aki

Kennedy Alencar

cadastre-se aqui
aki
Recomendo
27-05-2015, 16h14

Festival de documentários termina sua 20ª edição em Brasília

Clássico da literatura mundial, obra de Lewis Carrol completa 150 anos

Daniela Martins
Brasília

Maior mostra de cinema não-ficcional da América Latina, o “É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários” termina sua 20ª edição na cidade de Brasília, entre hoje  27 de maio, e 01º de junho, no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).

Depois de exibir 109 títulos de 31 países e de ter passado por São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Santos, a mostra traz para a capital 12 destaques da programação. Entre eles, os dois longas premiados nesta edição de 2015: o brasileiro “A Paixão de JL”, de Carlos Nader, e o francês-cambojano “A França é a Nossa Pátria”, de Rithy Panh.

O centenário de nascimento do cineasta norte-americano Orson Welles é celebrado com a exibição de “Verdades e Mentiras”, de 1973, último filme dirigido por ele, e de “É Tudo Verdade – Baseado Em Um Filme Inacabado de Orson Welles”, filme que contém imagens raras e materiais inéditos do diretor.

Veja a programação completa no site do CCBB Brasília.

*

Em comemoração aos 150 anos da obra clássica do inglês Lewis Carroll, “Alice no País das Maravilhas”, o jornal O Globo dedicou a ela o suplemento “Prosa” do último sábado.

Entre os textos publicados no especial do jornal carioca, destaca-se a coluna do crítico José Castello. Ele nos convida a responder a uma questão: Por que ler Alice? E sugere pistas: “Por mais que lutemos para ordenar as coisas, o mundo humano é dominado pelo desalinho e pelo improviso”. A íntegra do texto, que merece recomendação, pode ser lida no blog “A literatura na poltrona”.

O livro de Carroll influenciou muitos outros autores e inspirou filmes, animações, balés, peças de teatro e até mesmo artistas plásticos como Salvador Dalí, que elaborou uma série de gravuras seguindo o estilo surrealista. E permanece, ainda hoje, como uma leitura que balança as certezas e anuncia novas formas de interpretar o mundo.

Alice zahar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagem: Capa da edição brasileira lançada pela Zahar em 2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-11-24 03:25:13