PRB.

É um exemplo de que vem no crescendo no Brasil a mistura da religião com a política. No segundo turno, Crivella recorreu a discurso com forte pregação religiosa e priorizou temas morais a fim de derrotar o PSOL de Marcelo Freixo.

Após a vitória, Crivella fez um discurso contemporizador, dizendo que não cairia “na praga maldita da vingança”. Falou em “olhar pra frente”. Agradeceu o apoio de setores da Igreja Católica, de outras religiões e até de ateus.

No Rio, os votos nulos e brancos mais a abstenção atingiram um número superior aos dos votos em Crivella. Acabou fracassando a campanha do PSOL contra o voto nulo e as abstenções.

*

BH, Recife, Porto Alegre, Fortaleza e Curitiba

Apesar de o PSDB ser um dos principais vitoriosos nas eleições municipais, o presidente do partido, o senador Aécio Neves, sofre uma derrota direta em Belo Horizonte. Em 2014, ele bancou a candidatura de Pimenta da Veiga pelo PSDB ao governo de Minas e acabou perdendo a eleição para o petista Fernando Pimentel.

Houve uma repetição agora. Na reta final em BH, o senador participou ativamente da campanha de João Leite. Esse resultado coloca pedras no caminho de Aécio para uma nova candidatura à Presidência. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que também deseja ser candidato a presidente, está em situação melhor do que Aécio, pois foi o padrinho da eleição de João Doria em primeiro turno paulistano.

O resultado em Recife confirma o mau momento do PT em todo o país. A vitória de Geraldo Júlio mostra que o PSB virou uma força hegemônica em Pernambuco, enfraquecendo os petistas.

A eleição do tucano Nelson Marchezan Júnior em Porto Alegre é um exemplo do sucesso do discurso contra os políticos tradicionais. Apesar de ser deputado federal, Marchezan atacou a classe política. Essa onda beneficiou João Doria no primeiro turno em São Paulo e ajudou outros candidatos no segundo turno.

A eleição de Roberto Cláudio (PDT) em Fortaleza é uma vitória do grupo do ex-ministro Ciro Gomes e do ex-governador Cid Gomes. Ciro é um potencial candidato a presidente. Pode vir até a receber o apoio de Lula se o petista não for candidato.

E há exemplos pelo país de uma fragmentação partidária cada vez maior. Rafael Greca (PMN), em Curitiba, e Alexandre Kali (PHS), em Belo Horizonte, foram eleitos por partidos pequenos.

*

Tucanos e petistas

No Estado de São Paulo, o PT praticamente desapareceu. Houve uma expressiva vitória do PSDB em cidades médias e grandes do Estado. A maior conquista do PT em território paulista foi eleger no primeiro turno o ex-ministro Edinho Silva como prefeito de Araraquara, uma cidade média.

O resultado paulista mostra a força do governador Geraldo Alckmin no interior, como a vitória de Duarte Nogueira (PSDB) em Ribeirão Preto e de Guti (PSB) em Guarulhos. Alckmin não faz uma gestão bem avaliada, mas, politicamente, avançou algumas casas na disputa interna tucana pela candidatura presidencial.

Na onda azul do PSDB, Alckmin surfou melhor do que Aécio.

*

Balanço federal 

Uma marca das eleições municipais foi o sucesso dos candidatos que apostaram no discurso contra os políticos tradicionais. Essa demonização da política estimulou um número maior de abstenções e de votos nulos.

O PT foi o grande derrotado. Houve um efeito Lava Jato que prejudicou mais os petistas. A crise econômica, gerada pelo governo Dilma, também contribuiu para o eleitor punir os candidatos do PT. De modo geral, a esquerda perdeu espaço para a direita.

O PMDB e o PSDB, que são os principais partidos de sustentação do governo Temer, saem vitoriosos. Isso sinaliza força para as eleições de 2018, porque os prefeitos são cabos eleitorais valiosos. Mas a política no Brasil pode mudar muito em dois anos. E agora peemedebistas e tucanos deverão ser mais atingidos pelas revelações da Lava Jato.

Há um furacão que se abaterá sobre toda a classe política com as delações da Odebrecht. E o governo Temer ainda tem o enorme desafio de resolver a crise econômica. Portanto, há um quadro de incertezas políticas e econômicas em relação a 2018.

Ter bom desempenho nas eleições municipais de 2016 ajuda, sem dúvida, mas não é garantia de vitória do atual campo governista daqui a dois anos. Não deve ser menosprezado o risco de aventuras eleitorais e de êxito de nomes que não estão hoje na política tradicional.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN':

Comentários
19
  1. Mauro disse:

    O Partido dos Trabalhadores perdeu em toda região metropolitana de São Paulo, incluindo o chamado cinturão vermelho, reduto tradicional do partido e onde tem ligação histórica, que é o ABCDM, mas por ironia do destino elegeu o prefeito de Franco da Rocha, que é sede do maior manicômio judiciário (hospital psiquiátrico para criminosos) do estado de São Paulo e ai fica a pergunta:-
    É coincidência, ou tem tudo a ver?

    • Joaquim José da Silva Xavier disse:

      Eduardo Campos, Alckmin, Ciro Gomes, conseguem eleger candidatos, pq são fortes. . . mesmo com todo anti-petismo Aécio perde a terceira eleição em Minas Gerais,(presidente, governador e prefeito) conclusão óbvia: Dilma Rousseff não se reelegeu em 2014, por ser candidata forte, mas sim, pq Aécio é um candidato fraquíssimo, isto é fato!!!

      com todo anti-petismo, Brasil em crise, Lula na iminência de ser preso, ainda assim, Aécio consegue ficar atras do petista em todas as pesquisas pra 2018 . . . Aécio é ridículo!!!

