aki

cadastre-se aqui
aki
Política
01-03-2018, 8h15

Temer desconfia de fidelidade de Meirelles como candidato

Presidente não garante candidatura pelo PMDB
8

KENNEDY ALENCAR
LONDRES

O presidente Michel Temer deu aval para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, filiar-se ao MDB. No entanto, não ofereceu garantia de candidatura presidencial.

Em conversa no fim de semana, Temer não se comprometeu a esse ponto com Meirelles. A razão é que uma parcela do MDB e o próprio presidente passaram a jogar com a cartada de uma possível candidatura de Temer à reeleição.

Essa possibilidade hoje é remota, mas entrou no baralho presidencial após a intervenção federal no Rio de Janeiro. Em tese, Temer pode esperar até 5 de agosto para decidir sobre eventual candidatura. Esse é o prazo final das convenções partidárias para oficializar candidaturas. Claro que o presidente precisaria se decidir antes dessa data, mas possui mais tempo do que o ministro da Fazenda.

Meirelles tem de sair do Ministério da Fazenda até o dia 7 de abril para continuar sonhando com o Palácio do Planalto.

*

Aposta arriscada

O ministro da Fazenda faz uma aposta de alto risco. Está dando um salto no escuro. Há chance de ser o candidato do MDB, mas ela não é alta hoje. Meirelles está com o caminho presidencial bloqueado no PSD, porque o presidente da legenda e ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, negocia aliança com o PSDB.

Kassab quer trocar o apoio do PSD à candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin à Presidência, por uma vaga de vice na provável postulação do prefeito de São Paulo, o tucano João Doria, ao Palácio dos Bandeirantes.

A avaliação de Meirelles é que o governo Temer terá de procurar um candidato para defender a atual administração e que ele acabará sendo o escolhido. Mas o presidente desconfia que Meirelles, quando virar candidato, deixe de defender o governo e faça um voo solo, tentando se afastar da impopularidade de sua gestão.

Nesse cenário, alguns auxiliares de Temer argumentam que seria melhor o próprio presidente ser candidato para defender seu governo. Outra dificuldade: Meirelles tem baixa intenção de voto nas pesquisas. Temer avalia que, se o ministro da Fazenda não melhorar sua posição nas pesquisas, dificilmente o MDB bancará a candidatura.

Uma ala do MDB estuda ainda um eventual apoio a Alckmin, a depender do desempenho do governador nas pesquisas futuras. Alckmin está hoje numa posição superior nesses levantamentos. Logo, Meirelles terá de conviver fora da Fazenda com a ameaça das candidaturas de Temer e Alckmin, sem contar que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), também congestiona o campo político da centro-direita e poderá ser mais um obstáculo para o crescimento do atual ministro da Fazenda nas pesquisas presidenciais.

*

Trunfo duvidoso

O IBGE divulgará na manhã desta quinta o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) no ano passado. No mercado, há expectativa de crescimento de mais de 1%.

Se depender da melhora da economia para ser candidato, Meirelles poderá se frustrar. A equipe econômica deverá usar o dado de hoje para dizer que o país finalmente saiu da recessão.

Mas é um crescimento muito baixo levando em conta que a economia encolheu em 2015 e 2016. É uma alta em cima de uma base muito baixa, muito depreciada.

O desemprego continua num nível elevado, acima de 12%. Empregos com carteira assinada não crescem. Há uma precarização do mercado de trabalho. A vida real está dura. Não há um efeito econômico que possa turbinar para valer uma candidatura presidencial, como já aconteceu no passado.

A aposta do governo numa intervenção federal no Rio e na agenda da segurança pública é um indicativo da insegurança em relação a algum bônus eleitoral efetivo proporcionado pela economia.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
8
  1. MARIA LUCIA P R GATTONE GATTONE disse:

    pode vir março, abril, maio, junho, julho e o Temer fazer tudo para se reeleger novamente,

    mas a primeira imagem é a que fica e nenhum brasileiro vai esquecer do que ele fez e pode

    ate se candidatar mas não vai ganhar nem ele nem o Meirelles que teve a coragem de falar que

    10,00 não faz falta na aposentario do pobre 10,00 são 4 litros de leite pra ele realmente não

    não faz falta.

