aki

cadastre-se aqui
aki
Política
25-09-2017, 8h23

Geddel tenta delatar, mas concorre com Cunha

Funaro já revelou muita coisa, o que dificulta acordo
13

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Há preocupação na cúpula do governo com Geddel Vieira Lima, mas também é feita a avaliação de que uma eventual delação do ex-ministro não sairia da noite para o dia.

O Palácio do Planalto tem informações de que Geddel está tentando negociar uma delação premiada. Mas são tratativas ainda em caráter incipiente. Dificilmente, se for feito um acordo, ele será oficializado a tempo de influir politicamente na votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer que será analisada pela Câmara.

Aliás, essa eventual delação teria de fundamentar uma nova acusação. No entanto, vazamentos do que Geddel poderia dizer causariam algum estrago numa casa política como a Câmara.

Há complicadores para que essa eventual delação prospere. O primeiro obstáculo é que muitos fatos já foram revelados pelo doleiro Lúcio Funaro. Isso teria tirado munição de Geddel.

Haveria ainda concorrência com a de outro personagem da antiga cúpula do PMDB: o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. Na gestão de Rodrigo Janot, fracassou uma negociação de delação apresentada por Cunha. O ex-presidente da Câmara inclusive faz acusação grave contra a adminstração de Janot na Procuradoria Geral da República.

Cunha diz que fatos da delação dele foram usados no acordo de Funaro. É possível que isso tenha acontecido porque eles praticaram crimes juntos. Logo, o doleiro teria também ciência desses fatos. Mas Cunha sugere que foram utilizados trechos da proposta de acordo dele e dos quais Funaro não teria conhecimento. Essa acusação de Cunha deve ser vista com cautela, mas merece ser investigada em face do aconteceu no caso JBS.

Há, portanto, um conjunto de fatores que joga contra a viabilidade de uma delação de Geddel Vieira Lima, que teria de fazer revelações bombásticas para justificar benefícios para quem teve R$ 51 milhões apreendidos num apartamento em Salvador. Para complicar, não parece que Raquel Dodge esteja disposta a agir do mesmo modo que Janot. Ela tende a ser mais rigorosa no fechamento desses acordos de colaboração premiada.

*

Muita fumaça

Há conflitos e desconfianças entre autoridades federais e fluminenses a respeito da crise de segurança no Rio de Janeiro. Na quinta-feira da semana passada, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, deram entrevista lado a lado para dizer que haviam discutido a relação e aparado as arestas. No dia seguinte, ocorreu um pedido emergencial do Rio para nova ação das Forças Armadas (cerco à Rocinha), algo feito de modo completamente improvisado para uma cooperação que está sendo realizada desde o final de julho.

Isso deixou o presidente Michel Temer contrariado, mas ele não tinha alternativa diante do medo que tomou conta dos habitantes do Rio na sexta e do dano à imagem internacional do país. Atendeu ao pedido de Pezão. Mas há insatisfação do governo federal, das Forças Armadas e da Polícia Federal com as autoridades de segurança pública do Rio.

O governo federal atribui o resultado pífio de ações conjuntas a um vazamento de informações que teria partido da polícia carioca. Houve operações militares de busca e apreensão que deram baixo resultado, o que afeta negativamente a imagem das Forças Armadas.

Autoridades de Segurança Pública do Rio pedem mais dinheiro federal e têm resistência à participação das Forças Armadas e da Polícia Federal em ações planejadas. O governo federal rebate, dizendo que já deu recursos para o Rio em escala superior aos fornecidos a outros Estados e que tem limites legais para isso. Diz ainda que a ação das forças federais deveria ser feita com planejamento e não com chamados de emergência, como aconteceu na sexta.

A cúpula das Forças Armadas não gosta de atuar na Segurança Pública. Os militares são treinados para ações de guerra, na qual têm de eliminar o inimigo. Não são adequados para funções de segurança pública, como incursão em comunidades. O Exército teme ferir civis com balas perdidas em áreas urbanas.

