aki

cadastre-se aqui
aki
Política
29-08-2016, 9h12

Dilma é o principal agente histórico da própria queda

Erros da presidente na política e na economia a levaram ao cadafalso
52

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Apesar da promessa de um discurso histórico, dificilmente a presidente afastada, Dilma Rousseff, usará argumentos novos. Nas entrevistas e discursos, ela tem enfatizado que é inocente, que há um golpe em curso e que sofre uma injustiça que cassará 54 milhões de votos.

Dilma passou os últimos dias se preparando e esteve ontem com o ex-presidente Lula, que é um orador muito melhor do que ela. A presidente tem razão quando fala que as pedaladas e os decretos de crédito suplementar são um pretexto para tirá-la do poder.

Nos últimos dias, ouvindo depoimentos de testemunhas e informantes e também os discursos de senadores contra e a favor do impeachment, fica evidente que existe uma dúvida razoável em relação ao cometimento de crime de responsabilidade. No caso de dúvida, a decisão teria de ser favorável à ré. Mas não é isso o que vai acontecer.

O impeachment será aprovado porque está sendo usado como se o Brasil fosse parlamentarista. A aprovação dele dará imensa força ao Congresso perante Temer e futuros presidentes. Isso é um risco real para a democracia, porque temos um Congresso fragmentado e conservador, que continuará a ser o principal desafio para qualquer presidente.

O impeachment é como um acidente de avião. Múltiplos fatores têm de ocorrer simultaneamente. Dilma cai, sim, pelo conjunto da obra. Ela foi o principal agente histórico da própria queda. Ninguém contribuiu mais para o impeachment do que ela mesma. Foram seus erros que a levaram ao dia de hoje.

Portanto, um discurso realmente histórico deveria vir acompanhado da admissão dos imensos equívocos que cometeu na economia e na política, levando o Brasil a uma de suas mais graves crises. Dilma e o PT precisam fazer uma autocrítica para entender como foram capazes de perder o poder.

Podem criticar o Congresso, a imprensa, os investigadores da Lava Jato, o radicalismo pós-eleitoral do PSDB. Todos esses agentes contribuíram para Dilma perder o poder. Mas o papel deles não tem o peso de um único agente: Dilma, que fez um governo ruim. E fez do jeito dela, do jeito que quis.

A presidente não soube dar seguimento a um projeto político e econômico que estava indo bem. Governou de forma autoritária, ignorando conselhos e críticas internas. Nunca deu bola para o Congresso.

Aliás, a maior semelhança entre o impeachment de Dilma e de Collor é o autoritarismo na relação com o Congresso. Dos quatro presidentes eleitos diretamente desde 1989, dois completaram seus mandatos, FHC e Lula, porque souberam lidar com o Congresso. Dilma e Collor caíram pelo caminho, o que dá uma taxa de mortalidade política de 50% para presidentes pós-redemocratização. Não é normal numa democracia. É sintoma de doença.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
52
  1. Nickson disse:

    Infelizmente a democracia se perdeu.
    Discordo de você Kennedy os maiores culpados pela situação do país foram os perdedores no último pleito presidencial.
    Quando os perdedores se juntaram ao bandido Cunha percebi que a democracia tinha se perdido. O país vai ficar muito perigoso. Que pena.

    • EDMAR disse:

      Prezado,

      Dona Dilma teve 51 milhões de votos sim mas, é bom não esquecer que seu opositor teve 48 milhões e eu votei nela visse, infelizmente.

      Desses 51 Milhões que ela tanto alardeia, com certeza apenas para os cerca de 8 Milhões do Bolsa Família e mais uns 3 Milhões de Militantes devidamente Comissionados ou empregados ou remunerados ou hospedados nos Movimentos Paramilitares Sociais não é golpe MAS, PARA OS OUTROS 40 MILHÕES DE OTÁRIOS QUE VOTARAM NELA, A SUA REELEIÇÃO FOI UM GOLPE PRATICADO ATRAVÉS DE ESTELIONATO ELEITORAL, VIDE ARTIGO 171 DO CÓDIGO PENAL, COM MENTIRAS, DISTORÇÕES DE FATOS REAIS E APROPRIAÇÃO INDÉBITA DE VALORES VIA CAIXA 2 EM PROL DE TERCEIROS.

