aki

cadastre-se aqui
aki
Política
25-03-2019, 21h45

Bolsonaro é a coisa mais velha da política brasileira; Bretas faz papelão

Autoritários, Moro e Carlos Bolsonaro atacaram Rodrigo Maia
16

Kennedy Alencar
BRASÍLIA

Como disse o advogado criminalista Celso Vilardi na quinta-feira passada, dia da prisão de Michel Temer, faltavam requisitos legais para o juiz federal Marcelo Bretas decretar a prisão preventiva do ex-presidente. Bretas fez um papelão.

A democracia e o combate à corrupção perdem quando há abusos de poder da Lava Jato e de suas operações filhotes. Abusos de setores do Ministério Público e do Judiciário não ajudarão o Brasil a construir um caminho civilizatório avançado.

Houve um desejo inconsistente do juiz Bretas de prender o ex-presidente Temer. Foi uma decisão para produzir um espetáculo na mídia e manipular a opinião pública. Há setores da sociedade que têm sede dessa justiça vingativa.

Mas as garantias constitucionais não estão lá para proteger acusados, réus. Protegem todos os cidadãos.

Houve um dano à democracia com a prisão de Temer, um caso entre inúmeros que ocorreram no país nos últimos anos. A Lava Jato também se enfraquece com decisões como a proferida por Bretas. Isso não é direito penal.

*

Paleolítico federal

Jair Bolsonaro é a coisa mais velha que existe na política brasileira. A visão autoritária do presidente sobre o Congresso e o desprezo pela democracia são o que podemos chamar de velha política. Bota velha nisso.

*

Visões autoritárias

Bolsonaro e o ministro da Justiça, Sergio Moro, fizeram um esforço danado para perder Rodrigo Maia como aliado. O ministro e Carlos Bolsonaro, filho do presidente, jogaram nesse sentido.

Carlos Bolsonaro e o pai, do Chile, insinuaram desconforto de Maia em relação à prisão de Temer. O presidente da Câmara tinha uma acordo com Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes para priorizar a reforma da Previdência na pauta da Câmara.

Os Bolsonaro e Moro desrespeitaram tal entendimento.

*

Canalhas, diria Tancredo

É um atentado contra a memória do Brasil pedir que haja comemoração do golpe que instalou uma ditadura em 1964. Bolsonaro não surpreende. Ele é o que ele é.

*

Vale a pena ouvir

Davi Tangerino, professor de Direito Penal da Fundação Getúlio Vargas, de São Paulo, deu entrevista ao “Jornal da CBN – 2ª Edição”. Ele avalia que a decisão de Bretas de prender Temer preventivamente estava errada. Diz que a “Lava Jato não interpreta corretamente a lei penal em vários aspectos”. E afirma que o pacote de Moro, com um nome “meio quinta série”, é “majoritariamente problemático”. Vale ouvir a partir dos 10 minutos no áudio abaixo, no qual também estão os comentários desta segunda:

Comentários
16
  1. walter disse:

    O que há de fato Kennedy; estão pressionando o Bolsonaro, para o toma lá dá cá, ao vivo e a cores; o Maia, com muitos problemas pessoais, é o pião nesta encruzilhada, isto esta muito claro…o presidente não vai se juntar a pouca fé dele, sabe que será sua derrocada; uma coisa é aprovar um pacote imprescindível ao País, onde todos os parlamentares, estão pressionados, por ser de suma importância ao País; é com isso que o capitão conta, mais a sua equipe em campo ma luta…pode ser que hajam exageros, de parte a parte, mas o Maia, não é inocente em suas falas, me parece aprendiz, quando deveria dar aula também…entendo que todos os presidentes anteriores, cederam ao golpismo, portanto, este País, não merece mais a covardia, como aliada…quanto a decisão do Bretas, deve se a fatos, que o desembargador, não quis considerar; se o Temer esta mantendo as negociatas, a vista de todos, se for verdade, o Juiz tem razão…Não há como deixar a podridão, se apoderar, desconsiderando a justiça…

    • Wellington Alves disse:

      Aprenda seguidor do Capetão – justiça não é vingança. Bretas não provou que Temer estava cometendo crime, que é uma das razões para prisão PREVENTIVA. Querem prendê-lo? Façam dentro da lei, TERMINANDO O JULGAMENTO; CONDENANDO-O, se for o caso; ATENDENDO PEDIDOS EM INSTÂNCIAS SUPERIORES, caso ele recorra; e, então, TRANSITADO E JULGADO, prenda para cumprir pena.

