aki

cadastre-se aqui
aki
Política
12-02-2015, 9h45

Cunha erra ao apoiar o homofóbico “Estatuto da Família”

68

Postado por: Daniela Martins

A possibilidade de uma CPI das Pesquisas e o projeto do Estatuto da Família são iniciativas que tendem a desgastar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Os dois projetos são ruins e servem ao atraso civilizatório. É um erro o endosso do presidente da Câmara a um projeto homofóbico e a uma CPI que fere o direito à informação.

*

Foi uma atitude homofóbica do presidente da Câmara determinar uma comissão para acelerar a tramitação do projeto que reconhece como família apenas a união entre homem e mulher. Se for mesmo adiante e aprovado, será um projeto claramente inconstitucional, porque o Supremo Tribunal Federal já reconheceu em 2011 a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Um presidente da Câmara pode muito, mas não pode tudo. Eduardo Cunha tem dado demonstrações de poder para acuar o governo Dilma. Essa é mais uma, porque a presidente prometeu na campanha apoiar o projeto que criminaliza a homofobia. Dilma está certa. Cunha, errado.

Declarações recentes dele sobre gays e aborto mostraram um alto nível de preconceito. Ao agir como defensor de um lobby religioso conservador, Cunha se afasta da posição de magistrado que deve ser exigida de um presidente da Câmara.

A proposta recebeu o nome de “Estatuto da Família”. No fundo, é uma ofensa aos diversos e legítimos tipos de família que temos na sociedade hoje. A separação entre Igreja e Estado é um princípio civilizatório conquistado no século 19. Misturar assuntos de Estado e religião é regressivo.

Absurdo na sua concepção, como muitos outros na Câmara, o Estatuto da Família deveria seguir o caminho natural de tramitação e, eventualmente, acabar perdendo força. Ganhar o impulso do presidente da Câmara é uma mancha para o Legislativo. Esse tipo de projeto estimula um clima de guerra na Câmara e fere os direitos humanos.

O Brasil tem instituições que podem frear os arroubos de Eduardo Cunha. A imprensa pode criticar. E o Supremo Tribunal Federal certamente vai barrar uma iniciativa dessa natureza. Mas há um dano político, porque é um projeto que estimula o preconceito num país em que há homofobia e violência contra os gays. É um erro o endosso do presidente da Câmara a esse tipo de proposta.

*

Eduardo Cunha também decidirá, depois do carnaval, sobre a instalação de uma CPI das Pesquisas Eleitorais. A CPI quer investigar se pesquisas feitas do ano 2000 para cá influenciaram as eleições.

A partir de uma instalação, seria aberta a porta para restrições a pesquisas. No Senado, há projeto nesse sentido.

As pesquisas têm, de fato, algum poder de influência na formação do voto. Elas são uma informação que o eleitor tem o direito de saber para decidir o seu voto. Mas atribuir às pesquisas o poder de decidir eleições é menosprezar a capacidade de discernimento do eleitor e arrumar desculpa para político que saiu derrotado. Na falta do voto, pune-se a pesquisa.

Devem ser combatidos os institutos picaretas que fazem pesquisas picaretas para políticos picaretas. Pesquisas falsas divulgadas na propaganda política e na imprensa devem ser fiscalizadas com maior rigor.

É preciso exigir total transparência em relação à forma como são feitas as amostras, os questionários e as entrevistas. O ideal é melhorá-las como um instrumento democrático de aferição da opinião pública.

As pesquisas podem errar. Alguns institutos cometeram erros homéricos. Mas foram exceções. No geral, as pesquisas captaram as tendências corretas. Demonizar pesquisas eleitorais não interessa à democracia. Uma CPI para isso é perda de energia. O Congresso tem assuntos mais importantes a tratar, como as medidas do ajuste fiscal que são necessárias para melhorar a economia

Cunha deveria dedicar energia a medidas mais produtivas para o PIB (Produto Interno Bruto) do país, que, segundo o Banco Central, encolheu 0,15% no ano passado. A expectativa para 2015 também é de contração.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
68
  1. antonio barbosa disse:

    “A separação entre Igreja e Estado é um princípio civilizatório conquistado no século 19. Misturar assuntos de Estado e religião é regressivo”. Concordo em gênero, número e grau. Isto é fato. E para que isto seja evitado, pastores deveriam ser proibidos de candidatar-se a qualquer cargo público, pois sabemos que o dinheiros dos “fiéis” é usado para suas campanhas, misturando interesses religiosos duvidosos com interesses coletivos. Exceto quanto a liberação do aborto que não seja para salvar a mãe, eu por principio sou contra. Questão de foro íntimo. Quanto as pesquisas também acho que há um desperdício de energia para analisar o que tudo mundo já sabe, ou seja, as pesquisas são compradas por quem der mais. Por isso tantos erros. Não precisa de CPI para isso, haja visto que o dono do IBOPE já foi envolvido em falcatruas. O que realmente precisamos era de um comissão especial para rever as LEIS PENAIS, mas isto meu caro, é dar tiro no pé, e eles, os parlamentares, não querem nem ouvir falar. Quanto mais FROUXAS forem as LEIS, melhor para eles, infelizmente.

    • LUIZ CALABREZA disse:

      ..falou e disse Antonio. Apoiado!!