      Estamos no Brasil e aqui não há mais espaço para ações econômicas ditatoriais e nem ações de desapropriação financeira pública (sobrepreços e conchavos licitatórios) em prol de familiares, amigos e doadores de campanhas políticas para perpetuação de poder.

      Aqui não é Cuba e tão pouco Venezuela !

      • Raul disse:

        Concordo plenamente com você meu caro.

      • Mauro disse:

        Parabenizo e concordo com suas palavras e aproveito para acrescentar que nem o voto do pais todo, ou que fossem 300 bilhoes de votos dão a qualquer pessoa pública o direito de errar, mentir, ser hipócrita, acobertar corrupção, cometer estelionato eleitoral e principalmente usar recursos de bancos públicos para encobrir rombos orçamentários provocados por ela e por sua administração errônea, caótica, temerosa e desastrosa para pais!

      • Zacca disse:

        Prezado, mas o grande problema de se aprovar este simulacro de julgamento em curso é que nunca mais poderemos ter eleições com resultados apertadoss, pois a nossa “democracia” não suportará tal coisa. O que deveria ser resolvido em próximas eleições, nunca o será.
        Será sempre um governo eleito (não importa o lado vencedor) sempre refém de posterior achaque político, pois já terá sido aberto um grande e infeliz precedente…

      • Celeste disse:

        Muito bem sr Edmar…a sua resposta diz tudo. Isso mesmo. Ninguém gosta de ser enganado e esse governo de Dilma foi a própria enganação. Eu concordo com o senhor.

      • Sepúlveda disse:

        Prezado, mas o grande problema de se aprovar este simulacro de julgamento em curso é que nunca mais poderemos ter eleições com resultados apertados, pois a nossa “democracia” não suportará tal coisa. O que deveria ser resolvido em próximas eleições, nunca o será.
        Será sempre um governo eleito (não importa o lado vencedor) refém de posterior achaque político, pois já terá sido aberto um grande e infeliz precedente…

    • walter disse:

      Caro Nickson, se fossemos um País sério…o que o Kennedy afirma, que um Presidente, já entra com 50% de risco, se não lidar bem com o congresso é uma verdade absoluta; trata se de uma “cama de gato”;nossos parlamentares,são “irmãos”…
      Se lembrarmos da época do Collor, que tentou subestimar o congresso, impondo suas vontades; esta o sr Claudio Humberto, que o assistiu de perto, sabe; lembro me, de sua presença em Interlagos, como Presidente,assemelhava-se, mais a um “príncipe regente”…portanto a arrogância da dilma, é semelhante; errou demais, além das pedaladas…tudo isso ficará claro pós impedimento; muitos absurdos serão desvendados; são fatos…

    • Alberto Rocha disse:

      Nickson, deixa eu adivinhar você está empregado e ganhando razoavelmente, espero. Fique 23 anos num emprego bom em empresa de óleo e gás e depois de uma grande roubalheira do governo atual (e que começou no antecessor), você fica no ZERO. A presidência para mim é um emprego, se o empregado deu prejuízo pra empresa, ele deve ser demitido. Isto pode não ser o certo, mas é o justo.

      • Ivo disse:

        Este regime que você cita tem nome, chama-se Parlamentarismo – em contraste com o Presidencialismo adotado em nosso país. Portanto, meu caro, dada a forma de governo do país, trata-se de golpe.

