aki

cadastre-se aqui
aki
Economia
25-07-2014, 22h51

Com crédito, governo tenta “salvar” PIB de 2014

6

Postado por:ISABELA HORTA
Brasília

A medida anunciada pelo Banco Central para aumentar a oferta de crédito foi um dos temas do “SBT Brasil” desta sexta. O governo se surpreendeu com as previsões de que o crescimento econômico deste ano será menor do que 1%. Ao liberar 45 bilhões de reais para ampliar a oferta de crédito, a presidente Dilma Rousseff tenta salvar um pouco do crescimento de 2014. E busca reverter o clima de pessimismo que dificulta a sua reeleição. O outro assunto foi a mensagem enviada pelo Banco Santander a clientes afirmando que o sucesso eleitoral de Dilma pioraria a economia. A presidente deixou a resposta para a sua campanha à reeleição e para o PT. Assim, tira o assunto do governo e dá um caráter eleitoral à avaliação, com a comparação ao que aconteceu nas eleições de 2002 quando a Goldman Sachs criou o “lulômetro”. Mas a avaliação do banco reflete de maneira mais franca a torcida do mercado financeiro contra Dilma. E isso preocupa o governo, porque estimula um pessimismo que pode esfriar ainda mais a economia.

Comentários
6
  1. Marcirio disse:

    Podem escrever. O crescimento da economia brasileira esse ano será 0%, ou seja não haverá crescimento. Incompetência Pura desse desgoverno petista.

  2. Mario Moraes disse:

    Quer dizer que o maior problema da nossa economia é a falta de crédito?
    É muita covardia!
    Onde estão:
    – desoneração da economia;
    – reforma fiscal e econômica;
    – controle de gastos;
    – independência dos organismos de controle e fiscalização dos gastos públicos;
    – alinhamento econômico com países sérios…

  3. Saint Clair Ligorio disse:

    O banco Santander é espanhol será que lá na Espanha ele dá estes conselhos aos seus grandes investidores antes das eleições? Duvi-de-oo-doo. Mas aqui eles fazem terrorismo. Acho que o Mario Amato – aquele entreguista, lembra dele? – é o presidente do banco Santander.

  4. gesiel disse:

    O CRESCIMENTO DA ECONOMIA NESSE ANO, ESTÁ RELACIONADO AO ANO ELEITORAL. Em todo ano eleitoral É COMUM O MERCADO SE RETRAIR E INVESTIR POUCO. Foi assim EM TODAS AS ELEIÇÕES. Quando começar o horario politico, e os candidatos “FOREM OBRIGADOS A APRESENTAR OS SEUS PLANOS DE GOVERNO e pararem com A PRODUÇÃO DE BOATOS”, a economia vai tomar o seu rumo. Quando o candidato da oposição Lula do PT crescia e ameaçava as vitorias do COLLOR do PRN e do FHC do PSDB, o mercado reagia negativamente também, e foi assim até NA VITORIA DO LULA do PT contra o candidato do governo FHC, SERRA do PSDB. Já na vitoria do Lula do PT contra o Alckmin do PSDB, O MERCADO REAGIU POSITIVAMENTE, e seguiu reagindo positivamente na vitoria da candidata dogoverno Dilma do PT contra o Serra do PSDB. Portanto o mercado só reagiria negativamente se a Dilma tivesse sua vitoria efetivamente ameaçada, o que desde o inicio da campanha não tem acontecido, pois a campanha do Aecio do PSDB nunca decolou, e ficará cada vez mais dificil de decolar, caso ele não explique as denuncias de corrupção no seu governo no estado de Minas, que a grande midia não conseguiu abafar, como neste caso do Aeroporto construido nas terras da familia dele.

  5. roberto disse:

    O fato é que ninguém aguenta mais a Dilma e o PT. O mercado sabe que se continuar como esta a coisa vai estourar. A chance do Brasil sair desse buraco é a oposição ganhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-21 15:13:12