aki

cadastre-se aqui
aki
Política
31-07-2017, 8h26

Temer crê ter entre 220 e 230 votos certos contra denúncia

Mas, para votar, será preciso presença de aliados infiéis e de oposicionistas
9

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A contabilidade do governo continua a apontar cerca de 260 deputados a favor de Michel Temer e do parecer aprovado pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara que nega a autorização para o STF (Supremo Tribunal Federal) analisar a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da República.

Mas, avaliando que poderá haver uma quebra, o governo crê que tem como certos entre 220 e 230 votos. Esse é o diagnóstico da reunião de ontem entre Temer e seus articuladores políticos no Palácio da Alvorada. A votação do parecer da CCJ está marcada para esta quarta, depois de amanhã.

O governo possui número suficiente para manter o parecer da comissão e dar a Temer uma vitória. No entanto, continua a enfrentar dificuldade para chegar ao quórum mínimo a fim de abrir a votação, que é de dois terços da Câmara (342 dos 513 deputados).

Para obter esse quórum, os articuladores governistas avaliam que parlamentares de partidos aliados favoráveis à denúncia poderiam se juntar aos defensores de Temer para atingir um quórum ao redor dos 300 deputados. Faltariam ainda 42.

A realização da votação depois de amanhã também dependerá da presença de deputados da oposição, que está dividida. Parte acha que deve estar presente. Outro segmento ainda quer avaliar se seria melhor deixar o governo sangrar e obstruir a votação.

O discurso do governo será o de que o parecer da CCJ enterrou a autorização para o STF analisar a denúncia e de que cabe aos adversários do governo ressuscitar essa possibilidade. Se a oposição não quiser votar, os articuladores do governo tentarão jogar a responsabilidade pelo adiamento no colo dela. Deverão dizer que podem esperar até o fim do mandato de Temer em 2018.

No entanto, interessa mais ao governo votar agora e encerrar o tema nesta semana a fim de ganhar força a fim de tentar retomar a agenda de reformas e de concessões à iniciativa privada. Adiar seria pior para os planos do presidente. Temer avalia que, se sobreviver nos próximos 45 dias, até a saída de Janot da Procuradoria Geral da República em meados de setembro, aumentaria a chance de concluir o mandato.

Por enquanto, o presidente abafou o debate interno no governo sobre mudança da meta fiscal de 2018, que prevê deficit de R$ 139 bilhões. A ala política quer aumentar a previsão de rombo. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), são contra.

Discutir esse tema em meio à votação para barrar a denúncia de Janot seria prejudicial ao plano de vitória do governo na quarta. Poderia levar à perda de mais apoio empresarial e do mercado financeiro.

*

A vergonhosa irresponsabilidade fiscal do MP

Por ora, Temer quer manter a meta, já deficitária, de R$ 139 bilhões. Ele deverá anunciar em breve que não será possível dar reajuste ao funcionalismo em 2018 e que não tem recurso para conceder um aumento de 16% aos procuradores do Ministério Público Federal. São medidas que teriam impacto sobre a meta fiscal do ano que vem. O governo discute quais ações tomar para cumprir a previsão deste ano.

Na atual situação fiscal do país, é um absurdo que procuradores da República, que já ganham muito bem, reivindiquem um reajuste. Ainda mais de 16%. Isso é tratar o dinheiro público com irresponsabilidade.

Procuradores da República que vivem criticando os políticos nas redes sociais e defendendo o combate à corrupção deveriam se manifestar contra uma reivindicação dessa natureza. Tem havido corte de políticas sociais. Há ameaça de um apagão fiscal no país.

É uma vergonha o Conselho Superior do Ministério Público Federal aprovar um pedido de aumento dessa magnitude. O argumento de que vai buscar tirar o dinheiro de outras despesas do MPF é uma falácia, porque imediatamente procuradores farão o discurso de falta de dinheiro para operações de investigação.

O Ministério Público Federal deveria estar mais preocupado em acabar com a farra do auxílio-moradia e com os salários que ultrapassam o teto constitucional. Furar o teto é inconstitucional. Cabe ao MP fiscalizar o cumprimento da lei.

No entanto, o corporativismo do Ministério Público e do Judiciário tira dinheiro dos mais pobres. É uma atitude ética e moralmente errada.

A elite do funcionalismo tem de arcar com a conta do ajuste fiscal ao lado dos mais ricos na iniciativa privada, que deveriam pagar mais impostos na comparação com os trabalhadores mais pobres do país. Nesse sentido, deveriam ser suspensos reajustes salariais para a elite do funcionalismo nos próximos anos e deveria haver aumento de impostos para os mais ricos, como taxar dividendos de profissionais liberais e grandes empresários.

Cortar gastos dos mais pobres é um retrocesso social que terá efeitos sobre a saúde e a educação. Vai atingir os mais vulneráveis numa hora em que o Brasil está empobrecendo.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Assista aos temas no “SBT Brasil”:

Comentários
9
  1. Joao disse:

    Este e o pais da vergonha. Mas nao tem problema , se nao responder agora vai responder mais tarde porque o processo continua. Muita cara de pau destes politicos se unirem para impedir uma investigacao legitima.

