aki

cadastre-se aqui
aki
Política
28-03-2018, 8h09

Alckmin deveria condenar duramente ataque a caravana de Lula

É um erro culpar a vítima; Jungmann reage bem
32

KENNEDY ALENCAR
LONDRES

O ministro Raul Jungmann teve reação acertada ao comentar o ataque com tiros a dois ônibus da caravana do ex-presidente Lula pelo Paraná. Ele disse que o fato, que ocorreu ontem, era “absolutamente inaceitável”.

Jungmann usou a palavra correta para se referir a esse atentado. Atos desse tipo são inaceitáveis na democracia. São próprios de ditaduras.

O episódio é grave por si só, mas também por representar uma escalada da intolerância política no Brasil. Em sete anos de comentários na rádio CBN, sempre condenei escrachos em aeroportos, agressões em aviões, ovadas e pedradas. Direito de protesto é constitucional. Agressões, físicas e verbais, não são.

Chegamos agora a um estágio em que tiros foram disparados. Pessoas poderiam ter morrido ontem. Há uma escalada fascista no Brasil, porque estamos vendo o uso da violência verbal e física com o objetivo de destruir o adversário político. Nos últimos anos, uma parcela da sociedade vem usando a liberdade da democracia para solapar a própria democracia.

Vemos isso quando acontecem manifestações que defendem a volta da ditadura militar. Vemos isso em ataques com pedras. Vemos isso quando uma política como Marielle Franco é assassinada.

Jungmann reagiu bem, sobretudo por afirmar que “é preciso identificar os responsáveis porque [um ato desse tipo] não pode se repetir dentro do regime democrático”.

*

Combater o fascismo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pré-candidato à Presidência pelo PSDB, afirmou ontem que petistas “estão colhendo o que plantaram”. O prefeito da capital paulista, João Doria, pré-candidato tucano ao Palácio dos Bandeirantes, foi na mesma linha ao comentar o ataque à caravana de Lula. Alckmin e Doria não têm razão.

Infelizmente, quem está colhendo o que plantou é a sociedade brasileira como um todo, que admitiu o crescimento da intolerância no debate público e a propagação do ódio em relação a quem pensa diferente.

Como candidato à Presidência da República, Alckmin deveria refletir e voltar a público para fazer uma condenação clara e dura do que aconteceu. Doria, que é novamente candidato a um cargo eletivo, também errou ao se manifestar na mesma linha. Ontem foi com Lula. Amanhã pode ser com outro político.

É fato que petistas deram declarações que contribuíram para o acirramento dos ânimos. A presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PR), chegou a dizer que, “para prender Lula, vai ter de matar muita gente”. Depois, ela recuou. Na caravana, o ex-presidente Lula pediu que a PM desse um “corretivo” em uma pessoa que jogava ovos no seu palanque. Também foi um erro. É preciso cuidado com as palavras.

Mas é injusto atribuir ao PT a radicalização do debate público no país. Isso é uma obra coletiva nossa como sociedade. Há uma radicalização claríssima na sociedade brasileira desde as manifestações de 2013, passando pela campanha eleitoral de 2014 e culminando em 2016 num processo de impeachment, um episódio que dividiu a sociedade brasileira e do qual o PSDB foi avalista. Chegamos a 2018 nessa toada.

Precisamos voltar a ter uma convivência realmente democrática e repelir condutas autoritárias. Toda a sociedade, classe política incluída com destaque, é responsável pelo acirramento dos ânimos no país. Todos os políticos devem ter cuidado ao dar declarações sobre o clima tenso que existe hoje no Brasil. Nós, jornalistas, também temos de ser cautelosos, mas firmes para impedir uma escalada fascista.

Ao falar do atentado de ontem, não se deve culpar a vítima. Não se pode dizer que a vítima colheu o que plantou. Houve uma tentativa de se fazer isso em relação a Marielle Franco, assassinada há apenas duas semanas.

Há um pré-candidato a presidente, Jair Bolsonaro, que ataca os direitos humanos, que são uma conquista civilizatória da humanidade. Não é coincidência que os países mais pacíficos e civilizados sejam aqueles que mais respeitam os direitos humanos. Bolsonaro está errado ao agir assim e deve ser criticado.

