aki

cadastre-se aqui
aki
Política
04-09-2018, 10h32

Bolsonaro e cultura não são compatíveis

Candidato do PSL não aumentará verba de museus
16

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

Lá vai uma série de notas sobre os comentários de ontem no “Jornal da CBN – 2ª Edição”:

*

Erro grosseiro

A declaração de Jair Bolsonaro de que não pretende elevar as verbas destinadas à manutenção de museus é uma evidência de que o candidato do PSL à Presidência e a cultura não são compatíveis.

Ao comentar o incêndio no Museu Nacional, ele atribuiu a tragédia a uma suposta ação política de aparelhamento da entidade pelo PSOL e do PC do B, outra afirmação sem sentido. Segundo Bolsonaro, não faltam recursos para a preservação de museus no país e que bastariam melhores políticas de gestão para lidar com o problema.

No caso do Museu Nacional, houve óbvia falta de dinheiro para manutenção. Prevaleceu também o descaso em relação à nossa memória histórica.

*

Boa ideia

Faz sentido a proposta de Geraldo Alckmin de subsidiar a compra do gás de cozinha para uma faixa da população de menor renda. Melhor gastar parte do Orçamento Público com isso do que com a farra do auxílio-moradia para o Judiciário e o Ministério Público ou para elevar salários já altos da elite do funcionalismo público.

*

Transição eleitoral

O PT vai usar o tempo de dez dias dados pelo ministro Roberto Barroso para substituir Lula por Fernando Haddad na cabeça de chapa. Haddad anunciou que será pedida uma manifestação do Comitê de Direitos Humanos da ONU sobre a decisão do TSE que excluiu Lula da corrida eleitoral. Ele também disse que serão apresentados recursos ao STF com pedido de liminar.

O PT sabe que a chance de êxito é baixa, mas vai cumprir um ritual político-jurídico enquanto usa a propaganda eleitoral para popularizar nacionalmente a imagem de Haddad. O plano B já virou A.

*

Ficou feio

As autoridades federais reagiram mal à tragédia anunciada no Museu Nacional, fugindo das suas responsabilidades. Ouça os comentários no áudio abaixo:

Comentários
16
  1. walter disse:

    Caro Kennedy, lá atrás, o Sr Israel Klabin, conseguiu 80 milhões de dólares, para a reforma ideal do Museu; foi rejeitado pela Uferj, por ser dinheiro de gringo; O RIO padece ainda, por influências maléficas, por ter sido capital…Quanto ao Jair Bolsonaro, esta visado por todos; se vc ouvisse as entrevistas dos diretores do Museu, todos do PSOL, dá para entender as suspeitas do Candidato a presidente; fica a pergunta: porque preferiram fazer o Museu do Amanhã, esquecendo o de Ontem? O Alkimin, esta tentando a descoberta do pólvora; não fez isto em SP porque? Caro este sensacionalismo do PT, tentando envolver a “ONU”, não tem efeito; demonstra apenas, o poder financeiro do Lula; no fundo o Haddad sabe, que não conseguirá nada, perdidos estão…

    • Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

      Caro Walter, quando Israel Klabin ofereceu ajuda ao Museu, ele foi rejeitado, não por ser gringo, mas por ser judeu.
      Essa cartilha doutrinária de esquerda, tão festejada pelo jornalismo tupiniquin, sempre foi assumidamente antissemita !

      • FABIO T. GUERREIRO disse:

        Eu gostaria muito de ver Bolsonaro como prefeito do Rio de Janeiro, seria uma prova de fogo para sua competência, ao mesmo tempo que seria um grande treinamento para ser presidente.

  2. Waldemar disse:

    Também concordo que não se deve destinar mais verba para manutenção de museus e prédios públicos, mas sim melhorar a gestão dos recursos e aplica-los da maneira adequada. Agora vão querer culpar o Bolsonaro por mais este desastre? Tenha santa paciência!

  3. Paulo disse:

    Pelo que li sobre o assunto (museu ), embora não veja no Bolsonaro um candidato ideal, creio que tem certa razão. A MÁ GESTÃO é publica e notória em nosso país. Lendo o Reinaldo Azevedo, pela primeira vez após sair da Veja, descobri muita coisa interessante… a UFRJ fez acordo para captar verbas, MAS NÃO INCLUIU ANDA SOBRE A PREVENÇÃO A INCÊNDIO, quer mais????

