aki

cadastre-se aqui
aki
Entrevistas
08-04-2019, 20h42

Doria diz que Bolsonaro tem “início claudicante”

Reforma previdenciária de R$ 800 bi será ganho, crê tucano
9

Kennedy Alencar
BRASÍLIA

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que Jair Bolsonaro teve “início claudicante” na Presidência da República. O tucano concorda com as críticas à articulação política do governo. Exemplo: não ter formado uma base parlamentar no Congresso em quase 100 dias de administração.

“Temos que ajudar o presidente Bolsonaro. (…) Temos de acreditar que ele possa se recuperar”, afirmou, durante entrevista nesta segunda ao “Jornal da CBN – 2ª Edição”. “O governo começa a ter consciência de que precisa melhorar a sua base, a sua articulação política no Congresso Nacional.”

Para Doria, se uma reforma da Previdência economizar R$ 800 bilhões em dez anos, será um bom resultado. Ou seja, ele sinalizou que o PSDB deverá trabalhar para desidratar a proposta do ministro Paulo Guedes, que prevê economia superior a R$ 1 trilhão em dez anos.

Segundo o tucano, uma economia de R$ 800 bilhões em dez anos “será um ganho muito expressivo para o Brasil, para o controle fiscal”.

O governador disse que apoiará a reforma previdenciária sem contrapartidas. Ou seja, sem condicionar o suporte a cargos ou verbas. No entanto, afirmou que o Estado de São Paulo faria suas reivindicações à União.

O tucano afirmou que apoiará a reeleição do correligionário Bruno Covas se o atual prefeito da capital paulista decidir concorrer no ano que vem.

O governador de São Paulo também disse apoiar a flexibilização da norma sobre legítima defesa nos termos defendidos pelo ministro Sergio Moro (Justiça), “uma pessoa sensata, equilibrada”.

Para Doria, Moro “não é ativista de extrema-direita”. O governador disse que o entendimento de Moro sobre legítima defesa não significa “licença para matar” e criticou o fuzilamento ontem de uma família por militares no Rio de Janeiro.

Ouça a entrevista, na qual Doria prometeu priorizar na gestão paulista as privatizações e a retomada de obras paradas:

Comentários
9
  1. Adilson Dias da Silva disse:

    Promessa de campanha, estou esperando a posição do Presidente Jair Bolsonaro sobre a tabela de imposto de renda.

  2. Jader Martins disse:

    Algum comentário sobre o assassinato com 80 tiros??????

  3. Georges disse:

    Recuperar de quê? Da facada? Porque se for de governo…nem começou.

  4. walter disse:

    “No Dia que qualquer mudança, for vista, como um avanço, caro Kennedy, estaremos a caminho do primeiro mundo”; o Dória tem sim ótimas ideias, as privatizações, são bem vindas; ainda tenho a impressão, que suas ações, são comandadas do além, embora seus discursos, sejam contundentes, deixa a grande maioria, com muitas dúvidas, por ter deixado a prefeitura, nas mãos do “bebê Covas”; tem se a impressão, que suas ações são lentas, ao anunciar que vai tapar buracos, e arrumar pontes, nós parece redundante…quanto ao Bolsonaro, tem 100 dia de governo, com sua Saúde em metade deste tempo, prejudicada; primeiro mandato diferente…certos acertos, são naturais..os problemas herdados, são imensos…teremos que aguardar, para ver, isto é o que o bom senso determina, por tratar se de um eleito, que vem sendo perseguido, por parte da imprensa, como um super star; a maioria dos brasileiros, depositam confiança, em suas medidas, e isto tem valor absoluto…

  5. Miguel Ângelo disse:

    Dória não quer nada para ele. Só quer depois, se aprovada a Demolição da Previdência Social, uma ajuda a SP. Witzel não quer nada para ele também. Possivelmente pedirá só uma ajuda ao RJ. Mas com isto, políticos destes Estados, que mais receberam verbas federais em toda história do Brasil (Monarquia, República), sinalizam um mal maior para todo o Brasil. A Reforma da Previdência criará menor poder de compra. Aumento de idosos doentes nos hospitais da rede pública. Pessoas morrendo pelo Brasil sem remédios e atendimento médico. E que nos interessa o que darão a SP, RJ, MG, BA, SC, RS, PR. Mais verbas para eles em troca da miséria nos demais Estados do Brasil. O Brasil na busca de um Salvador, encontrou um Suicida. Não suicida dos políticos e militares de pataca, pois eles se multiplicam dia a dia no governo Bolsonaro. Suicida de um Brasil melhor, mais justo, menos desigual. Em 2022, Dória, Witzel, Moro, Bolsonaro presidente? Nunca!. Seriam + anos de insanidade política. Acorde Brasil!..