Isso não pode ser tolerado como crítica política, porque não é crítica política, não é uma opinião que mereça respeito ou crédito. É um ataque a um princípio civilizatório da humanidade, não se trata de uma ideia sobre se a segurança pública do país deve ser mais rígida ou menos rígida, se a polícia precisaria ser mais violenta do que já é ou ser menos violenta do que é.

Não podemos normalizar falas e atitudes intolerantes e agressivas no debate público. Esse é o primeiro passo para serenar os ânimos no país.

*

Risco

São de altíssima gravidade as ameaças à família do ministro Edson Fachin. Se um ministro do Supremo sofre ameaças, o cidadão comum corre um risco ainda maior.

Quando há uma banalização da violência com intenção política, corre-se o risco de isso se espalhar por toda a sociedade, como vimos na História recente da Colômbia, por exemplo. Um ataque a um juiz ou à sua família se enquadra na categoria de ação política, como os assassinatos da juíza Patrícia Acioli e da vereadora Marielle Franco.

É preciso investigar e punir quem fez essas ameaças ao ministro Fachin e à sua família. Aliás, também é necessário cobrar das autoridades mais empenho a respeito das investigações sobre a morte de Marielle Franco, que completa hoje duas semanas.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
32
  1. Antonio Lourenço disse:

    A política e o futebol no Brasil estão alinhados, agora virou fanatismo. Como no futebol seus líderes defendem seus partidos com unhas e dentes, não importando se ali existem corruptos, se condenados e por aí vai. Os próprios presidentes de partidos dão motivos para tudo isso, onde infelizmente temos em nosso povo brasileiro uma cultura que acompanha essas lideranças, não importando se são ou não bandidos. A culpa também é de nossas leis que permitem tudo isso, que precisa de mudanças e por fim uma reforma política, acabando com esse privilégio que os políticos tem. Nossa Constituição fala-se em direitos iguais e não existe. O povo já não aguenta mais tanta roubalheira e ele trabalhar pagando seus impostos em dia e bancando todo esse privilégio.

  2. Edmilson disse:

    É meu caro Kennedy, nossa situação está lamentável e muito crítica! Sou totalmente contra as pessoas que atiraram na caravana da esquerda, apesar de não gostar de esquerdistas. Porem, estamos numa situação de total abandono pelas autoridades públicas (leia-se aqui os políticos), todas elas não tem competência e são em usa maioria, ladrões e vagabundos. Não toleramos mais quem é de esquerda e nem de direita. Enquanto o povo não se rebelar contra os políticos tradicionais e tomar o poder pelas próprias mãos, ficaremos nessa situação de abandono e humilhação…e vamos ser sinceros, eleição não resolverá nossos problemas. O grande problema são os políticos brasileiros, e mais ainda, grande parte da população brasileira…nós somos mal educados e não respeitamos o próximo. Temos um problema histórico de má educação e somos a escória do mundo! Claro que não me enquadro nisso acima, mas grande parte da população sim….como diz aquele velho ditado: uma andorinha só não faz verão.

  3. Tiago disse:

    Apesar de não concordar quando o Kennedy diz que toda a classe política é responsável por chegarmos nessa situação (vivemos uma ditadura fascista), isso não impede de reconhecer que o Kennedy é o melhor analista político da mídia brasileira. Parabéns pela clareza, lucidez, precisão e imparcialidade.
    É evidente que o acirramento dos ânimos que está crescendo foi iniciado pelo campo direitista conservador, o que naturalmente provocou uma reação do lado contrário. Apesar disso, ninguém da direita foi assassinado (nem será) como a Marielle. Nenhuma comitiva do Alckmin, Bolsonaro (eca) ou Dória (eca) jamais foi nem será atacado com tiros como aconteceu com o pessoal do Lula. Há infinitos casos concretos que demostram claramente que o monopólio do ódio e da violência pertence à direita e é simbolizado e dissimulado por pessoas cínicas como a senadora Ana Amélia (eca).