    • Álvaro Elias Gonçalves disse:

      Estão confundindo família com união estável, e já colocam que é homofobia defender a instituição família. Família é Família e união estável é outra coisa.

    • Antenor disse:

      Sr. Antonio Barbosa, não adianta “querer” separar igreja do estado! A igreja também é um agente político, mesmo que não pretenda sê-lo.
      A sociedade deve ser represntada por todos os seus segmentos para que haja a prática da “democracia”. (que no Brasil só ampara políticos).

      O que se deve ser respeitado é OPINIÃO. Não é porque alguém não goste das atitudes (disse a-t-i-t-u-d-e-s) dos homossexuais que não vai opinar a respeito. O direito de opinião e de preferências deve ser amplamente respeitados.
      Ao Kennedy digo: Como pessoa e cidadão, qualquer presidente de qualquer câmara ou ente público representativo, tem a sua opinião particular e que, também deve ser respeitada. Se o Eduardo Cunha, agora Presidente da Câmara Federal, tem uma posição sobre o caso “homossexualidade” isso não quer dizer que ele seja homofóbico. Respeitemos as diferenças sem querer impor o que A, B ou C pensa a respeito do assunto. Outra coisa: Dizer que o Estatuto da Família é “homofóbico”, é julgar com seu próprio peso e medida. O Estatudo é um mecanismo que defende um ente social – família – que parece estar sendo deixada de lado por causa de modismos e outras atrocidades sociais perniciosas (emiti minha opinião e pronto).

    • NORBERTO FRIAS disse:

      Algo semelhante: Quanto mais ignorante seja o povo mais fácil de o manipular. Então para o que melhorar a educação? Mudando um pouco de assunto: o brasil acaba de se confirmar como o país da CORRUPÇÃO: ganhamos mais um: pizzollato e continuamos com o importado: battisti. Mais dois pontos pro LULA, o bigboss da indecência política.

  2. É lamentável, a família é o que há de mais importante, foi a primeira instituição criada por Deus, homofóbico é ser contra algo criado por Deus, família entenda-se um homem e uma mulher, criação de um único Deus fiel e verdadeiro, que abomina o que os homens querem criar, leiam a bíblia e entenderão, não sou eu que digo e sim nosso Deus eterno, então senhores respeitem aquilo que Deus criou com perfeição.

    • Angelo disse:

      Qual parte de “Misturar assuntos de Estado e religião é regressivo” você não entendeu? O Estado é laico. Você tem direito a suas crenças religiosas, mas não é nelas que o Estado se baseia. A família pode apresentar diferentes configurações, que não apenas a tradicional. Lembre-se dos ensinamentos de Jesus: “Amai ao próximo como a ti mesmo.”

    • Paulo disse:

      Estado e religião segundo nossa constituição não se misturam, na nossa constituiçâo nosso estado é laico ou pelo menos deveria ser, como todos os estados modernos no mundo. Você pode ter sua religião e nossa constituição te dá esse direito de culto, mas não pode se misturar, todos somos iguais perante nossa constituição. Seus pensamentos por mais retrógrados e atrasados que possam ser devem ser respeitados, mas você não pode impor aos demais. Democracia é complicada para alguns entenderem.Uma pena ter um congresso tão conservador, e um presidente da câmara tão irresponsável e retrógrado, era tudo que o Brasil não precisava nesse momento.

    • David Molero disse:

      Parabéns pelo comentário, o Estado é Laico mas a sociedade não é laica e num país cristão a maioria deve ser respeitada.

    • Otávio disse:

      Antes da família existe o ser-humano. Os direitos do ser-humano sobrepõe até aos conceitos religiosos do que vem a ser “família”.

    • Sergio disse:

      Concordo ótimas e verdadeiríssimas colocações!!!

    • Adriano Picarelli disse:

      Quantos deuses já existiram? Quantos deuses existem?
      Os antigos egípcios acreditavam nos seus deuses, os muçulmanos acreditam em seu deus, os hindus acreditam nos seus deuses… Quantos povos indígenas já viveram e ainda vivem nas Américas? Cada um acreditando nos seus deuses, cada um acreditando que o mundo foi criado de uma maneira.
      E ainda tem os budistas, os …, a lista é interminável…
      Que alguém acredite que a família foi a primeira coisa a ser criada pelo seu deus é algo que diz respeito a essa pessoa, não podemos criticá-la. O problema começa quando essa pessoa quer IMPOR sua crença para as demais.

    • Silas Silveira Monteiro disse:

      Edson Braga falou e disse. Não adianta uma minoria pensar que vai pautar uma maioria. Vão ter que comer muito angu.

    • Paulo Sergio Santos disse:

      Coaduno integramente das suas congruentes assertivas, ipso facto, adiro e assino embaixo.

    • Fabio Belarmino disse:

      Lamentável é uma pessoa se apegar a falácias. 1 homem e uma mulher não obrigatoriamente pode ser uma família, podem ser ficantes, namorados, noivos, casados mas, mesmo assim ainda podem não ser uma família. Obvio que uma criança no orfanato nasceu de um homem e uma mulher mas, é quase certo que não nasceu de uma família é quase certo que ele não faz parte de uma família. Dizer que o ato de reprodução é o que caracteriza uma família chega a ser hilário e também ofensivo correlacionar família á sexo.