  6. Miguel Ângelo disse:

    100 dias de Desgoverno Bolsonaro. A Estatística diz muito sobre isto. 12 promessas cumpridas de 58 pronunciadas, 20%, Temer com auxílio dos carrascos do golpe ao seu favor 15%, Dilma 9%. Das parcialmente cumpridas: Bolsonaro 7%, Temer 10% e a Dilma 42%. Não cumpridas: Bolsonaro 69%, Temer 70% e Dilma 47%. Com todo Congresso ainda se contorcendo para achar lugar, uma das maiores bancadas de políticos, e o que é favorável ao presidente no início de mandato, Bolsonaro saiu na frente sim: cumpriu 20%, mas perdeu nas demais observações expostas hoje no Globo. E pergunta seria: Do que fez, quantas promessas foram impactantes positivamente ao Brasil? Quantas são importantes aos brasileiros e suas próximas gerações? Nenhuma! As viagens são catastróficas e caras. Já que leva a família para fazer besteira juntos. Na economia, ofende os Russos, cutuca com vara minúscula a China, não enxerga a Índia e África do Sul. Zomba do Mercosul. Na/De educação, até erra a pronuncia do que diz. E tem mais….

  7. Miguel Ângelo disse:

    Qual é a inverdade sobre a Reforma da Previdência? Ela por si só, não ajuda a economia. E não devia entrar em pauta antes de uma Reforma Tributária. Dizem que vão economizar um misero trilhão em 10 anos. Hoje sabemos que nas negociações e ajustes desta Reforma da Previdência, que é pior e muito do que propôs o ex-presidente Temer, 800 bilhões em 10 anos – Talvez. Se os próximos governos levarem ela em sua totalidade para frente. Bolsonaro empresários sonegam 33% do que produzem. Pede ao Guedes para calcular quanto entraria de recursos se o pagamento dos tributos fossem diários, ou no dia seguinte ao fato gerador da venda/serviços negociados. Dê aos 3 poderes a previdência que eles merecem em função do bolo financeiro. A aposentadoria civil, não deve ser calculado somente observando alíquota no salário e folha de pagamento. Todos tem CPF. Alerte sua equipe econômica que façam cálculos com base também nas contribuições sobre a receita bruta e consumo familiar. Assim, você verá que…

  8. Miguel Ângelo disse:

    crianças no ventre da mãe contribuem antes mesmo dos 16 anos, como foi determinada pela Reforma Trabalhista, já contribuem em parte ao INSS. Aposentados contribuem mesmo isento ao INSS. Trabalhadores Rurais, além da contribuição que pagam, também como crianças consumidoras via família já eram contribuintes do INSS. E pasmem, até os mortos contribuem para o INSS. Pela manutenção dos cemitérios públicos, que paga o coveiro, pelas taxas de manutenção que se paga. Nos cemitérios privados então, como um morto paga INSS, já que as taxas são de valores consideravelmente altos, comparados aos dos serviços públicos. O governo de Bolsonaro, não sabe calcular o que entra de recursos no INSS? Publiquem quais são os recolhimentos e quais contas públicas registram contabilmente estes recursos. Assim, se Guedes não conseguir, nós universitários damos uma mãozinha. Qualquer governo tem que cobrar 1º os tributos e penalizar os sonegadores. A Reforma da vez seria a Tributária. Como erra o MICO.

  9. Miguel Ângelo disse:

    Como para todo cálculo se considera a idade. Deveria se observar – 9 meses no ventre da mãe, de zero anos até a idade de aposentadoria + tempo em anos de pós aposentadoria. Se o governo acha quer te aposentar com 65 anos (e ajustes para mais com certeza), e que tenha 20 anos de pós aposentadoria. Você contribuirá 87 anos. Não somente o tempo que tem de carteira assinada. Se paga jazigo. Enquanto teus herdeiros mantiverem ele ativo, ainda será contribuinte do INSS. Se não fazem esta conta, só se tem um motivo. É que se você enxergar isto, que é uma realidade tributária para qualquer um (pobre/rico) verá que por trás destes recursos tem um governo que tira mês a mês 30% dos recursos para gastar erradamente; 33% é sonegado por ricos e milionários, nas empresas. E para qualquer político preguiçoso é mais fácil cobrar do povo do que exigir que paguem os tributos os empresários sonegadores, e que se prenda os empresários corruptores. Pior do que políticos corruptos é esta turma que os criam.

Deixe uma resposta para Miguel Ângelo Cancel reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-04-19 03:39:24