aki

cadastre-se aqui
aki
Política
25-09-2018, 20h03

Amadorismo atrapalha articulação pró-Alckmin

Fracassa reunião para unificar 4 candidaturas
8

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

A seguir, notas sobre os comentários desta terça no “Jornal da CBN – 2ª Edição”:

*

Trapalhada federal

O amadorismo explica o fracasso da tentativa de reunir candidatos de centro e centro-direita a fim de buscar uma postulação única desse conjunto de forças. A ideia era criar uma alternativa ao duelo Bolsonaro x Haddad.

Mas a articulação ficou a cargo do advogado Miguel Reale Jr., a quem falta traquejo político para missão tão espinhosa. A tentativa de ajudar Geraldo Alckmin (PSDB) acabou dando errado.

Henrique Meirelles (MDB) esnobou. Marina Silva (Rede) não topou conversar. E apenas Alvaro Dias (Podemos) teve disposição para um encontro hoje em São Paulo que acabou não acontecendo. Alckmin teve de desconversar a respeito.

*

Vendendo seu peixe

Na ONU, Temer buscou palanque para defender seu legado econômico. Ele disse que entregará país melhor do que recebeu. Do ponto de vista macroeconômico, o Brasil está mais organizado. Os erros de Dilma desorganizaram a economia.

Mas Temer não resolveu a questão fiscal, que se agravou. A regra do teto, aprovada na administração do emedebista, é uma ameaça para o próximo governo caso não seja votada a reforma da Previdência.

Temer confirmou informação dada na semana passada pelo “Jornal da CBN – 2ª Edição”. Tentará votar uma reforma da Previdência em novembro buscando articulação com o presidente eleito. Para tanto, suspenderá a intervenção federal no Rio.

*

Outros comentários

Houve análise sobre a última pesquisa Ibope, que mostrou que Haddad ganhou força para enfrentar Bolsonaro no segundo turno. O petista tem potencial para chegar a cerca de 30% dos votos na primeira etapa da corrida presidencial.

Além de mais uma “trumpice” na ONU, a decisão da 1ª Turma do STF que determinou a prisão em regime semiaberto do senador Acir Gurgacz (PDT-RO) também foi tema do jornal de hoje.

Ouça os comentários abaixo:

Comentários
8
  1. CARLOS GOMES disse:

    Haddad presidente eleito e Dilma Presidente do Senado!!!!!!!!!!

  2. walter disse:

    Venho afirmando caro Kennedy, a pelo menos meio ano; conseguiram por linhas tortas, fazer a campanha ideal para o Bolsonaro; a cereja do Bolo foi a estocada; colocam ainda para defender o meliante, QUATRO advogados, para um pé rapado…todos conhecidos, já trabalharam para a esquerda, inclusive com o governador de MG; são previsíveis ao extremo…as alianças são tidas como doenças contagiosas; jamais sairão do papel; como foi escrito; trapalhada federal…quanto ao Temer, luta para salvar a pele…afirmar que o haddad tem potencial ao primeiro turno, para crescimento, não duvido, considerando a postura ridícula do Ciro, uma virgem, recém saído da zona, a marina com seu discurso viciado e duvidoso…esqueceu de mencionar o Bolsonaro, que crescerá, pelo menos uns 15, a 20% nos VOTOs úteis; considerando, que estes não vão para o haddad; estará no prejuízo absoluto, com relação ao concorrente…

  3. Lamento dizer, mas o que tem pra hoje é picolé de chuchu. Se Bolsonaro passar, a volta do PT é quase certa e o dólar vai disparar junto com a inflação. Sem falar que desta vez não vai ter Meirelles para acalmar os investidores, vai ser a volta da turma louca da Dilma.

  4. mano disse:

    prezados: Na prática a diferença entre PT e PSDB é que o primeiro faz acontecer a social democracia com foco num país onde a pobreza é muito grande e por esta razão tem voto e ganha eleição, enquanto que o outro importou a política da social democracia alemã, portanto não atende a necessidade imediata da pobreza e perde eleição. O resultado é que o PSDB só ganha eleição para governador nos estados mais ricos, e perde a eleição nos estados mais pobres. Quanto a corrupção, todos os partidos estão infestados de corruptos.

  5. Waldemar disse:

    Quando você ouvir alguma criança dizer que acredita em Papai Noel não comece a rir, pois tem gente no Brasil que acredita que as pesquisas do DataFolha, IBOPE, etc são sérias e imparciais e que o Lula é o cara mais honesto do universo!

  6. David Nunes disse:

    Tinha que ser o Alvaro Dias. Um oportunista que dentre outras, imprimiu um tom professoral de virtuoso à sua campanha, como se ele fosse uma vestal. Oportunisticamente mal, começou a campanha nomeou Sergio Moura como seu ministro da justiça, procurando faturar um prestígio do juiz que a rigor não é mais unânime como era há uns dois anos atrás, pois parte da sociedade percebeu a parcialidade e estrelismo do magistrado. Constatando que as intenções de voto na sua candidatura é até menor que a margem de erro, tentou angariar algum protagonismo no processo, atendendo ao chamamento de Alckmin, outro “vestal” que com seu canto de sereia,não conseguiu que o eleitorado lhe permitisse romper a casa de um reles dígito nas pesquisas.
    Au revoir, Álvaro.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-10-15 08:03:34