aki

cadastre-se aqui
aki
Política
14-02-2019, 20h13

Faltam detalhes para saber se reforma da Previdência atacará privilégios

Proposta de Bolsonaro é mais dura que a de Temer
11

Kennedy Alencar
BRASÍLIA

Mais dura do que a proposta na gestão Temer, o projeto de reforma previdenciária do governo Bolsonaro ainda não deixa claro quem vai pagar a conta e se vai mesmo combater privilégios.

Faz sentido fixar uma idade mínima em função da mudança demográfica e da necessidade fiscal do Brasil, mas, por ora, ficou evidente que os trabalhadores do regime do INSS mais próximos de se aposentar pela regra atual vão acabar fazendo sacrifício maior (ouça entrevista abaixo), porque vão se adaptar rapidamente às novas regras.

Bolsonaro decidiu por idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres a fim de pedir o benefício. Estipulou regra de transição de 12 anos, mais curta que a idealizada por Temer (20 anos). O mercado gostou da proposta. Haverá economia significativa em tempo mais rápido.

Ficou claro que 65 anos para homens e mulheres era o bode que o ministro Paulo Guedes (Economia) colocou na sala para encurtar o período de transição.

Na semana que vem, será preciso ver os detalhes a fim de saber se haverá combate mesmo aos privilégios do funcionalismo público e militar. É preciso, por exemplo, enfrentar a questão da paridade/integralidade (aposentadoria com salário e reajustes da ativa). Uma boa saída seria elevar a contribuição previdenciária desses servidores para 14%.

As idades mínimas de 65 e 62 anos e o período de transição de 12 anos valerão para todos os trabalhadores (regime do INSS e servidores públicos). Mas as regras serão diferentes. Aí mora o perigo. Lobbies de corporação vão tentar manter seus privilégios.

Também será preciso ver se os mais pobres serão mesmo preservados ou se o discurso de justiça social é apenas propaganda do governo.

*

Gasolina na fogueira

Qualquer que seja o desfecho da crise envolvendo o ministro Gustavo Bebbiano (Secretaria Geral), será ruim para o presidente Jair Bolsonaro.

Se Bebbiano ficar no cargo depois de ter sido chamado de mentiroso pelo presidente e seu filho Carlos Bolsonaro, isso soará como algo a esconder. Ele saberia demais para não ser demitido.

Se for dispensado, Bolsonaro terá na praça um inimigo que conviveu de perto com ele numa campanha acirrada e vitaminada por fake news.

É legítimo que os filhos políticos do presidente façam política. Até aí, tudo bem. Mas não podem ser comportar como príncipes. Não estamos numa monarquia.

*

A conferir

O professor Luis Eduardo Afonso, da Faculdade de Economia e Administração da USP (Universidade de São Paulo), deu entrevista ao “Jornal da CBN – 2ª Edição”. Especialista em Previdência, ele disse que é preciso ver a proposta completa para saber se ela atacará mesmo os privilégios e se fará justiça social.

A entrevista começa aos 11 minutos no áudio abaixo:

Comentários
11
  1. walter disse:

    A reforma da previdência Kennedy, ao que tudo indica, tem a confiança do Povo, e isto faz muita diferença; esta reforma, tem um escopo mais suave aos cidadãos, portanto caminhará, falta detalhes, começará a vigorar, em 2020 e 21, não sufocará os próximos da vez, nesta seara…no caso do Bebbiano, foi imprudente ao mentir, tentou arrolar o presidente ausente, em seus conchavos; terá que declarar meia culpa, não esta com esta bola, para isto…importante sobre a reforma, estancará a sangria desenfreada, e terá anuência dos militares, que perderão também…detalhe, tem apoio incondicional do Mourão, tomará alcance outros privilegiados…

  2. José Antônio disse:

    O grande problema dessas reformas previdenciárias, feitas pelos vários governos e a que está por vir, é que direito adquirido só existe para alguns grupos privilegiados: magistrados, procuradores, militares.
    A regra já foi mudada várias vezes e sempre muda para pior.
    Mas vamos esperar, ouvi e vi o Excelentíssimo Senhor Presidente falar em garantir o direito adquirido, e mudanças mesmo só para os que entrassem no mercado de trabalho. Vamos ver se vai cumprir o que disse ou vai fazer o que o Paulo Guedes quer!
    Vamos esperar o texto completo, as análises, os debates e mobilizações para ver se aprovam uma proposta que seja boa para o Brasil e para os brasileiros!

  3. Georges disse:

    Desse susto ninguém morre. A reforma será para os que trabalham de fato desse país. Os outros continuarão com suas aposentadorias integrais e direito de aposentar após 2 mandatos. A “necessidade fiscal” sempre será paga pela população, nunca por quem as causa das maneiras mais torpes que conseguirem.