A Forças Armadas, que também se queixam da falta de recursos, preferiam reforçar a fiscalização nas fronteiras. Avaliam que isso seria mais eficiente no combate à entrada de drogas e de armas. Mas os militares atendem aos pedidos de ações de garantia da lei e da ordem porque eles estão previstos na Constituição e ocorrem por solicitação de autoridade civil.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN”:

Comentários
13
  1. Joaquim disse:

    Bandidos são presos diversas vezes e cada vez por crimes mais graves e muitas vezes saem mais rápido da delegacia que a vitima. Menores de idades que não podem trabalhar, pois a nossa legislação não permite, vão encontrar amparo no crime, uma vez que para eles o crime compensa e muito. É o estado que só age contra o cidadão de bem. No mais é criar dificuldade para vender facilidades.

    • Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

      Joaquim, boa tarde e parabéns pelo comentário !
      Concordo plenamente e acrescento: Passou da hora de rebaixar a maioridade penal, endurecer as regras de execução penal, acabar com benefícios de todas as espécies para presidiários, tais como saidinhas, visita íntima, auxilio reclusão, etc.
      Democracia se faz com instituições fortes e direitos civis respeitados.

    • walter disse:

      Tem total razão Joaquim, se o nem da rocinha, diminuiu um ano de sua pena, lendo livros; recebeu 171 visitas, em um ano; NOSSO SISTEMA ESTA FALIDO!…o sujeito deveria estar incomunicável; planeja crimes, diariamente…o Geddel é um gaiato safado, com cara de mané, soteropolitano; caiu na graça dos mandantes, para ser caixa do crime organizado no poder…claro e evidente, que este sujeito, sabe muito mais que o Funaro; participou de vários movimentos de arrecadação; vai trazer gente nova a baila; esta gente tem provas, é o caso do Cunha, que esta quieto por enquanto…nesta hora as delações devem ser mais exigidas, como no caso do Palocci, que deve ter condicionalmente documentos, que embasem suas declarações; com a devolução de todos os valores adquiridos de fato; já há documentos fartos, sobre os citados de forma geral, principalmente dos chefes citados varias vezes; serão penas cabais, principalmente ao Lula e temer…

  2. "UM PÉ NA FRENTE, OUTRO ATRÁS", AFINAL, "CAUTELA E CALDO DE GALINHA NUNCA FIZERAM MAL A NINGUÉM"! disse:

    Não há motivo para dispensar colaboração premiada de figuras como Cunha e Geddel porque já teriam sido fornecidas por outros colaboradores: isso apenas corroboraria o que foi dito pelo colaborador anterior. É claro que outras informações precisariam constar das colaborações de Cunha e Geddel.
    Quanto às participações das Forças Armadas na segurança pública do Rio, isso é algo que deve ser muito bem medido pelos Comandantes Militares das Forças Armadas – afinal num país onde há um Executivo e Legislativo dominados por corruptos, com capacidade de cooptação até dentro do Judiciário onde “disenterias verbais e decrepitudes morais” os apoiam – as Forças Armadas devem manter “um pé na frente, outro atrás” – “cautela e caldo de galinha nunca fizeram mal a ninguém”! As quadrilhas de corruptos que dominaram o país são muito perigosas e estão unidas no maior “espírito de corpo” jamais visto por bandidos periculosos!

  3. BRAGA BH disse:

    A coisa não está muito boa para Geddel. Na verdade vai ser uma guerra fratricida entre delatores para ver quem pode dedurar mais. Cunha, Funaro e Geddel participaram do mesmo conluio. Duvido que se a delação fosse de apenas um deles, colocariam a boca no trombone e denunciariam realmente TUDO que sabem. Como são tres e cada um deles sabe bem como a corda lhes aperta o pescoço, teremos muitos fatos novos daqui pra frente! É o que espero.

  4. Carlos Santos disse:

    É Kennedy. Tanto dinheiro transitando nas contas e malas dos políticos e não conseguimos verbas básicas. Imaginem um Brasil perfeito em que as forças armadas bem equipadas protegem nossas fronteiras e a segurança pública supre equipada controla as zonas urbanas reduzindo a criminalidade e dando paz ao povo para empreender, trabalhar, em fim, produzir. Era uma vez um sonho chamado Brasil!

