aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
14-11-2013, 9h44

De 2012 para 2013, cresce 28% desmatamento na Amazônia

Devastação no entorno de obras no Pará é principal responsável por taxa
31

O Palácio do Planalto recebeu a notícia de que o desmatamento na Amazônia aumentou mais do que o esperado. O governo federal já previa um resultado ruim, em torno de 20%. Mas a notícia é pior: cresceu 28% o desmate na região entre 2012 e 2013.

O número chegou ao conhecimento do Planalto nos últimos dias. Auxiliares da presidente Dilma Rousseff se surpreenderam com os dados dos Prodes, sistema de monitoramento por satélite que mede a devastação na Amazônia entre o começo de agosto de um ano e o final de julho do ano seguinte.

Essa notícia deverá ter forte impacto político na campanha eleitoral e na imagem internacional do Brasil. Vem justamente após a aprovação do novo Código Ambiental, no qual os ruralistas venceram os ambientalistas. O país vinha reduzindo a devastação seguidamente nos últimos quatro anos.

O vilão do desmatamento é o Estado do Pará. No trecho da BR-163 em que o asfasto ficou pronto, o preço das terras explodiu e incentivou a especulação. Em torno da obra da usina de Belo Monte, também no Pará, repetiu-se o mesmo fenômeno. A maioria do desmate é ilegal.

Segundo um auxiliar, Dilma estuda medidas para tentar reverter esse processo. Provavelmente, deverá intensificar a fiscalização.

 

 

 

Comentários
31
  1. Levy Moreira disse:

    è muito triste saber que continua aumentando cada vez mais o desmatamento na Amazônia, apesar de todos os esforços nacionais e internacionais…O Governo precisa dar um basta urgente….

  2. Gilberto Jesus Ferraz disse:

    Em 05 anos não mais existirá vegetação nativa, no Estado do Pará, não precisa de satélite para ver esta triste realidade ambiental. E o gigante dorme.

  3. Laercio Pereira da Silva disse:

    O que falta mesmo é vontade política de resolver o problema. Desde a colonização o Brasil enfrenta a invasão de terras Amazônicas por especuladores imobiliários com a conivência de órgãos do governo como o Incra, governos e prefeituras locais afim de obter ganhos fáceis sem se importar com a natureza e recursos hídricos. Na minha opinião a solução é simples. O Exército Brasileiro tem a missão de resguardar nosso território em todos os âmbitos. Se houvesse um comando certo nesse sentido não haveria tanto desmatamento.

    • Carlos disse:

      Na verdade há vontade política demais: Principalmente por parte dos ruralistas sempre empenhados em aprovar facilidades para desmatar e empecilho para fiscalizar e punir.

  4. Júnia disse:

    Ao invés de melhorarmos estamos piorando. Que absurdo!

  5. Joaquim Salvador do Brasil disse:

    Com monitoramento 24 horas, via satélite, ninguém mais “recebe a notícia”; a notícia está presente e o governo sabe o que se passa a cada minuto . O mais estranho e que essa devastação nada tem a ver com o plantio de cana para produção de álcool, já que o Brasil, na gestão do PT, optou por comprar álcool de milho dos Estados Unidos ao invés de incentivar a produção doméstica. Quem não acreditar, procure se informar, antes que eles censurem a internet com o “ingênuo” Marco Regulatório.

  6. Alexsander Geógrafo disse:

    O saudoso Professor Ab’Saber há tempos lutou para que projetos fossem feito visando a preservação deste domínio de natureza considerado por ele como “macro domínio” biomorfoclimático, mas como disse inúmeras vezes, não há ética neste país e impera a ditadura do dinheiro e do mercado, este país é uma vergonha, lamentável.

  7. abner disse:

    A impressão que fica, é que para atuar contra o desmatamento gera-se muito gasto para o governo, e a luta contra o desmatamento infelizmente não gera vots que eles esperam. É triste e preocupante tal situação. Tenho que, enquanto não tivemos governantes que não tenham interesse próprio a coisa não irá mudar. E a culpa é de nós todos é sinal que precisamos escolher melhor.

