aki

cadastre-se aqui
aki
Política
26-01-2016, 9h21

Castro na Saúde é mais um erro de Dilma

Fraca, ela cedeu a uma indicação política inadequada para a função
23

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A presidente Dilma Rousseff tem razões de sobra para estar insatisfeita com o ministro da Saúde, Marcelo Castro (PMDB-PI). Ontem, ela ficou contrariada com mais uma declaração desastrada do titular da pasta.

Mas a culpa pelo erro político de ter Castro no comando da Saúde é só dela. Mesmo enfraquecida, não tinha o direito de entregar área vital num momento de um grande desafio a uma indicação política tão despreparada para a função. Poderia até ter feito uma composição política, mas deveria ter demandado preparo técnico para a função.

Por ora, Castro deve continuar no cargo, mas está a caminho da queda. Vem crescendo entre os auxiliares mais próximos da presidente a avaliação de que o ministro não tem condição de continuar à frente da Saúde, mas, como se trata de uma indicação política para render votos na Câmara contra o pedido de abertura de impeachment da presidente Dilma Rousseff, não seria a hora de tirá-lo do cargo.

A chegada de Marcelo Castro ao importante Ministério da Saúde foi resultado de uma barganha política com o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ). Aconteceu num momento em que a presidente sofria as ameaças do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, de acatar um pedido de abertura de processo de impeachment. Cunha acabou aceitando esse pedido, apesar da barganha política.

Está claro hoje que foi um erro tremendo indicar Castro para a Saúde. Frequentemente, ele é descrito na imprensa como um ministro sincero, porque disse ontem, por exemplo, que o Brasil está perdendo “feio” a guerra contra o mosquito Aedes aegypti. É verdade.

Mas, talvez pela formação em psiquiatria, deveria ser comparado ao Analista de Bagé, personagem do genial Luís Fernando Veríssimo.

O “sincericídio” de Castro sobre o mosquito aconteceu num momento em que o Palácio do Planalto trabalha o conceito de guerra coletiva, de toda as esferas de governo (União, Estados e municípios) e da sociedade contra o mosquito transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya.

Isso não é ser sincero. É destruir uma estratégia. É estimular o pânico num momento em que são exigidas ações do governo, sobretudo do ministro da Saúde, que deveria saber liderar esse combate. Não é preciso nem lembrar o estoque de frases desastradas, como “sexo é para amador, gravidez é para profissional”, para constatar que Marcelo Castro não deveria ter virado ministro da Saúde.

Apesar de ainda precisar enterrar o pedido de abertura de processo de impeachment na Câmara, a presidente será obrigada a mudar o comando da Saúde.

As doenças transmitidas pelo mosquito são assuntos sérios demais para fingir que dá para ir empurrando esse problema com a barriga. A presidente deveria agir logo, mas o mais provável é esperar a eleição para a liderança do PMDB na semana que vem.

O governo tentará emplacar a reeleição do atual líder, Leonardo Picciani. Se tiver sucesso, deverá dar início a um processo de negociação com o ala governista do PMDB para demitir o ministro ou deslocá-lo para outra função.

O ministério da presidente é muito fraco. Está cheio de ministros que poderiam, no máximo, ser chefes de gabinetes. É uma equipe que reflete a insegurança e o autoritarismo centralizador da presidente. Mas há limite para tudo.

Na época da Copa do Mundo, falava-se no fantasma do gargalo de logística. Não teríamos aeroportos, estádios, hotéis etc. A Copa foi um sucesso desse ponto de vista. Esse fantasma não assusta em relação às Olimpíadas, mas a ameaça de pegar uma doença assusta. Esse problema vai crescer.

Há também a saúde dos brasileiros de um modo geral. Não dá para impedir as mulheres de engravidar. Não se interrompe a vida real, apesar de medidas pontuais e de alertas sobre os riscos serem importantes, sobretudo nos Estados mais afetados.