  2. Edi Rocha disse:

    O problema é que para não errar com o congresso, é preciso que não haja uma “operação lava-jato” (se existir, deve ser parada). Também, é preciso ser conivente com a corrupção.
    .
    Dilma fazia um governo ruim, mas a corrupção não passou diretamente por ela e o combate à corrupção agora irá cessar consideravelmente. O PMDB (atual governo) está cheio de envolvidos em que o processo não anda.

    • Itamaraty Em Chamas disse:

      Edi, Você está certo, o combate a corrupção tende a se enfraquecer. E esse é um problema da política nacional, não do PT, do PMDB ou do PSDB. A Dilma não roubou diretamente, até onde sabemos.
      Bandidos competentes no poder são mais capazes de barrar processos e investigações, doque os bandidos mequetrefes e incompetentes, ou os ignorantes úteis. Mas isso não quer dizer que devamos votar no incompetente para evitar o competente. Cabe ao país buscar melhorar a qualidade e os padrões dos políticos eleitos, e esse processo leva tempo, e é imperfeito. A base para ele, no entanto, é a estrita observância das leis pelos políticos em cargos eletivos. A Dilma errou na estrita observância da lei fiscal, e isso coloca ela no banco dos réus. Se o fez por incompetência, ou por achar que estava fazendo o certo, isso só serve para a consciência dela. Para nós, interessa o fato objetivo, e os efeitos mensuráveis.

  3. Maurício Freitas disse:

    Dilma cai pelo conjunto da obra e pela falta de capacidade de dialogar. Agora, não se pode imputar a ela os erros que o PT cometeu e que ela teve engolir. A questão é simples: a forma dela se salvar seria se afastando do PT e de Lula e ela ensaiou esse movimento em várias vezes, inclusive gerando distância de Lula. As conversas entre Lula e Dilma, só eles são capazes de descrever, mas o que transparece é que houve algo do tipo “faça tudo para me salvar” e ela tentou com aquela nomeação polêmica. Por outro lado, não se pode deixar de atribuir a Eduardo Cunha a situação caótica que o país atravessa, pois como presidente da câmara ele votou o que quis e sempre contrariando o interesse do congresso. Dilma pode até não ser inocente, mas há mais culpados do que ela.

  4. Gustavo disse:

    Achei a análise bastante coerente aos fatos que nos cercam. Dilma não escuta nem nunca escutou ninguém (mesmo antes de ser presidente da república). Só foi escolhida e conseguiu se eleger porque não havia mais nenhuma opção (Dirceu, Palocci, Genuíno e tantos outros petista de relevância estavam impedidos).

    Não se governa um país apenas pela força ou convicção das idéias (sejam elas certas ou não). Em política é necessário dialogar, é necessário se fazer presente e muitas vezes é necessário ceder. Ninguém avisou isso à Dilma. Ele governou com base na mão de ferro e colocou ao seu lado apenas aqueles que diziam sim às suas vontades.

    Não tiro o significativo peso do Eduardo Cunha que com o Centrão impuseram tantas derrotas no congresso, mas FHC e Lula tiveram as mesmas dificuldades (o PT fazia oposição ferrenha às pautas do FHC) e o PSDB, DEM (antigo PFL) também não deram moleza pra Lula (ele perdeu a CPMF). Ainda assim nenhum deles cometeu os erros de Dilma.

  5. Wellington Alves disse:

    República bem verde e amarela – república de bananas. Parabéns Kennedy, pelo texto coeso e direto.

  6. Mauro disse:

    Nesse momento o tom do discurso já está dado: VITIMIZAR-SE.
    Dilma Roussef usa aquilo que seria um bom momento para ela e para o Brasil, para colocar-se como uma coitadinha, vitima de tudo e de todos.
    Um bom começo é dizer que Dilma nunca lutou pela democracia e sim para implantar um regime comunista no Brasil e portanto de vitima da ditadura, ela não tem nada.
    Culpa a base que tinha no Congresso; a imprensa; os empresários e todos que não concordam e não concordaram com seu estilo de governo e com todo o erro e crimes que ela cometeu.Ela não se responsabiliza por nada!
    Depois desses 15/20 minutos de discurso vazio e sem qualquer “mea-culpa”, só me resta desligar a televisão e ter a certeza absoluta de que o banimento do cargo e da vida politica para essa senhora, será o passo mais acertado que esse pais já deu em toda a história republicana. Não tenho mais qualquer dúvida de que o Brasil ganha; o povo ganha; a honestidade ganha e a democracia ganha de goleada!

