aki

cadastre-se aqui
aki
Política
12-11-2017, 13h51

Temer deve reformar ministério em breve e tirar tucanos

Troca será casada com medidas previdenciárias e tributárias
5

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O presidente Michel Temer deverá anunciar que fará em breve uma reforma ministerial, na qual vai tirar tucanos do primeiro escalão. A intenção do presidente é fazer alterações na equipe em aproximadamente dez dias, numa operação casada para aprovar a reforma da Previdência na Câmara e também medidas de simplificação tributária.

Neste final de semana, o senador Aécio Neves, presidente licenciado do PSDB, deixou claro que haverá rompimento com o governo. Por isso, Temer não pretende esperar a Convenção Nacional do PSDB marcada para 12 de dezembro a fim de fazer a reforma ministerial.

Enquanto havia possibilidade de adiamento da ruptura do PSDB com o governo, Temer não pretendia tomar a iniciativa de demitir tucanos. No entanto, o artigo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defendendo o rompimento em dezembro e a reação de Aécio tirando o senador Tasso Jereissati do comando da legenda agravaram a divisão tucana. A única forma de evitar a implosão do PSDB seria o rompimento com o governo, do qual os tucanos foram avalistas políticos.

Diante dessa avaliação, o presidente pretende atender à pressão de aliados para tomar espaço ministerial do PSDB. Um auxiliar do presidente diz que o partido tem quatro ministérios e garante apenas cerca de 20 votos certos a favor do governo em qualquer tema em votação na Câmara. Seria uma pasta para cada cinco votos. Redistribuindo espaço tucano, Temer pretende ter votos para aprovar a reforma da Previdência e as medidas de simplificação tributária.

O presidente prefere negociar diretamente com uma fatia da bancada federal tucana, que poderá indicar um ministro na reforma do primeiro escalão que será acelerada. Ficou inviável, na visão presidencial, realizar uma reforma ministerial em fevereiro ou abril, como planejado anteriormente. As trocas são iminentes e deverão criar um arranjo político que poderá ser a semente da aliança eleitoral governista em 2018.

Comentários
5
  1. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Quem se importa ? Para o contribuinte nada vai mudar, ninguém dessas pessoas tem comprometimento com a segurança, saúde, educação ou qualquer obrigação que o governo tem pelo cidadão.
    Isso serve para os 3 poderes, que estão unidos pelo famigerado vaso comunicante da politicagem rastejante e fisiológica !

    • walter disse:

      Cara Maria Aparecida, esta é seara de um governo provisório e bichado; precisamos acreditar, que estes conchavos, nos leve a reforma da previdência pelo menos…devemos ser “otimistas”, e acreditar que algo positivo, pode sim acontecer, nesta transição “insólita”…precisamos iniciar 2018 com perspectivas minimamente positivas; se este ano já estamos em campanhas políticas fervorosas; vamos avaliar o que será do ano que vem, como “nunca antes”; jamais de fato, passamos por tantos crimes revelados, todos dentro do congresso…estes políticos podres, vão tentar sobreviver; teremos um numero de candidatos ao planalto muito grande; diante do quadro triste, que nossa política nos levou, todos os possíveis serão presidenciáveis de peso; deveremos estar atentos, ou elegeremos mais do mesmo, por quatro longos anos; o próximo eleito, poderá fazer muita diferença, desde que não esteja mancomunado com os mesmos…

  2. Yohakim Vera disse:

    Deveriam entrar na conta da reforma ministerial os cargos da Secretaria Executiva titular e adjunto do MEC e a Presidência do INEP pois são todos tucanos!

  3. Lopes disse:

    Os nau tucana naufragou!

  4. Fabio disse:

    Kennedy, para mim o senhor Temer quadrilheiro não tem legalidade para nada, é um estorvo, um senhor que entrou para a historia do país como o pior presidente que esse país ja teve.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-11-22 21:44:50