  3. Frederico Gosling disse:

    Já era de se esperar que este Eduardo Cunha, aprontasse, é um cara cheio de preconceito e ódio, realmente se nosso Congresso era fraco, agora, se tornou um feudo, vocês (Direita) criaram a fera, agora cabe a vocês CONTER a Fera.

  4. LUI disse:

    Não é bem assim Kennedy…pesquisa tendenciosa tem que ser alvo de investigação sim..

    • Edson Braga disse:

      Olha Kennedy eu acho que a maioria das pessoas que moram no Brasil é favorável a família com um homem e uma mulher. Essa pauta de criminalizar a homofobia é coisa de minoria. Família é sagrada e aborto um crime a vida. Interessa a Esquerda Caviar e a ONGs que ganham muito com isso.
      Quanto as Pesquisas acredito que eles são tendenciosos sim e manipulam sim os índices sempre a favor dos petralhas.
      Deputado Eduardo cunha esta de Parabéns. A maioria do povo Brasileiro conta com ele para que os Bolivarianos não tomem o Brasil de Assalto.

      • Paulo de Morais Oliveira disse:

        Excelente comentário o seu, Edson Braga. Coerente, equilibrado, e, como um remédio de alta eficiência, na dosagem exata. Nem aquém e nem além. Estou cansado desse comportamento radical da parte daqueles (as) defensores (as) do casamento entre pessoas do mesmo sexo, que tacham os lhes são contrários de homofóbicos. Não existe homofobia, mas, heterofobia, sim, e, não são os gays que estão engajados nessa luta inglória, mas um grupo de mentes pensantes, (inclusa, é lógico, a grande mídia esquerdista da chamada esquerda caviar), no intuito de atender os seus interesses escusos. Família é formada de homem e mulher, o diferente disto é gambiarra. Existo por conta de um relacionamento hétero, e, não de um relacionamento homo. Não irei depôr jamais contra a minha própria existência. Parabéns a você por sua coragem, de expressar de forma polida e respeitosa, sua opinião contrária ao chamado casamento gay. Forte abraço.

  5. FULANO disse:

    ACHO CORRETÍSSIMO DEIXAR DE LADO ESSE ASSUNTO QUE NÃO AGREGA VALOR NENHUM QUE É O CASO DE UNIÃO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO, HOMOFOBIA, ETC.
    EXISTE COISA MAIS IMPORTANTE A SER FEITA NO MOMENTO.. O BRASIL VAI DE MAU A PIOR E O POVO QUER DESVIAR O ASSUNTO COM ESSAS PAUTAS.. TENHA DÓ!!!!
    BRASILEIRO É UM POVINHO TÃO FÁCIL DE ENGANAR…
    E PRA FINALIZAR A BASE DA FAMÍLIA É.. FOI.. E SERÁ A UNIÃO ENTRE HOMEM E MULHER E JUNTOS GERAREM FILHOS. ISSO NÃO SOU EU QUEM ESTÁ DIZENDO NÃO… ISSO FOI DEUS QUEM CRIOU E COMO SEMPRE OS SERES HUMANOS NUNCA ESTÃO SATISFEITO COM NADA QUEREM ALTERAR O QUE O DEUS FEZ COM TODA PERFEIÇÃO.

    • ib disse:

      A família natural requer um homem e uma mulher para gerar filhos. Desse fato ninguém pode correr. Se há um filho é porque houve a conjunção carnal entre um homem e uma mulher capaz de dar à luz um filho vivo. (pode ser até consanguíneo)

      O demais são as artimanhas do destino e forças sociais com intenção de adaptar a realidade.
      A família legal tem filhos adotivos, casais estéreis, etc.

      A Lei não pode fugir à realidade de que antes do DNA as adaptações eram diferentes das atuais e nunca se desconstituiu a família por causa disso.

      Assim como a família é um conceito natural, o poder também é um conceito natural. Geralmente se constitui em torno de laços familiares e domínio territorial.

      Não é por que a família homosexual foge ao padrao pois não gera laço sanguíneo já que é estéril que ela vai revolucionar o conceito de poder sobre um território derivado da luta entre diferentes grupos etnicos, etc. Romeu e Julieta não conseguiram unificar a Itália.

    • luiz disse:

      Certíssimo! Quero ver colocar 20 homens ou 20 mulheres em uma ilha deserta por 30 anos e no final veremos quantos filhos conseguiram reproduzir. Agora direitos civis é outra coisa e eles já conseguiram. Quanto as pesquisas já ouvi muitos falarem vou votar no fulano para não perder meu voto pois as pesquisas mostram quem está com a vantagem.

    • MESSIAS SANT'ANA DIAS disse:

      Prezado Kennedy, boa tarde.
      É lamentável, sua colocação, nesse caso. Pois veja, ao iniciar, quando que o estatuto da família, tratou de homofobia, bem como, fez ilação a decisão de nossa Suprema Corte a respeito?
      O que há, um propósito, claro de resgate da nossa celular essencial da sociedade, ou seja, a família na sua estrutura, perfeita, que atende aos anseios da maioria da população brasileira, respeitada as opiniões e decisões, o que, deveria entender a minoria.
      A base familiar é essencial para tentarmos mudar uma geração que cresce e nasce sem valores.
      O título de sua matéria, esse sim é discutível, quanto aos seus ideais.

