aki

cadastre-se aqui
aki
Política
18-07-2016, 9h17

Eleição de Maia eleva “risco Cunha” para governo Temer

Datafolha confirma desgaste de Lula, mas ele não é carta fora do baralho
14

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

A eleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) tem efeitos positivos e negativos para o governo Temer.

Obviamente, foi um ganho para o presidente interino, Michel Temer, eleger um aliado para comandar a Câmara dos Deputados. Rodrigo Maia atuou a favor da aprovação do pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidente afastada, Dilma Rousseff.

Quando viram que o candidato preferido do governo, o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), poderia ser derrotado, Temer e o Palácio do Planalto embarcaram de vez na candidatura do democrata. Se Temer se tornar presidente em definitivo após a votação do impeachment de Dilma pelo Senado, a eleição de Rodrigo Maia assegurará ao peemedebista alguém mais afinado para tocar uma agenda legislativa de projetos difíceis, como a fixação de um teto para as despesas públicas e a reforma da Previdência.

No entanto, há aspectos negativos para o atual governo. O primeiro deles se chama Eduardo Cunha, deputado federal do PMDB fluminense que cobra de Temer socorro para preservar o mandato.

Cunha renunciou à presidência da Câmara avaliando que isso o ajudaria a evitar a cassação. Costurou com o Palácio do Planalto a eleição de Rosso, expoente do chamado “Centrão”, um grupo de partidos conservadores que, se apoiado pelo PMDB, teria como vencer a disputa contra Maia. Mas a repercussão negativa de um acordo com Cunha afundou esse entendimento.

Boa parte da bancada do PT na Câmara decidiu apoiar Maia no segundo turno para evitar Rosso e, assim, isolar Cunha ainda mais. O PT, que não teve força para unir os partidos de esquerda em torno de Marcelo Castro (PI), um peemedebista crítico de Temer e do impeachment, obteve uma vitória importante: isolar Cunha aumenta o risco de ele virar delator e complicar a vida do PMDB e do governo Temer.

Além da preocupação com uma retaliação do “Centrão” na aprovação de projetos de interesse de Temer, o que mais assusta o Palácio do Planalto é a possibilidade de Eduardo Cunha se tornar um homem-bomba. A cassação de Cunha é importante para que Temer consiga aprovar o impedimento de Dilma. Se o peemedebista for preservado e Dilma sofrer impeachment, estará caracterizado em definitivo um golpe parlamentar contra a petista.

Lula não é carta fora do baralho

Pesquisa Datafolha divulgada no fim de semana trouxe notícias boas e ruins para o ex-presidente Lula, hoje o nome do PT para disputar a Presidência da República em 2018.

Nas simulações de primeiro turno, Lula lidera com 22% ou 23% das intenções de voto, a depender do cenário. No segundo turno, a pesquisa mostra que, se a eleição fosse hoje, o petista estaria em situação de empate técnico com dois tucanos, o senador Aécio Neves e o governador Geraldo Alckmin (SP), e perderia para a ex-senadora Marina Silva (Rede) e o ministro das Relações Exteriores, José Serra.

Uma rejeição de 46% do eleitorado torna praticamente impossível uma vitória no segundo turno. Mas é importante destacar que Lula se encontra sob o maior bombardeio que já sofreu em sua carreira política. Mesmo assim, ostenta a liderança no primeiro turno. Hoje, Lula tem pouco espaço para se defender. Está acuado.

Numa campanha eleitoral, teria tempo na TV e no rádio para amenizar a rejeição. Se tiver sucesso, pode voltar a ser favorito em 2018. Isso vai depender do destino do ex-presidente na Lava Jato. Uma condenação em primeira instância o prejudicaria muito. E uma condenação em segunda instância o deixaria fora do páreo. Portanto, o primeiro desafio é jurídico. Depois, vem o político.

