aki

cadastre-se aqui
aki
Política
01-02-2018, 9h11

Alckmin sofre pressão para escolher entre Doria e França em SP

Há divisão no PSDB sobre melhor candidato a governador
15

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

A pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda aumentou a pressão para que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, realize alianças nacionais e feche palanques regionais. Alckmin é o nome mais forte do PSDB para ser candidato à Presidência.

Como o PSDB mineiro caiu em grave crise depois de o senador Aécio Neves perder cacife político com a delação da JBS, a seção paulista, que já era a mais importante do partido, ficou ainda mais estratégica para o futuro dos tucanos.

Hoje, Alckmin está dividido a respeito de ter dois palanques em São Paulo ou escolher entre apoiar o lançamento do prefeito de São Paulo, João Doria, ao governo paulista ou dar suporte à candidatura de seu vice, Márcio França, do PSB, ao Palácio dos Bandeirantes.

Se optar por Doria, Alckmin contemplará a ala tucana do PSDB paulista que avalia que o prefeito seria um puxador de votos importante para evitar o emagrecimento das bancadas da legenda na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados.

Mas o vice Márcio França, que assumirá caso Alckmin seja confirmado candidato à Presidência, articulou uma rede de apoio de prefeitos no interior que é considerada importante para tucanos que serão candidatos a deputado estadual e federal. Com o poder nas mãos, França tem sinalizado nos bastidores que seria melhor puxador de votos para candidatos a deputados estaduais e federais do PSDB.

Além disso, se fechar com França, Alckmin teria maior chance de obter o apoio do PSB para a disputa presidencial. Também poderia barrar a tentativa de parcela do PSB de emplacar o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa como candidato à Presidência.

Alckmin está em dúvida entre apoiar abertamente Doria, jogar fichas em França ou ficar com dois candidatos a governador em São Paulo.

Enquanto isso, cresce no entorno do PSDB o sentimento de que, se Alckmin patinar, ele possa vir a ser atropelado por Luciano Huck _apresentador de TV cortejado pelo PPS para disputar a Presidência. Essa percepção pode dificultar a formação de alianças.

Por isso, resolver a equação paulista é importante para Alckmin. Doria quer deixar a prefeitura, que tem dificuldade de caixa para assegurar investimentos. Desafetos do prefeito dizem a Alckmin que Doria foi desleal ao governador ao flertar no ano passado com um projeto presidencial e que seria melhor apoiar Márcio França.

Aliados do prefeito afirmam que o prefeito pode oferecer um palanque em São Paulo mais robusto do que França. Alckmin terá de se decidir rapidamente, antes que outros postulantes à Presidência fechem alianças e ganham terreno político.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
15
  1. Edi Rocha disse:

    Para mim, essa é extremamente fácil.
    Sem pensar meia vez, escolheria o vice.
    Dória demonstrou péssimas virtudes e além disso tentou lhe passar a perna.

    O contrário disso, seria quase como se Dilma voltasse a fazer aliança com Temer. Não dá, né…

  2. Ingeborg Schportfeldt disse:

    Alckmin fechou delegacias, sucateou a segurança, o METRÔ e paga mal os professores… o que esperar de um político assim se não a vaidade, a indecisão e o egoísmo ?!

    • FG disse:

      Infelizmente há grandes chances de ele fazer seu sucessor, seja Dória, seja França, o paulista médio sabe que o PSDB administra para os Ricos, o problema é convencê-los que apenas 5% dos paulistas são ricos. Obs. nasci e vivo no interior de SP

    • walter disse:

      Ingeborg, não se esqueça das qualidades do Alkimin, salvou o Estado; se SP estivesse quebrado, estaríamos irremediavelmente roubados; manteve a responsabilidade fiscal; não esqueça as tantas obras encaminhadas, mesmo com, recursos escassos fez muitos investimentos…SP significa 50% do país, podemos nos considerar, como a última fronteira…não esqueça da crise hídrica, já que agora não tem importância as tantas melhorias promovidas por este governo…aliás, qual opção temos equivalente neste momento…SP não pode ficar nas mãos de qualquer um…acredito na transparência sem falta modéstia, perfeito ninguém consegue ser nesta cidade, maior que muitos países…espero novidades nestas eleições, mas estão bichadas.

      • FG disse:

        Salvou SP? Meu amigo, hj São Paulo arrecada cerca de 35% do ICMS do Brasil, porém tem os maiores escândalos de corrupção desse país que são abafados apenas porque Desde Mario Covas o poder esteve sempre na mão dos mesmos e aparelharam o Estado todo, desde TCE, TJ. MPE e Alesp. Por isso Rodoanel, Metrô, a Máfia do ICMS. CPTM, Merenda Escolar, nada é investigado, tudo para em alguma gaveta!