  6. Joao Luiz disse:

    Gosto muito dos seus comentários, mas este aqui achei um pouco confuso.

  7. josias disse:

    O Eduardo Cunha(PMDB) não está satisfeito com apenas
    a presidência da câmara. Quer também a presidência da
    República, independentemente de Dilma e Temer estarem
    em seus gabinetes em Brasília.
    Não acredito no seu sucesso por muito tempo.

  8. Pedro de Sá Mascarenhas disse:

    Concordo plenamente com o Presidente da Câmara. O Sr. Kennedy pode sim fazer as críticas que quiser, contundo não tem como querer que sua vontade seja a regra para a democracia. Vale ressaltar que democracia significa que a maioria se sobrepõe à minoria. O direito das minorias é o mesmo da maioria. Não se pode privilegiar nenhuma minoria em detrimento da maioria. Não há retrocesso de civilidade quando se afirma a própria natureza do ser humano, principalmente quando se está tratando da procriação e portanto, da continuidade do gênero HOMEM. Família é família, a própria Constituição diz que ela é constituída a partir da união entre um homem e uma mulher, o STF falhou e feio. Além disso, pontua-se ainda que somente o núcleo constituído de homem e mulher pode procriar e a humanidade continuar sua jornada.

  9. Emmanuel Barros disse:

    Não vejo porque uma pessoa, independente do cargo que ocupa (neste caso presidente da câmara), não possa pensar de forma diferente ou ter outro posicionamento que difere dos midiáticos de plantão. Conforme o que vocês pregam, o pensar é livre ou somente vocês o podem? Sou Professor, em terceiro e quarto grau, e acredito que família é homem e mulher, nada contra as demais formações que devem ser respeitadas e ter os seus direitos reconhecidos e garantidos como todos os cidadãos, mas não são famílias, nem casais, são duplas. Provavelmente o meu comentário não será publicado, como em toda democracia desse pessoal.

  10. Peri Richard disse:

    Pois é sr. Kennedy Alencar, o seu viés ideológico não te deixa ver a realidade.
    O que o STF reconheceu em 2011 foi uma das absurdidades mais grotescas da história da instituição, pois a constituição se cala quanto a isto, mas referencia o Código Civil, e o tal código é quem diz sobre o assunto. Portanto, quando o STF deu parecer contrário ao que diz o CC, demonstrou a judicialização das leis, e não a real interpretação delas, ou ainda a sua não aceitação. Cabe ao STF (e às demais instituições judiciárias) interpretar e arbitrar conforme as leis já estabelecidas, e não criá-las, ou aditivá-las de conceitos e entendimentos alheios à elas [leis].
    E além do mais, o Congresso não pode mudar uma cláusula pétrea, e não um entendimento jurídico, ainda que este entendimento seja firmado por uma corte superior como o STF.
    Utilize argumentos plausíveis para defender o seu posicionamento ideológico, pois sem argumentos plausíveis fica até fácil desconstruir estas ideias.

    • David Molero disse:

      Parabéns pelo comentário, o STF não tem a prerrogativa de criar leis, resta ao congresso nacional corrigir esta grotesca interpretação da constituição feita pelo STF.

  11. Maria Helena disse:

    Esta não é uma questão de religião em politica e sim a opnião de muitos brasileiros,acredito que uma boa parte concorda com este politico e defendem a familia pai Homem, mãe muhler, simples assim

    • Chico disse:

      Sra Helena,

      Eu não sei em que país a senhora vive ? Que condição social a senhora tem ?

      Mas acho incrível uma mulher não conhecer a FAMÍLIA brasileira. Quantos avós estão cuidando de netos ?
      Quantos tios (as) criam filhos q não são seus ?
      Quantos parentes e até vizinhos terminam criando crianças q foram abandonadas ou de familiares que morreram ???

      FAMÍLIA É SIM: toda e qualquer associação de pessoas se respeitem, que vivam em paz e felizes !!!

      O nosso papa já disse e Deus não será contra isso, pois ama todos os seus filhos e filhas.

      Abaixo todo e qualquer tipo de preconceito !

  12. Walter S. disse:

    Não concordo que o Presidente da Câmara ou do Senado ou da República tenha obrigação de se afastar da plataforma que o elegeu e trair a confiança nele depositada para manter-se equidistante de algum assunto que ele pode até ter sido eleito para combater.
    Esse era o compromisso desse político diante de seus eleitores: ser contra algum determinado projeto.

    Pesquisas eleitorais..como fazer isso funcionar? São de fatos pesquisas eleitorais ou não passam de pesquisas eleitoreiras? Quem está pagando uma pesquisa tem o direito de dizer quais perguntas ele quer ver respondidas e em qual universo? Esclareça-nos, Sr. Jornalista!
    Porque se for assim, então as pesquisas são altamente manipuladas; são meras peças de propaganda política e deveriam, neste caso, ser proibidas mesmo. E os institutos erraram feio nas duas últimas eleições. Não só os picaretas. Os famosos (mas de faixada) também!