A Saúde é uma área muito delicada, que tem outros problemas gravíssimos. Não pode ser tratada com desdém nem ser objeto de reuniões semanais como a que fez ontem a presidente.

Chama um grupo de ministros, designa duas centenas de militares para agir, distribui quatrocentos mil repelentes de mosquito a mulheres e ponto. São medidas que já deveriam ter sido adotadas se o Ministério da Saúde tivesse um comando competente.

Essa mania de uma presidente que quer ser ministra da Fazenda, presidente do Banco Central, presidente da Petrobras, ministra das Minas e Energia, ministra da Saúde e por aí em diante é um dos motivos que levaram o governo Dilma a entregar esses resultados desastrosos na economia, na política e agora até na área social.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
23
  1. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    O ministro da saúde é o espelho da mediocridade desse desgoverno também repleto de frases e ações infelizes. O país perdeu a batalha do vírus, da economia, da segurança, da legalidade da credibilidade, da decência …enfim perdeu !

    • walter disse:

      Perfeita, Maria Aparecida Ramos Tinhorão, suas palavras são bem claras; “realmente a dilma só se deu conta agora???
      A primeira declaração dele, sobre CPMF, foi ridícula; ele declarou, “que deveriam ter a CPMF de entrada do dinheiro, e a CPMF de saída da conta”; esperava mais o que???
      O Kennedy diz tdo, com o “Analista de Bagé, do Luiz Fernando Veríssimo”; se pelo menos fosse isto, mas é muito pior”…

      • Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

        Caríssimo Walter, bem lembrado ! Esse vírus agora será o pretexto para CPMF e todas as mazelas do falido sistema de saúde. O que foi feito do dinheiro da extinta CPMF ???

        • walter disse:

          Exatamente cara Maria, onde estão os recursos da antiga CPMF???
          O sistema permite que qualquer um, abuse do poder, sem ser de fato “punido”; o genuino já esta de volta, foi perdoado pela dilma.
          Por tudo isso, e muitas outras, que os CANDIDATOS A PRESIDENTE, que não trouxerem as reformas e expulsão das perversidades implantadas pelo pt; mais um sistema novo, com UM SERGIO MORO E JOAQUIM BARBOSA,, PARA FAZEREM VALER OS RIGORES DAS LEIS; NÃO DEVEM TER O VOTO DE NINGUÉM…QUEM SABE, TODO ESTE MAL, POSSA NOS TRAZER ALGUM ALIVIO, COMO NA ARGENTINA COM O MACRI”…

    • Luis Lima disse:

      O governo perdeu! Isto é fato, mas ele foi eleito legalmente (até que se prove o contrário).
      O que deve ser feito agora? Esperar piorar ainda muito? O certo seria ela renunciar em prol do país, mas não há esperança de que ela tenha coragem para algo assim em prol do país.
      Daqui a 3 anos será muito muito pior do que está agora.
      O correto é esperar e aceitar o pior possível?

    • Edi Rocha disse:

      Todo o comentário de Kennedy é perfeito. Sobretudo em relação à saúde ser uma área extremamente sensível. O povo vai ficar doente se o governo não agir. Precisamos de pessoas “técnicas”, indicados politicamente ou não, mas que acima de tudo saibam trabalhar na função que exercem e que resolvam os problemas. E não há tempo a perder.

  2. Antônio José Marques disse:

    Como dizia um ex presidente o tempo é o senhor da Razão, cada vez fica mais claro a incapacidade desse governo em governar, é preciso dar benefícios aos bajuladores do poder para se ter apoio num congresso doente, que só pensa em benefícios pessoais. Não se tem competência, não se tem capacidade, não se tem eficiência nem eficácia, o que vale são os interesses. Pobre povo brasileiro, vai ser muito difícil, quase um milagre ver a Honestidade, a Humildade e o Trabalho sério vencer no nosso Brasil.

  3. Marcos disse:

    Desagrada a presidenta incompetenta porque fala a verdade. Dilma Pinóquio certamente prefere ministros pinóquios como ela.

