aki

cadastre-se aqui
aki
Política
03-08-2017, 8h20

Vitória do governo alimenta pautas conservadoras no Congresso

Partidos do centrão saem fortalecidos de votação na Câmara
10

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O resultado de ontem na Câmara dos Deputados foi melhor do que o esperado pelo governo. Os articuladores políticos do presidente Michel Temer trabalhavam por uma vitória menor.

Ao obter 263 votos a favor, mais 19 ausências e 2 duas abstenções, o que conta a favor do governo, Temer teve ontem 284 deputados a favor dele. E uma parcela dos 227 que votaram contra o Palácio do Planalto cumpriu uma uma tarefa fundamental: dar presença para que a votação se encerrasse ontem. Nesse sentido, é uma vitória muito grande, porque foi conquistada em condições extremamente difíceis.

Uma parcela dos deputados que estava indecisa votou a favor de Temer quando viu que o governo venceria. Avaliou que ficar contra o governo numa vitória apertada poderia resultar em retaliações. Temer conseguiu o que a então presidente Dilma tentou e não obteve. Alcançou com sobra mais de um terço do Congresso e obteve mais do que a maioria absoluta dos 513 deputados federais.

Para um governo sitiado pelo Ministério Público Federal e por acusações de corrupção, houve uma demonstração de força. Uma segunda denúncia de Janot teria de ter fatos novos e uma consistência jurídica superior à atual para derrubar Temer. Ontem, o presidente deu prova de capacidade de resistir e aumentou a chance de ficar no poder até o fim do mandato, em dezembro de 2018. Cresceu a chance de resistir a novas investidas de Janot.

*

Centrão forte

Em relação à agenda de reformas, a votação de ontem dá fôlego a Temer para tentar tirar do papel a alteração na Previdência e para votar medidas de mudanças tributárias.

É provável que o governo tenha de fazer concessões em relação ao relatório da reforma previdenciária aprovado na Comissão Especial da Câmara. No entanto, Temer rearticulou a sua base, com maior dependência dos chamados partidos do centrão. Nesse sentido, pautas conservadoras deverão ganhar força.

De longe, o principal perdedor é o PSDB. O partido se dividiu ao meio e foi um aliado inconfiável para Temer no pior momento do governo do peemedebista. Não houve o efeito dominó com a decisão do PSDB de votar contra Temer.

Os partidos da base do governo não acompanharam a decisão da liderança tucana na Câmara, que encaminhou voto contra Temer. O presidente deverá evitar retaliações ao PSDB, mas tende a dar mais poder, em termos de cargos e verbas, aos aliados fiéis.

O PSDB sai mal desse episódio. Deu aval à queda de Dilma. Tem quatro ministérios. Exigiu uma política econômica para apoiar Temer. Mas rachou na hora de sustentar o peemedebista no poder.

Outro grande perdedor é o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A votação de ontem é um recado claro do Congresso à Lava Jato. Expoentes da operação, que têm emparedado o Legislativo, como o juiz Sergio Moro ao dizer que os políticos não querem combater a corrupção, ou como os procuradores da República Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, que vivem a criticar o Congresso em entrevistas e nas redes sociais, recebem uma resposta dos deputados federais.

Ajudou Temer um espírito de corpo da Câmara contra o que considera abusos do Ministério Público e do Judiciário.

A oposição também sai perdendo, porque não conseguiu adiar nem derrubar Temer. O PT, nos bastidores, perde menos no campo da oposição na comparação com a Rede e o PSOL. Interessava ao PT deixar Temer sangrando a viabilizar um eventual governo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Aliás, Maia socorreu Temer, mas ficou mais distante de ocupar a cadeira de presidente da República.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
10
  1. walter disse:

    Ridículo mesmo caro Kennedy, foi a orientação do PSDB, para os deputados votarem contra, com um relatório elaborado pelo abi ackel do partido, orientado a votarem sim; os deputados fizeram questão de de confirmar, na maioria das votações a favor..quanto ao fato de ter uma votação favorável; ficou indefinido, diria que a oposição teve uma vitória maior; isto não quer dizer, que nas reformas, não leve vantagem; esta questão era indigesta, e muitos preferiram mudar de opinião, com medo dos eleitores…as batalhas serão longas, mas desta vez, os motivos se justificam; a reforma da previdência precisam caminhar, ou farão lambança, com aumentos tributários.

    • Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

      Walter caro amigo:
      Voltei para constatar que nada mudou… “está tudo como dantes no quartel de Abrantes”.
      Só falta perguntar: alguém me ligou ?
      Abraços !

      • walter disse:

        Muito bom cara Maria Aparecida; escolhemos o menos pior, já que um rodrigo maia de presidente, ou a diretas lula, não valeria a pena.
        Se o temer engrenar nas reformas, poderá ser um prejuízo menor; as chance são reais com o centrão e o PSDB, a reforma da previdência como teste necessário; parece complicada, mas deve ser mais fácil que as outras para recomeçar com chave de ouro, vamos acreditar. Enquanto o janot não sair, estará a perseguir o presidente, a mando da oposição; acredito que o supremo vai evitar maiores exposições ao temer daqui para a frente, considerando ontem; não há sentido em ter outros julgamentos.

