aki

Kennedy Alencar

cadastre-se aqui
aki
Política
25-08-2015, 9h32

Dubiedade de Temer reflete divisões peemedebistas

PMDB não é para principiantes; insatisfação do vice é alerta a Dilma
13

Postado por: Daniela Martins

Como dizia Tom Jobim, “o Brasil não é para principiantes”. O PMDB também não. É a legenda com mais nuances da política brasileira. A dubiedade do papel de Michel Temer (PMDB) na articulação política reflete as divisões do PMDB, além da insatisfação real do vice com a presidente Dilma Rousseff e com ministros.

Temer quis dar um recado à presidente de que não aceita atuar como negociador de cargos e emendas parlamentares se a Casa Civil de Aloizio Mercadante e outros ministérios não respeitam os acordos feitos por ele e pelo ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, integrante do PMDB gaúcho que o auxilia nessa função.

O gesto de Temer atende a uma ala do PMDB, sobretudo da Câmara, que prega a ruptura do partido com o governo. Ao mesmo tempo, contempla outra facção, do Senado, que se reaproximou da presidente Dilma Rousseff e que avalia que um afastamento completo do vice da articulação política daria gás à tese de impeachment e poderia parecer uma vitória do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

É nesse contexto que deve ser entendida a versão de que Temer tratará da macropolítica, que são articulações maiores, de votações de projetos, e não os chamados acertos de varejo, que são os cargos e as emendas parlamentares.

Para ilustrar essa macropolítica, Temer marcou reunião hoje às 11h, em seu gabinete, com líderes da Câmara para discutir a agenda de votações de interesse do governo na Casa. É uma reunião de articulação política.

Em conversa ontem, no início da noite, o vice-presidente da República negava a saída da articulação política. Dizia ter responsabilidade institucional e que não faria gestos para desestabilizar o governo.

No entanto, o sinal de alerta enviado por Temer foi perfeitamente compreendido por Dilma, a ponto de a presidente elogiar de forma enfática a lealdade do vice em entrevista concedida ontem a três jornais.

Voltando a Tom Jobim, o PMDB não é mesmo para principiantes. Se Dilma e os ministros petistas continuarem errando em relação a Temer, só vão acelerar um processo de afastamento do vice e jogá-lo nos braços dos rebeldes do PMDB, de Eduardo Cunha e da oposição.

*

Caiu a ficha

Ainda que com atraso, prevaleceu o bom senso na novela em que se transformou o pagamento de metade do 13º salário dos aposentados.

O ministro da Previdência, Carlos Gabas, já havia dito à presidente, na sexta, que o desgaste com os aposentados seria grande. De lá para cá, foi o tempo de convencer o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, a desistir de dividir em duas parcelas a primeira metade do benefício, que é paga todo ano em agosto. Essa metade será quitada em setembro.

O ministro da Fazenda sai chamuscado, mais uma vez, por pura inabilidade política. A crise com Temer e Padilha, que Dilma teve de administrar ontem, também teve contribuição de Levy, que, curiosamente, é socorrido pelos peemedebistas e dinamitado por petistas.

É mais um episódio que ilustra a enorme capacidade do governo de criar uma agenda negativa.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
13
  1. Edi Rocha disse:

    Com tantos jornalistas relatando os fatos, dando opiniões e informações de bastidores, como o governo pode ainda agir como se não soubesse o que se passa no cenário político?
    .
    O governo precisa entender que precisa fazer alguma coisa, que o país precisa andar. Onde o governo pretende ir (detalhadamente, por favor)? Cadê a objetividade?
    .
    Claro que existem muitos vilões na história, como o próprio Eduardo Cunha, mas o governo precisa ter uma base na câmara, projetos para o país e começar a governar. Até agora falta tudo isso.

  2. Luis disse:

    Na verdade ales ganharam sim um mês inteiro, pois o pagamento, nã sai agora no começo do mês,
    e sim quase outubro. uma manobra só pra Inglês ver.

  3. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Atrasar o pagamento da metade do décimo terceiro é de uma desfaçatez monumental. Especialmente quando o PT recoloca seus derrotados em prefeituras como a de São Paulo (Suplicy & Padilha), e o “obediente” Haddad aceita e encoraja essas práticas perversas.

    • Heloisa de Salles Meirelles disse:

      Concordo com você e acrescento … quem faz isso, pode perfeitamente CONFISCAR A POUPANÇA ! Faz parte do vale-tudo para justificar o “ajuste fiscal”.

  4. CBarros disse:

    Resumo da ópera: Dilma uma mulher séria cercada de picaretas por todos os lados. Aqueles que a criticam hoje mais tarde ainda se arrependerão.