    • Wellington Alves disse:

      Claro que a democracia ganha… Você teve tanta oportunidade quanto eu de escolher o destino dela… #SQN

      • Mauro disse:

        Voce verá o resultado que o PT terá nas próximas eleiçoes e ai descobrirá o tamanho da indignação do povo brasileiro!
        O PT, tem origens comunistas; bases comunistas e apoios comunistas e não me consta que nenhum pais do mundo onde ainda impera o comunismo, seja democrata, assim como não é a amada Venezuela, vitima de um regime ditatorial extremo e sanguinário, mas que o PT sempre apoiou, aplaudiu e inclusive mandou recursos públicos brasileiros, para lá!

        • Wellington Alves disse:

          Qual a tua participação nesse processo? Você pode escolher diretamente sobre o afastamento dela? O que eu estou vendo é uma decisão indireta. É assim, meu caro, que funcionam as repúblicas comunistas. Que pena que atualmente não há um partido comunista no poder, mas essa farsa está acontecendo dessa forma… Está acontecendo exatamente aquilo que vc tanto teme… Abra a mente…

  7. Ray Magno disse:

    Não sei porque tanta enchouriçada. Mas que pretextos de pedaladas e créditos suplementar nada. Vamos parar com isso!

    Seria possível continuarmos com tantos desatinos, tantos roubos e mentiras? Será que todos os acusadores da delação mentiram e os dois presidentes petistas são anjos injustiçados? Será que nossa saúde, educação, moradia, salários, segurança e INSS não estão caóticos, horrorosos, pornográficos?

    Isso é o quê, senão uma desorganização monstruosa de um partido de muitos escândalos que priorizou a ajuda externa a governos tiranos e nos deixou à mingua? E onde estão os retornos dessas manobras?

    Primeiro o impeachment com muita justiça, depois a dissolução do PT. E fim desse capítulo vergonhoso da história do Brasil!

    • Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

      Ray, bom dia.
      Concordo com você; essa farsa só demonstra que esses esquerdopatas querem apenas perpetuar-se no poder, que se dane o contribuinte.
      Quanto a financiar tiranias amigas… é falta de higiene ideológica !

  8. Adriano Barros disse:

    CONVERSA! O maior problema de Dilma com o Congresso foi a total DISSONÂNCIA de caráter! De um lado uma mulher digna, honesta e legitimada pelo voto. Do outro, um parlamento corrupto em sua quase totalidade. SÓ ISSO!

    • Anafilófio disse:

      Bem, eu não conheço Dilma pessoalmente como você, não posso afirmar que ela é digna e honesta, de fora só vejo incompetência e arrogância. Humm, e o congresso – não parlamento – também foi legitimado com o voto, assim como Temer. Apenas para sua informação, nem todos sabem o óbvio.

      • Adriano Barros disse:

        Ô, inteligente, parlamento é a “assembleia dentro da estrutura governamental composta por membros eleitos. Geralmente, detém as funções de legislar (criar normas jurídicas), representar o eleitorado e controlar/supervisionar o governo.”. Parlamento não é sinônimo de “regime parlamentarista”, mas sim um termo universal para designar a casa legislativa, que no Brasil chama-se Congresso Nacional, na Inglaterra é a Câmara dos Comuns, na Suíça é a Assembléia Federal, noutros países é a Câmara ou Casa dos Representantes e etc, etc e tal… De fato, e como vc disse, NEM TODOS SABEM O ÓBVIO, mas se metem a opinar a respeito!

