aki

cadastre-se aqui
aki
Política
12-09-2013, 19h27

‘Embalo pró-infringentes foi freado’

11

Comentário no “Jornal da CBN”, segunda edição, sobre decisão sobre embargos infringentes ter ficado para semana que vem. Embalo pró-infrigentes foi freado.

Comentários
11
  1. egidio mori muniz disse:

    Como pode um ministro do supremo, votar por pressão da opinião pública, eles foram colocados lá por competência jurídica ou o que? Responder a opinião pública e ter celeridade nos processos. E estes senhores estão passando do limite, um fala que não é dono da verdade. Vota de um jeito e fala que o outro que votou contra também esta certo. Sim, tem de acreditar que quando vota é dono da verdade, e pode respeitar o vota contra e não concordar. Daqui a pouco vão ter de julgar o mensalão do supremo

  2. Mario Bueno disse:

    Kennedy,

    O que o STF ( se for possível ) poderia determinar é que os ratos de porão devolvessem tudo o que roubaram. Quanto a ficar presos ou diminuir penas ou não, me parece irrelevante. Nesta mesma toada existem tantos outros da mesma espécie que continuam roendo nosso país e destes temos que estar preventos.

  3. VANDEILTON FERREIRA DE SOUSA disse:

    CONCORDO COM O MINISTRO BARROSO, POIS NÃO TEM SENTIDO O CONHECIMENTO JURÍDICO FICAR À MERCÊ DA OPINIÃO PÚBLICO. SE FOSSE ASSIM, QUEM TERIA QUE JULGAR, SERIA UM TRIBUNAL POPULAR, NÃO UMA CORTE SUPREMA.

  4. wilton braulino disse:

    Os caras demorou 08 anos pra arrumar este nome ,dificel de entender ,pronunciar,vamos ter que ir para a paulista ,,,,,

  5. maria do rosário de fátima paz e souza disse:

    Concordo com o Kennedy,qdo se manifesta no sentido de que devemos aceitar o que o supremo decidir, mas não há como ter em mente que os membros dessa corte é escolhido a dedo pelo presidente da república, por essa razão não é imparcial, é gravíssima a situação do Brasil quando o assunto é a corrupção, é o sangue do povo brasileiro que patrocina esses desmandos da república. A cobrança existe e deverá ser mais contundente. As mudanças acontecem sempre no campo político, o direito apenas procura se adequar a dinâmica da sociedade, não inova,tecnicamente anda anos luz atrás dos anseios de uma sociedade baseada da igualdade de direitos.

  6. Dorival Francisco de Oliveira disse:

    È dificio viver este sonho de embriagues.Não sei onde estou!.Todo brasileiro saber,as autoridades,o publico em geral são conhecedores dos atos destes corruptos,´já está escrito na lei a penas destes envolvidos,mas até no STF fica claro que tem empurrando com a barriga em defeza destes infratores,estão querendo eternizar os julgamentos,daqui apouco nem preso,crimes prescreveram outos caducaram.Daqui a pouco vão dizer ja que está difil fazer equidade aos fatos e as leis,vamos deixar para os proximos ministros que chegarem.Para o povo brasileiro é engolir abacaxi travessado e sorrindo…

  7. Rolemberg Marino disse:

    Realmente não tem sentido aqueles que tem o conhecimento jurídico ficar a mercê da população, contudo, é preciso lembrar a este senhores que tem o conhecimento jurídico que no Brasil forjar empréstimos para se perpetuar no poder, comprar deputados corruptos, formar quadrilha, lava dinheiro ainda é crime e não é cabível o Sr. Barroso ficar rodeando e dizer que se lá estivesse faria isto ou aquilo como se aqueles que julgaram a primeira parte deste processo não soubessem o que estava fazendo. Portanto meu amigo, novato se queimou e ainda mais afrontou a população mais esclarecida deste país. E olha meu caro, eu não digo nada se na consciência deste ministro não estiver inserida os interesses do partido que governa o país nos dias de hoje.

  8. Rodrigo Sabatini disse:

    O voto de Celso de Mello.

    O voto de Celso de Mello, que dizem já estar pronto, caso seja a favor dos embargos infringentes, será por si só leviano. Além de afirmar a falta de autoridade e competência das decisões do Supremo, que necessitará de revisões ( deixando de ser supremo, por lógica ), ainda será controverso, uma vez que decide uma votação de seis votos a cinco.

    Teríamos então, nós povo, vítimas de corrupção, extorsão e outros crimes de réus já condenados, ao direito de uma nova votação, ou seja, teremos o direito do embargo infringente da votação que ora decide sobre o tema, sendo esta decidida por 5 votos contra

  9. Cemy Vargas Fraga disse:

    Interessante como os comentaristas que me antecederam tocam o samba de uma nota só, regidos pela VEJA, carro-chefe da mídia reacionária, que infelizmente graça em nosso país, contaminando aqueles que não têm o dom do raciocínio próprio!

  10. Francisco Soares disse:

    Eles não estão à mercê da opinião publica, eles estão entre a realidade que é a opinião pública, e a safadeza em defender seus colegas políticos.

  11. antonio paulo disse:

    Eles estão lá para julgar.O ministro Celso de Melo estava lá.E não o deixaram votar,quiseram dar um tempo.Ele não vota para a imprensa ela está tendo esse tempo para gritar e espernear.Mas ele já disse: “estou tranquilo e vou votar com a minha convicção”

Deixe uma resposta para egidio mori muniz Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-08-08 00:39:25