aki

cadastre-se aqui
aki
Política
10-11-2014, 9h24

Crise da água gera 1º diálogo concreto entre governo e oposição

Dilma e Alckmin se reúnem nesta segunda para discutir medidas
28

Postado por: Daniela Martins

A crise de escassez de água em São Paulo gerou a primeira oportunidade de diálogo concreto entre o governo federal e a oposição. Ela será tema do encontro marcado para as 15h desta segunda-feira entre a presidente Dilma Rousseff e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Administrativamente, é uma reunião sobre um grave problema cuja solução interessa aos dois. Alckmin está sob maior pressão, porque é o responsável pelo abastecimento de água para consumo humano no maior Estado do país. A atual temporada de chuvas poderá dar um fôlego, mas dificilmente resolverá a questão no curto prazo. São Paulo tende a chegar à próxima seca com um armazenamento de água menor do que tinha quando começou a enfrentar a atual escassez.

Há interesse do governador em amenizar essa crise no curto prazo, mas também em resolvê-la no médio e longo prazo. E aí entra um interesse da presidente Dilma. Além dos efeitos da escassez de água sobre as tarefas cotidianas da população, há uma consequência econômica sobre a agricultura e a indústria. O crescimento econômico do país tem sido baixo. Com escassez de água para a agricultura e a indústria no Estado que tem a principal e mais complexa economia do país, sofre o Brasil todo.

Além de fornecer crédito federal para financiar obras estaduais para armazenar mais água,  a presidente Dilma pode tentar articular um acordo entre os governos de São Paulo e Rio de Janeiro a respeito do rio Paraíba do Sul. Alckmin gostaria de contar com água desse rio para consumo dos paulistas. Hoje, ele abastece apenas o Rio de Janeiro. O governo do Rio tem resistência. A ANA (Agência Nacional de Águas) já disse que é possível autorizar esse uso para os paulistas sem afetar os fluminenses. Portanto, Dilma, que tem boa relação com o governador Luiz Fernando Pezão, pode fazer avançar um acordo entre São Paulo e Rio.

Politicamente, o encontro entre o governador e a presidente tem um aspecto simbólico forte após uma dura campanha eleitoral: o primeiro diálogo real  entre o governo federal e a oposição. No dia em que foi reeleita, Dilma falou em dialogar com todos os setores do país, incluindo a oposição.

No plano pessoal, Dilma e Alckmin têm boa relação. O tucano diz em conversas reservadas que gosta do estilo da presidente, mais administrativo do que político, parecido com o dele. Dilma não será mais candidata. Não terá, portanto, um embate direto com Alckmin, que é um nome cotado como opção do PSDB para disputar a Presidência em 2018.

O outro cotado é o senador Aécio Neves, o tucano que obteve o melhor desempenho contra o PT numa eleição presidencial. Mas o Aécio tem feito um discurso duro. Em entrevista ao Globo, chegou a chamar a eleição da presidente Dilma de maior estelionato eleitoral da história, o que ainda demonstra dificuldade de aceitar a derrota.

É um tom completamente diferente do usado por Alckmin, que foi o primeiro tucano importante a condenar as manifestações com pedido de impeachment contra Dilma. Interessa a Alckmin seguir uma linha mais moderada por necessidade administrativa e por cálculo político, já que o caminho mais radical já está sendo trilhado por Aécio.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
28
  1. Ricardo Vianna de Paula disse:

    Kennedy,nao vejo dificuldade alguma em Aecio reconhecer a derrota.Quando governador,foi quem melhor dialogou com o PT.Agora para o bem do PSDB e do pais,tem que exercer oposicao ostensiva e atuante.Algo que nao ocorreu no pais nesses ultimos doze anos.Alkimim nao tem a habilidade politica nem o carisma de Aecio.Pior para o PSDB apostar nele como proximo candidto.