  2. Rafael Cabral disse:

    Perfeito, Kennedy!
    O MP e o Judiciário se escondem, a tempos, atrás de uma falsa ética, moralidade e um falso comprometimento com a sociedade.
    O discurso deles deixa transparecer que a culpa de todos os males da nossa sociedade é exclusiva dos políticos. A verdade é que não olham para o próprio rabo.
    Dizem querer fortalecer as instituições, mas, na verdade, só pensam em fortalecer as benesses dos seus servidores.
    Fingem que só eles sabem ler, e fazem interpretações benéficas aos seus próprios pares, para ganhar 40,50, 60 mil por mês, descumprindo a Constituição, que eles tanto mencionam quando qualquer tentativa de diminuir as benesses deles é visualizada no final do túnel.
    Quem não lembra da nota do MP afirmando que a PEC do teto seria inconstitucional.
    Pois, na verdade, eles querem gastar o que bem entender e que a sociedade brasileira se mate de trabalhar para pagar, inclusive, as viagens de 1ª classes deles, que, por hora, estão suspensas, mas que eles creem que tem esse direito.

  3. walter disse:

    Esta luta Kennedy já esta ganha pelo Temer, continuará a dar as cartas, foi muito eficiente em suas posições com os deputados; esta fazendo um lobby, que deixa muitos com inveja…até o MP já esta dominado…a velha máxima são verbas públicas…entra governo e saí governo, e tudo o que se faz é baixo e vergonhoso…só nos resta esperar que suas intenções sejam positivas, com relação as reformas; como tudo neste país, acontece por linhas tortas e voilá…a correria do temer, consiste em manter estes deputados prontos para as reformas; vai tentar uma operação arrastam nestas aprovações, o que será brilhante e positivo, caso ocorra, vamos aguardar o desfecho…

  4. João Guilherme Maia disse:

    Como se ver nesse caso do presidente Michel Temer, como os políticos estão se lixando para o país. Com todo esses problemas financeiros que o país está passando, eles estão se lixando o que interessa é tirar o presidente do poder, que é para ser convocada uma nova eleição e com isso eles têm a esperança de o Lula ser eleito e voltar a patifaria que estava com o desvio do dinheiro público. Só que eles não entendem que o povo acordou e agora sabe quem é realmente o Lula, Dilma e a gangue do seu PT e sabe quando o Lula voltará à presidência da República, nunca. Uma coisa eu quero deixar claro eu não sou Temer, eu sou Brasil e se o Temer sair agora só quem será prejudicado será o país, até porque, o país já está começando a se recuperar, a economia começou a crescer, a inflação baixou e até as exportações cresceram, então pra quer eleição agora, como já falei o único prejudica será o país.

  5. A vergonhosa irresponsabilidade fiscal do MP... das elites do funcionalismo...dos mais ricos: "GERAM INDIGNAÇÃO CRESCENTE"! disse:

    Kennedy, seu comentário sobre o MP foi “na mosca”. Em que pese o excelente trabalho do MP no combate à corrupção, é passada a hora de vir, da parte da elite do funcionalismo (não só do MP) e das camadas mais ricas da população, espontaneamente de preferência, a contribuição para o ajuste fiscal de forma a beneficiar ao máximo as camadas mais pobres da população. É importante enxergar, enquanto é tempo, que o que se fez até agora com os mais pobres, os de menor renda, em relação a impostos e deficiências em necessidades básicas, pode se tornar, brevemente, num barril de pólvora insustentável! O distanciamento da classe política do povo, por estar atolada na corrupção e inebriada com as mordomias inconcebíveis a “representantes” de um povo com tantas carências primárias, não a tem deixado enxergar o grau de indignação do povo, indignação essa comparável a uma bomba poderosíssima, com estopim aceso.

  6. mano disse:

    prezados: confesso que não sei o que é pior, se a participação dos políticos e empresários em corrupção ou a falta de reação da sociedade “esclarecida” com relação as denúncias de corrupção. A passividade dessa classe social beira a cumplicidade, destrói valores morais e deixa o futuro mais incerto. Se a economia melhorar e a sociedade eleger os líderes políticos de sempre (PMDB, PT, PSDB, DEM, PSB e partidos acessórios), poderemos até melhorar do ponto de vista financeiro (vôo de galinha), mas estaremos falidos moralmente, a corrupção continuará e consequentemente seremos um país sem futuro.

  7. O POVO ESTÁ QUIETO, MAS ESTÁ INDIGNADO! disse:

    Ninguém está aguentando mais ver governantes e políticos ladrões de cofres públicos “COMPRANDO” tudo e todos para se defenderem de iminente cadeia – e, o pior, comprando com “ CARGOS E COM O DINHEIRO DOS COFRES PÚBLICOS”; disenterias verbais e decrepitudes morais dentro do judiciário defendendo corruptos; executivo, legislativo e judiciário cerceando todos os que querem de verdade combater a corrupção, preocupados apenas em manter os privilégios e altos salários da elite do funcionalismo e o poder econômico dos mais ricos. Até as Forças Armadas estão sendo manipuladas por esses corruptos, usada agora para uma pirotécnica demonstração de força, tapando o sol com a peneira, diante do absurdo caos da segurança pública!
    O POVO ESTÁ QUIETO, MAS ESTÁ INDIGNADO!

  8. Stanislaw. disse:

    Os deputados votarão de acordo com suas consciências: ou a favor de um corrupto pego cometendo crime ou contra esse corrupto continuar no mais alto cargo da república.
    Em 2018 o povo dará, nas urnas, a resposta a cada um dos deputados, de acordo com suas posições: ou a favor do corrupto, ou a favor da nação brasileira!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-12-14 20:26:49