        • Anafilófio disse:

          Aqui chama-se congresso, não importa que seja um parlamento. Quem falou em parlamentarismo? E seja mais educado por favor, de grosserias já bastam as do ex-governo.

  9. Nilson Chavier disse:

    Dilma cai pela incompetência de se envolver com maracutaias, politicagens. Lula, sem dúvida, estaria lá… forte e firme. Mas concordo! Foi incompetência, uma leitura ruim e certa empáfia de Dilma os responsáveis por sua queda, além de, claro, um péssimo time de conselheiros e assessores. Se o congresso é composto por ladrões deveria ter conversado com Ali Babá. É a forma de se fazer política por aqui e não vai mudar por longos anos. Sabotagens, difamação, tropeços postos à frente. O Congresso Nacional foi conquistado pelo “baixo clero”, um grupo de abnegados a privatizar o público diuturnamente, intelectualmente rudes mas conhecedores profundos das tramas diabólicas em nome de Deus. Não abrirão mão do que conquistaram. São piratas, na verdade, e a nossa democracia está longe de tirá-los de lá. Rechaçarão toda e qualquer reforma política que lhes seja desfavorável. Prevalecerão, infelizmente.

  10. Pedro disse:

    Ótimo comentário, como sempre.
    Só acho um pouco infeliz a escolha do título, pois você enfatiza coisas bem mais importantes no seu comentário. Fui compartilhar e por conta do título achei que eu tinha que colocar trechos mostrando o que realmente é debatido no texto: “Não é normal numa democracia. É sintoma de doença”

  11. Marcio Leal disse:

    Qual a lei que diz que erro na política é motivo para impeachment?
    Quem não se pauta pela lei é um pária da sociedade. Ou criminoso. Escolha.

  12. João Alves de oliveira disse:

    Como já disse em outras oportunidades de que não sou Petista, Lulista e nem Dilmista, inclusive voltei nos candidatos do PSDB e seu candidato Aécio Cunha Neves para Presidente da República, esperava que os mesmos e os demais que querem a deposição da Presidente Dilma através de um golpe disfarçado de impeachment respeitassem o resultado das urnas, assim como fez Abraham Lincolh que perdeu varias eleições para presidente dos Estados Unidos, respeitou o resultado das urnas. Assim, como fez LULA que perdeu três vezes as eleições para Presidente da República, mas não praticou nenhum golpe, pelo contrário respeitou o resultado da urnas e acabou sendo eleito Presidente da República, inclusive fez sua sucessora. É, lamentável que uma mulher que enfrentou a ditadura sendo torturada, chegou a Presidência da República por duas vezes pelo voto popular, que procurou fazer o melhor pelo PAÍS e seu povo, mas ser julgada e cassada por pessoas envolvidas em denúncias na LAVA JATO.

    • ANTONIO VIEIRA disse:

      Meu caro joão Alves de oliveira, faça-me o favor! Dizer que votou no PSDB. Você está brincando ou achando que todos nós somos analfabetos políticos. Quero chamar a atenção de todos os senhores para a tragédia que aconteceu hoje na Barra da Tijuca, no Condomínio Pedra de Itaúna, onde um chefe de família desesperado com a situação que estava vivendo, deu cabo da vida de seus familiares, mulher, filhos, e depois deu cabo da própria vida. De quem é a culpa? Minha? Tua? ou da incompetência covarde de quem nos levou para o fundo do poço. Pergunto? Quantas outras famílias já se desagregaram ou se esfacelaram por conta dessas ações desgovernadas. Vamos, pelo amor de DEUS, abrir os olhos para enxergarmos, pelo menos, uma luz no fim do túnel.