O PSDB e outros partidos também tem notícias positivas e negativas nesta rodada do Datafolha. A fragilidade de Lula no segundo turno é uma boa notícia para os adversários do petista. Mas vale notar que os três tucanos citados na pesquisa continuaram a perder intenção de voto: Aécio e Alckmin perderam três pontos percentuais entre abril e julho. Aécio tem apenas 14%. Alckmin, 8%. Serra oscilou negativamente dois pontos, dentro da margem de erro da pesquisa. Serra tem 11%. Marina Silva, da Rede, caiu ou oscilou negativamente, a depender do cenário.

Sem dúvida, há obstáculos para Lula, mas também para os principais nomes da antiga oposição ao governo federal do PT. A mais de dois anos da eleição, um quadro assim deixa a disputa muita aberta, inclusive para um nome novo.

Mesmo dizendo que não será candidato, o juiz federal Sérgio Moro teve o nome incluído no Datafolha. Obteve 9%, o que é muito para quem diz que está fora do páreo.

Logo, não convém subestimar Lula nem a possibilidade uma surpresa, como um nome novo ou um eventual apoio de Lula a Ciro Gomes, do PDT. Isso tornaria Ciro bem mais competitivo.

Outro fator futuro: se Temer virar presidente em definitivo, será preciso ver se o seu governo produzirá um candidato forte ou não em 2018.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
14
  1. O Patriota disse:

    O vergonhoso e absurdo sistema mafioso partidário brasileiro, este sistema partidário e inteiro podre, o sistema e todo viciado corrompido tem que cair por completo

  2. Francisco Miranda disse:

    BOM DIA. COMO TEM GENTE COM RABO PRESO NO CONGRESSO. MEU MAIOR MEDO É ESTAS NOSSAS FRACAS LEIS SEREM AINDA MUITO MAL INTERPRETADAS PELOS NOSSOS MOROSOS ÓRGÃOS DE JUSTIÇA. SE ELES FOSSEM ÁGEIS E COMPETENTES, ESTES MALFEITORES JÁ ESTARIAM NA CADEIA.

    • Stanislaw p/Francisco Miranda: Isso é uma vergonha...É preciso passar o país a limpo! disse:

      Lula, hoje, sabe perfeitamente que não se elege mais.
      Luta, desesperadamente, para não ir para a cadeia e tenta agarrar-se, a todo custo, a qualquer esperança de livramento da cadeia – na escolha do novo presidente da Câmara, preferiu apoiar o “golpe” do lado Temer do que sequer imaginar a continuidade do “golpe” do lado do poder de Cunha!
      Mas seu apoio maior tem vindo, sem dúvida, dos “11 cavaleiros do apocalipse do Brasil” – a vergonha nacional!
      Onde deveriam estar atuando, em prol do país, “11 cavaleiros providos de notável saber jurídico”, vê-se, claramente, uma verdadeira blindagem a punições de notórios ladrões dos cofres públicos! E não dá para não lembrar da famosa frase de Rui Barbosa:
      “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.
      Rui Barbosa

  3. walter disse:

    Sinceramente Kennedy bom dia; o Lula não fará barulho algum; por mais dinheiro que o PT tenha, para promover uma campanha com o Lula, será mais um tiro no Pé, ele mesmo, chegará a esta conclusão.
    Quanto ao governo com Maia, foi mais um grande acordão, que até o PT participou, é evidente que o Cunha pretende apoio, mas sua situação, não depende do planalto; tentará de tudo até a ultima hora, mas sabe, que sua melhor chance, nem recorrendo ao supremo resolve, fará diferença a delação, e nesta hora, quem precisa contar com ele, é o Temer…Pelo menos, a “normalidade” para as reformas, que o Temer precisa, serão encaminhadas…

  4. Edi Rocha disse:

    Interessante é que o legislativo “inventa” um recesso “ilegal” (até onde sei), e mesmo precisando resolver as questões do país, não o cancelam por nada. Assim como eles (de novo)e o STF fizeram no início do ano, quando tinha (e ainda há) os assuntos Cunha e Dilma em andamento.
    Concordo que absolver Cunha e tirar Dilma é carimbar o termo GOLPE na testa de cada político e do judiciário brasileiro.