  4. Tiago disse:

    Se o ministro Fachin vem sofrendo ameaças, devemos lembrar que ele é o responsável pela Lava Jato no Supremo, tendo substituído o ministro Teori que desempenhava esse papel até morrer naquele acidente suspeito. Portanto, é muito oportunismo querer atribuir automaticamente as ameaças a Fachin ao simples fato de ele ter votado contra a análise do tal Habeas Corpus que beneficiaria Lula.

  5. frederico costa barros disse:

    Gostaria muito de saber qual foi o tom da ameaça, se de conotação de direita ou de esquerda porque senão fica no ar e as especulações da grande mídia acabam sendo tendenciosas.

  6. pedro disse:

    O maior culpado é aquele que quer impor a sua presença, mesmo sabendo que não é bem vindo. Já deveria ter se conformado de que sua popularidade não é a mesma.

    • Tiago disse:

      O sul do Brasil não pertence aos “agroboys” nem aos fascistas. Lula teve ótima recepção popular por onde passou, embora sua caravana tenha sido perseguida por vândalos, arruaceiros e criminosos.
      Pela sua lógica, Alckmin, Bolsonaro, Doria, entre tantos não devem nunca ir ao nordeste, então. E ainda dizem que é o PT quem divide o Brasil.
      Em tempo, que vexame foi aquela manifestação organizada pelo Bolsonaro com a presença do próprio. O objetivo era verdadeiramente confrontar o pessoal do Lula, mas “deu ruim” pra eles. Na republica de Curitiba, reuniram apenas uns gatos pingados.

  7. Vilma Batista disse:

    Kennedy está errado ao comparar os nossos Direitos Humanos com os Direitos Humanos de países mais pacíficos. Lá não se ataca a polícia como se ela fosse o maior mal da Humanidade. Lá não se trata bandido assassino como vítima da sociedade. Lá não se fica com medo de prender político comprovadamente corrupto. Lá não se defende quem atiça a massa contra os outros, mas culpa os outros quando a massa atiçada se volta eles.

    • Alberto disse:

      Corretíssimo comentário.

    • Maurício disse:

      É um ponto básico da própria ética na convivência entre os homens: não há “direitos humanos” brasileiros ou noruegueses. Há Direitos Humanos. E estes são os direitos básicos, liberais: direito à vida (que, aqui, vale para uns e não para outros), à liberdade (idem), à propriedade (que não pode ser de uns e não de outros como aqui, mas deveria ser o de todos terem propriedade ao menos daquilo que é necessário à vida de cada um), à expressão (desde que não do favorecimento ao crime, como aqui também), etc., etc.

  8. Infelizmente o Brasil virou uma selva, onde salve-se quem puder

  9. Antonio disse:

    Perfeito Kennedy,lembrando que quem dispara uma arma de fogo ou é policial ou bandido, no caso não foram policiais!

  10. Carlos Sousa disse:

    Perfeito, Kennedy. É imediata a necessidade de propagar o discurso de diálogo, tolerância e comportamento atento à moral. A franca troca de idéias nos permite, ao mesmo tempo, perceber pontos de vista novos e fortalecer as nossas próprias visões de mundo.

  11. Vander disse:

    Muito triste o que esta acontecendo na nossa sociedade, precisamos dar um passo atrás refletirmos. Pois essa guerra vai nos aprofundar no buraco que estamos.

  12. Clovis Vettorazzo Filho disse:

    Olá Kennedy!
    Gostaria em primeiro lugar de elogiar o seu trabalho, o acompanho diariamente na CBN. Percebo que têm um viés esquerdistas sempre em seus comentários, porém acho normal e não me incomoda diante da qualidade deles.
    Em relação ao seu comentário de hj (28/03) sobre o assunto desse post, queria falar que não concordo com nenhum tipo de violência, porém, tb não concordo com essa forma romântica de enxergar as coisas, não estamos nos EUA, no Canada e muito menos na Suécia. O povo está muito cansado de tanta roubalheira, a mais de 13 anos convivemos com um executivo e um legislativo corrupto que só nos fazem mal, agora de forma mais explicita vemos um judiciário (STF) totalmente corporativo, a trabalho dos ladrões de colarinho branco, é vergonha em cima de vergonha, e pelo seu comentário parece que vc deseja que continuemos com o espirito de carneiros, a população não aguenta mais vcs precisam entender isso, estamos no limite é muita desfaçatez, abs.