  13. Eduardo disse:

    FHC e Lula sobreviveram aos seus mandatos porque fecharam os olhos para a corrupção histórica.Os erros que ela possa ter cometido serviram apenas de pretexto para a sua queda em um momento em que ela teve a coragem de dar carta branca pra abertura desta caixa de pandora pelo qual a classe política não está preparada.Daí pra entrada em ação de uma propaganda de guerra pra sua derrubada foi um pulo.

  14. Elias Supino disse:

    Totalmente inviável que ela permaneça…vamos virar a pagina

  15. DONG disse:

    Porque todo culpado(a) se declara inocente???
    Viva o parlamentarismo.
    É a Melhor forma de governo. Sem duvida não tem outra.
    Se não fosse o impeachment e a Lava Jato, não sei o que seria do Brasil.
    Presidencialismo já era.

    • Wellington Alves disse:

      Viva ao parlamentarismo. Certo, você sabe que o governante nesse sistema pode se perpetuar desde que sempre tenha maioria? Onde irá parar a alternância? Eu não quero abrir mão do meu direito de eleger o CHEFE DE GOVERNO.

  16. Alberto disse:

    No Senado a afastada leu discurso cenográfico costumeiro.Réquiem.

  17. Zacca disse:

    Discordo Kennedy, a Dilma não cai, a democracia e o presidencialismo é que caem e estão sendo estuprados tentando-se dar uma falsa legitimidade a isto.
    Como disse acertadamente disse o Requião, é de fato, um simulacro de julgamento.
    Claramente ão se sustenta juridicamente, mas sobra apenas a parte política.
    Os que claramente sabem disto (você inclusive) e se negam a mostrar explicitamente e declaradamente compactuam com o que está por acontecer no Brasil.
    Nosso futuro, nossa segurança, liberdades e independência estão claramente ameaçados.

  18. Anafilófio disse:

    Kennedy, uma vez apontada como a maior culpada (Dilma), ou bem o congresso cumpre seu papel constitucional e leva adiante este processo político – que deve ter um gatilho “criminal”, e tem – ou se comporta como um parlamento golpista – o que não é verdade -, as duas coisas não podem ocorrer ao mesmo tempo e no mesmo processo, processo este que tem o aval do STF composto majoritariamente por membros indicados por Lula e por Dilma (PT). Confirmados os atentados à LRF o gatilho se materializa, os congressistas são apenas as balas. Outros presidentes cometeram os mesmos crimes, sim, mas não criaram as condições para o processo político, a “culpa” como você bem diz.

  19. Izaias Santos disse:

    Estamos numa situação em que a única coisa a se fazer é uma Constituinte para tratar de uma vez por todas da Reforma Política. Infelizmente ela é hoje a reforma que o país mais precisa. Concordo com o Kennedy de que a Dilma é a maior culpada mas o Temer vai durar até quando? Mais uma vez eu não sei quem vai ganhar com tudo isso, só sei quem vai perder – O Povo brasileiro.

  20. ANDRE disse:

    Kennedy, independente de tudo que você falou ou vem falando a sua frase abaixo
    “Ela foi o principal agente histórico da própria queda. Ninguém contribuiu mais para o impeachment do que ela mesma.”, ficaria correta se fosse “Ela foi o principal agente histórico da própria inviabilidade de seu projeto político. Ninguém contribuiu mais para a derrota nas urnas do seu partido do que ela mesmo…” Isto seria o correto em um país que se respeita e respeita as instituições. Aonde está escrito na constituição que somos parlamentarista? Isto só está escrito na cabeça dos imorais da câmara de deputados, que mancham sempre a história do Brasil, que sempre mataram este país, foi assim com Getúlio em 54, foi assim com Juscelino em 56 (mas este não caiu), foi assim com o Jango em 64 e está sendo assim com a Dilma.

  21. Fernando disse:

    Haveria maior crime de responsabilidade e maior golpe contra a democracia do que usar da mentira para praticar estelionato eleitoral contra os 54 milhões de eleitores que a fizeram chegar lá? O Brasil que ela mostrava em sua campanha só existia no mundo dos marqueteiros que a cercavam!