  2. BRAGA-BH disse:

    Estamos diante da tempestade perfeita! Economia em frangalhos, desemprego na ordem dos 15milhoes, um governo que não tem cabeça (não a de Bolsonaro!) e apenas um monte de pés de barro, uma justiça caolha que, agora que entrou na alça de mira dos bolsominions começa a se movimentar, um Congresso que ainda não demonstrou nada, nem a que veio e nem ao que pretende, um exército que não acredita que um só consiga axincalhar com a sua popularidade tão rápido como agora e por último o abutre americano (e não a águia) aguradando para deglutir tudo no país que será completamente arrasado por esta turma maluca! Seria cômico se não fose trágico!!

  3. Edison Luis disse:

    O povo pediu a intervenção militar em 1964. Agora o povo votou em um militar, ou seja porque será que o povo estava com saudades dos militares no poder?
    Simples. Roubalheira dos políticos. Corrupção. Se corrupção é sinônimo de democracia então o povo não quer democracia. Quer trabalho, educação e segurança, o resto corremos atrás.

    • Jonas disse:

      Quem pediu o golpe de 64 foram os empresários, que chegaram a ir aos EUA levados pelo embaixador americano Lincoln Gordon para pedir o golpe.
      Já o POVO era contra o golpe e contra o regime militar assassino, autoritário e altamente corrupto, mais corrupto até que os governos civis já que o governo militar não podia ser investigado.
      E vale lembrar que o regime militar destruiu o país: iniciou uma série histórica de 1,1 quatrilhões porcento de inflação, aumentou a dívida pública em trinta vezes e entregou o país em 1985 com a população passando fome e com uma das maiores desigualdades sociais do mundo.

    • joão disse:

      ?????? então os militares não roubavam?

  4. Miguel Ângelo disse:

    A psicologia deve poder explicar os complexos de inferioridade que tem Bolsonaro e a maioria dos militares que o acompanham nesta empreitada. O Golpe foi um golpe militar. E diante este fato, com provas, vítimas, túmulos e corpos sumidos. Um absurdo para se tornar qualquer data, que não seja a data de uma vergonha contra o povo brasileiro. Mas, dentro dos limites que se comemora o que se quer. Desde que sejam com o dinheiro de vaquinhas entre eles. E não com dinheiro público. Nada podemos fazer. Ou podemos, rir e ridicularizar a própria comemoração. Se o Golpe foi uma ação pensada em defender o Brasil de uma política voltada ao comunismo. Onde os militares, por terem também a síndrome de “amigo pequeno”, querem em uma data que evidência uma época de crimes contra a vida, contra brasileiros, contra a soberania deste país, dizer que agiram para salvar o Brasil. Que comemoremos juntos este março/2019, como a data que Bolsonaro, e os Militares, entregam o Brasil passivo aos EUA. E…

  5. Miguel Ângelo disse:

    é bom lembrar. Esta raiva contra o comunismo, ou socialismo – mais capitalista que o próprio capitalismo brasileiro (que vive com empresários sonegando, indo ao BNDES e Bancos Públicos, pegarem Capital de Giro, Financiamento Industriais e Rurais, por décadas, rolando, enrolando o pagamento), que em si, “são moinhos de ventos”. Diminui ou anula, o grande “feito” do Golpe Militar. Época de crimes contra os 5ps. Das mamatas e cabides de empregos aos amigos dos militares. Parece virar amor, senão a doença da vítima ao agressor, que extirpou os donos da terra, os ameríndios, pelos países colonialistas e os EUA. Bolsonaro e Militares que deviam por juramento e campanha, comemorar realmente a nossa soberania. Vivem de um passado duvidoso. Enquanto fazem no presente a entrega do País a potência nuclear imperialista e abusiva via CIA. Havendo confronto na Venezuela recomendo, os que os índios fizeram com os portugueses e espanhóis. Cruzemos os braços e dane-se esta falsa liberdade/moralidade.

