aki

cadastre-se aqui
aki
Política
13-09-2013, 0h03

Bullying no Supremo

5

Comentário no “RedeTVNews” sobre sessão do STF que adiou decisão a respeito dos embargos infringentes. Celso de Melo tende a manter entendimento pró-infringentes, mas a pressão sobre ele será forte. Marco Aurélio Mello travou disputa com Roberto Barroso, numa espécie de bullying de ministro veterano contra novato. Confira!

Comentários
5
  1. Humberto Vieira disse:

    Ministro Marco Aurelio usou da prepotência própria dos q não têm a força dos argumentos convincentes , consistentes.

  2. Priscila Presotto disse:

    O Supremo é uma vergonha : Fux,Marco Aurélio,Joaquim Barbosa ,Gilmar Mendes …Um é cabotino ,outro debochado ,depois o raivoso e o destemperado…..boa noite ,boa sorte

  3. Luiz M. de Barros disse:

    Honduras, Paraguai e agora Brasil. Nuvem ensurdecedora de constatações: Os STFs na luta de classes; naqueles os golpistas venceram. Servis aos golpes contra a democracia. O limite foi atingido 5X5!!!!! 5 são golpistas ou tem medo da midia; aquela que pode assassinar reputações com factoides, calunias. São sim o 4º poder porem o tenebroso, ante evolutivo, pessimista. Oprobrio da humanidade. 5 outros estão a favor do Brasil, da America Latina, berço de uma nova civilização. Mais um voto o de Celso de Melo e estaremos entrando na nova era, no novo ciclo. Se votar contra significa que essa era se atrasa em alvorecer, porem energias transcendentes estão intervindo o que torna o novo ciclo inexorável.
    Parabéns Kennedy por pertencer ao lado da mídia da nova era, estamos vencendo como querem os deuses, mas sem violarem o livre arbítrio de cada um pois cada um escolhe o seu lado e por tal escolhe colhem as conseqüências de serem ou não felizes.

  4. Beto Medeiros disse:

    Inteligente texto.

  5. Ricardo disse:

    Esse julgamento é político desde o começo. Os arrazoados técnicos apenas servem para dar um lustro técnico às opções políticas dos votantes. E isso serve para os dois lados. Tecnicamente não há dúvida de que deve haver a possibilidade dos embargos infringentes e mudar a regra agora é puro casuísmo,como aliás foi dito por Barroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-21 21:58:20