  4. CELSO BARROS JUNIOR disse:

    TRISTEZA NÃO TEM FIM,FELICIDADE SIM!

  5. rafael disse:

    Seu último parágrafo resume tudo. Se fosse um gênio, tudo bem, que pegasse tudo e resolvesse o pepino, mas não é… confesso que fui enganado.Aquela pompa de super ministra nos seduziu a conduzi-la em 2010; inocente, nao sabia de nada!! Pelo menos acordei em 2014, mas tem gente que ainda acha que a vermeinha eh ‘vitima da imprensa marrom’, tadinhos.

  6. CICERO GONCALVES disse:

    Enquanto a Presidente Dilma continuar nomeando Politicos(senadores e deputados)para exercerem cargo de Ministros o Governo dela somente tem a ser precário, pois deveria ter sido o Ministro da Saude, um MEDICO que entende da area,não pilantras que não sabem respeitar o voto do eleitor, nomear politicos para uma area que está tão precária de atenção,pois não existe um plano para acabar com essa praga que está assolando o nosso País e agora está até sendo exportada, que é DENGUE ZIKA VIRUS CHIGUNGUYA. Acorda Brasil, o ex presidente Lula não soube ensinar politica de verdade para Sra Dilma, simplesmente jogou o cargo no colo dela e mandou se virar. E para finalizar todos os cargos ocupados no Ministério dela, tem que ser substituídos por elementos que entendem da area que vão ocupar, acabar com essa mania de nomear politicos corruptos e mercenários.

  7. SALOMAO disse:

    Falar a verdade é crime nesse governo.

  8. Mannuela disse:

    Dilma tem q renunciar, ou vamos retroceder 50 anos, já que os outros países estão avançando e nós, recuando.

  9. Wagner Ortiz disse:

    E´isto ai, falar a verdade dura e pura ao povo brasileiro não pode, o correto é fazer estrategia para ludibriar a população para parecer que o governo esta lutando com unhas e dentes contra o Zica virus, mas na realidade esta ganhando com a vitorio da epidemia.

  10. Pasquale disse:

    Vamos ter olimpíadas com a situação do RJ?
    RIO FALIDO

  11. Paulo César Pinto. disse:

    Acho que esse senhor é realmente atrapalhado, mas disse a verdade. Sou enfermeiro, fui exonerado do comando das endemias em específico na atuação e combate ao Aedes aegypti,por me levantar e dizer em alto e bom tom em uma reunião dos municípios do RS, que ocorreu em inicio de outubro de 2015, exatamente tudo isso que está acontecendo agora, uma pandemia desenfreada dos vírus, e os índices de infestação dos pontos estratégicos que extravasaram estratosfericamente o limiar suportável de controle, apontavam para isso, que somados ao desleixo do governo em todos os campos, técnicos, insumos, estratégias e etc…facilitaram sobremaneira o surgimento dessa pandemia..
    É lamentável saber que o despreparo técnico e estratégico em nosso país é um fenômeno parecido com a corrupção, crônico, sórdido, alastrado e complacente, uma chaga, uma saga, um metastático câncer sem perspectiva de cura.

  12. Santos disse:

    Não é mais um erro, Da. Dilma É o erro em pessoa…

  13. ronaldo pinto disse:

    Demorou…A pessoa tece cada comentario, bem que se vê, que de saúde, ele nada entende.

  14. Giovanny disse:

    Creio que sou ignorante quanto à ser presidente, por isso mesmo vou colocar aqui minhas ideias: Se eu fosse presidente – 1. Todo ministro não poderia ser politico. 2. Todo ministro deveria ser profissional competente em sua área. 3. Segundo e terceiro escalão, idem itens 1 e 2. 4. Qualquer medida que soubesse não seria bem aceita pelo congresso, falaria antes em rede de rádio e tv para o povo saber antes, assim os deputados e senadores não teriam muito como barganhar. 5. GOVERNARIA COM O POVO. Creio que é assim que deveria funcionar. Administrar um país como o Brasil compara-se a administrar uma grande empresa, tem que colocar pessoas competentes em cada área, pessoas que conheçam e saibam o que estão fazendo e se não correspondem, demiti.