    • Al Grant disse:

      Miguel Ângelo… O teu discurso reflete claramente a frustração de quem não conseguiu uma boquinha nem na dinastia petista.
      O fracasso, assim como a vingança, é um prato que se come crú.
      Bom apetite !

      • walter disse:

        Perfeito Al Grant,quando a solução vem carregada de ranço, tudo fica muito complicado…criticar o Bolsonaro, quando a maioria dos presidentes, sofrem por questionamentos, condenações ou processos, vale refletir sem viés, pensando na lisura…o País, quando falamos na reforma da previdência, devemos concordar, que este tema, é extremamente urgente, não se pode barganhar, com intenções maleficas, que é o caso do Maia, “maiado”, esta exposto até os dentes, tentando capitalizar,na primeira aprovação deste governo; esquece que no final, ficará exposto, já que o presidente, não se mostra disposto, ao toma lá dá cá, que sempre foi praticado…não importa as dificuldades, que este e todos os governo, tiveram, mesmo com as negociatas de costume; vamos acreditar, que a reforma da previdencia, vai sair; mesmo que não seja a melhor opção…torcer, para o quanto pior melhor, mostra falta de brasilidade; sofremos muito, o desemprego precisa ser debelado com o menor tempo possivel…

      • Jonas disse:

        E a total falta de argumentos na sua resposta mostra que o Miguel estava correto.

  6. Antonio Quevedo disse:

    como diz Roberto Requião/PR, “tenham paciência com os eleitores do Bolsonaro, o cérebro deles é como a caixa preta de um avião. Só abre depois da tragédia.

  7. Miguel Ângelo disse:

    Nunca precisei de uma boquinha qualquer. Tenho duas graduações, um MBA e um Mestrado. Al Grant, meu discurso espelha uma realidade que você não consegue enxergar. Ou por total despreparo, ou venda nos olhos. Procure ouvir Reinaldo Azevedo, entenda o Kennedy. Boquinha, precisam os políticos e militares velhos, as famílias que mandam no Nordeste, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, no Sul do Brasil. Que caracterizados como capitalistas, são em verdade monarcas com a mão no erário. A cada ano, passo em um concurso público, quase sempre que faço o ENEM, passo sempre em uma Universidade. Estou longe de ser fracassado. A Ditadura gostava de comer cru (não tem acento), e botar no cru da mesa dos outros. Seu texto tem 4 linhas, devido teu conhecimento ser minúsculo. Não sou esquerdista. Sou 1 nacionalista. Não favorável a Ditadura Militar, e nem ao golpe. Bolsonaro é um erro grave. E os pensamentos bolsonaristas coisa de covardes. Brasil acima de todos, inclusive do governo e militares!

  8. Lucas disse:

    Exatamente. Para se fazer política é NECESSÁRIO negociar. A política é a arte (se é que dá se chamar assim) da negociação. Ele sabe disso porque passou mais de 20 anos como deputado e sabe que não se pode fazer um omelete sem quebrar os ovos. E sem o congresso ninguém governa. Quis dar uma de retado demais… Se deu mal. A esperteza, quando é demais, engole o dono.

  9. Wellington Alves disse:

    Os modos políticos do Capetão são os que foram inaugurados na Revolução de 1930.

  10. Miguel Ângelo disse:

    Não precisei. Nem aceitaria. E é verdade. Como cru. Meu fracasso me condiciona a frequentar casas de comida japonesa. Que frustração? Nem quando analisamos a Venezuela. Os Russos mostram mais caráter como país, que o Brasil de Bolsonaro e os EUA. A Argentina precisou dos americanos contra a Inglaterra, e teve as costas. A Venezuela não pediu, mas os Russos fizeram seu papel. Bolsonaro está tremendo envolto a sua diminuta condição de ser humano, militar de pataca. Nunca me realizei tanto. A Venezuela tem quadro forças armadas, de Cuba, da Rússia, a dela, e 50% dos brasileiros que tem a certeza que o bolsonarismo como o clã Bolsonaro, estão mais para amarelar, ou alaranjar, do que para se garantir pela força. Estou aposentado, trabalho porque quero. Um filho militar, e as demais encaminhadas. 03 casas, saúde. E o prazer de ver 50% do país votando errado, para ver de verdade que os militares de ontem, quando na política, são erros administrativos. As FFAAs merecem renovação plena. Acorde!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-12-08 16:08:15