aki

cadastre-se aqui
aki
Política
22-03-2018, 8h20

Fux cede a corporativismo e dá sobrevida a auxílio-moradia

Decisão do ministro coroa apequenamento do STF
13

KENNEDY ALENCAR

Além da guerra interna a respeito da possibilidade de execução da pena de prisão após condenação em segunda instância, outro tema foi destaque no dia de ontem no Supremo Tribunal Federal.

O ministro Luiz Fux retirou de pauta seis ações que questionavam a legalidade do pagamento do auxílio-moradia a magistrados e integrantes do Ministério Público. Fux remeteu o assunto para a Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal, órgão que está no âmbito a AGU (Advocacia Geral da União).

Tomada exatamente no tumultuado dia de ontem no Supremo, a decisão de Fux é uma espécie de coroação do apequenamento da mais alta corte de justiça do Brasil. O bate-boca entre Barroso e Gilmar Mendes criou uma cortina de fumaça que encobriu a gravidade da atitude de Fux. O Supremo fugiu mais uma vez das suas responsabilidades.

Fux, que deu a liminar há quase quatro anos garantindo a farra do auxílio-moradia no Judiciário, atendeu a um apelo corporativista da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) para retirar as seis ações da pauta do Supremo. A AMB comparou o auxílio-moradia ao caso de um acordo sobre perdas com planos econômicos feito sob a coordenação da AGU. Aliás, o acordo dos planos demorou anos a ser feito.

Não há o que conciliar em relação a um pagamento de um benefício que fere a lei, sendo usado para burlar o teto salarial fixado pela Constituição. Era caso, sim, de uma decisão clara e rápida do STF. Mas o ato de Fux compra tempo e aposta no esquecimento do assunto. Contribui para a farra continuar em vigor, tirando proveito de um governo que tem baixa popularidade e, portanto, menos poder de força para lidar com o lobby do Judiciário.

A hipocrisia e a irresponsabilidade fiscal do Judiciário tiveram um dia de vitória. O Brasil saiu perdendo, porque, mais uma vez, privilegiados deram um jeito de continuar a abocanhar sem pudor dinheiro do orçamento que deveria ser gasto em investimentos públicos e políticas sociais.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”, que também abordou o bate-boca entre Roberto Barroso e Gilmar Mendes e o julgamento de recurso da defesa de Lula:

Comentários
13
  1. Pereira disse:

    E, a situação continua, o povo se acabando de tanto trabalhar para pagar as regalias do poder judiciário, dos políticos e de muitos outros que se tem por ai de Brasil a fora. O que parece que se quer que se tenha uma grande guerra civil, é tanta cobrança que tá chegando o dia que os brasileiros que pagam a conta não vão mais aguentar. Não temos nada a favor nada mesmo. Infelizmente esse é o Brasil que temos em nossa atualidade. É muito triste mas, a verdade.

  2. Miguel Angelo disse:

    O Brasil passa por muitos “rodas tocos”. Roda-se toco quando se fala da segurança do RJ como o problema fosse só as mazelas do crime organizado, drogas e assassinatos. Esquecem-se das décadas de administração de políticos 60-70-80-90-ões ainda na ativa que gastaram rodos em nada. A segurança não é só “pau” nos comandos militares e “pau” no povo. É hora de votar consciente sem eleger a mesma coisa, e muito menos os pecadores donos de igrejas. Roda-se toco quando apontados o problema da manutenção do auxílio moradia, ou qualquer outro, que seja a qualquer um. É um desfavor jornalístico se atentar tanto ao Moro, ao Lula, que se danem juntos. O Estado brasileiro tem que ser superior aos 3 poderes, já que ele existe no limitador dos direitos do povo. Mas, não cumpre seu papel com estas representações que aparecem todo dia no jornal. E sabe porque eles continuarão a ganhar as imoralidades? Parem de rodar toco em tudo! É por causa que quem julga estas aberrações são os mesmos beneficiados.