  15. A RENÚNCIA SERIA A MELHOR SOLUÇÃO! disse:

    NÃO HOUVESSE MUITA COISA OCULTA SOB O RISCO DE AINDA VIR À TONA E QUE A PERMANÊNCIA NO PODER É A CHANCE DE PROTEÇÃO PARA SE EVITAR PUNIÇÕES GRAVÍSSIMAS A ENVOLVIDOS NAS ROUBALHEIRAS AOS COFRES PÚBLICOS – COMO CADEIA ATÉ, JÁ TERIA HAVIDO A RENÚNCIA!
    SERIA A SAÍDA MAIS DIGNA DA PRESIDENTE: ADMITIR A INCOMPETÊNCIA QUE GEROU A VOLTA DA INFLAÇÃO, O DESEMPREGO E ESCÂNDALOS DE CORRUPÇÃO INCOMPARÁVEIS!
    SÓ A CONFIANÇA DE QUE AINDA HÁ LUZ NO FIM DO TÚNEL É QUE PODERIA NOVAMENTE DAR NOVO ÂNIMO À NAÇÃO.
    REUNIÕES DE GABINETE, MUDANÇAS DE MINISTROS, CONCHAVOS POLÍTICOS NA BASE DO “TOMA LÁ DÁ CÁ” JÁ NÃO MAIS SURTEM EFEITOS, POIS NINGUÉM MAIS ACREDITA NESTE GOVERNO!
    ESSA LUTA POLÍTICA DESENFREADA PELA MANUTENÇÃO DO PODER, ONDE VALE TUDO PARA SE EVITAR O “IMPEACHMENT”, NÃO ESTÁ, MAIS UMA VEZ, CONSIDERANDO A “VONTADE POPULAR” E, CONSEQUENTEMENTE, AS CONSEQUÊNCIAS QUE PODEM GERAR A INSATISFAÇÃO POPULAR QUANTO AO GOVERNO, AOS POLÍTICOS, À VOLTA DA INFLAÇÃO, À VOLTA DO DESEMPREGO

  16. antonio barbosa disse:

    Quando da sua ótima matéria “O homem que amava os cachorros” lhe falei sobre o livro de Ken Follet , a queda de gigantes. Neste livro mostra claramente as atitudes de Dilma em linha com as que Stalin tomava em seu governo. Pouco importava se os “fiéis” tinham capacidade de assumir os altos cargos de seu governo, bastava que seguissem à risca suas determinações e jamais lhe contrariassem. Como vivemos em uma suporta democracia, alguns dos “fiéis” de Dilma colocam as “manguinhas de fora” e falam asneiras julgando-se despojados de qualquer responsabilidade pública e política. O que este sujeito diz, só se fala em roda de amigos no bar ou no churrasco e ainda assim corre-se o risco de ouvir controvérsias pertinentes. Falar do mosquito pode ter sido “honesto demais” e “inocente demais” ao mesmo tempo. O efeito pode ser positivo se o povo encarar a declaração com a responsabilidade civil desejada, ou negativo se criar pânico na população nacional e internacional (turismo). Sai Dilma.

  17. Alberto disse:

    Então vamos a um dos mantras tradicionais do governo/PT,ou seja,trata-se de um golpe da oposição a epidemia,via aedes,que assola a terra brasilis.Um outro mantra é que o aedes é legal e consta na prestação de contra junto ao TSE.Para mais um mantra temos o “eu não sabia ” que tinha o mosquito aedes no país.Há uma coleção deles,mas fiquemos só com estes,kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  18. Dal bosco disse:

    Desgoverno,incomPTencia,mentira.Nem o medíocre eleitor que votou nisso que aí está merece isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-27 16:34:37