    • walter.nobre disse:

      Caro; o Alkimin,HJ…é maior preocupação para o governo do PT, que o Aécio; se vencer a crise da água, será o virtual candidato, para 2018; o Aécio sabe disso…
      Quanto a Dilma, não tem saída…o planos a b e c do Alkimin, incluem a utilização do JACAREÍ, a nascente que abastece RIO, nasce em SP; por um motivo de bom Senso, e evitar que o Governo de SP se imponha ao RIO; finalmente, o Governador tem controle da situação; e a Dilma sabe disso…
      O País, só não será invadido pela turma do Lula, por não ter conseguido, o governo de SP…Politicamente, SP é o Brasil…

      • O rio Paraíba do Sul é um importante rio da região Sudeste do Brasil. Sua nascente fica na Serra da Bocaina (estado de São Paulo) e sua foz no Oceano Atlântico (cidade de São João da Barra, Norte do estado do Rio de Janeiro). Ele é formado pela confluência dos rios Paraitinga e Paraibuna.

      • Antonio Carlos disse:

        O problema da água em SP está resolvido !!!!!!!!!!!!!!
        Todos aqueles que votaram contra a Dilma, PSDBistas fanáticos e alucinados que querem o Impeachment e o retorno das Forças Armadas, estão convocados para no dia 15/11/2014, após as manifestações para derrubada do Governo Democraticamente Eleito, a se reunirem na Cantareira para chorar em conjunto, visando encher o reservatório, o que ocorrerá, segundo especialistas, em pouco mais de 2 horas.
        Comunico que uma empresa japonesa, especializada em desinfecção/descontaminação de água, já foi contratada pelo Governador Alkimista, no sentido de retirar do volume de lágrimas coletado, para que ninguém morra, todo o ódio, despeito e preconceito, que serão armazenados em recipientes devidamente lacrados e tratados como lixo atômico e remetidos diretamente para Cuba e Venezuela.
        SÃO PAULO ESTÁ SALVO.

    • JOSE MARCOS BARBOSA disse:

      RICARDO, NEGOCIAR COM ESTE GOVERNO É TEMERÁRIO. CORRE-SE UM GRANDE RISCO DE FICAR ENVOLVIDO EM ALGUMA TRAPAÇA DELES. PREFIRO BUSCA DE RECURSOS NO EXTERIOR. NOSSO ESTADO É O NOSSO PRÓPRIO AVALISTA.

  2. Joao Batista Lopes Filho disse:

    As questões administrativas devem ser resolvidas independente de quem estiver no Governo.
    É miopia política pensar que prejudicar um Estado porque a maioria votou contra o Governo Federal é resposta a ser dada!!!!

    • STALIN disse:

      Acho que a construção de uma agenda positiva com a oposição, sobretudo com os temas importantes debatidos durante a campanha, será muito importante para o país, alem de frear a perniciosa prática da chantagem a que o PMDB submete o governo quando das votações dos temas de interesse dos trabalhadores e cidadãos comuns.

  3. sócrates luis disse:

    Acho que a criação de uma agenda positiva com a oposição, sobretudo com os pontos em comum mais discutidos durante a campanha eleitoral será sem dúvida muito importante para o país, além de acabar com as chantagens impostas pelo pmdb contra o Plnalto.

  4. gesiel disse:

    Uma DAS DUAS VEZES QUE O AECIO do PSDB FOI “”VAIADO NO DEBATE DA GLOBO””, foi quando ele DISSE QUE A FALTA D’AGUA EM SÃO PAULO ERA “”CULPA DA DILMA do PT””. Portanto, já está “”MAIS DO NA HORA DA POPULAÇÃO SABER””, ou mesmo “”OS PROPRIOS POLITICOS INFORMAREM””, “””QUAIS SÃO AS RESPONSABILIDADES DE CADA ESFERA DE GOVERNO (prefeitos, governos estaduais e governo federal), nos DIVERSOS PROBLEMAS DA SOCIEDADE”””. Seria muito bom se A DILMA do PT, que ACEITOU AJUDAR O ALCKMIN do PSDB A RESOLVER O PROBLEMA DA AGUA, CAUSADA PELA “”INCOPENTENCIA ADMINISTRATIVA DELE””, e MANDASSE UMA REAL, para que ele ENCARE O PCC e “””TRANSFERIRA O MARCOLA PARA UM PRESIDIO FEDERAL”””.

    • José disse:

      Até o IPEA já admitiu que a falta de chuvas no Sudeste Inteiro (e nao somente em SP) e causada pelo desmatamento recorde na Amazônia. Até o Al Gore sabe disso e nem brasileiro e. Alckmin esta de parabéns pois somente com muita competência para superar a maior falta de chuvas nos últimos 85 anos sem racionamento só com medidas inteligentes e obras rápidas. Justifica sua maciça votação em SP.