    • FG disse:

      Com certeza bem mais de 13 anos, talvez bem mais de 130 anos, na verdade creio que desde que vieram buscar pau Brasil e Ouro e depois de trazer escravos para cultivar cana e café a sistemática da Elite conduzir a política e economia não mudou, e nas duas ou três vezes que houve uma tentativa de avanço esta Elite interviu violentamente para não perder seus privilégios.

  13. francisco euclides disse:

    Este é o tipo de matéria água com açúcar. Não diz nada nem leva a lugar nenhum. devemos ser mais incisivos, quem planta o FACISMO merece do povo este repúdio.

  14. Edu Ferrari disse:

    Acho que o Alckmin deveria criticar, e muito, os ministros malfeitores do STF. Estes sim são os verdadeiros culpados de tudo, pois se tivessem mantido o que eles mesmo votaram sobre a prisão em segunda instância, negando o HC de LUla, o culpado Lula já estaria protegido dentro de uma cela confortável e não criando provocações por ai

  15. Paulo Argolo da Cruz Rios Filho disse:

    Bom dia, estou integralmente de acordo com seu comentário. No entanto, você se esqueceu de lembrar os ouvintes que foi o PT quem inventou o “nós” e o “eles”, particularmente nas eleições da Dilma e especialmente em sua reeleição. Dividiu o País em pessoas “boas”, aquelas que votam no PT e pessoas “más”, aquelas que votam em outros partidos, particularmente no PSDB. De certa forma, o PT está colhendo o que plantou. Pior, essa radicalização permitiu que o Bolsonaro se colocasse como uma alternativa possível de ser eleita.

  16. Jorge Francisco disse:

    Ô Kennedy, quem sempre se utilizou destes artifícios (violência) na política foi o PT.
    Acho que o governador de São Paulo está certo, o PT está colhendo o que plantou.

  17. mario persz disse:

    Geraldo Alckmin é o político mais frívolo do país e sempre fica em cima do muro, mas dessa vez o muro caiu e ele resolveu imputar ao PT a culpa nesse crime hediondo que aconteceu no Paraná, ele está se aproveitando da temperatura extrema que anda passando nosso país e aparecer para conseguir seu intento, votos, apenas votos, políticos como esse, o povo tem que ter vergonha na cara e atirá-los às hienas!

  18. walter disse:

    Sinceramente Kennedy, o lula forçou; foi até passo fundo e região, “meter o Pau” nos fazendeiros, que nunca ajudou…um “erro” não justifica outros; esta na contramão o tempo inteiro, vem tomando atitudes absurdas…deveria ser mais humilde em seus comícios…infelizmente, inflamar se contra a sociedade, não vai ajuda lo; este Povo esta na maioria escaldado com Tudo…A Gleisi é um capitulo a parte, não tem qualquer condição, para ser uma líder de partido, é descompensada demais…tem muitos petistas e gente de outros partidos da esquerda, que não concordam com seus métodos…”dizem a boca pequena”, “pode ter sido eles, que promoveram este atentado”; não acredito nisto, não chegariam a ter um atitude tão absurda.

  19. VILIPÊNDIO, VILIPÊNDIO, VILIPÊNDIO... É PRECISO PASSAR O PAÍS A LIMPO, DOA A QUEM DOER! disse:

    Que conseqüências poderiam advir após o conhecimento do desvio de “6 bilhões de reais”, “SÓ DA PETROBRÁS”, durante os quatro governos LULA/PT/PMDB? E do principal líder do PSDB, Aécio Neves, gravado falando com o empresário bandido Joesley: “é preciso que nosso enviado seja alguém que, se ameaçar fazer delação premiada, a gente possa matar”? E do presidente Temer falando com o mesmo bandido, na “calada da noite”, no porão do palácio, orientando-o a continuar ajudando a Eduardo Cunha, na cadeia: “é preciso manter isso aí, viu”? E da mais alta Corte Judicial do país libertando ladrões de cofres públicos, protelando julgamentos de outros, interpretando as leis em favor de corruptos, com intenção de modificar decisões recentes da própria Corte (PRISÃO APÓS CONDENAÇÃO EM 2ª INSTÂNCIA), para beneficiar bandidos? E da ladrãozada envolver as Forças Armadas, num plano de “ENXUGAR GELO” ( Intervenção na Segurança do Rio de Janeiro), quando os maiores bandidos estão dentro dos palácios?