  5. César disse:

    Ministro Levy, pule deste barco furado enquanto é tempo! O PT, só o está te usando, para ter um bode expiatório para culpar, pelo aprofundamento da crise. É só ver os manifestos da CUT e de outros movimentos sociais ligados ao PT, que o culpam, por tudo, isentando a Presidente Dilma e o ex-Presidente Lula, da culpa pela situação do país. Com este ajuste frouxo, a economia não vai melhorar no curto prozo. Esta crise vai longe! O tipo de articulação política que estava sendo feito, com a liberação de verbas e nomeações para cargos, nas empresas estatais, só agrava mais ainda a situação. Só para aprovarem as contas dos gastos do governo no ano passado, foram liberados $444.000.000,00 milhões de Reais, vinculando a sua liberação a aprovação do aumento dos gastos do governo, evitando assim que a Presidente Dilma Rousseff caísse na lei de responsabilidade fiscal, por ter gasto acima do limite do orçamento que o Congresso havia aprovado para aquele ano. Depois foi aprovado o aumento da verba partidária, que triplicou, passando de $289.000.000,00 para $867.500.000,00 milhões de Reais. Agora o motivo da desavença é a liberação de mais $500.000.000,00 milhões de Reais para os parlamentares da base do aliada votarem a favor do governo. Qualquer tentativa de aumento que favoreça o povo, logo é vetado pela Presidente, alegando que o país tem que fazer o ajuste fiscal para sair da crise. E quando o Ministro da Fazenda tenta impedir novos gastos, ele é desautorizado, perdendo poder e credibilidade. No inicio do ano a economia feita com o ajuste seria de 1,1% do PIB, agora já foi diminuído para apenas 0,15% do PIB. Os gastos continuam e o ajuste vai indo para o ralo. O problema, é se a nota de credito do Brasil seguir o ajuste, é também ir pelo ralo. Façam as contas! Quanto dinheiro está sendo usado para a compra de votos e apoio para o governo? Incluam o aumento salarial que eles se deram de presente muito acima da inflação e que a Presidente Dilma Rousseff, não vetou. O povo tem que se sacrificar e pagar a conta com o próprio emprego. Enquanto a classe política, é presenteada com aumento salarial acima da inflação e liberação de verbas milionárias, para evitarem que o governo caia. Até quando o povo vai suportar isto? A política brasileira na verdade é um mercado de leilões, onde quem pagar mais leva.

  6. João disse:

    Infelizmente só a Dilma não percebeu que ter MERCADANTE como conselheiro é um tiro no pé!!!!

    • Edi Rocha disse:

      Há algum tempo estou com essa impressão também. Fica aparente um mal assessoramento por tudo que o governo faz, ou como o Kennedy melhor descreve, a capacidade do governo de gerar novas crises.
      .
      Era pra se estar falando em Eduardo Cunha, mas o governo conseguiu chamar a atenção pra si.
      Chega até a ser irritante pra quem só quer que a crise passe e o país volte a crescer.

  7. Alberto disse:

    Temer é expert em como fazer política.Enxerga muito além e está se articulando contra a desarticulação desse circo mambembe que governa o país.O caso do 13º dos aposentados é típico desse circo mambembe que nos governa,infelizmente.

  8. O Otimista disse:

    Além do que, em tempos de diminuição de cargos, Dilma não tem nada em mãos que interesse ao PMDB.

    Enquanto isso a operação Lava Jato dá sinais de enfraquecimento, Cunha aparentemente permanecerá na presidência da câmara e deve acabar por lá o seu mandato, o PGR será sabatinado por (ora vejam) Collor, o PSDB resolveu voltar para as trevas onde se oculta para conspirar pelo poder, líderes petistas falam em se armar para defender a permanência do PT no poder, Lula voltou para seu esconderijo, Levy brinca com a economia como se esta fosse uma estrutura a se fazer com Lego, o desemprego caminha para 10%, a inflação não cede e eu não ficaria admirado se o Copom aumentasse novamente a taxa de juros, embora o governo esteja devendo com Selic, e acho que já podemos parar de falar em impedimento porque madame Dilma não sairá do planalto a não ser quando terminar o seu mandato. Que bom que ela é honrada.

    Enfim, tudo errado… e piorando.

    A decisão de pagar na íntegra o 13o tem por objetivo aumentar a arrecadação, injetando dinheiro que será gasto em compras habituais para manutenção de vida dos aposentados ou para reduzir as dívidas que não estiverem consignadas, a fim de que se possam renová-las.

    Ah…sim! Quanto aos bilhões para as automobilísticas, temos a conversa na mídia mas, onde está o dinheiro? Não está! Primeiro que não há motivação empresarial para se endividar com pátio de estocagem lotado (é aquela questão, emprestar para produzir, mas depois vender para quem?), segundo que é mais interessante demitir a mão de obra ociosa, passando depois a importar veículos já semi-elaborados, como sempre foi o plano áureo das automobilísticas estrangeiras estabelecidas no Brasil.

    Mas para que se preocupar, temos uma presidente tão amada que querem defendê-la à bala, um ministro das finanças extremamente criativo oriundo de um setor repleto de dinamismo e inovação, um vice disposto a entrar na briga quando a situação (o que já se prevê) ficar insustentável, uma justiça em que um juiz inicia hoje uma ação e seu bisneto é quem irá dar o veredicto, uma polícia federal tão desejosa de encarar o trabalho que mal conseguem se conter em suas cadeiras (as fronteiras que o digam), enfim, de Tom Jobim para cá nós nos especializamos, adquirimos experiência na arte do não fazer e do fazer malfeito.

  9. Elaine disse:

    De fato, o PMDB não é para principiantes, tem-se um presidente da Câmara dos Deputados denunciado pela PGR e um presidente do Senado também sob investigação.
    Ora, ora, o maior erro do PT foi se transformar em um partido igual aos outros, e agora nos momentos de vacas magras, todo mundo quer manter as regalias.
    Esse é o nosso Brasil.

  10. Daniel disse:

    Sinto muito, mas o Temer também não serve.
    Fica fazendo muito doce, jogo duplo… não serve.
    Precisa ter uma posição mais firme.
    Estamos fracos de politicos….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-11-24 15:36:26