  5. Dr Roberto disse:

    Não sei se deste encontro vai sair alguma coisa que preste, porque ambos tem QI alto de incompetência, Este é um assunto para ser discutido com pessoas do ramo, pessoas que conhecem o problema e sabem o que necessita ser feito para amenizar os problemas, todos sabemos que sem chuva não existe projeto que funcione.

    • emcolera disse:

      Trocar os canos velhos da sabesp que vazam 1/3 da agua não necessita de chuva.
      Limpeza e utilização da represa Billings não precisa de chuva
      Construção das represas dos rios camanducaia, Pedreira e Ribeirão Piraí, não necessitam de chuva.
      O estado de São Paulo não tem uma crise de agua, tem uma crise de planejamento, investimento e manutenção, pois todas essas medidas já podiam ter sido tomadas…..

    • JOSE MARCOS BARBOSA disse:

      CONCORDO CONTIGO DR. ROBERTO, ESTE PRPOBLEMA DEVE SER ANALISADO PROFUNDAMENTE POR UMA COMISSÃO DE ALTO SABER; ESPECIALLISTAS E/OU CIENTISTAS DO RAMO, QUE PODEM ATRAVÉS DE ESTUDOS, ELABORAR UM PROJETO QUE SE APROXIME AO QUE MELHOR EXISTE NO MUNDO, JÁ QUE O GOVERNADOR NÃO DEVE SE ESCORAR APENAS EM QUALQUER PLANO “B” ELABORADO PELOS SÁBIOS DA SABESP.

  6. Kiko Uruguaiana disse:

    Basta ao Alkimim declarar que cometeu estelionato eleitoral em São Paulo ao negar veementemente a falta de água para a população.
    A SABESP tem que abrir sua caixa preta e admitir que errou por ganância e para que o PSDB não perdesse a eleição.

  7. Paulo Cesar Santos disse:

    Finalmente um entendimento em beneficio da população ! Nesse ponto o Alckmin parece ser mais realista do que o Aécio. Essa coisa de querer bater pesado na presidente não é uma boa tática.

  8. pedro paulo miranda disse:

    O Aécio anunciou que vai trabalhar no front externo e não vai ficar no Senado. Nos ultimos 4 anos ele ficou lá e não apresentou nem 1 projeto. Agora vai para o front externo : Zona sul do Rio de Janeiro. Pode ser que as praias deem a inspiração para ele elaborar projetos.

    • Aderbal moreira disse:

      Pedro Paulo, muitos pensadores defendem o ócio. Quem sabe o Aécio na praia , bebendo um chopinho não vai ter mais idéias do que quando fica preso no Senado ? Essa coisa de bater ponto, ficar preso no escritório é coisa para peão…um Senador tem que ser um livre pensador.

  9. javan disse:

    EM RELAÇÃO A LUTA ENTRE OS DO PSDB, NÃO HÁ COM QUE SE PREOCUPAR. AÉCIO QUER MANDAR NO PARTIDO, MAS NEM EM MINAS CONSEGUIU VENCER, PERDEU TUDO ATÉ ENTRE OS RICOS. A LUTA EM 2018 SERÁ ENTRE ALKMIN E LULA.SE DILMA FIZER UM GOVERNO RAZOÁVEL LULA FICA ATÉ 2026. AÍ ENTÃO O NORDESTE SERÁ RICO COMO O SUL E SUDESTE E O PT PERDERÁ. O BRASIL TERA DEIXADO DE SER DÍVIDIDO COISA QUE A DIREITA SÓ PERCEBEU EM 2014.

  10. Ana disse:

    Não esperamos Áecio paz e amor com Dilma e tampouco com Lula, queremos que ele seja firme na oposição. Ele é Senador e não Governador.

  11. Ana disse:

    Òbvio que Sao Paulo mais do que qualquer outro estado precisa do Governo Federal afinal é o que mais contribui com a União, mas o Aecio precisa se manter na oposição e firme.

