aki

cadastre-se aqui
aki
Economia
01-06-2018, 18h49

Indicação de Ivan Monteiro busca segurar preço da ação

Deverá haver calibragem na política de preços da Petrobras
6

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Ivan Monteiro tende a ser mais do que um presidente interino da Petrobras. Deve ser o nome que ficará porque é uma tentativa do presidente Michel Temer e do Conselho de Administração da estatal de segurar o preço da ação, indicando alguém benquisto pelo mercado financeiro.

Ou seja, seria uma forma de tentar mostrar aos investidores nacionais e internacionais que a gestão da Petrobras continuará mais para Pedro Parente do que para Maria das Graças Foster. Ex-diretor do Banco do Brasil, Ivan Monteiro já estava na Petrobras antes da chegada de Parente e tem experiência no serviço público. Ele é diretor financeiro da companhia.

Parente, aliás, está saindo porque a política de preços está mudando. O governo já pretende fazer reajustes mensais para o diesel e enfrenta forte pressão política para adotar fórmula semelhante para a gasolina e o gás de cozinha.

Deverá haver uma calibragem na política de preços da estatal, colocando o consumidor na equação. A liberdade total, com variações diárias atreladas à cotação do dólar e ao preço do barril de petróleo, tende a acabar. Há apoio político no governo e técnico em setores da sociedade para que esse caminho seja adotado.

Não haverá um volta aos tempos de Dilma, com uma completa interferência no preço, mas a adoção de uma política que preserve o retorno do acionista, com uma gestão mais profissional. A tendência é que se leve mais em conta o consumidor ao fixar um preço tão importante para a economia.

Quando Parente aceitou o convite para presidir a companhia, ele negociou liberdade total com Temer. O desafio de Ivan Monteiro será combinar o desejo de um governo que está enfraquecido com as expectativas de um mercado que teme a volta da ingerência na estatal.

Adendo: ontem à noite, Temer confirmou a indicação definitiva de Ivan Monteiro para o cargo. Falta a formalidade de aprovação pelo Conselho de Administração da Petrobras.

Ouça o comentário feito no “Jornal da CBN – 2ª Edição” de sexta:

Comentários
6
  1. walter disse:

    Se este Ivan Monteiro prima pela sua posição, como carreirista na Petrobrás, caro Kennedy, não deveria aceitar tal posição, nem como interino; esta indo contra a recuperação da empresa; por um presidente que FALTOU COM A PALAVRA; pior, esperou uma entrevista, ao jornal da casa, para confirmar a fragilidade do Pedro parente, neste governo; tudo isso, por obra e graça na politicagem do Moreira franco, SUMIU DURANTE A CRISE, uma raposa velhaca, casado com a sogra do Maia, que não Honra seu Estado, dependente da melhora na Petrobras…Nem o Maia acreditou na atitude bisonha deste governo mambembe…NÃO se pode aliar interesses caseiros, a politicas empregadas nas commodities… esta é a maior prova, que o temer esta perdido, seguindo um bando de interesseiros, que deveriam primar pelo governo em primeiro lugar…não há interesse em aliar de fato os preços; neste caso o parente estava incomodando os desmando na Petrobras..

  2. Alberto disse:

    Patrimonialismo,clientelismo,etc,etc…

  3. mano disse:

    prezados: não sei se a política de preços da petrobrás está errada, mas não funciona desse jeito. Afetou profundamente a viabilidade do transporte rodoviário brasileiro, aliás a locomotiva de escoamento da produção. Esta categoria demonstrou que tem força e o governo foi obrigado a ceder. Outras caregorias só não param o país porque não têm força, mas p preço da gasolina está um absurdo. Cabe urgente uma reforma política e tributária. Isso tudo é resultado dos desmandos e incompetência da classe política do país. O Brasil é bom para quem trabalha no judiciário e no congresso – trabalham pouco e mal.

  4. mano disse:

    prezados: enquanto os caminhoneiros são exemplo de democracia, o juiz Gilmar Mendes liberta os amigos corruptos e ca_ _ para os cidadãos brasileiros. O Brasil não tem mais jeito.

  5. F G disse:

    Com certeza essa politica de preços do Governo é Nefasta, mas um país do tamanho do Brasil tem que viabilizar formas mais econômicas de transporte de cargas, ferrovias e hidrovias, o problema é que isso não é da vontade do Capital

  6. Antonio disse:

    Prezado Kennedy, parece que o ser humano já não tem valor nenhum. Só se fala de mercado, o que o mercado quer, exige, etc. Coisa abstrata que as pessoas adoram citar. Ora, o tal mercado, como bancos, não tem pátria, não tem sentimento, não tem família, não tem pudor e nem ética. Pouco importa que o tal mercado muitas vezes é utilizado por especuladores, prejudicando milhões de pessoas, tal a ganância pela acumulação de riqueza. Falta mais respeito à dignidade do ser humano.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-09-22 14:34:27