  13. Mutação Social disse:

    É utópico pensar que o fato de o Estado declarar-se expressamente na Constituição que é laico significaria dizer que a sociedade o é também. Aliás, é cediço que a sociedade brasileira é maciçamente religiosa. Isto é fato e nenhum Poder conseguirá mudar essa marca social. Outra pergunta que poder-se-ia fazer é: Afinal de contas, o Estado existe por causa da sociedade civil ou esta existe por causa do Estado? ou ainda:Quem sustenta a quem? Enfim, é preciso ouvir a opinião pública acerca do que as pessoas pensam sobre o que é ou que deveria ser família, pois, pelo que se sabe, não é irrisório o número de pessoas que defendem a família, que, frise-se, é bem diferente de uma simples união civil, como sendo unicamente uma entidade heterossexual.

  14. Francisco Henriques disse:

    Primeiro, o projeto é anti-constitucional quando fere a Constituição. O parecer da STJ não muda a mesma. Ela apenas é alterada em uma constituinte eleita pelo povo. E até a ultima vez que li a Constituição a mesma ainda define família como a união entre um homem e uma mulher. Segundo o parecer do STJ não legalizou o casamento entre entre pessoas do mesmo sexo e sim ratificou um instrumento legal chamado união estavel o qual pode ser aplicados a qualquer dois seres humano como por exemplo entre dois irmãos. Este instrumento é utilizado por pessoas do mesmo sexo para garantir o “direito” do “conjuge” a benefícios como pensão e herança. No entanto o mesmo pode ser aplicavel a irmãos que não tenham relações sexuais.
    Outro ponto, o Sr. Eduardo Cunha assim como qualquer outro representante do povo representa os desejos das pessoas qua nele votaram assim sendo ele representa pessoas que não acreditam que o conceito de família deva ser alterado. Os representantes do povo devem defender os interesses do mesmo. E como nos propomos de viver em uma democracia a vontade da maioria do povo deve ser respeitada. Se a ala que defende os direitos dos homosexuais quer mudar a constituição que eleja representantes suficientes para que convoquem uma constituinte e a alterem. Ou então proponham um plebiscito sobre o tema e então se saberá o que realmente o povo brasileiro pensa sobre o tema. Será que tem coragem?
    Por último, a separação entre Igraja e Estado existe exceto quando em épocas eleitorais que políticos oportunistas fazem promessas para Deus e o Diabo para ganharem votos. Que eu saiba o Sr. Eduardo Cunha não faz parte da minha Igreja apesar de compartilhar sobre a mesma opinião no assunto em questão. Então não há inferencia de qualquer Igraja nos assuntos do Estado e sim como mencionado anteriormente a colocação de uma posição pessoal que os eleitores do mesmo sabiam e aceitaram quando lhe entregaram o voto nas urnas.

  15. Sebastião Mariote disse:

    Imaginem se todos os brasileiros aprovarem este projeto “sem noção” de institucionalizar como família a união entre pessoas do mesmo gênero. O Brasil será um país sem futuro, pois como já disse certo político: “é impossível a fecundação de um novo brasileiro com dois óvulos ou dois espermatozóides”. O ser humano foi criado desta forma: o óvulo “FEMININO” é fecundado pelo espermatozóide “MASCULINO”.

  16. Rossini disse:

    O Brasil não é um país preparado para esse “avanço civilizatório”, sua população é majoritariamente cristã (tolerante com qualquer outra) e seus valores são estes que (finalmente) o presidente da câmara defende. Como as eleições democráticas elegem os mais votados, o politico em questão defende seu eleitorado. Nada mais justo. E quer saber? Concordo com ele. No meio de tanto fuleragem política e social está mais que na hora de algum líder assumir o leme daquilo que é mais importante à população.
    Finalizando, não somos nem nunca seremos um país civilizado a ponto de comparações com a Europa. Somos um continente de 200 milhões que se entendem e convivem em paz. Isso sim, muito melhor que muitos “civilizados” europeus.

  17. carlos silva disse:

    Acho que qualquer religioso (ou pessoa) que se proponha a alegar que algo foi “criado por Deus” deveria estudar religião comparada.
    É muita ignorância dizer que família é “homem e mulher”, sob a justificativa criacionista. Porque Deus fez o homem e a mulher do barro… Falta de senso crítico.

    Quanto as pesquisas eleitorais, ficou claro quem utilizou de má fé para se dá bem. Inventando pesquisas ou ludibriando os resultados. Vergonha alheia dessa oposição de neandertais.

  18. ODAIR disse:

    PRIMEIRAMENTE MELHOR NÃO MISTURAR DIREITOS CIVIS COM FAMÍLIA. CONSIDERO POSITIVO ESTABELECER ESTA DIFERENÇA JÁ E NÃO FICAR CONSIDERANDO QUE QUALQUER COISA QUE NÃO SEJA PRÓ-LGBT É NECESSARIAMENTE HOMOFÓBIA. SOU A FAVOR DO ESTATUTO.

  19. Mario Moraes disse:

    Criminalizar a homofobia! Pelo que entendo, o Código Penal Brasileiro prevê a criminalização de quem agride, insulta, ameaça… qualquer cidadão, independentemente de posicionamento religioso, sexual, político…
    Pelo que observo – ser heterossexual,ser contra as drogas, ser contra as cotas raciais, pertencer a classe média, ser favorável a verdadeira família, ser democrata, gostar de futebol, gostar de estudar, trabalhar honestamente, respeitar os idosos, ter caráter, respeitar os professores, não compactuar com a corrupção, querer os menores infratores e criminosos presos, não ser partidário do pseudo socialismo… – passou a ser encarado como careta, reacionário, desleal, falso e algo quase criminoso.
    Onde foi que erramos?