  2. luis rogerio disse:

    precisamos de varias reformas, regularização dos bingos, pois isso dá muito emprego, se pensarem que não podem por lavagem de dinheiro, isso é um erro pois se for por lavagem podem lavar em lancherias, bares, postos de gasolina, transportadoras e etc, tem receita federal e policia federal para que? basta ter um controle de quem joga, pelo cpf, e ter cotas mensais por cada um para não gastarem o que não tem, isso dá muito emprego, para garçons, garçonetes, bingueiros, motoristas, seguranças, economis , vendas de produtos , e arrecadação de impostos para investir na saúde, segurança, educação e etc, precisamos ser objetivos e práticos, o povo brasileiro ´precisa e de rendas e trabalho, muitos desempregados precisando de ocupação. precisamos de reformas politicas, tributárias, e controle das fronteiras , entradas ilegais de drogas ilicitas e armas. além disso precisamos discutir o porte de armas para o cidadão de bem , com criterios cursos, e exames psiquiatricos, e legislação .

  3. mano disse:

    prezados: Vá em frente Temer. Os coxinhas suportam carga tributária mais alta. O IR pra quem ganha acima de R$10.000,00 tá muito baixo. LCI e LCA livre de imposto é uma absurdo. Precisamos melhorar a prestação do serviço público para as classes C, D e E. Como dizia o filósofo paulistano Adoniran Barbosa: Nós num simporta!

  4. Andre disse:

    Mas o que esperar da casa dos horrores e duas suas degradantes figuras? Posso não gostar do senado e manter o pé atrás em relação ao STF, mas com relação a câmara de deputados tenho muito nojo, o asco que sempre acompanha a TV câmara. A câmara de deputados sempre matou e envergonhou o Brasil. Sempre que assisto a alguma sessão de câmara de deputados fico entristecido, com vontade de chorar, não consigo conceber o que nós brasileiros fizemos de tão ruim para merecermos este parlamento e sua escória. Recorram aos livros, e vejam na história, o que tem sido esta casa para o Brasil, desde o segundo mandato de Getúlio Vargas até hoje. Ontem, ouvi estarrecido um deputado dizer que com o Michel Temer vivemos um parlamentarismo. Meu deus, ouvir isto de quem deveria respeitar a constituição! O Brasil vive sim um golpe, um golpe parlamentar!

  5. Andre disse:

    Kennedy, não foi só o centrão, as custas dos nossos índios, que ajudou a vitória de Michel Temer. Por motivos diferentes, PT e PSDB também trabalharam pela vitória deste senhor na casa de horrores. Se esconderam atrás do “Não”, mas garantiram o coro necessário para que fosse viabilizada a sessão. Acho que poucos, muito poucos mesmo, votaram ali realmente pensando no Brasil.

  6. jonas disse:

    Pautas conservadores devem ganhar força, ou seja, os ricos vão arrochar ainda mais os pobres que já estão se suicidando por falta de emprego, incluindo a classe média alienada e hipócrita que se vestiu de pato e começou todo esse circo macabro.
    Os mais ricos tem que pagar mais imposto e o governo tem que ficar do lado do povo em vez do lado dos bancos rentistas que não produzem nada.
    Só o dinheiro da operação Zelotes já seria suficiente para acabar com a crise, caso ele fosse repatriado, no entando ningúem liga ou se lembra da operação Zelotes não é mesmo? Só existe a lava-jato, que destruiu o Brasil com direito a aplauso da classe média, e seu juíz vendido que se tornou um ídolo dos alienados graças à uma imprensa corrupta que o promoveu para facilitar uma vitória eleitoral e depois um golpe de estado.

  7. paulo marcelo medeiros de albuquerque e mello disse:

    Tirando a nossa bela natureza, rios,cachoeiras e praias……. O Brasil é um país podre.
    Esquerda e direita se completam nas mentiras, sob o olhar complacente da nossa velha imprensa.

  8. "REPRESENTANTES DO POVO" CORRUPTOS E NÃO CORRUPTOS, UNI-VOS! disse:

    Já que os excelências “representantes do povo”, tanto os corruptos quanto os não corruptos, reconhecem a necessidade de várias reformas, entre elas a da Previdência, vai aqui uma sugestão: instituir o “teto máximo de R$ 5.531,31 atual dos aposentados da iniciativa privada (INSS) para todos os servidores públicos civis, militares, do Executivo, Legislativo, e Judiciário etc. Afinal todos não são iguais perante a lei? Por que não serem todos iguais nas aposentadorias? Não estará aí a solução para o rombo da Previdência? Segundo cálculos haveria uma economia de 50 bilhões de reais anuais!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2017-10-21 04:33:00