  22. Ailton Apolonio dos Santos disse:

    O tempo será o senhor da razão !

  23. Itamaraty Em Chamas disse:

    A Dilma errou, no mínimo ao confiar em ministros e assistentes incompetentes a análise da legalidade dos atos que queria realizar. Isso a deixou exposta ao processo de impeachement. O resto todo que se discute, da intenção da presidente em burlar os processos, do apoio continuado e irrestrito às práticas de contabilidade criativa e orçamento criativo, e agora, contigenciamento criativo(contingencia de um lado, faz decreto liberando verba do outro ignorando o processo legal correto, e termina dizendo que não cometeu crime porque o decreto não funciona por causa do contigenciamento… Fez o decreto para quê, exatamente, então?) Se a crise econômica é culpa da barbeiragem dela e do Lula nos últimos 10 anos, ou se ela fez coisas erradas para proteger o emprego isso não está em julgamento. Ninguém discute a necessidade do plano safra. Oque se discute é a farsa que causou o descumprimento da lei. A mentira continuada vazou para um crime de responsabilidade.

  24. Mauro disse:

    Em qualquer penitenciária do mundo, em que se possa fazer uma enquete, 100% dos seus internos se declararão inocentes, vitimas do sistema, vitimas de perseguição, ou simplesmente que foram mal-entendidos por alguem ou pela sociedade.
    O ser humano é manipulador, mentiroso e hipócrita por natureza e em algum momento da vida vai deixar esses “dons” aflorarem mais ou menos diante das circunstâncias e fatos.
    A maioria das pessoas se polìcia e mediante a primeira acusação, retrocede, assume seus erros e tenta agir de maneira a ser aceito em sociedade. Há um freio moral e de convençoes, que segura a maioria, mas nem todos, pois alguns continuam a errar e sempre arrumar desculpas externas para seus crimes, erros ou fracassos.
    Dilma Roussef é resistente a admitir culpa, pois sempre os outros é que são culpados e em verdade o povo inocente é que paga pela sua falta de admitir seus erros. Tenho pena dela!

  25. John disse:

    Não tenho a menor dúvida de que Dilma faz muita, mas muita coisa errada na condução do país. Por outro lado, nós estamos todos vendo o que a “habilidade de lidar com o congresso” de Lula significou na prática. É enojante pensar que Dilma está sendo tirada de seu cargo não por seus erros na condução do país, já que os que julgam ela não estão minimamente preocupados com isso, e sim justamente porque não quis fazer a “vista grossa” pra sujeirada que seu antecessor fez. Fora isso, o grande problema, pra mim nessa história toda, é que eu realmente não gosto da Dilma, mas sinceramente, gosto MUITO menos daqueles que estão contra ela. Política no Brasil sempre foi algo triste, mas este período está sendo especialmente desanimador.

  26. Ale disse:

    Em nenhum país parlamentarista que eu conheço, inclusive aquele onde vivi por 40 anos, um simples voto de desconfiança entrega de forma automática o poder a oposição. Para que isso ocorra é sempre necessário a passagem previa pelas urnas, é por isso que nesses países são comuns eleições antecipadas. A tomada de poder por parte da oposição sem o respaldo das urnas seria chamada de golpe de estado e atentado a constituição. É querer desinformar insistir na comparação do impeachment com o parlamentarismo, os dois não tem nada a ver se se arrisca de legitimar a oligarquia em substituição da democracia como forma de governo.

  27. Marcus Marx disse:

    O que é “errar” na política brasileira? Não ceder ao “jeitinho brasileiro”? Não entrar no jogo do “toma lá dá cá”?

    Eu acho que de tanto vermos isso acontecer, achamos normal. Mas não é! Pela primeira vez um político tentou romper esse costume colonial que temos desde 1500. E não conseguiu porque sua própria população aceita a prática.

    Um dia a história vai nos mostrar que Dilma foi uma luz em um túnel escuro e profundo. E nós, “sábios”, a apagamos.