  20. Augusto disse:

    Eita blogueiro complicado!
    Eita políticos complicados!
    Pra que simplificar se podemos complicar né mesmo?

    Não precisaria botar nada no papel. Nem criar leis para remodelar a família tradicional, cujo objetivo é atender minorias socialistas; muito menos criar leis para sacramentar a família tradicional, cujo objetivo é para os conservadores darem o troco na idiotia reinante.

    Se se pretende que um lado seja homofóbico, o que dizer do outro lado: discriminatório e preconceituoso? O Estado é laico. Cada um então que fique no seu quadrado, formando sua família do jeito que melhor lhe prouver. Conviver pacificamente com as divergências deveria ser um exercício democrático praticado no dia-a-dia por todos, se quisermos criar uma sociedade mais justa.

    Neste país tem coisa muito mais importante para discutir. Que tal, por exemplo, começarmos a procurar por um (uma) Presidente que saiba governar? Que tal elegermos na próxima vez um estadista que se preocupe em liderar e unificar a Nação em busca da prosperidade, ao invés de eufemistas, que só fazem “dourar a pílula” e só sabem disseminar ideologias partidárias e jogar brasileiros contra brasileiros (nós contra eles).

    • Cícero Lopes disse:

      Você sintetizou o que uma pessoa com extremo bom senso diria. Comentário excelente.

    • Arthur Fayet disse:

      Gostei imensamente da tua resposta. Alguns acertaram; mas a maioria infelizmente não conseguir compreender com absoluta clareza as palavras do Kennedy. Como cidadão, como HOMOSSEXUAL e pai de dois meninos, vejo o quanto este estatuto, se aprovado, não vai fazer nada além de reprimir e provocar enormes danos psicológicos em muito jovens. Nasci numa família preconceituosa e comi o “pão que o diabo amassou” para poder ser feliz com minha sexualidade. Isso porque me ensinaram desde muito cedo que ser homossexual seria ser contra as Leis de Deus; que isso me traria doenças, que eu iria para o inferno e que sofreria com o imenso preconceito da sociedade, etc, etc, etc. E sabe o que isso me causou? Tive que mentir a metade da minha vida. Busquei mulheres, aprendi a viver com elas, mas escondendo a minha verdadeira atração: o sexo masculino, sofrendo dia após dia e inventando histórias para ser aceito entre os heterossexuais. Procurei terapias, Igrejas, Centros Espíritas e outras religiões atrás da remota possibilidade de mudar a minha cabeça, mas nada deu certo, só me confundia mais e mais. Casei, tive meus filhos, mas acabei fazendo minha mulher sofrer, no dia em que percebi que estava sendo enganado pela opinião e equívocos dessa que se diz maioria (o que duvido). Nesse dia, saí de casa para buscar a felicidade. Hoje, posso dizer que sou feliz sendo o que sou. Então, caros leitores tão bem informados sobre família. Não queiram pensar que vocês são os donos da verdade, porque, por mais que vocês procurem se justificar através dos livros sagrados, verdade nunca é uma só, cada um tem a sua diante de suas próprias experiências. Algo extremamente pessoal. Se eu falar aqui que Deus não existe e que isso jamais poderia se confundir com política, vão me taxar da pior maneira possível. Mas compreendam: o país que vivemos pertence tanto ao cristão, quanto ao ateu, da mesmíssima forma. Não faço parte de nenhum movimento LGBT, nem quero; mas não creio que exista um só homossexual que esteja interessado em destruir lares ou acabar com a família. Como podem interpretar dessa maneira? Eu, como cidadão, gostaria de ter o direito de sair com meus filhos no shopping com meu namorado de mãos dadas, sem ouvir comentários maliciosos, até mesmo de crianças, dizendo que vamos para o inferno ou que somos anormais, só para não citar os mais agressivos. Quero ter o direito de abraçar meu namorado nas ruas sem que seja repreendido por uma gangue que, de tanto ódio aprendido em escolas, em família e nas igrejas, acabam por querer tirar nossas vidas, de forma tão covarde. E são tantas as pessoas sem coração que acham que temos que apanhar. Porque, se não aprenderem com as leis, como será esse país no futuro? Um bando de gente mentirosa, como eu fui, me fingindo de heterossexual e enganando minha ex-esposa e amigos para ser aceito e não apanhar nas ruas? Ou querem criar um país consciente, que vai pregar amor e orientar as crianças, desde muito cedo a se respeitarem mutuamente? O que querem? Estudem leiam e procurem ver que existe muita gente e muitas histórias de vida que podem ajudar a vocês se tornarem mais compreensivos e tolerantes. Para finalizar, para mim, qualquer casal, seja de gays ou heteros, que passe dos limites em públicos devem ser repreendidos, sim. Mas beijos e carinhos… Qual o problema?