  4. Marciano Alves disse:

    Quem trabalha pelo INSS tem um limite de base de cálculo para sua contribuição previdenciária, menos de R$6.000,00. Funcionário público já contribui por décadas com mais de 11% (há casos de 13,5%) sobre o TOTAL dos vencimentos (não tem limite), o que dá uma diferença gigantesca de contribuição.
    Integralidade e paridade não valem mais para funcionários públicos ingressos depois de 2003 e para quem ingressou a partir de 2013 o limite já é o do INSS.
    Isto posto, é falacioso dizer que o rombo aumentará indefinidamente por causa dos funcionários públicos, uma vez que essa população de funcionários ingressos antes de 2003 não é mais crescente, senão decrescente porque a maioria já está envelhecida e não vai durar muito. Quebrar a regra de quem trabalhou apostando nisso por 35 anos ou mais é que é injustiça, porque é como quebrar um contrato às vésperas de seu aperfeiçoamento.
    Por que, só se fala em justiça social quando o nivelamento é por baixo? Claro, a justiça é determinada por quem paga

    • Miguel Ângelo disse:

      Marciano, iniciativa privada também contribuiu sem valor de contribuição como limite. Tem muita coisa que não querem explicar. Concordo com muitos comentários, o problema são eles os 3 poderes. Políticos, Judiciário e Militares (que temos que reclamar, como também temos que aceitar em muitos casos uma política de aposentadoria diferenciada – hoje militares das FFAAs, PRF e PF deveriam aposentar como todo civil, e receber pelo bolo financeiro que juntou ao longo do seu trabalho. Os militares – PM e PC que estão no pau, que envelhecendo mais morrem sendo militares que propriamente na luta. Não aguentam mais que 25 ou 30 anos de trabalho – querem compensar aumentem a alíquota, agora aposentá-los mais tarde é um crime, pois muitos morrem na padaria, no supermercado e na rua antes dos 65 anos. Cadê o dinheiro de quem morreu e não tem dependente? Cadê o dinheiro dos empresárias multados? Hã! Em quanto o Governo contribuiu para as Fundações Fechadas? Não temos nada nesta Reforma? Só mi mi mi.

    • José Vidigal disse:

      Nesse pais o mantra “respeito aos contratos e segurança jurídica” é repetido a toda hora pela imprensa e o mercado, porém só vale em defesa dos grandes empresários e banqueiros. Uma vergonha!!!

    • walter disse:

      Qualquer especulação, não leva a nada, caro Kennedy; tem três propostas, serão apreciadas pelo congresso, as novidades devem ser positivas, considerando, que a proposta do temer, que estava semi aprovada, foi descartada, teremos que acreditar no retorno do presidente…tudo indica, será ampla, porém amena, as temeridades, dos trabalhadores, de Hj e de amanhã; os estudos esboçados pelo Paulo Guedes, tem consistência, vamos acreditar nesta aprovação, o mais rápido possível, precisamos caminhar…concomitante, teremos as reformas, do Dr Moro, que deverão agregar maior segurança; precisaremos das apresentações

  5. Luis Gustavo disse:

    Poxa, quando vamos ver envolvidos o setor político ??? Juizes ??? Militares ??? Sempre sobra p os mais fracos … a base da pirâmide !!! Depois culpam os pobres por viverem mais … fala sério. Não há rombo na previdência e sim desvios para outras finalidades ou até mesmo em inadimplência de vários setores …

    !!! DIGAM NÃO A ESSA REFORMA !!!!

  6. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Ninguém explica o que vai acontecer com as aposentadorias em vigor da classe média, aquelas que pagam 5 salários… vão encolher ainda mais?
    Lembrando o atual confisco de quem recolheu sobre 10 salários e recebe 5 e ainda tem imposto retido na fonte ! Alguém explica ?

  7. ANDRE disse:

    O Paulo Guedes devia responder o que será feito em relação a inadimplência dos empresários e da união no pagamento da previdência. Devia também acabar com a desvinculação de receita da previdência e mostrar o valor verdadeiro do déficit. O presidente que lidera a reforma, foi reformado com apenas 33 anos, quando entrou para a vida pública, até 2017, ele considerava se aposentar com 65 anos uma desumanidade.

  8. Antonio disse:

    Ingenuidade acreditar que vão ser atacados os privilégios. Juízes, desembargadores, procuradores, promotores, militares das forças armadas (coitados dos PM’s e policiais comuns, estes que arriscam a vida nas vielas e becos escuros. Estes, que efetivamente trabalham, não terão nada), marajás do setor público, continuarão com aposentadorias exorbitantes, pagas pelo operário e cidadão comum. Está mais que evidente que quem pagará a conta é o cidadão comum sujeito a CLT (ainda não conseguiram acabar com ela?). Não se fala de instrumentos de desenvolvimento econômico, de geração de empregos, de planificação e incentivo a tecnologia, de melhoria da saúde do brasileiro. Só se fala de escola de gênero, de depreciação da educação e dos professores, de laranjas, de armas. etc. E um ministério formado por pessoas sem o menor preparo e competência e parecendo cabide de empregos de militares e seus privilégios.

Deixe uma resposta para Luis Gustavo Cancel reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2019-03-21 19:20:10