  3. Edélcio Walmir Salvador disse:

    Para o Alkmin se acabar de vez é só falar pra Ele continuar apoiando esse lixo de REFORMA DA PREVIDENCIA !!!!!!!

  4. Analista Alpha disse:

    Esse alkimim é tão inçosso que não consegue decidir nada, nem se é candidato ou não. Tudo ele demora, demorou pra se decidir ser presidente do psdb, demorou pra assumir a candidatura e ainda não se decidiu se vai apoiar o dória ou seu vice. Não é à toa que colou o apelido de picolé de xuxu.
    Coitado do país se um dia for eleito presidente, é um lesado. Não merecemos uma figura assim pra ser nosso governante máximo, o Brasil não merece.

  5. Fabio disse:

    Kennedy, sou paulista de nascimento e moro no estado de São Paulo.
    Há vinte e quatro anos os tucanos governam o estado e te garanto algo, tanto eu como muitos amigos não votamos mais no PSDB.
    É preciso dar novos ares na politica paulista e os tucanos não representam isso mais.

  6. walter disse:

    Ola Caro Kennedy; tudo isso só esta acontecendo pelos excessos do Dória, que tentou atropelar o Alkimin, claro não vão confirmar, mas ficou desgaste nesta história sim, e continua a novela, já que o Dória sonha…Olha caro, o Marcio França, é um excelente vice, um Homem com muitas qualidades, e tem coligações que equivalem, 25 minutos na TV…com este cabedal; partindo do principio que a decisão é do governador,acredito que esta fatura esteja definida…Se depender do Governador, nesta legenda o Huck não tem chance; o FHC não pode mudar isso.

  7. DIRETO AO ASSUNTO: É PRECISO PASSAR O PAÍS A LIMPO - VIVA A LAVA JATO! disse:

    Os três maiores partidos (partidos?) deveriam ser mais autènticos, verdadeiros, nas escolhas de seus candidatos para Presidente da República. Deveriam escolher de acordo com o grau do perfil de cada candidato, em relação com o perfil do partido, tipo:
    1 – PSDB – Alkmin para presidente – Aécio como vice;
    2 – PMDB – Temer para presidente – Jucá ou Renan (escolher no “cara ou coroa”) como vice;
    3 – PT – Lula para presidente – Palocci como vice.

    • FG disse:

      Seguindo sua lógica faltou o PJ (Partido Judíco) Moro para Presidente e Datagnol para Vice

      • Para FG: VIVA A LAVA JATO! disse:

        Esses dois, Sergio Moro e Deltan Dallagnol, são do time dos brasileiros que têm vergonha na cara e estão cumprindo com suas “obrigações”, dentro da lei, fazendo o que durante décadas Judiciário e Ministério Público não fizeram: colocar a ladrãozada de cofres públicos na cadeia – políticos, governantes e empresários corruptos – travestidos de “representantes do povo e cidadãos respeitáveis”. A corrupção foi institucionalizada de tal maneira que, hoje, ao ser combatida, encontra cidadãos “defensores dos corruptos”, gente que ficou cega, ao ponto de defender bandidos que roubam cofres públicos – ou se beneficiava ilicitamente com a situação e que atualmente está perdendo tais benefícios.
        Como cidadãos que são, por que não poderíamos ver, um dia, tanto Sergio Moro quanto Deltan Dallagnol candidatos a algum cargo eletivo: com certeza, são “fichas limpas”!
        Quanto à minha “lógica”, como você disse, seria, sim, uma boa chapa eleitoral, Moro e Dallagnol – só que para o bem do país, certo?

  8. Claudio Ferreira disse:

    Eu preferiria o Doria para presidente.

  9. FAXINA GERAL NAS ELEIÇÕES DE 2018! disse:

    Nenhum presidente probo, íntegro, conseguirá governar com o Congresso atual. Teria de fazer o mesmo que Temer tem feito: toma lá dá cá! O eleitor precisa entender que é necessário, além de escolher muito bem o candidato a presidente, fazer uma “faxina geral” no Senado e Câmara Federal. Examinar cada candidato, “RISCANDO” de vez os “SUSPEITOS, INVESTIGADOS, PROCESSADOS, RÉUS” por corrupção. Se nao for feito isso, renovação tipo 90% dos senadores e deputados federais, nenhum presidente conseguirá governar, sem entrar no jogo da corrupção!
    Joaquim Barbosa, Álvaro Dias, Cristovam Buarque, Bolsonaro, são os únicos candidatos, por enquanto, confiáveis. O resto é comprometido com a corrupção – desgorvenarão mais ainda o país, mantendo o ritmo atual de Temer – o toma lá dá cá para manter a corrupção.

  10. renata vieira disse:

    Doria já vai nos abandonar na prefeitura, agora que as coisas estavam começando a melhorar.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-08-17 08:11:54