aki

cadastre-se aqui
aki
Política
10-06-2016, 21h25

Fracasso na economia dificulta retorno de Dilma

Admitir antecipar eleição revela incapacidade de governar até 2018
19

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

O fracasso de Dilma Rousseff na economia dificulta a ideia de tentar antecipar a eleição presidencial de 2018. A presidente afastada propôs uma “consulta popular” a respeito desse tema em entrevista à TV Brasil.

A ideia é uma tentativa do PT de conseguir 27 votos no Senado para barrar a aprovação do impeachment. Dilma vinha sofrendo pressão de parcela do partido para fazer essa proposta desde o início do ano, quando ficou claro que o pedido de impeachment seria aprovado. Mas ela resistiu.

Auxiliares avaliavam que, no cargo, uma proposta desse tipo teria mais força. Hoje, afastada, a proposta tem menos peso. E também funciona como uma confissão de que não teria como governar até o fim de 2018. Apesar de ser um gesto para tentar reverter a aprovação do impeachment, é baixa a chance de sucesso da articulação. Há obstáculos demais.

Teria de ser aprovado um plebiscito pelo Congresso. Dilma teria de marcar data de entrada e também de saída do governo, porque há o medo de que, se barrar o impeachment, ela abandone essa articulação.

Haveria impacto negativo sobre a economia. O mercado financeiro e o empresariado aprovam e apoiam a equipe econômica de Michel Temer. O presidente interino também teria de concordar em abrir mão do poder caso voltasse a ser vice.

Dilma pensa em escrever uma espécie de carta com compromissos para dizer o que faria num eventual retorno ao Palácio do Planalto, mas a credibilidade dela foi consumida pelo fracasso na economia. Só um impacto tremendo da Lava Jato sobre o governo Temer e a classe política daria alguma chance de êxito a essa ideia de antecipar a eleição presidencial.

Assista ao tema do “SBT Brasil”:

Comentários
19
  1. Mudar a Constituição para realizar novas eleições sem que estas eleições estejam previstas, é pior que o impeachment. O impeachment está previsto na constituição, enquanto eleições agora não estão.
    O melhor para o país é finalizar e virar a pagina do impeachment.
    Dar andamento nas investigações e prender os corruptos envolvidos nos desvios de dinheiro público.
    Fazer as reformas estruturais necessárias para voltar a crescer e as reformas política e de nomeações em estatais, que devolvem a governança ao Poder Executivo.
    Dilma é passado. Vamos olhar para o futuro.

    • walter disse:

      Kennedy, as cartas já estão todas marcadas, a dilma jogou a toalha; esta é a imagem que o Senado enxerga; esta tentativa, de criar circunstância, para uma nova eleição, é um verdadeiro “tiro no Pé”; como sempre indecisa e mal aconselhada, vai “morrer na praia”…
      Quanto ao governo provisório, precisa de ações concretas, e marcar território, não esta seguro, tem muitos desconfiados, e muita gente querendo criar fatos novos, contra a sua gestão; o PT coloca seus sindicalista a mortadela na rua; querem “recuperar alguma coisa”.
      Vamos acreditar em boas novas, com a ajuda do PT, tentando levantar defunto, o Temer precisar alavancar índices positivos na economia, acabará com os blefes deles…

  2. Armagedon disse:

    O Brasil, prezado bloguista, precisa decidir (decidir? palavra macabra) o que será da nação. Vamos ser um bando de índios assistidos ou vamos ser um país que prima por sua identidade europeia? Não há meio termo. Maloqueiros ou gente que busca e que luta por algum futuro? Pessoas que tem alguma cultura precisam ajudar neste momento de decisão. Alimentar o planeta é lindo, só que não haverá arroz para todo mundo. Vai ter gente que vai morrer de fome. E que morram. É complicado isso, mas nossa pobreza ultrapassou o limite da sustentabilidade. Logo estaremos no mesmo nível que estão os países pobres da África. Chega de ilusão. Faça-se algo que nos eleve do estrume ou não haverá mais por que lutar. Uns e outro, como o sr, serão inimigos em potencial, numa sociedade em conflito.

  3. Se ela quiser ir até a Venezuela propor a realização de um plebiscito por novas eleições, pode ser que tenha a sua ideia, abraçada pelo povo.
    Para o Brasil, não obrigado! Eleições para Presidente só em 2018.
    Quando os corruptos já estarão condenados, presos e inelegíveis.

  4. PREZADOS SENHORES. ABRIR ESPAÇO PARA AS AMBIÇÕES DE DILMA, SERIA UM ESTAGNAÇÃO OU RETROCESSO DA ECONOMIA DO BRASIL POR MAIOS 4)QUATRO) ANOS.
    ALDO G. GUERRERA

  5. Romanelli disse:

    Desculpe caro Kennedy ..mas a questão é mais complexa
    .
    54 milhões de eleitores elegeram-na para dar sequência a um conjunto de promessas e programas
    .
    SIM, ela decepcionou a maioria e por isso pagou em impopularidade que se somou a CRISE da Petrobrás/empreiteiras e ao oportunismo de oposicionistas e a um Congresso fisiologista
    .
    Agora, doutra eita, NINGUÉM aprovou ou foi ouvido sobre estas idéias de Temer que, aliás, quando expostas, demonstram forte oposição às teses VENCEDORES em 2014 e afinadas justamente às correntes PERDEDORAS
    .
    O povo precisa ser respeitado ..o tempo é exíguo mas o senso de JUSTIÇA precisa ser reparado ..e isso sem nos dar a impressão de casuísmo
    .
    dito isso, HÁ UMA SAÍDA ..o TSE se apressar e declarar a CHAPA Dilma e Temer irregular ANTES do final de 2016
    .
    e com isso abrir-se a oportunidade da NOSSA sociedade decidir o que quer para si
    .
    respeite pra ser respeitado já se disse