    • Alberto disse:

      Excelente a associação caro sr Mauro.

    • walter disse:

      Tem tudo a ver caro Mauro; como a eleição do ACRE, que esta ao lado da Bolívia…são Brasileiros esquecidos por tudo; onde o poder público não dá nada,não acrescenta; tem templos, e partidos de esquerdas, no comando…de fato o Brasil, é um grande arraial…quando vc observa o numero de voto, destes lugarejos…elegem se, representantes, com 10 a 200 mil votos.
      A Universal, terá uma excelente oportunidade, para fazer um trabalho brilhante no RIO; tem pouco dinheiro; se conclamar a população, e a iniciativa privada, a organizar a “bagunça”, depois do jogos; muito se pode conseguir por tabela…

  2. Neto de Preso Político disse:

    Apesar do pleito democrático, nós cariocas estamos muito tristes.
    Não merecemos a segregação religiosa do Crivella, e nem a apologia das drogas do Freixo.
    Mais uma vez, tivemos que escolher o menos pior.
    Triste, muito triste!

  3. Reinaldo Neves de Oliveira disse:

    Ainda bem que a maioria da população entendeu que o governo do PT foi um desastre para o país. Mas parece que agora vamos correr novo risco no futuro, com a Igreja Universal, que está se fortalecendo rapidamente na política.

  4. Fabio disse:

    Quem sabe com a palavra de Deus o RJ se livra desse monte de vagabundo que mora lá, que vive fazendo arrastões, jogando defunto na praia e tudo mais. OREMOS.

  5. sergio disse:

    As pessoas não estão entendendo e nem tendo noção do perigo que essa mistura de política e religião representa p/ o país.

    • Mauro disse:

      Para o pais? Onde mais, fora o Rio, alguem intimamente ligado a uma igreja, foi eleito?
      O Rio está no Brasil, mas não tem mais essa influência toda, que voce acredita ter e com certeza
      nem tudo o que acontece no Rio, se espalha pelo pais. O Brasil, não conhece o Brasil. Pare de olhar o mar e comece a olhar para o pais que está atrás de voce!

    • Bruno disse:

      Perfeitamente. Desse jeito vamos nos transformar na República Teocrática do Brasil governada por um conselho de bispos, pastores e apóstolos. Quem sabe não voltamos à Idade Média?

  6. Mauro disse:

    O que se pode tirar dessa eleição, mais que qualquer coisa é que se havia um discurso de golpe contra o PT, essa cantilena mentirosa e modorrenta foi totalmente destruida e desmoralizada em função da derrota esmagadora e indubitavel que o Partido dos Trabalhadores teve em todo o país.
    Os dirigentes petistas pregavam que o povo estaria a seu lado e que provariam isso nas eleiçoes.Grande engano e grande mentira, pois nem as bases sairam aos milhoes para defender o governo; os que gritavam fora Temer já se dispersaram e se havia alguem a favor de Dilma, está escondido e recolhido preocupado com seu emprego e com tudo de ruim que assola o pais e que foi provocado pelo governo petista.
    O povo não é bobo e se pede abaixo a rede “tal” de televisão, mandou o PT para as cucuias e com a observação de que não volte nunca mais! Esse é o grande recado dessas eleiçoes!

  7. Wellington Alves disse:

    PT foi varrido do cenário político. 1 em cada 4 brasileiros é governado pela tucanalha. Não tem mais desculpas ou quem culpar.

  8. ANDRE disse:

    o Aécio Neves está colhendo o que plantou ao incendiar o país com o seu discurso de ódio e separação. Tentou depois do impeachment, mudar a sua imagem, com um discurso de união, de que o país é um só, mas a população não é tão ingênua, como pensa o senador e não colou. Disseram que o PT foi um desastre na política, ledo engano, desastre foi o governo dos militares que entregaram o país com uma dívida externa gigantesca, com inflação galopante, com um grau de favelização nunca antes visto, uma das piores distribuições de renda do mundo, uma educação destroçada, milhares de mortos e uma população analfabeta politicamente.

  9. Gerarde Monteiro disse:

    VAMOS AGUARDAR O PRÓXIMO ANO PARA VER O QUE O GOVERNADOR ELEITO VAI FAZER.

  10. Diego Silva disse:

    O fato é que o PSOL tem um discurso perigoso de extremismo. Eles são de fato comunistas. E o comunismo nunca funcionou e jamais funcionará. O país precisa de um governa de centro direita para trazer o progresso desejado.nem direita nem esquerda o centro é o caminho. Aliás por isso o Lula teve sucesso porque se afastou do exagero esquerdista.

  11. Rio está ferrado agora, o pior é que na verdade não existia escolha.

  12. LULA, MACEDO E SEUS POSTES DE TREVAS! disse:

    NA LUTA PARA ESCOLHER O “MENOS PIOR” OS POBRES CARIOCAS CORREM O RISCO DE TEREM ESCOLHIDO O PIOR: DA MESMA FORMA QUE LULA ESCOLHEU O “POSTE” DILMA QUE LEVOU O PAÍS AO CAOS MORAL, POLÍTICO E ECONÔMICO, O PERICULOSO MACEDO ESCOLHEU O “POSTE” CRIVELLA QUE, SABE-SE LÁ ONDE LEVARÁ O RIO DE JANEIRO!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-07-16 20:31:14