  21. Felipe disse:

    Parabéns ao Eduardo Cunha. Finalmente um presidente da Câmara que não se curva diante deste governo corrupto e corruptor. O Estado é laico, não ateu. Políticos são representantes do povo e não donos destes para impor suas crenças e agendas. Diversas pesquisas já demonstraram que o posicionamento de Eduardo Cunha está alinhado com o do povo brasileiro e é justamente isso que enfurece os “regressistas” saber que suas crenças são frontalmente divergentes da do povo que dizem representar. Logo, quando um político finalmente aparece alinhado com o povo esbravejam com medo de que o povo se alinhe a este político. Outro exemplo disso é a vitória esmagadora que o Bolsonaro conseguiu no RJ. Novamente parabéns ao Eduardo Cunha, quando o PT e seus apoiadores na mídia se enfurecem contra seus adversários é sinal de que estão no caminho correto.

  22. sérgio silva disse:

    Não há erro algum na postura do Presidente da Câmara. Importante lembrar que a intolerância vem da minoria, que insiste em se achar “mais preparada” intelectualmente, e tenta diminuir aqueles que defendem a família como ela é. O projeto não é homofóbico, mas expressa a proteção de valores que nossa sociedade considera como essenciais.

  23. Cesar disse:

    Existem tópicos em “ciências humanas” que se encaixam perfeitamente nas “exatas” por exemplo, 1+1=2 qualquer outro resultado dará uma leitura errada à adição!

  24. Marcos disse:

    Kennedy, gosto muito de sua clareza em falar e de sua opinião sobre alguns assuntos, mas, nessa aqui desculpe-me, você errou feio, ser a favor ou contra aos homossexuais é um direito da pessoa, bater nelas não, mas, poder dizer que isso não é certo, todos tem esse direito e não é crime, o que o governo quer fazer é criminalizar os que pensam diferente e os que não concordam e teve um ser humano aqui que disse uma aberração, Jesus disse: “Amar ao próximo como a ti mesmo” e está correto, só que pelo fato de não estudar e nem saber de nada ele esqueceu que esse foi o segundo mandamento, pois, o primeiro é “Amar a Deus sobre todas as outras coisas, ou seja, se algo está em desacordo com a opinião de Deus obedece-se a isso a vontade de Deus, e é tão simples explicar isso, Amor ao próximo nunca virá acima da lei, quer seja dos homens e quer seja de Deus, se não um policial diria, eu amo o próximo e você que fez coisa errada está livre, aí, alguém super inteligente diria, mas, você está viajando o cara errou, roubou, estuprou sei lá o que, ele merece ser punido. Para aqueles que são contrários ao homossexualismo, salvo as devidas proporções, isso também é um ERRO! e ponto final. Se você não concorda comigo tudo bem, eu respeito, mas, respeite também minha opinião e é isso que os apoiadores do projeto contra homofobia querem que ninguém tenha opinião.

  25. Paulo Roberto Barreto de Meireles disse:

    Cada um que pague seus pecados. Se somos uma democracia, temos nós todos o direito de pensar e agir segundo nosso entendimento; e se disso decorrer ofensa ou prejuizo a terceiros, que se manisfetem exigindo as reparações inerentes.

  26. Dizem que a família é um projeto de Deus, isso nõa passa de uma grande mentira. A família é um projeto do capitalismo. Os líderes religiosos vêm com essa cabeluda mentira para enganar e conseguir mais poder.

  27. Eligleidson disse:

    Kennedy, ouvi hoje pela manhã seu comentário na Rádio. Abaixo alguns esclarecimentos:

    1 – Esta é a sua opinião, logo, não generalize dizendo que é certo ou errado.
    2 – A GRANDE maioria da população Brasileira, Graças a Deus, é contra.
    3 – Por sermos contra, isto não quer dizer que somos homofóbicos, homofobia, é matar ou agredir os homoafetivos. Ser contra é ter opinião e isto deve ser respeitado.
    4 – Ainda bem que o congresso tem em seu Presidente a imagem do que a maioria dos Brasileiros que tem um mínimo de formação moral pensa. Não ao ABORTO e Não a essa lei que me Proibe dizer a meu filho que o Homossexualismo é um erro, mas que devemos respeitá-los.

    Então não venha falar pelos outros. Fale por si e aprenda que isso em nada insulta a violência contra homoafetivos. OK?

  28. joão mario disse:

    É direito exclusivo da MULHER se ela aborta ou não, os homens não tem nada que opinar sobre isso, o corpo é dela e somente ela é quem decide. Igreja, partido político, ninguém deve se intrometer nisso. Quando a mulher decide engravidar, por exemplo, corre todo risco possível para realizar seu desejo, portanto o que vale é a opinião delas.

  29. Luiz disse:

    Família e algo criado por Deus, ou seja homem e mulher, o resto não se encaixa. Cunha nos cristãos estamos contigo, a favor da família.

    • joa disse:

      Na verdade Hitler dizia que a maioria não sabia se conduzir e que o Estado como ente soberano devia sobressair-se a maioria. Quando ele assumiu, acabou-se a democracia e a ideia de maioria (e muito menos ainda a minoria) .
      Quanto ao tema, se essa fosse a única lei com problemas estaríamos bem…mas não é e isso, gostando ou não , faz parte de uma democracia ainda em construção.