  20. walter disse:

    Permita me fazer outro comentário caro Kennedy; esta pegada, plantada do “nos contra eles”, não é utilizada mais,nem na Russia; o Putin que mantem um controle rigoroso, fez questão nesta campanha a “reeleição”, em demonstrar apreço ao Povo de forma geral…sinceramente; alguém deveria preparar o lula, para o antigo Paz e amor; esta arrogante, sem Voz; esta falta de enredo demonstra um lula descontrolado…não vai lograr êxito desta forma; tudo esta centralizado nele, com a gleisi de conselheira Mor…no mundo da comunicação, deveriam publicar fotos dele com um Sorriso, postura afável..posso estar observando isso tarde demais, uma maneira pelo menos, de sobreviver enquanto partido, o resto esta perdido para sempre..

    • FG disse:

      Walter, realmente vc não deve morar no Brasil, nenhum representante dessa turma da direita seja do pato amarelo ou do tucano aguentaria o que Lula tem passado com tanta calma e parcimônia, nem falo do Bolsonaro, pois esse só fala asneiras e violências.

  21. valmir de jesus lima disse:

    Muito sábio o seu comentário Kennedy, inteligente e oportuno, infelizmente temos aventureiros políticos que, vivem de chantagem e mentiras aproveitando momentos como esse ou seja, quanto pior melhor.

  22. Manuel Luiz Lopes disse:

    Realmente, não é tentando jogar a culpa no agredido que se irá justificar a agressão. Ainda mais porque desconheço ato de agressão a bala praticado pelos partidários de Lula. Mesmo que houvesse, a reação é condenável e própria de quem não tem competência para defender suas idéias com justificativas coerentes.

  23. ANDRE disse:

    Kennedy, o parabenizo por suas palavras, o discurso de ódio só levou a humanidade a coisas muito ruins. Havia uma chance de dar meu volto ao Alckmin, a depender se o mesmo fosse para o segundo turno e de quem fosse o seu adversário, pois não o considerava uma fascista, como considero o Dória, mas depois destas declarações esta possibilidade não existe mais. Para o Alckmin e o Dória fica a música de Noel Rosa, Palpite Infeliz (Quem é você que não sabe o diz…….).

  24. A NAÇÃO PRECISA BRADAR NAS RUAS E NAS URNAS: NÃO SE PODE ESTANCAR A SANGRIA! disse:

    Um golpe de corruptos ocorre para manter a corrupção no país. Após dominarem Executivo e Legislativo, viram-se combatidos pela Lava Jato. Então um dos principais corruptos, com várias investigações sobre si, bradou: “É PRECISO ESTANCAR ESSA SANGRIA” (sangria = combate aos roubadores de cofres públicos). Após esse brado ações foram colocadas em prática, protegidas por defensores dos corruptos, inclusive dentro do STF: através dos “disenterias verbais e decrepitudes morais”. Os políticos bandidos formaram “espírito de corpo” entre si, com o objetivo único e comum: escapar da justiça, não ir para a cadeia – o lugar onde a Lava Jato e a nação desejam que, urgentemente, seja o abrigo dos ladrões de cofres públicos. A nação precisa urgentemente criar um “espírito de corpo”, refletido nas ruas e nas urnas, para que a sangria não seja estancada! E eu me recuso a acreditar que as Forças Armadas não estejam enxergando tais fatos com ótica real e com a devida preocupação!

  25. Pedro disse:

    Kennedy, parabéns pela sobriedade de sempre nas ponderações. Ao meu ver, és um dos melhores comentaristas políticos do país. + Kennedy Alencar e – Jair Bolsonaro, pelo bem do Brasil e dos brasileiros.

  26. Esta cada vez mais complicado morar neste país!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-13 21:19:40