  28. Ricardo Gomez Filho disse:

    Kennedy,
    é preciso destacar que o tal “erro político”, neste caso, foi o de não se submeter a Eduardo Cunha e os mais de 100 deputados que ele tem nas mãos. É melhor sair com honra, Dilma. Outra coisa: seu cálculo sobre queda de presidentes está errado. Não é um cálculo que se faça por nomes, mas por governos. Dilma cumpriu um mandato. Ou seja, pós retorno da democracia, temos Collor/Itamar (2 anos cada); Fernando Henrique Cardoso (dois governos, 8 anos); Lula (dois governos, 8 anos); Dilma (dois governos, 5 anos e meio ou pouco menos que isso).

  29. Gustavo disse:

    Caro Kennedy,
    analiso sua afirmação:
    “Nos últimos dias, ouvindo depoimentos de testemunhas e informantes e também os discursos de senadores contra e a favor do impeachment, fica evidente que existe uma dúvida razoável em relação ao cometimento de crime de responsabilidade.”
    A dúvida não paira sobre cabeças que sabem que ela é uma pessoa com formação guerrilheira e seu treinamento foi olhar para todos os lados e aproveitar todas as oportunidades dentro da (i)logica: OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS. Desculpa, mas o dolo poderia até servir para outros; para ela Não.

  30. EXPEDITO SALVADOR BARBARA disse:

    É UMA PENA QUE POLITICOS IGUAL AO CUNHA TENHA PODERES PARA DESTRUIR UMA NAÇÃO E NADA E FEITO POR CAUSA DO JOGO DE COMPADRES JA VAI 10 MESES E NÃO FOI NEM CASSADO E NEM JULGADO SE FOSSE DO INTERESSE DOS POLITICOS JA HAVIA SIDO JULGADO MAIS COMO E INTERESSE DA POPULAÇÃO QUE ESTA INDIGUINADA NADA FOI FEITO E SERÁ QUE VAI SER, ELES QUEREM O PODER NA MARRA NÃO NAS URNAS VERGONHA PARA UM PAÍS QUE SE DIZ DEMOCRATICO, PEDALADAS OU NÃO FOI PARA AJUDAR AOS MAIS POBRES, DUVIDO QUE HAJA UM POLITICO DAQUELES QUE JULGAM ONESTOS

  31. Antonio Luis disse:

    Acho incrível como tem gente que defende políticos, alguém escreveu que a Dilma era a luz no fim do túnel para os brasileiros.
    Balela essa de 54 milhões, 54 milhões contra uns 100 milhões uqe não votram nela e mais uns 30 milhões que votaram nulo.
    Brasileiro, tem que ir as Ruas independente de que partido seja o presidente.
    O Pt estava com o Cunha desde o primeiro mandato bem como o Temer, e de repente, quem era bom passou a ser mal por que derrubou a Dilma. Voces tiveram a chance de não por o Temer lá, sabe como ? não votando na Dilma, tenho 37 anos e sempre procurei saber quem são os políticos que eu voto. Renovação é a palavra. Falam que os os políticos são os corruptos, mas ainda assim votam sempre nos mesmos. Lula, Collor, Maluf, Ciro Gomes, José Sarney etc.pior ainda praticam endeusamento, idolatrarismo a eles. Todo político todos os partidos são culpados por o Brasil continuar sendo Brasil. Fora Dilma, Fora Lula, Fora Cunha, Fora Temer, Fora Maluf, Fora Marta Suplicy e etc

  32. luis antonio souza disse:

    Muito bom Kennedy, mas o culpado da “democracia” estar dessa forma é também muito culpa nossa, eleitores, que mesmo sem reforma política precisamos participar mais. Pois como pode um Cunha, Renan, Collor, Lobão, Maluf, etc, estarem exercendo cargos públicos da mais alta relevância?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-27 20:16:00