  12. Adriano disse:

    Kennedy, você vive falando que é necessário entender a democracia. Acho que no texto hoje quem não entendeu foi você. Quando Aécio diz que a eleição foi o maior estelionato eleitoral, não é questão de aceitar ou não a derrota. É questão de fazer oposição, algo muito necessário numa democracia aliás. É função do governo eleito cumprir suas promessas, ou explicar muito bem porque não foi possível cumprir. A função da oposição é cobrar do governo eleito que se atenha ao discurso de campanha. Quando Aécio fala em estelionato eleitoral, ele está apenas jogando luz ao fato de que a Dilma mudou radicalmente o discurso após a eleição deixando bem claro que o discurso de campanha era apenas isso: campanha. Muitos temas importantes deixaram de ser discutidos de forma consistente porque o PT superficializou os temas exatamente para fugir de um debate sério o qual ele certamente teria perdido.
    Não entender (ou não aceitar) que a oposição deve, a partir de agora, confrontar a Dilma presidente com a Dilma candidata e dizer que isto é não aceitar a derrota é não entender o papel das partes na democracia.
    Aliás, o mesmo raciocinio, a meu ver, serve para o Alckimin em relação a questão da água.

  13. antonio barbosa disse:

    Ai..ai… Foi preciso um duro golpe em ambos os lados para se sentarem e discutirem como administradores do país, cada um no seu papel, levar em consideração as necessidades maiores do povo brasileiro. De um lado ganhou-se a presidência, de outro o governo do maior Estado arrecadador. De um lado sabe-se claramente que a metade perdedora está com a faca nos dentes, do outro lado há um discurso conciliador, por enquanto pelo menos. Como eu gostaria que fosse sempre assim, deixando de lado as ideologias abjetas importadas de outros países. Tomara que haja um futuro pacífico para o Brasil, mas eu duvido muito. Que algo de bom saia desta reunião.

  14. José disse:

    Fiquei estarrecido ao ver a dita Ministra do Meio Ambiente. Realmente o PT nao tem gente que siga sua ideologia da Alemanha Oriental e seja preparada ao mesmo tempo. E quase uma clausula natural de barreira. Que ela cuide bem da Amazônia e do reflorestamento. Pedimos apenas uma parte dos nossos impostos paulistas para reparar o que este governo esta fazendo na área ambiental. Nao por acaso Marina se afastou do PT e apoia Aecio.

  15. Javan disse:

    Demagogia ou cabeça fraca . Dizer que Dilma faz o que disse que não faria. Algum dia foi diferente/É essa cultura que herdamos do século 20, perdido. É este o jeitinho de todos os políticos. Foi uma cultura plantada desde sempre o Pt era criançinha. Mas porque o Pt não muda isto? Não se faça de ingênuo , quem criou os partidos de aluguel, o voto obrigatório, o horário político, a legislação eleitoral ? MUDAR COMO, SE OS DONOS DO CONGRESSO ESTÃO LÁ FAZ DÉCADAS E NÃO QUEREM MUDAR NADA! Fala sério, pense baixinho………você sabe.

  16. walfrido disse:

    interessante. a Dilma meteu o pau no Alckmin, devido a falta de água em são paulo, a presidente se gabou que são paulo não tinha interesse em ajuda do planalto, agora o Alckmin, inteligente correu para Brasilia para cobrar a ajuda. ai sim vi que é um politico que vê seu estado.
    ela vai ter que aguentar e muito a cobrança dos paulistas, e com toda a razão, não vai poder correr da raia, e vai ter de ajudar mesmo. promessa é divida, a não ser quando não tem palavras a cumprir.

  17. Nelson José Monteiro disse:

    Boa iniciativa. Publicação correta. Qualquer comentário tende a ser politizado e assim caminhamos para o desabastecimento. Votei no Alckmin pela falta de qualidade dos opositores, mas ele merece a escrita de que os tucanos na crise ficam inertes esperando potenciais culpados do que não eles mesmos para se agarrarem.
    Não há governo paulista neste caso e sugiro promover pela internet as medidas básicas de redução de consumo: banhos rápidos, reaproveitamento da água do chuveiro, máquina de lavar, não lavar quintal, não deixar torneiras abertas e buscar reduzir pelo menos 50% o consumo.
    Em paralelo, fazer proposta de eliminar o aumento indicado pelo governador e além dos descontos para redução de consumo, aplicar penalidades pesadas para quem não reduzir pelo menos 30% o consumo e multas pesadas para quem lava calçadas ou desperdiça de outras formas.
    Neste caso estamos sem governo estadual e precisamos nos auto organizar para não ficarmos sem água de vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-28 09:15:05