  2. DIRETO AO ASSUNTO: NADA DE “BALELA, ENXUGAR GELO, TAPAR SOL COM PENEIRA, MEDIDAS PARA INGLÊS VER”! disse:

    Se o governo acha que essa intervenção federal no Rio e na agenda da segurança pública renderão bônus eleitoral, é preciso entender que o que a nação espera é que as Forças Armadas, Polícias Civil, Militar, Rodoviária Federal, combatam o crime das ruas, nos morros etc… e que, ao mesmo tempo, a Lava Jato, através da Polícia Federal, Ministério Público Federal, Receita Federal etc continuem firmes e fortes, combatendo o crime nos Palácios e Gabinetes! Se não for assim, será tudo “balela, para inglês ver, enxugar gelo, tapar o sol com a peneira”! A nação quer combate ao crime da ladrãozada de baixo e combate ao crime da ladrãozada de cima! A ladrãozada de baixo tem que sentir que sua “fonte inspiradora” está sendo combatida e seus membros indo para a cadeia (como já foram Maluf, Dirceu, Cabral, Cunha, Geddel etc etc etc), do contrário continuarão firmes com seu lema: “Si eles lá em cima pode robá e num vai presu, nóis também pode… afinal os direito não é igual pra todos”?

  3. Analista Alpha disse:

    Qualquer nome desses pode usar um sobrenome à altura, Titanic. Serão os candidatos Titanic, vão afundar bonito: Alkimim, Temer, Meireles, qualquer um desses.
    O que eles teem pra mostrar? O bolso do trabalhador continua cada vez pior, foram tascadas e tascadas, moeda a moeda.
    Não houve melhora do desemprego, não houve redução de carga tributária, não houve ganho nenhum, temos tudo de pior no mundo, uma das maiores taxas de juros, uma das gasolinas e gás mais caros do mundo, ensino ordinário, saúde pública ridícula …. etc …..
    Qual o mérito do Alkimim? Quase 30 anos com a bunda na cadeira ….. escolas estaduais péssimas, estradas todas com pedágio, saúde precária, faltam medicamendos nos postos, faltam exames e especialistas para os mais pobres, uma lástima para o estado mais rico….segurança nem precisa falar porque temos tantos condomínios ….
    Serão todos Titanics.

  4. Fabio disse:

    Kennedy, fico feliz com algo, varios amigos meus agora dizem com firmeza que não votam em ninguem do PSDB e nem do PMDB, porque sao dois partidos que destruiram nossa Constituição e jogaram o Brasil no lixo.
    Quanto ao PIB, sai as ruas e vão ver que o país esta mergulhado no desemprego e no caos estrutural.
    O povo não tem dinheiro e o numero de pessoas pelas as ruas em grau de abandono esta altissimo.

  5. Demostenes disse:

    Quem esperou diferente, agora se toca para perceber que a entrada tardia de Meirelles no governo, fato esperado por Lula no governo Dilma, erro esse sempre reconhecido pelo ex-presidente quando da escolha de seu sucessor. Meirelles é intrinsecamente ligado ao setor financeiro (diga-se bancário), perna imprescindível para quem milita na política, e em especial aos esquemas de Brasília.
    Daí toda a esperança de Meirelles a aceitar o ministério e a economia em baixa, servindo de interlocutor com o Sistema Financeiro Internacional (inclusive bancos), fator preponderante para tirar o país da crise porque passou.
    Velhas jogatinas políticas e de interesses.

  6. ANDRE disse:

    O crescimento da economia de 1% foi basicamente produzida pela atividade agropecuária, que cresceu 13%, graças a safra recorde em 2017 ( que se for analisado mérito, seria mais correto creditar ao governo anterior e que teve o seu impeachment relacionado ao fato). O desemprego foi maior que o do ano anterior e o número de empregos formais caiu. A inflação muito baixa é reflexo ainda da baixa atividade econômica. O rombo fiscal é proeminente. De positivo só a queda na taxa de juros. Então se for depender destes números, Meirelles e Temer podem desistir do sonho presidencial para o bem do Brasil.

  7. walter disse:

    Kennedy, este Meirelles poderia no máximo ser um vice de pijamas; estão todos articulando, inclusive o temer; quem sabe vice da Marina Silva, mas tem o Barbosa que pode ser; tentam aparecer na fita candidatos sem expressão e sem cacife; o temer tem razão parcial, se não vai apoiar o Meirelles, deve deixa lo tentar, afinal é o candidato dos banqueiros e tem transito livre, na maioria dos partidos; nada tem nada a oferecer, a não ser arroxo e impostos mais altos; não há planos de governo, que sejam confortáveis; todos os candidatos, terão que ser convincentes, e mostrar a verdade absoluta dos fatos; os próximos quatro anos de qualquer governo que entrar, será de total dificuldade; quem disser o contrario estará tentando enganar a sociedade, e não logrará êxito, serão execrados pela verdade…

  8. camila santos disse:

    Meirelles seria um excelente candidato, dado os outros que teremos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-06-24 19:28:15