aki

cadastre-se aqui
aki
Política
23-04-2018, 20h07

Base do governo rompe acordo sobre reforma trabalhista

Planalto e Câmara fazem jogo de empurra
10

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A base do governo não honrou acordo para votar a medida provisória que regulamentaria pontos da reforma trabalhista aprovada em novembro. Há um jogo de empurra entre o Palácio do Planalto e o Congresso. A validade da MP venceu hoje.

Na prática, houve ruptura de um acordo feito no ano passado entre o governo e senadores a fim de aprovar a reforma trabalhista. Aprovada a reforma, foi editada a medida provisória, mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, diz que o problema não é dele. O governo está sem força para cobrar sua base.

Isso fragiliza os trabalhadores, lado mais fraco na relação capital-trabalho, sobretudo num momento em que o país tem mais de 13 milhões de desempregados.

Esse jogo de empurra tem tudo a ver com a lógica eleitoral e a desejo da base do governo de atender ao empresariado.

*

Dever de casa

No “Jornal da CBN – 2ª Edição”, também há comentário sobre pedido de procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para que o material apreendido pela Polícia Federal nas casas do  ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures e do coronel aposentado João Batista Lima Filho seja incluído no inquérito dos portos.

Dodge está fazendo dever de casa, mas é improvável que faça terceira denúncia contra o presidente Michel Temer. Se o fizer, Câmara deverá engavetar, como fez com outras duas da Procuradoria Geral da República.

Ouça comentários e entrevista com o advogado Danilo Pieri Pereira, especialista em direito e processo do trabalho:

Comentários
10
  1. walter disse:

    Enquanto isso caro Kennedy, o temer faz discurso, como a dilma; sem objetivos práticos, esta pagando o preço; comprometido até os dentes, estes supostos aliados, estão pressionando o presidente, esta sendo cobrado de todos os lados….sem a câmara e senado, nada vai segue seu curso; a reforma trabalhista, deveria ser, uma questão de honra…falhou com a previdência, é um morto vivo, “sem eira e nem beira”; deixar o País, sem a regulamentação das medidas trabalhistas, mostra o quanto este governo é feito de canalhas e covardes…seria muito melhor, outra medida provisória!…espero caro, que a Raquel Dodge, faça a terceira denúncia, e que o Rodrigo Maia, submeta a votação, se pretende ter votos como candidato…este país precisa limpar o congresso urgentemente, com tantos canalhas, vivendo no apogeu; gastam demais, recursos escassos…são previsíveis, e totalmente sem objetivos para o futuro…

  2. VIVA A LAVA JATO! VIVA A OPERAÇÃO "LAVA CORRUPTO" NAS ELEIÇÕES DE 2018! disse:

    Base do governo? Que governo? Quanto a não haver 3ª denúncia, não importa. Só depois de 1 de janeiro é que a cobra começará a fumar!

    • Wellington Alves disse:

      O governo que tu ajudou a estabelecer quando berrou IMPEACHMENT, Stanislau. Não fuja da sua responsabilidade.

      • p/Wellington Alves. disse:

        Com todo o respeito por suas opiniões, Wellington, se tivesse que gritar impeachment de Lula e seu poste Dilma, novamente, gritaria, pela queda daquele governo corrupto. Dentro da lei, não havia outra maneira, e só um cego não enxergava que saía um governo corrupto e entrava outro. Resumindo, Wellington, só vislumbro o país melhor quando Lula, Temer, Aécio estiverem na cadeia – com todos seus principais seguidores e se houver uma “Operação Lava Corrupto” na Câmara Federal e Senado Federal, pelas urnas, nas próximas eleições. Se não houver uma mudança radical nos quadros do Senado e Câmara, por mais competente e honesto que seja o novo presidente, não governará sem o “toma lá dá cá” e a crise moral, política e econômica continuará. É muito difícil nossa situação, Wellington. Tenho esperança, desde que a Lava Jato não pare e que os defensores de corruptos dentro do STF sejam sempre minoria. Mas o principal ponto, em minha opinião, é a limpeza radical no Senado e Câmara Federal.

