aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
15-11-2013, 10h02

Dilma estuda endurecer proteção na Amazônia

Após elevação do desmate de 28% em 2013, governo deve aumentar lista de cidades com fiscalização mais rígida
17

A presidente Dilma Rousseff estuda ampliar o número de municípios na Amazônia que devem ter uma fiscalização mais rígida e um monitoramento prioritário para evitar desmatamento.

A medida deverá ser tomada em resposta ao aumento de 28% em 2013 na devastação na Amazônia, taxa antecipada ontem pelo blog. Esse crescimento interrompeu um processo seguido de queda de quatro anos. Daí a necessidade de endurecer a fiscalização.

Atualmente, o Ministério do Meio Ambiente tem uma lista com 52 municípios em que há acompanhamento. A lista é dividida em cidades com desmatamento monitorado e outras chamadas de prioritárias.

Há 11 municípios com desmatamento monitorado. São os casos mais preocupantes e todos ficam no Pará e no Mato Grosso, os dois Estados que mais contribuíram para o péssimo resultado de 2013. Outras 41 cidades têm o chamado acompanhamento prioritário.

A medida em estudo no governo é elevar o número de cidades que precisam de monitoramento do desmatamento e também as que devem ser fiscalizadas prioritariamente.

O resultado de 2013 foi péssimo. Uma elevação de quase 30% deverá dar argumento para Marina Silva dizer que o governo Dilma tem a marca do “retrocesso ambiental”, como afirmou a ex-senadora em entrevista ao “10 Perguntas”.

A principal causa do crescimento do desmatamento foram obras no Pará. No trecho da BR-163 que foi asfaltado, o preço das terras no entorno explodiu. Houve grilagem e devastação para especulação imobiliária. Há forte desmate no entorno da obra da usina de Belo Monte, no Pará. Mato Grosso também teve aumento na derrubada de árvores, mas ele foi mais significativo no Pará.

A ministra Izabella Teixeira diz que não houve culpa do novo Código Ambiental. Segundo ela, antes, com regras velhas, o desmatamento era maior. Ora, o desmatamento vinha caindo havia quatro anos seguidos. Aprovou-se o código com anistia. Qual a leitura do desmatador? Posso desvastar que nova anistia poderá ser dada pelo lobby ruralista no Congresso, avaliam os ambientalistas, com certa dose de razão.

O fato é que, em 2013, o governo perdeu a batalha para os desmatadores na Amazônia. Essa notícia terá impacto na disputa eleitoral e na imagem internacional do Brasil e da administração Dilma.

* Clique aqui e veja a lista completa das cidades na Amazônia com fiscalização especial

Comentários
17
  1. julio disse:

    Nosso Brasil tem muitas leis e pouca fiscalização e ainda corrupta,então o que esperamos?

  2. Carlos Augusto disse:

    è ano de eleição, acreditem se quizer, é sempre assim, que o povo que se dane.

  3. ary disse:

    A incompetencia de nossos administradores é um fato. Vejamos Dilma LULa etc. não conseguem administrar o pais com pulso forte, são covardes , politicos, medrosos ou ineptos, jamais deveriam estar aonde estão, suas presença é perniciosa, o PT. no governo é um atraso ´para o pais , para piorar . temos um prefeito que ao invez de melhorar a situação dos paulistanos, aumenta sem dó ou piedade o IPTU, Pra que serve os vereadores? cambada de de aproveitadores. são uns cagão.

  4. Aparecido Gomes de Oliveira disse:

    Por que o governo federal não corta as verbas dos Estados e Municípios que mais permitem os desmatamento?.ds

  5. Antonio Tarciso Alves de Moraes disse:

    A Lei é um tanto quanto confusa sobre quanto se deve desmatar, principalmente na Caatinga. Faço, à duras penas, um pequeno trabalho de preservação, no município de Uauá-BA, mas vejo ao meu redor, desmatamentos desenfreados. Quanto mesmo se deve desmatar? Não há de se ter alvarás para qualquer desmatamento?
    Solicito, por gentileza, uma resposta, se possível no meu e-mail.
    Sds
    Antônio Tarciso Alves de Moraes

