aki

cadastre-se aqui
aki
Política
24-04-2017, 21h35

25 anos de contribuição enfrenta resistência na Câmara

Temer endurece discurso na reforma da Previdência para evitar mudança
4

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O presidente Michel Temer endureceu o discurso em relação à reforma da Previdência por orientação da equipe econômica. Parcela do mercado financeiro acha que foram feitas concessões demais. A estratégia mudou. Daí o presidente ter dito que não haveria mais espaço para concessões.

Agora, o governo não tem mais pressa em votar. Quer obter uma margem de segurança de cerca de 350 votos para minimizar eventual risco de derrota.

No entanto, um ponto da reforma ainda desperta resistência. Muitos deputados acham que exigir 25 anos como tempo mínimo de contribuição poderá deixar boa parcela dos mais pobres sem aposentadoria no futuro, especialmente mulheres, devido à dificuldade dos mais carentes de contribuir por esse período.

*

Pragmatismo federal

Em relação à reforma trabalhista, o governo avalia que tem mais apoio na Câmara na comparação com as alterações na Previdência. A reforma trabalhista também exige menos votos do que a previdenciária.

Para a reforma da Previdência, são necessários 308 votos em dois turnos de votação. Para a trabalhista, é preciso maioria simples, desde que alcançado 257 presentes no plenário.

A pressa do governo também tem outro motivo: realizar a reforma antes da greve geral marcada para a próxima sexta, dia 28, e o feriado de 1º de Maio, Dia do Trabalho, a fim de evitar que cresçam protestos contra as mudanças na CLT, a Consolidação das Leis do Trabalho.

Assista aos temas do “SBT Brasil”:

Comentários
4
  1. walter disse:

    Ha caro Kennedy, esta “greve geral”, esta decidida por sindicalistas, e socialista; pretendem alcançar mais que isto, querem melar as reformas, a começar pela previdência; quando digo, nada querem de funcionalidade a favor do trabalhador…O governo temer, vai lutar contra seus proprios “aliados”; não será fácil a reforma trabalhista, pretende acabar com as contribuições obrigatórias, e isto o sindicatos não aceitam, nem mortos. O Temer quer impor a força, as duas reformas, e não pode mais fazer concessões, e agora…pelo visto, vai reconsidera\r contra a sociedade; será uma 1/2 reforma….
    O partido dele, tem muita força, mas seus articuladores, estão de olho em outras verdades…querem a garantia, na censura ao judiciário, na lei das ditas autoridades…o renan e o jucá a frente desta palhaçada, estão fazendo corpo mole…tudo neste governo, cheira a provisório, como próprio presidente…

  2. SENADORES E DEPUTADOS: EM VEZ DE REFORMA DA PREVIDÊNCIA, CPI DA PREVIDÊNCIA! disse:

    Esses deputados e senadores deveriam se lembrar que foram eleitos para ser “representantes do povo” e não para defender interesses de presidente da república e ministro da fazenda completamente alheios às necessidades do povo, e sim a interesses pessoais e de setores insensíveis às reais necessidades da maioria da população. Temer e Meireles nunca souberam o que é um casal de velhos viver com uma aposentadoria de 2 ou 3 mil reais e, morrendo um dos dois, o sobrevivente ter que ver a pensão oriunda dessa aposentadoria ser reduzida em 50%., não tendo o cônjuge sobrevivente outra renda. Isso é um crime que os deputados e senadores estão para cometer, para atender à insensibilidade de dois crápulas, que têm gordas aposentadorias, rendas, investimentos, propriedades – e que gastam o equivalente ao salário de um trabalhador comum, num simples churrasco caseiro de fim de semana! O povo vai cobrar isso nas urnas, com certeza, em 2018! CPI DA PREVIDÊNCIA JÁ, E NÃO REFORMA JÁ!

  3. José disse:

    Reforma previdenciária injusta, mentirosa e INCONSTITUCIONAL porque desrespeita regras de transição anteriormente acordadas e estabelecidas para os servidores públicos federais. Não atinge as poucas categorias que geram a maior parte dos gastos, que são as forças armadas, policiais (militares, civis, federais e rodoviários), professores e políticos. OS OFICIAIS DAS FFAA contam até o tempo de escola para se aposentar,se aposentam com média de 43-45 anos e suas FILHAS ainda têm direito a pensão integral apenas por serem mulheres. Reforma imposta a forceps à sociedade brasileira que não a quer. Governo sem legitimidade. EM 2018 OS QUE VOTAREM A FAVOR DESSA REFORMA PAGARÃO O PREÇO AMARGO DA DERROTA NAS URNAS – AGUARDEM!

  4. walter disse:

    Caro Kennedy, esta insegurança do governo procede, já tem outros parlamentares que não estão assim tão convicto, nesta versão da reforma previdenciária; quanto a trabalhista tem muita pressão..enfim, tem parlamentares inconformados com uma composição tão carregada, inclusive o próprio temer esta relacionado na Lava jato…nesta hora, os LOBBY joga duro, principalmente os sindicalistas, que estão interessados, em boicotar a reforma. O Temer tem prazo de validade, se não conseguir esta reformas, no primeiro trimestre, será cassado pelos seus adversários, a começar pelo Renan inconformado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-26 23:52:25