        • Wellington Alves disse:

          Então aprenda a lição, Stanislau – NÃO EXISTEM ATALHOS NA DEMOCRACIA. Desde o fim do Império NÃO TEMOS PODER MODERADOR (PARE DE SONHAR COM FORÇAS ARMADAS). Se tu não gosta de um governo, ESPERE PARA VOTAR. Se tu gritou para remover um chefe de Estado A CULPA É SUA pelo outro ter assumido. Dilma era para ter completado o mandato. Temer é cria sua.

  3. ANDRE disse:

    Com a palavra os parlamentares como Cristóvão Buarque e Marta Suplicy, que aprovaram que mulheres grávidas podem trabalhar em lugares insalubres. Parlamentares que como senadores não tiveram nada a acrescentar a esta reforma que precariza as relações de trabalho. Mas não esqueceremos deles no pleito que se aproxima, aliais como esquecer de pessoas tão boas como Aécio, Jucá, Collor, Serra e agora de Cristóvão e Marta Suplicy.

  4. Analista Alpha disse:

    O que ninguém quer admitir é que o impeachment fez mal ao país. A Lei deveria ter sido mudada ou interpretada, pois é exatamente isso que fazem quando interessam, e convocadas novas eleições.
    Agora temos esse desastre, um completo desgoverno, sem apoio popular, claro, porque ninguém o quer, nem mesmo os seus partidários, sem idéias, sem competência, sem nada….
    Me nego a dizer que merecemos isso, não é possível …
    Um governo impopular, sem legitimidade, com míseros pontos de aprovação. Só aprovou leis que pioram a vida dos trabalhadores, não melhorou o emprego, nem acesso ao crédito, um desastre.

  5. Alex disse:

    Governo golpista é assim mesmo … depende de quem o ajudou a dar o Golpe para tocar as reformas. Quem o ajudou tem agora outros interesses. Se fosse um governo eleito, por pior que ele fosse, tinha algum respaldo. Ou, pelo menos, poderia reclamar. Temer tem que engolir sapos, grilos, cobras e outras coisas. E ficar quietinho para não se comprometer ainda mais. Enquanto isso, o país afunda. Só Deus pode nos ajudar. Quem não acredita Nele, que passe a acreditar por que o bicho vai pegar pra todo mundo!

  6. Augusto Sérgio De Melo disse:

    Não entendi a lógica…

    “Isso fragiliza os trabalhadores, lado mais fraco na relação capital-trabalho, sobretudo num momento em que o país tem mais de 13 milhões de desempregados.”
    “Esse jogo de empurra tem tudo a ver com a lógica eleitoral e a desejo da base do governo de atender ao empresariado.

    1. Sem empresário não tem emprego, a não ser que seja um regime comunista puro onde todos são servidores públicos.
    2. Sem trabalhadores, pelo menos o mínimo, não teríamos empresas.
    3. Se isso “fragiliza” os trabalhadores e no entanto atende ao “desejo da base do governo de atender ao empresariado.”, pergunto: Não estão todos indo na mesma direção? Empresários “beneficiados” significa mais investimento, mais investimento significa empresas maiores, empresas maiores significa mais empregos?
    4. Se os empresários, que segundo o seu comentário são os únicos “beneficiados”, não fossem “beneficiados” porque investiriam? Seria melhor mudar país e levar com eles a esperança de novos empregos…

    • Sebastiao Canabrava disse:

      Augusto, o capitalismo e’ tao capitalista (capital, dinheiro), tal severo, tao mesquinho, tao egoista que, se nao existissem leis, trabalhadores seriam usados ate’ como combustivel.
      Nao precisamos ir muito longe (as leis trabalhistas surgiram no comeco do seculo 20) para ver-mos que como os trabalhadores eram tratados.
      A lei precisa existir para provocar o equilibrio.
      Somente pessoas com retardo mental (para nao dizer “burros”) para perceber que a reforma trabalhista somente prejudicou os trabalhadores. Cade os empregos prometidos que a reforma provocaria?
      Augusto, voce deve ser empresario, nao e’? Se nao e’ empresario entao voce e’…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-04-24 00:53:37