  6. Alberto disse:

    Dilma deveria estimular o desmatamento e colocar no lugar soja e capim, cacau, cupuaçu, dendê… que sustentam a economia do Brasil e é responsável pelo superávit comercial do Brasil e das reservas monetárias da nação. Sem o agronegócio o Brasil estaria falido há muito tempo.
    Os EUA e a Europa desmataram tudo e promoveram seu desenvolvimento econômico e a fartura de alimentos no mundo. NINGUÉM COME FOLHAS DE ÁRVORES. Infelizmente Dilma fez acordo com o Governo Mundial contra o Brasil.
    As reserva monetárias do Brasil de 400 bilhões de dólares não tem um único centavo do setor industrial que é deficitário na balança comercial brasileiro. Dilma quer matar a galinha de ovos de ouro do Brasil.
    Quer exportar irresponsavelmente, de forma predatória, todo nosso minério de ferro, enchendo os bolsos dos acionistas, atividade que não paga imposto das exportações (Lei Kandir) ficando somente um buraco no solo de um bem natural NÃO RENOVÁVEL.
    EUA produzem 600 milhões de toneladas de grãos – Brasil 148 milhões.

  7. Márcio Andrade disse:

    um governante que não leva a sério um projeto de conservação ambiental está omisso em preservar a civilização da qual faz parte, e diante disso vem a pergunta que não quer calar: vale a pena continuar na administração do poder ???????

  8. eduardo lopes justo fernandes disse:

    Embora somo esperançosos em ver avanço na queda por desmatamento ainda é grande as areas territoriais a serem monitoradas então o que adianta esperar a destruição para ser feito as tais mudanças que supostamente visa sanar este problema que insiste em ser esquecidoe só é lembrado em epoca de eleição. Me lembro de quando a ex ministra marina silva era a gestora desta questão nos primeiros anos de mandato do Lula e vi com negativa sua escolha pois bem ela não terminou seu mandato do cargo por ver que sua voz era calada e suas metas nunca eram alcançadas.Então!não adianta combate se não tem monitores pra fiscalizar esse imenso território.

  9. Rogerio Barbieri disse:

    Ainda vai estudar… aquilo la ja devia estar na mao do exercito a muito tempo… inves de gastar dinheiro com estadios.. poderia construir uma base do exercito bem no meio da floresta… e ai tolerancia zero contra o desmatamento…

  10. Heloisa disse:

    Se a cada ano de seu governo mandasse plantar árvores no lugar de desmatamento….não teria que vir agora com a demogogia de “endurecer”….eleição faz coisas do arco da velha!!!!

  11. Antonio Carlos Navarro disse:

    Será que está fiscalizando mesmo . Empresas Canadense vão levar nosso ouro e deixar-nos de presente índios e animais a sua própria sorte e uma Amazônia devassada com solo revirado e rios contaminados. Os canadenses já estão comemorando os bilhões de dólares que vão ganhar, a custas dos brasileiros que ainda vão financiar a destruição da Amazônia pelo BNDS.

  12. Osvaldo Ribas disse:

    Vai acabar vendendo a Amazônia a preço de banana para os comunistas chineses.
    Quantos anos estes comunas do PT estão no poder e não fizeram algo contra o desmatamento, agora que vem eleição começam a falara que vão fazer.
    Só louco pra acreditar.

  13. josé p. passos disse:

    Na hora de usar o poder doado, pelo povo, a senhora só usa para proteger seus afins, mensaleiros, mas atitudes patriotas nenhuma!

  14. Ises Ramos disse:

    Mais um governo do PT,e a Amazonia vai virar deserto.

  15. Fernando M.A. disse:

    A melhor forma de começar a combater o desmatamento é a partir de legislação, fiscalização e educação, porém os dois últimos não funcionam se o primeiro é falho.
    Com o novo Código Florestal abriu mais brechas para desmatar, inclusive da dita anistia, portanto agora fica complicado inibir o desmatamento, pois o potencial é maior, inclusive de onde não tinha nenhum.
    Claro que com um fiscalização maior pode-se evitar algum desmatamento, porém a chance de reduzir em relação a curva anterior é praticamente improvável. Vai ter uma queda, mas com uma curva diferente e menos acentuada.

  16. Romeu Carlos Machado disse:

    E SÓ PAGAR PARA QUEM PRESERVA, DUVIDO QUE ALGUÉM ALGUÉM VAI DERRUBAR, MAS O ÚNICO PROBLEMA É QUE O GOVERNO QUER TOMAR A TERRA DE QUEM TRABALHA E ESSA A MELHOR DESCULPA QUE ELES PODEM TOMAR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-29 09:11:30