aki

cadastre-se aqui
aki
Política
22-02-2017, 9h17

Aprovado em sabatina, Moraes não dá explicações convincentes

Plágio e contradição com tese do passado marcam questionamentos
5

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Na sabatina de ontem na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, Alexandre de Moraes não deu explicações convincentes para a acusação de plágio numa tese acadêmica nem por ter aceito a indicação ao STF (Supremo Tribunal Federal) por meio de uma regra que criticou duramente no passado.

O plágio numa das teses está evidente. Ele não seguiu o padrão para citações. Usou o texto de um jurista espanhol como se fosse dele. Ontem, preferiu atacar a reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”, dizendo que ela havia sido “maldosa”. A reportagem foi correta e necessária.

Em relação à tese que defendeu no sentido de que um presidente da República não deveria indicar um ministro de Estado, saiu pela tangente. Afirmou que se tratava de um estudo, que poderiam haver outros critérios para indicações ao STF e que ele estava sendo apontado para o tribunal dentro da regra do jogo. Sem dúvida, a indicação obedece à regra do jogo.

Mas a aceitação de uma indicação contrária a uma tese explícita defendida por ele é mais um exemplo de maleabilidade ética _algo inadequado para um futuro ministro do STF.

Por último, ele disse que atuará com imparcialidade como magistrado e que não protegerá no futuro políticos que apoiam hoje a sua indicação para o Supremo.

Na sabatina, Moraes adotou um inusual estilo paz e amor, bem diferente, por exemplo, da condução truculenta que deu à polícia paulista quando era Secretaria da Segurança Pública do governador Geraldo Alckmin. Vamos ver qual estilo prevalecerá quando ele vestir a toga.

No embate na sabatina, o governo e a oposição executaram com sucesso as suas estratégias. O questionamento de Moraes não foi muito diferente de outros recentes.

No governo Dilma, o PSDB e o DEM faziam perguntas duras aos indicados. Na gestão Temer, o PT e o senador Randolfe Rodrigues, da Rede, cumpriram esse papel.

O placar da sabatina reflete a correlação de forças no Senado. A indicação foi aprovada com 19 votos a favor _sete senadores da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) se manifestaram contra. Hoje, no plenário, o nome de Moraes deverá ser confirmado facilmente.

Sem votos para barrar a indicação, a oposição apostou na estratégia de desgastar politicamente Moraes. Os senadores Randolfe Rodrigues, Lindberg Farias, Gleisi Hoffmann e Fátima Bezerra fizeram as intervenções mais duras.

No entanto, Moraes não caiu na principal casca de banana jogada pela oposição, que cobrou dele que se comprometesse na sabatina a dizer que se julgaria impedido ou suspeito de atuar em processos que envolvam políticos do PT, partido bastante criticado por ele, e personagens do PMDB e PSDB, legendas que bancaram a indicação dele. Moraes deixou claro que pretende atuar nos processos da Lava Jato.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
5
  1. DE RUI BARBOSA AO STF ATUAL! disse:

    Alexandre de Moraes ficou apenas um ano e meio na Secretaria de Segurança de São Paulo e foi ser Ministro da Justiça, ficando apenas 8 meses como Ministro da Justiça e, durante grave crise na sua área, sai para ser Ministro do STF!
    Por que se preocupar se as explicações são convincentes ou não: ele sabe quem são os que o avaliarão. Sabe que tudo faz parte de um circo armado, onde todos estão fazendo sua parte – e que a sua parte será no STF.
    Quanto ao “plágio” que ele nega nada melhor lhe dar como exemplo alguém fazer uma citação de Rui Barbosa, sem as aspas devidas: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.
    E VIVA A LAVA JATO!

  2. gil faria disse:

    As causas de grande destaque foram as defesas do famigerado PCC. Mas o país é assim e indica um apadrinhado do Presidente.

  3. CHRISTIAN disse:

    Boa tarde, minha profissão não tem nada a ver com direito, política etc. mais tenho total condição de dar minha opinião sobre esse assunto.
    Essa pessoa não tem bagagem para sentar na cadeira do STF, olha o nobre ministro Joaquim Barbosa e compara com ele, não tem como comparar, a distância de conhecimento é absurda

  4. walter disse:

    Tem muitos nebulosos membros, nos três poderes caro Kennedy; estas defesas de teses, são viciadas por consequência, se fossem perseguidas, muitos não concluiriam suas formações…
    A circunstância da sabatina do Dr Moraes, demonstra com exatidão,o ambiente mafioso, com a participação do “lobão, Renan Jucá e sua banda”; qualquer mestre, por mais honesto que seja, tem que tomar remédio para enjoo, neste ambiente; são âmbitos viciosos e engessados; nesta hora o sabatinado é desgastado. Acredito que o novo Ministro terá uma postura sóbria por consequência, de suas próprias declarações…

  5. Wellington Alves disse:

    Ele não precisa dar explicações convincentes. Seria aprovado de qualquer jeito. Sou muito grato aos golpistas que saíram nas ruas e bateram suas panelas. O golpe está cada vez mais perfeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2020-02-18 12:31:57