  5. cristiano disse:

    Caros leitores, temos que fazer contas antes de considerar o Ex-Presidente LULA forte candidato para 2018, precisamos olhar para o passado, Lula perdeu para Fernando Collor e para Fernando Henrique possuindo mais 30% dos votos, onde eu quero chegar ? que mesmo que o LULA estivesse preso hoje , ele teria essa porcentagem na casa dos 20%, o LULA na verdade perdeu no minimo 10% do seu eleitorado fiel, que em outras eleições não possibilitou sua vitoria.

    Então pensar que Lula está bem é esquecer do passado que mesmo na casa dos 30% ele perdeu 3 eleições.

    Cristiano

    • Joaquim José da Silva Xavier disse:

      amigo, acho q seus exemplos não servem para o momento atual!! pois na eleição com Collor e FHC, Lula nunca tinha sido presidente…
      hj, querendo ou não, ele é o ex-presidente melhor avaliado!!

      saiu do poder com 80% de ótimo/bom, e se o eleitorado dele é de 30%, como vc mesmo disse, conclui-se que 50% dos brasileiros que mesmo não votando no PT, o consideraram bom/ótimo presidente!!!

  6. luiz carlos disse:

    Não acho que Lula ira concorrer em 2018, ele deverá apoiar alguém, que pode ser Ciro Gomes. Acho que Temer não ira conseguir fazer a economia decolar, e isso vai afundar não so o PMDB assim como seus aliados, PSDB, DEM, Bolsonaro e outros. Acho que se as esquerdas se unirem e aproveitarem bem esse 32% que foram contra o impeachment tem grande chance de ganhar. De ara esses 32% não vão apoiar qualquer nome que venha de um grupo que apoio o impeachment.

    • Joaquim José da Silva Xavier disse:

      concordo inteiramente!!

      se houvesse uma chapa com 2 nomes de esquerda seria amplamente favorita!!

      Ciro/Marina e Ciro/PT, principalmente!!

      lembremos que o único argumento usado por PSDB/DEM na ultima campanha foi a moralidade(aécio não tem mais essa carta) e o fato de ser oposição (em 2018 PSDB/DEM não poderão se eximir da responsabilidade do que estiver ruim no país, pois serão governo)

  7. luiz carlos disse:

    So pra continuar. Não acho que Cunha vá se safar da cassação, mas isso também não significa que ele ira fazer delação premiada pra ferrar o Temer.

  8. Joaquim José da Silva Xavier disse:

    “…importante destacar que Lula se encontra sob o maior bombardeio que já sofreu em sua carreira política … tem pouco espaço para se defender. Está acuado”

    e é por isso que ainda acho que os números são piores pro PSDB/DEM do que pra Lula!
    pois este é o pior momento da história do PT e de Lula e se os tucanos não vencem com esse cenário atual, vão vencer quando?

  9. Gercileno Duarte Maia disse:

    apenas o tempo vai dar a resposta correta o julgamento do povo será a resposta a todos os acontecimentos que estão por vir …, se o temer colocar todo seu plano austero será o fim do PMDB PSDB e de todos partidos conservadores e pode fazer aumentar o voto der protesto e o povo eleger um aventureiro .

  10. Frank Underwoord disse:

    Algum tempo ausente, volto a declarar o fim da lava jato, a mídia sumiu com o assunto, antes os telejornais, mesmos sem notícias novas requentava as velha e pelo menos 15 minutos noticiava…Mas não pense que isso acabou, mesmo sem ser Mãe Diná, em agosto, mês da votação do impedimento as notícias voltaram, não com Cunha, Renan, Juca e outros, mas com Lula e companhia. E não me venham dizer que essa operação não é apartidária. Viva o golpe

  11. ISSO É UMA VERGONHA... É PRECISO PASSAR O PAÍS A LIMPO! disse:

    A influência do poder econômico e (ou) do poder político só se sobrepõe à lei onde há juízes corruptos.
    Na atual conjuntura se Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Lula e muitos outros políticos igualmente investigados por corrupção não forem para a cadeia, como estão indo muitos empresários acusados de corrupção, será a desmoralização completa do judiciário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-21 16:35:15