    “A omissão é um dos crimes mais graves, porque todas as atrocidades são cometidas por conta dela sem que ninguém se sinta culpado.” Luiz Roberto Bodstein

    “A verdade pela metade não vale nada. É necessária sempre inteira.” Stefan Zweig

  4. Lucas Bala disse:

    É evidente que não. Aliás todos os candidatos que pregam minimizar o Estado (alckmin, amoedo, bosonaro, meireles, etc) não podem alegar que pensam em investir em cultura, pois é claro que vender tudo que temos não vai fazer o país melhorar em termos de preservar a cultura do país muito até pelo contrário. Se a gente vende o pouco que tem, fica cada vez mais à mercê do que vem de fora, seja rock (amo rock, que fique bem claro), reggae, jazz, filmes americanos (bons e ruins, sim, tem para todos os gostos), croissant, sushi, vodka, pizzas, carros americanos, alemães, italianos…

  5. Alberto disse:

    No caso do Museu a culpa é sempre “ideológica”,ou seja,sempre de outros,inclusive do Corpo de Bombeiros,criticado pelo reitor da UFRJ,segundo a imprensa.Vai ficar o dito pelo não dito e como nada é fiscalizado com isenção,não haverá,como sempre,responsáveis.Isso é a terra brasilis.

  6. Hercules Martins disse:

    Kennedy, O que o Bolsonaro falou, dessa vez é verdade. Não houve falta de verbas, houve falta de aplicação das verbas. Houve gastos desnecessários e inúteis em obras de “arte” e “cultura” e total descaso com museus. Aumentar verbas? não! Usa-las! Boa gestão! Parar de distribuir dinheiro para futilidades da falsa arte brasileira.

  7. Roberto Tobaldini disse:

    Equívoco grave! Não faltou dinheiro para manutenção: faltou GESTÃO!

  8. robson santos sarmento disse:

    As colocações do candidato Bolsonaro se pautam numa posição, ao qual não demonstra ser desvencilhado de uma formação cultura ou desdenhar da mesma; lastimavelmente, percebe – se uma linha teleológica de uma sistema midiático mais compromissado e comprometido com a alienação da sociedade. Aliás, estranha – me, o estimado protagonista desse blog, nunca aventou sobre a influência e relevância dos museus. De notar, enquanto continuarmos a não enfrentar os abissais estados de desigualdade social, aqui, com ênfase a discussões pueris, como as ideologias da moda, ao invés de um projeto de nação claro e coerente, de maneira alguma, devemos aspirar significativas transformações.

  9. BRAGA BH disse:

    Triste realidade de nosso país! De um lado, governantes que deveriam estar envergonhados com suas atuações neste caso do incendio do museu, estão fugindo da raia e até colocando mais este fardo na conta do PT (agora é vale tudo!!!). De outro um candidato que seu nome e a cultura não cabem juntos num mesmo dicionário.
    De mais a mais, o PT esticando a corda e deixando o judiciário cada vez mais nu perante a população com esta perseguição, agora escancarada ao Presidente Lula.
    O tempo e a Historia, se não for queimada mais uma vez, dirão a verdade para as proximas gerações!

  10. Cássio Karel disse:

    Concordo com as palavras do Sr. Jair Bolsonaro, o principal problema não é falta de dinheiro, e sim, falta de gestão.

  11. ANDRE disse:

    O que esperar de alguém que defende a ditadura de 64? Em que um dos seus presidentes, Costa e Silva se gabava, dizendo que fazia mais de vinte anos que ele não lia um livro. Uma ditadura que perseguia educadores até a morte.

  12. Ray Magno disse:

    Estou de acordo com o Bolsonaro. Além do mais,vivemos o presente e o Brasil precisa agora muito mais da cultura da saúde, da habitação, do emprego, zero fome, dentre tantas outras coisas elementares e imprescindíveis à vida de um povo.
    .
    Fala-se de discriminação racial aqui no Brasil como se fala de futebol. No entanto, o Museu que acaba de pegar fogo e toda aquela propriedade, foram um presentaço de um riquíssimo mercador de escravos negros a D. Pedro. Era para ser museu da cultura brasileira?

  13. O Brasil precisa fazer o básico primeiro que é trazer empregos!

  14. "DEUS, FAMÍLIA, BRASIL" - Com certeza, cultura baseada nesse lema! disse:

    Com certeza, Bolsonaro se preocupa com a cultura. Talvez não a cultura que nos levou à maior crise ética/moral, política e econômica de nossa História, mas a uma cultura baseada nesse lema: “DEUS, FAMÍLIA, BRASIL!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-09-22 14:18:51