aki

cadastre-se aqui
aki
Política
09-08-2017, 8h07

Temer espera que Dodge reveja ações de Janot

STF não deve aceitar pedido de suspeição contra procurador-geral
5

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

É pequena a possibilidade de o STF (Supremo Tribunal Federal) acatar o pedido de suspeição e impedimento do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentado ontem pela defesa do presidente Michel Temer.

O relator no STF dos casos que envolvem o presidente, o ministro Edson Fachin, tem jogado afinado com Janot. Também não há maioria no Supremo para endossar uma solicitação dessa natureza.

Aceitar esse pedido de impedimento e de suspeição seria carimbar como políticas as ações de Janot, o que abriria um precedente em relação a outros investigados, que também poderiam recorrer à acusação de perseguição política a fim de rebater denúncias do Ministério Público Federal.

Nesse contexto, o pedido é mais um capítulo da estratégia de enfraquecer a imagem do procurador-geral da República, ressaltando declarações inadequadas que ele deu em entrevistas, nas quais antecipou eventuais intenções do Ministério Público Federal em relação a Temer. Janot forneceu munição para ser atacado.

A defesa de Temer sabe que o STF não deverá acatar o pedido, mas a solicitação cria um ambiente político mais favorável a Temer na Câmara, na qual um sentimento corporativo de autopreservação influenciou a vitória do presidente na semana passada, quando foi barrada a autorização para que o Supremo Tribunal Federal analisasse a denúncia por corrupção passiva apresentada por Janot.

O pedido fortalece a narrativa da defesa de Temer de que Janot persegue o presidente e de que aceitar novas denúncias do procurador-geral da República daria mais poder ao Ministério Público. Ou seja, reforça o argumento do governo de que deputados poderiam sofrer da Procuradoria Geral da República o mesmo tipo de abusos que os advogados de Temer alegam ocorrer em relação ao presidente.

Por último, ao questionar duramente Janot, a defesa de Temer espera que a futura procuradora-geral da República, Raquel Dodge, faça uma revisão das investigações em relação ao presidente. Janot tem feito críticas ao estilo de Raquel Dodge, que o sucederá na chefia do Ministério Público Federal a partir de meados de setembro.

No poder, é bastante provável que Raquel Dogde faça uma espécie de auditoria informal (pente-fino) das ações do grupo de Janot na Procuradoria Geral da República. Temer e Dogde se reuniram ontem à noite no Palácio do Jaburu.

*

Mais pobres arcam com ajuste

Temer recuou ontem à noite em relação à possibilidade criar uma alíquota mais alta para o Imposto de Renda das Pessoas Físicas _de manhã, ele confirmara estudo nesse sentido.

A pouco mais de um ano das eleições, é forte a rejeição de boa parte do Congresso a votar medidas impopulares. Teve muito peso a rápida reação contrária do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), dizendo que aumento do Imposto de Renda das Pessoas Físicas não passaria pela Casa. Líderes de partidos aliados ao governo também afirmaram que votariam contra.

Na hora em que enfrentará nova batalha contra Janot, que pode apresentar mais uma ou duas denúncias contra Temer, o presidente tirou o time de campo em relação ao aumento no Imposto de Renda das Pessoas Físicas porque não pode brigar com sua base na Câmara.

O governo quer reonerar setores que tiveram redução tributária no governo Dilma. Tentou fazer neste ano via medida provisória e não deu certo. Vai tentar por meio de projeto com urgência urgentíssima para que valha no ano que vem.

A desoneração desenfreada foi um grande erro do governo Dilma, porque ajudou a destruir a política fiscal, deu dinheiro aos mais ricos e contribuiu para colocar o Brasil na atual enrascada. Fazia sentido uma alíquota maior do Imposto de Renda das Pessoas Físicas para quem ganha altos salários na iniciativa privada e no funcionalismo público. O governo estuda outras medidas de elevação de imposto que não precisem de autorização parlamentar.

Até agora, no ajuste promovido pela atual equipe econômica, os mais pobres têm arcado com a maior parte da conta na comparação com os mais ricos. Setores da elite do funcionalismo público e do empresariado têm maior poder de pressão. Se não ajudarem a pagar a conta do ajuste, o efeito será aumentar o buraco nas contas públicas neste e no próximo ano.

Isso joga o sacrifício para toda a sociedade, mas deixa o maior peso no ombro dos mais pobres. O Brasil precisa do ajuste econômico, mas também necessita que essa conta seja mais bem dividida do ponto de vista social, sob pena de aumentar a pobreza e a desigualdade no país.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
5
  1. Arthue Sodré disse:

    Voltamos a era FHC com a nova engavetadora geral da república?

  2. walter disse:

    O temer realmente caro Kennedy, que apelar na cara dura, aumentando alíquotas de imposto, como se tivesse sentido; não há espaço, e o Meirelles para variar também força…claro, como banqueiro que é, quer mais o povo no cabresto…um sujeito sem escrúpulos, que ganhou 200 milhões, nos últimos tempos com assessoria; não entendeu que como ministro,tem a lei do sigilo p/ seguir…não adianta…eles recuaram até quando; quem pagará esta conta no final…quanto a Raquel Dodge, não deveria participar, ou pré julgar o Janot; não deve favorecer o temer.

  3. ISSO É UMA VERGONHA! NENHUM CIDADÃO ESTÁ ACIMA DA LEI, SENHOR PRESIDENTE! disse:

    Não bastasse um presidente da república acusado de corrupção, após flagrado em conversa não republicana, na calada da noite, com empresário corrupto, agora tenta de todas as formas não ser investigado e (ou) processado como todo cidadão brasileiro. O senhor não está acima da lei, senhor Temer, como não estão Lula, Aécio, Renan, Jucá, Cabral, Cunha, Palocci etc etc etc. Não quisessem ser incomodados pela Polícia Federal, MPF, Judiciário, que andassem como cidadãos probos e honestos e jamais estariam passando pelo que estão passando. E cada dia é uma vergonha a mais, com o presidente manipulando tudo e todos para não ser investigado. ISSO É UMA VERGONHA! NENHUM CIDADÃO ESTÁ ACIMA DA LEI!

  4. É IMPORTANTE NÃO CONFUNDIR "ALHOS" COM "BUGALHOS"! disse:

    Essa “jogada” da visita da procuradora ao presidente, na calada da noite, sem agenda, é para que haja “comparação” com a visita do corrupto Joesley ao corrupto presidente, também na calada da noite, sem agenda. Vão alegar que tal fato não ocorreu uma vez somente, que isso é algo que acontece… “Jogadas” elaboradas pela defesa diante de poucos argumentos de verdadeira defesa. O fato é que na primeira visita, embora em circunstâncias idênticas, foi para cometimento de crime; na segunda, não, mera jogada.

  5. mano disse:

    prezados: Do jeito que as coisas estão indo a Advocacia Geral da União vai pedir ao STF para exportar Lula, Dilma e Janot pra Venezuela e solicitar ao Papa a beatificação de Temer e Aécio.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-10-21 04:30:05