  3. Eliana Yong Medeiros disse:

    Bom dia,

    Um absurdo manter esse auxílio aos magistrados. Uma afronta aos cidadãos/ãs brasileiros.
    Eliana Yong

  4. Miguel Angelo disse:

    E aí, nobre Kennedy, não existe chance para o povo. O judiciário é cruel, e em nossa avaliação, sim, o maior culpado pela corrupção no Brasil, se não mais que o Executivo e Legislativo, de igual valor e responsabilidade. São engavetamentos e engavetamentos. E ainda, se em defesa de sua casta, ou em favor de seus iguais, o mais brando, ou no máximo a aposentadoria. A Lava Jato para nós que sabemos que um pingo é letra. Mesmo que se cumpra o papel mentiroso do que se propõe. Só registra que agora o povo paga, o político paga ou pode pagar, mas a magistratura, esta, mesmo que julgada culpada, ainda será custo social para todos os brasileiros. Eu vivi 2018, vi 4 anos de Lava Jato, e meu sentimento quanto ao STF, ou que setor seja da magistratura, é o pior. E não sei ainda porque nós não vamos a rua para através de plebiscito ou referendo taxar o valor do teto como pagamento moral e possível economicamente. E para quem quiser mais, que sigam para a iniciativa privada. Homens sem honras!

    • walter disse:

      Só posso corroborar com a indignação da sociedade como um todo, caros Miguel e Kennedy; quando achamos que a maré vai nos favorecer, vem o corporativismo conveniente, e apequena a sociedade na maior desfaçatez…esta postura, do Fux, é mais uma versão, de que no supremo as ansiedades são abastecidas de compreensão, quando se trata de causas amigas, ou de grandes amigos da corte, ou partidos…ao Gilmar mendes, deixa vazar o tempo todo, as intenções da corte,como se fosse um profeta do apocalipse…enfim, mais uma vez, seus colegas, continuarão a gozar das benesses do auxilio escândalo na maior tranquilidade.

  5. FG disse:

    Esse Blog vai sempre ao Ponto, sem parcialidade, sem fazer média, com certeza o melhor Blog sobre política desse país. O que incomoda um pouco é a presença maciça dos manifestoches, ningúem merece!

  6. AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF). disse:

    “Ai dos que decretam leis injustas e dos escrivães que escrevem perversidades, para prejudicarem os pobres em juízo, e para arrebatarem o direito dos aflitos do meu povo, e para despojarem as viúvas, e para roubarem os órfãos”. (Isaías 10. 1-2)

    “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.(Rui Barbosa).

  7. Alvaro Antonio Zanin disse:

    MAIS UM TAPA NA CARA DO BRASILEIRO. O FUX QUE CONSIDERO UM DOS MELHORES MINISTROS, LAMENTAVEL.

  8. jackson figueiredo disse:

    Alto nível de uma eficácia inaudita, este atual pronunciamento de
    KENNEDY ALENCAR! Que outros, no mínimo neste mesmo TOM, EXTRAVASEM
    COBRINDO COMO UM TODO, OS ESPAÇOS QUE DÃO AMPLITUDE À ILIMITADA
    EXPANSÃO DOS HORIZONTES NACIONAIS! CUMPRIMENTOS, MAIS QUE TÃO SOMENTE
    PATRIÓTICOS, BRILHANTE E DIGNO DE UMA POPULAÇÃO DESPROVIDA DE UM
    JUDICIÁRIO À SUA ALTURA.

  9. Carlos Neto disse:

    Que vergonha!!!
    Deprimente!!!
    O nosso judiciário, vou te contar…..
    Vamos apoiar a troca do STF pelo STM, só assim haverá a “faxina” que o “Brasil de BEM” tanto anela.

  10. Sebastiao Canabrava disse:

    Gostaria que os apoiadores, os “puxa-saco” do juiz Sergio Moro, sem manifestassem sobre o assunto. Principalmente depois que o bonitao Sergio Moro disse que recebe o auxilio moradia (mesmo tendo moradia – o que e’ ilegal) e nao acha injusto, por que nao tem recebido correcao sobre o seu salario de mais de 23 mil mensais (fora o auxilio moradia e outros penduricalhos), ha’ mais de dois anos.
    Manisfestem aqui, voces nao diziam que Sergio Moro era o paladino da justica?

  11. Amei, exatamente o que estava procurando, muito obrigada!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-09-24 13:19:43