  8. carlos disse:

    isso e vergonhoso ate quando vamos assistir acabarem com a amazonia e ficar de braços cruzados, depois reclaman que outros países se interessam por ela, esse crime deve ser coibido. como não sei, mas acho que o exercito seria a soluçao

    • cara tu moras onde. para comecar eu moro na amazonia e a coisa nao e bem assim e quem mora onde ja desmataram tudo como voce acredito ta se preocupando com a amazonia pq aqui o povo tambem tem o direito de ter as mesmas regalias que ai.

  9. carlos disse:

    Quando quiserem deitar na sombra do dinheiro é que vão sentir as falta das árvores. É simplesmente uma vergonha mundial essa falta de respeito com as florestas pelos brasileiros.

  10. Elio do Carmo disse:

    Pelo amor a DEUS, parem com essa selvageria capitalista.

  11. OsmarBarra disse:

    E-agora-Jose-diria-o-poeta-Carlos-Drumod-de-Adrade,os-reposaveis-Ruralistas-e-Congressistas-com-a-palavra,assim-nao-pode-continuar.Desculpe-problemas-no-computador

  12. Paulo disse:

    O ideal seria ser delimitada uma área INTERNACIONAL DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL PERMANENTE pertencente ao planeta, aproximadamente de 400.000 (maior que o Maranhão) no interior da Amazônia. Isto é, seria uma área pertencente ao planeta terra e não a um país específico. Tudo isso em nome do Amor à natureza em geral. Somente assim se preservaria os animais, vegetais, minerais etc. Em todos os continentes deveria existir uma área assim, internacional..(na África, Europa, Asia, Oceania, Oriente médio, América do norte, etc)

    • Renato Scatolin Antonello disse:

      Definitivamente vc deve trabalhar a serviço dos interesses de ONGS internacionais, propõe que o Brasil ceda parte de seu território a fim da preservação da natureza para o mundo. Acho que vc não é Brasileiro e ao propor isto trai o seu país. O mundo inteiro tem grandes extensões territoriais de florestas ainda intocadas vide exemplo na Rússia , no Alasca , Canadá , na Africa abaixo do Saara dentre tantos outros. Pergunte a estes países se algum cidadão seria capaz de propor uma asneira desta. Aí vc quer jogar todo o passivo ambiental do mundo para o Brasil pagar a conta. Pense e reflita a respeito.

  13. edgard machado disse:

    Que tal TOLERÂNCIA ZERO?

  14. DIRRAN NEY XAVIER disse:

    CAPITALISMO SELVAGEM ! NOSSOS POLITICOS Á GRANDE PARTE SÓ PENSA EM SEUS INTERESSES PROPIOS ESSA E VERDADE PIOR PARA O PLANETA.

  15. joao disse:

    E Gilberto. O gigante nao dorme nao,apenas mudou de “dono”. Ja a alguns anos fomos invadidos pelos americanos (do norte) e logo,logo,deicharemos de ser colonia, para ser cidadaos “americanos”.O que sera bon ,nao e?,so assim alguem cuidara do nosso “GIGANTE”

  16. Petrus disse:

    Para que ir até a Amazônia se em Ubatuba debaixo do nariz de todo mundo o desmatamento está descontrolado? Já nas primeiras praias é possivel ver via satelite o estrago causado pela extração ilegal de terra e areia. Caminhões e tratores conduzidos por menores e nem com denuncias a PM ou os órgãos ambientais fazem nada. Se isso acontece no eixo Rio – SP imagine na Amazonia?

  17. IVO BENELLI disse:

    O PROBLEMA NÃO É SÓ O DESMATAMENTO O MAIOR PROBLEMA É QUE NINGUÉM SE PREOCUPA EM REFLORESTAR O PLANETA, TODOS QUEREM COLHER MAS NINGUÉM QUER PLANTAR.

    14 DE NOVEMBRO 2013.

  18. Marcio disse:

    Prezados, é muito difíl para mim tentar entender estes comentários. Primeiro porque não sei se conhecem a região toda, segundo se sabem o tamanho que isto representa que, em território se equivale a EUROPA inteira. Quem conhece o relevo sabe que o Pará tem somente 17% de área agricultável e o melhor clima do mundo. Os míseros 17% equivalem a todo o estado de SP, mas continua sendo apenas 17%. Já imaginou SP usando apenas 17% do seu território? Então como deixar tamanha área em desuso? Como querem que o povo daqui não possa usufruir de tudo o que o resto do país e do mundo usufrui? Ora, tenho uma boa proposta: Quem quiser comprar terras para plantar mato é só me avisar que eu arrumo, assim poderão fazer algo que querem que os outros façam.

