aki

cadastre-se aqui
aki
Política
18-05-2017, 17h08

Temer tenta conter debandada de aliados e se agarra a reformas

Presidente nega renúncia e mostra disposição de resistir
10

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Com pronunciamento em que negou renúncia, o presidente Michel Temer fez um movimento para tentar conter debandada na sua base de apoio no Congresso. Ele se agarrou à agenda de reformas econômicas como forma de tentar criar musculatura para resistir à maior crise do seu governo.

O presidente busca apoio empresarial e do Congresso para tentar retomar os planos de aprovar as reformas da Previdência e trabalhista. Ele falou grosso e se mostrou disposto a pagar o preço de enfrentar um inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal), por mais difícil que seja para um presidente resistir no posto numa situação como essa.

A seguir, ouça  análise sobre pronunciamento de Temer:

Comentários
10
    • nilson disse:

      sem vergonha!!!!

    • walter disse:

      Exatamente Eloína, não há como se segurar com aquelas gravações, prejudicadas, é verdade, mas tratava se do apoio ao Cunha na cadeia, e “presidente”, estava dando trela, ao Joesley…um estadista, minimamente comprometido, não leva uma conversa tão comprometedora para a frente, por telefone com um suspeito da lava jato…vão pegar a sua mula, que terá que confessar…esta tudo perdido, ninguém vai pegar pena, por nada…Quanto ao seu apoio no congresso…ficará cada vez mais distante…ali só tem cobra criada, vão querer mais benesses, como fizeram com a dilma…a casa caiu, é uma questão de tempo…vai ter que sair; vai pedir para sair; “não tem mais jeito”…

  1. Hugo disse:

    Infelizmente a qualidade do áudio não está boa.

  2. Morais disse:

    Numa crise moral e de legitimidade como essa insistir nessas reformas perniciosa é pedir para iniciar uma guerra civil.

  3. Deveria renunciar imediatamente. Mas prefere levar caso para o STF pois já estão acostumado a se safarem com os ministros aliados, mas dessa vez acho que não vai se dar bem. Não dá para desqualificar o áudio simplesmente. O povo não aguenta mais essa situação. A justiça não pode mais olha no sentido de não prender, não afastar, não condenar em nome de estabilidade. O que precisamos é de um país limpo, sério, com credibilidade, com moral elevada e não fedendo a lama podre da corrupção.

  4. Bras Silva disse:

    Só nesse país, que sofre de deficiência ética, que um cidadão chega pro presidente e diz que está pagando propina para um ex-deputado preso, na finalidade de mantê-lo calado e o presidente incentiva continuar e isso não é grave! Só no Brasil mesmo, num país decente, ambos estariam atrás das grades.

  5. Álvaro Eugênio de Araujo Villa Campo disse:

    Esse crápula só não está preocupado, em virtude desse país possuir milhões de analfabetos, que infelizmente não são capazes de entender a gravidade dos fatos, essa gravação foi coordenada, ou seja autorizada pela justiça, o delator entrou no gabinete do presidente ser ser revistado pela segurança, o que prova que o mesmo era pessoa íntima do presidente, qual seria outro motivo a não ser este, que motivaria esse bandido ir até a residência do presidente? não é necessário grande discernimento para se chegar a conclusão que havia negócios escusos entre os dois, fica tácito o envolvimento do presidente neste episódio, esse crápula tem de ser afastado, assim como os presidentes da câmara dos deputados e do senado federal, que seriam seus sucessores diretos, assumiria então interinamente a Presidente do STF Ministra Cármen Lúcia, até que seja definido de como seriam as eleições, indiretas ou diretas, no momento não posso explicar como de dariam, pois o espaço não permite que eu continue.

  6. Andréa disse:

    Amigos brasileiros, não podemos ter memória curta, esses “representantes” que nós (povo) escolhemos precisam entender que acabou para eles.Somos a maioria e temos responsabilidades com nosso país…CHEGA!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-07-26 01:27:44