  5. Francisco das Chagas de Maria disse:

    Sr. Geddel, comece devolvendo os R$ 51.000.000,00.

  6. Maurício Assuero disse:

    Prezado Kennedy, acredito que se Geddel resolver contar o que sabe, com todas as letras, não importa muito se será a tempo ou não da votação da segunda denúncia. Foca-se a legalidade, mas não a imoralidade. Tenta-se anular a gravação de Joesley, mas todo mundo ouviu a voz de Temer dizendo que “tem de manter isso, viu?”. O que nos constrange é o receio de delação que o planalto tem. Se Temer é inocente, se não fez nada, etc.. de onde vem tanto medo? “Quem não deve não teme”. É simples assim. Espero que ele conte tudo, porque não se pode ficar convivendo com esse bando de ladrões e cafajeste.

  7. Fabio disse:

    Kennedy, sou aqui do interior de São Paulo e o que mais ando ouvindo das pessoas é, não vamos votar no ano que vem em nenhum deputado e senador que está dando apoio ao Temer, votou com Temer, votou contra o povo brasileiro.

    • p/Fabio - A RESPOSTA AOS CORRUPTOS VIRÁ NAS URNAS, EM 2018! disse:

      É isso mesmo o que se tem ouvido, Fabio. E na época das eleições todos nós que estamos indignados com tanto corrupto na política e governo, temos que difundir “LISTAS COM OS NOMES DE TODOS OS APOIADORES DE CORRUPTO, NÃO SÓ DO TEMER, MAS DO LULA, DO AÉCIO ETC). Devemos fazer listas e difundir na internet, principalmente, hoje o maior veículo de divulgação do mundo! Isso sem falar do “boca a boca”, a propaganda de eficîência comprovada, visto que passada de amigo para amigo. Essa ladrãozada vai ter uma surpresa, nas urnas! As carreiras políticas desses deputados e senadores que têm apoiado Temer principalmente a não ser investigado vão chegar ao fim!

  8. Célio Jorge Lasmar disse:

    Se fossem ladrões pé de chinelo já teriam tomado um bocado de pauladas e estariam dando até o ultimo grão de milho, mas como são ladrões da sociedade brasileira estruturados na política para roubar o erário nacional ficam aí presos e todos saltitantes achando que irão se safar. Pau neles

  9. Stanislaw: POR QUE TEMER TEM TANTO MEDO DA CÂMARA AUTORIZAR A DENÚNCIA CONTRA ELE? disse:

    Temer, e seus defensores na Câmara (Marum e Perondi na cabeça) pensam que o povo é idiota. Temer disse, alto e bom som que, enquanto seus ministros fossem apenas alvos de inquéritos, ficariam nos cargos, mas, caso fossem denunciados, “SERIAM AFASTADOS DE SEUS CARGOS”. Agora estão denunciados além de ministros, o próprio Temer. E Temer, além de não “cumprir sua palavra”, ainda compra deputados corruptos para que a Câmara não autorize o STF a investigá-lo! A verdade é que ele sabe que não provará sua inocência, porque é corrupto, e o país inteiro o ouviu dizer para Joesley Batista: ‘TEM QUE MANTER ISSO, VIU”? Ao que Joesley continuou: “TODO MÊS”. (REFERINDO-SE AO PAGAMENTO DE PROPINA A EDUARDO CUNHA).
    Obs; Vai prejudicar a carreira de pelo menos “172 DEPUTADOS” que o livrarão somente até o fim de seu mandato – esses deputados não serão reeleitos em 2018, pois os eleitores terão seus nomes gravados em listas, na hora de votar. E ele vai responder à Justiça, após o mandato!

  10. GEDDEL E LOURES, FALEM DEPRESSA ENQUANTO É TEMPO! disse:

    Se Geddel e Ricardo Loures não se apressarem correrão o risco de acabarem cometendo o mesmo erro de Marcos Valério, no Mensalão – Marcos Valério ficou calado quando deveria ter falado logo tudo o que sabia e acabou sendo o maior condenado do Mensalão: 50 anos de cadeia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-28 05:31:35