  19. Vanilse de Jesus disse:

    O estado de Mato Grosso já deveria trocar seu nome para mato fino, tanto é grande a devastação florestal por aqui, em especial na área da amazonia onde está tudo pelado. O pior é que isso serve para formar apenas alguns poucos megas-milionários, que ainda entram com sucesso para política onde legislam e operam em causa própria.

  20. Alberto disse:

    Desflorestamento não significa fim do mundo. Tiram-se as árvores e colocam-se no lugar soja, capim, dendê, cupuaçu, cacau etc, tira-se vegetal e coloca no lugar, outros vegetais que fazem o mesmo serviço ambiental e ainda produzem riqueza para a população local e para o Brasil. O problema maior é que essas produções concorrem com os produzidos nos EUA, por isso a gritaria dos nossos doutrinados “patriotas”.

  21. joap disse:

    intensificar a fiscalização, agora e a temporada de chuvas. chegou atrasado e o próximo PRODES e depois da eleição

  22. clayton disse:

    Pra falar a verdade, é bom que acabem com a amazônia mesmo. E rápido. Só pra acabar com esse lenga lenga que não acaba mais. Esse povo que só sabe acabar com as coisas. Esse governo que não toma providências. Essa porcaria de vida que não piora com as mudanças climáticas. O brasileiro nunca passou fome ou sede. Deixa acontecer o pior pra ver se toma juízo.

  23. Romeu Carlos Machado disse:

    Bom no meu ponto de vista o maior culpado, é o GOVERNO é muito fácil resolver isso é só pagar para quem preserva e tudo ta resolvido, o problema é que dai as ongs ambientalistas vão ter procurar outra maneira de viver bem

  24. Cesar Rocha disse:

    Infelizmente, assistimos, mais uma vez notícias dessa natureza e o que mais me preocupa é que são anunciados percentuais que, certamente, não condizem com a realidade. Ou seja, poderá já ter ocorrido uma devastação muito maior da que estamos ouvindo falar. As mudanças ocorridas no Código Florestal Brasileiro foi uma das piores coisas que fizeram ao ambiente natural. Se houve algum avanço em anos anteriores, na diminuição do desmatamento, certamente foi irrisório, perto do que vem acontecendo e continua, desde do Código em 1965. A Mata Atlântica já foi quase toda destruída e o Cerrado também está sofrendo com a destruição. Com a aprovação do Novo Código Florestal, expandiram-se os prazos para os supostos desmatadores que neste caso, incide sobre os produtores rurais/agricultores, mas que tem outros envolvidos. Mas o que talvez, muitos não saibam é que as multas “evaporaram” não se houve falar mais delas e de algumas deliberações que tratavam de um artigo de lei que tratava dos prazos de pagamento delas. O que fizeram foi, no meu entender, a criação de uma espécie de isenção “camuflada” chamada de Código Ambiental Rural onde constará os dados da propriedade especificando suas áreas de preservação e isto, (parece piada), será fornecido pelo órgão ambiental que disporá de um sistema via satélite com imagens, ou seja, basta através do acesso às imagens no ser possível encontrar as medidas de sua área. Mas se houverem plantas exóticas como eucalipto, pinus e/ou acácia-negra será detectado pelo sistema ???!!!!! Ainda: assisti alguns dias atrás, reportagem, de que em um dos municípios de São Paulo, agricultores produtores de cana, estão se mobilizando na possibilidade de não aceitarem a obrigatoriedade à reconstrução da reserva legal e buscam se amparar no parecer de que estados poderão ter autonomia nas normas do Novo Código Florestal. Sendo assim, não irão cumprir a lei nacional e sim, estadual, masmo que, este ponto, é de vigência, somente de lei federal.

  25. […] medida deverá ser tomada em resposta ao aumento de 28% em 2013 na devastação na Amazônia, taxa antecipada ontem pelo blog. Esse crescimento interrompeu um processo seguido de queda de quatro […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-07-13 20:30:29