  6. Se o João Vaccari Neto ex-tesoureiro do PT falar tudo o que sabe, não é apenas tchau querida,é também tchau querido, tchau companheirada e tchau PT.
    O fim está próximo!
    Viva a Lava Jato! Viva o Juiz Sérgio Moro! Viva o Ministério Público! Viva a Polícia Federal!
    Que zika! Corrupção Mata mais que mosquita!

  7. Com Michel Temer, a economia vai melhorar, vai? Vivendo e aprendendo. Não sabia que o “ético”, “leal”, “desprendido” e “bom caráter” Temer fosse também gênio da economia edas finanças. Informações que tenho a respeito deleesua equipesão tenebrosas. Mas…

  8. joao dias disse:

    O momento é ideal para uma profunda reforma eleitoral, inclusive para o plebicito, caso haja a anuência dos partidos e de Temer e Dilma, porque a população já aceita e cobra em sua agenda. Mas a reforma não pode ser de mentirinha, mas verdadeira e duradoura, para evitar que a cada pleito se atrele um rabicho, para atender interesses pessoais imediatos. O Brasil está a espera do Poder Legislativo tornar em realidade os anseios de sua população

  9. Alberto disse:

    É,Papai Noel existe!!!!!!!!!

  10. Pasquale disse:

    Venezuela
    O leite em pó acabou, há pouca farinha de milho e itens como lava-louças e creme dental só são encontrados no mercado negro. Faltam peças de reposição para automóveis e os medicamentos são escassos – assim como parece estar a paciência dos venezuelanos com o regime que escolheram há quase 17 anos e sustentavam com entusiasmo quase religioso.

  11. anonimo disse:

    O melhor para todos é devolver o pais pra Portugal e pedir desculpas.

  12. Renato Lima disse:

    Queria mesmo saber aonde o sr. Kennedy viu essa melhora na economia para fazer tal análise, a par disse, o interino continua com suas trapalhadas, com a pior equipe ministerial de todos os tempos. Plebiscito é constitucional, ao contrário de impeachment sem crime de responsabilidade. Que venha a consulta e que o povo decida.

    • Sem crime? Acho que você quis dizer, “cem crimes”.
      Ela estuprou a lei de responsabilidade fiscal.
      Participou do estupro coletivo da Petrobrás.
      Violentou a ética, nomeando Lula para a Casa Civil.
      Abusou de uma cega, nomeando um Juiz do STJ para soltar presos da Lava Jato.
      Ela é uma criminosa em série.

  13. Armagedon disse:

    Olha só.

  14. joao dias disse:

    Kennedy, pensando bem e no bem do Brasil, é realmente impossível mais uma mudança de governante em prazo tão curto. Seria mais uma pesada carga de sacrifício desnecessário para afunilar na desorganização do gerenciamento da máquina estatal, pela concentração dos partidos políticos na busca, na aprovação e nos lançamentos de candidaturas. Os políticos tem que aproveitar o momento é para se redimir e despir de todas as vaidades e interesses pessoais e concentrar esforços para tornar em realidade, ainda no ano corrente, a profunda e desejada reforma do Estado Brasileiro. Todos sabemos que o modelo arcaico de governança já deu o que tinha a dar e, sem a castração imediata, problemas de governança serão constantes e cada vez mais sérios e prejudiciais aos interesses da sociedade brasileira. Os políticos e os nossos governantes não podem e não devem continuar desrespeitando os anseios de 200 milhões de brasileiros. Acho que já chegamos no limite da tolerância.

  15. Mauro disse:

    Hipotéticamente seria válida a tese de uma eleição imediata, se for seguida de medidas que por exemplo, impeçam de concorrer qualquer investigado, indiciado ou condenado em qualquer instancia de qualquer tribunal da justiça brasileira.
    Outra medida, seria a implantação do voto distrital e proporcional ao numero de votantes (não eleitores registrados!) de cada estado, o que provocará a extinção de partidos que se servem a negociatas e com os quais é impossivel governar.
    Trocar um presidente no voto com esse Congresso que está ai, é chover no molhado e nada vai resolver.
    É óbvio que proponho eleiçoes em todos os niveis e para o executivo e legislativo.Se é para mudar, que se mude tudo e todos.O resto é tentativa de sobrevivência de uma quase morta.

  16. ferrou o Brasil e ainda tem essas propostas descaradas.

  17. juliano disse:

    É sempre a mesma conversa fiada. A classe mais rica, uma minoria das minorias, resolve mudar. Porque acha que suas vantagens podem diminuir. Dá-se um golpe. Então ficam tentando justificar o injustificável. Qualquer coisa seria válida desde que se retirasse o governo. Qualquer desculpa, impedimento, catástrofes climáticas, Bolsonaro para presidente, Cunha para vice presidente. Qualquer coisa desde que retirassem o PT e seus aliados. O problema que o PT saiu e ficaram os aliados. Qual a diferença?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-27 00:44:05