  30. Fernanda disse:

    Este homem com cara de louco e fanático religioso quer levar sua doutrina religiosa para dentro do congresso e obrigar a toda a nação a se submeter a suas ideologias e vontades religiosas, quer ser um ditador da moral e dos bons costumes, sendo o estado democrático e LAICO, ele deve saber que tentar manipular bancadas religiosas e pessoas fiéis de suas seitas religiosas, se esqueceu do livre arbítrio da bíblia, as vontades dele é superior e ele quer impor suas ideologias com esses projetos retrógrados e arcaicos da idade média, são absurdos, irá prejudicar o povo de forma geral, quer bancar o ditador da moral e dos bons costumes,coisa que ele não é. Então é melhor uma criança nascer filha de pais heteros, ser abandonada por falta de condições nas ruas, abrigos ou sofrer maus tratos do que ser adotada por um casal gay? Ele por si só, se mostra homofóbico e misógino além de uma machista religioso e retrógrado. Outro absurdo é o estatuto do nascituro “bolsa estupro”. Querem obrigar as mulheres a ter filhos de estupradores e lhes dar um cala a boca no valor de um salário mínimo, caso seja identificado o estuprador esse será obrigado a pagar uma pensão a criança caso a mulher resolva criar o filho, o que criará um vínculo com o estuprador, já que aborto será praticamente impossível e crime se o tal estatuto retroativo for aprovado, já que terá seu direito resguardado desde a concepção, sendo que o amontoado de célula e o embrião que nem nasceu terá mais direitos sobre o corpo da mulher do que ela mesma passando a ser uma mera incubadora de embriões e fetos, uma máquina reprodutora e nada mais, sem vontade própria e sem sentimentos,isso é desumano e inconstitucional. Algo precisa ser feito para impor limites a esse senhor retrógrado e fanático religioso que mistura religião com política e que pensa que o congresso é a casa dele, a igreja dele, onde faz e fala o que quer e do jeito que quer. Não estamos mais na idade média, temos que evoluir não voltarmos no tempo.

  31. Augusto disse:

    “Em terra de cego, quem tem um olho é rei”.
    Cunha está e vai continuar reinando enquanto não tivermos na presidência do País alguém que absorva o pensamento da maioria do povo brasileiro.
    Enquanto o Executivo só se preocupar em querer produzir leis para atender minorias, situação que resulta desse desgoverno, o Cunha vai continuar ocupando um espaço que poderia ser de um Estadista eleito.
    Tô começando a ficar fá do Cunha. Está botando os desmiolados do PT, nos seus devidos lugares.

  32. giane emidio disse:

    que bom que o senhor Kennedy ja definiu que Eduardo Cunha esta errado e sabe qual é a melhor parte disto é saber que Eduardo Cunha tem o direito de formar sua opinião, assim como eu, independente da do sabichão Kennedy e viva a democracia.

  33. Gostaria de entender o motivo de certas pessoas, a maioria de religiosos fundamentalistas, que não hesitariam em apoiar qualquer fascista de plantão no poder, tanto se preocuparem com questões de escolhas tão subjetivas que em nada atrapalham suas vidas. Precisam entender que a diversidade é fruto da própria criação. O Deus idolatrado por essa gente não passa de um tirano, o meu é tão democrático e justo que nos deu a oportunidade da escolha, da diferença, do livre arbítrio. Por favor, vivam suas vidas e deixem de perseguir aqueles que apenas tem escolhas diferentes da maioria. Como diria o saudoso Betinho: nem sempre a maioria faz as melhores escolhas, se referindo, à época, a eleição de Collor de Melo pela “maioria”.

  34. Dilatai a fraternidade cristã, e chegareis das afeições individuais às solidariedades coletivas, da família à nação, da nação à humanidade.
    Rui Barbosa.

  35. Paulo Sérgio disse:

    Acho que é nessa hora que mais nos esquecemos o que significa “democracia”. Como já dizia Julien Benda no seu fabuloso livro “A traição dos Intelectuais”, a democracia é contrária a “ordem”, pois dá uma suposta voz de autoridade a “todos”. E sem dúvida alguma entre os “todos” estão também os religiosos que são uma maioria significativa de nosso país, e que como todos os outros possuem o direito de defender suas convicções quer uma minoria goste ou não. Não nos esqueçamos que esta é supostamente a razão de estarmos numa democracia, onde TODOS devem expressar suas convicções não importam se religiosas, atéias, místicas, humanistas, etc.
    Preocupo-me quando vejo uma hostilidade aos religiosos como se “laicidade” fosse “ateísmo de estado”. Um país laico deve respeitar e proteger a todos e não estigmatizar a opinião dos religiosos como se somente a minha opinião anti-religiosa possuísse autenticidade lógica.
    Nessa hora queremos agir de forma “ditatorial”, calando através do “constrangimento” os que pensam diferente, e caindo na mesma armadilha do estado religioso brasileiro antes da proclamação de nossa república, onde somente a voz de uma Igreja era ouvida.
    A opinião de TODOS os grupos sociais faz parte de nosso jogo democrático…E esse é o preço que devemos pagar por defendermos uma democracia!

  36. Daniel disse:

    Acredito que esse seja um bom assunto para plebicito ou referendo.

  37. Aline disse:

    Em 2011 o STF reconheceu a união estável entre pessoas do mesmo sexo. De lá pra cá vários casamentos civis gays foram realizados e não atrapalharam a vida de ninguém.
    O que os evangélicos militantes querem de fato é que os casais heterossexuais também tenham o mesmo direito de casar… rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-29 17:21:02