aki

cadastre-se aqui
aki
Política
14-03-2016, 16h43

Juíza paulista joga abacaxi para Sérgio Moro

Investigadores de Curitiba já manifestaram contrariedade com MP paulista
6

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

A remessa ao juiz Sérgio Moro da denúncia e do pedido de prisão preventiva feitos pelo Ministério Público paulista contra o ex-presidente Lula pode acabar resultando numa decisão favorável ao petista.

A juíza paulista Maria Priscilla Hernandes Veiga Oliveira decidiu que cabe a Moro analisar o caso. Ela ressalvou que não vê urgência no pedido de prisão e que não foi apresentada prova do crime de lavagem de dinheiro. Trocando em miúdos: passa a competência a Moro apontando que são imprestáveis a denúncia e o pedido de prisão.

Quando os promotores paulistas divulgaram a denúncia e o pedido de prisão, integrantes da força-tarefa em Curitiba consideraram frágeis ambas as peças. Por coerência com a avaliação de bastidor sobre o desempenho do Ministério Público paulista, é lógico esperar que Moro tenha uma apreciação negativa a respeito do trabalho dos promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Araújo. Moro e o pessoal de Curitiba não costumam confundir Engels com Hegel.

Registro: a juíza Maria Priscilla saiu com categoria da sinuca de bico na qual o Ministério Público paulista a havia colocado. Jogou o abacaxi para Moro descascar.

Pelo rigor com o qual conduz a Lava Jato, é mais provável que Moro deixe de lado o trabalho do trio Conserino-Blat-Araújo e busque provas, evidências e indícios fortes para justificar medidas mais duras em relação a Lula.

Moro ousou determinar uma condução coercitiva do ex-presidente, ordem que foi contestada por segmentos significativos do direito. Já os três promotores paulistas foram além, denunciando e pedindo a prisão preventiva de Lula. Pela fragilidade dos pleitos, foram bombardeados e ridicularizados no meio jurídico.

Leia aqui a decisão da juíza paulista, também publicada pelo Jota.

Comentários
6
  1. Romanelli disse:

    nem tudo é o que parece ..bobo eu
    .
    não é abacaxi nenhum ..Apesar de NÃO ser, Moro poderá aparentar ser “justo e equilibrado” ..trata-se aqui de se levantar a bola pra ele poder marcar e correr pra galera, visto que a denuncia proferida pelos doutros promotores de SP, por mais duma duzia de juristas, já é dada como AMADORA e inapta, devendo portanto ser NEGADA.

  2. Luciana Almeida disse:

    É por isso que cancelaram o depoimento dele por vídeo conferência, hoje? Já sabiam que agora no final da tarde, haveria essa articulação?

  3. A justiça brasileira deixando de ser cega e começando a enxergar.

  4. Dumbo disse:

    Toma que o filho é teu! Inacreditável. Que fiasco. Bom… pelo menos não houve a doentia demora para declarar a decisão. Nem leu o palavroso e extenso processo, carimbou um ‘foda-se’ e jogou na caixa de saída. Pergunto agora se não é o caso dos digníssimos promotores devolverem ao erário os seus vencimentos destes 7 meses, recebidos para produzir matéria etérea. Se fossem funcionários do jurídico de uma empresa privada, já estariam hoje mesmo “catando coquinhos” ou latas na rua. O Ilmo. Dr Juiz Moro deve estar neste momento requisitando ao almoxarifado uma lata de lixo tamanho master ou super, onde arquivará ‘de ofício’ a referida denúncia. Que papelão! Merece o troféu Abacaxi do Ano. Lula deve estar rindo até as orelhas.

  5. A juíza mandou o “abacaxi” para o juiz Sérgio Moro. O povo mandou uma banana para Dilma, Lula e o PT. A justiça negou habeas corpus aos laranjas. E agora o Feira quer falar. Mais um pepino para a turma de barraqueiros.
    Que zika! Corrupção Mata mais que mosquita!

  6. Maria da Consolação disse:

    Poucas coisa tem me animado ultimamente… mas o vexame que os procuradores do Ministério Público de SP deram e a hostilização do Aécio, Alckmin e Marta no domingo, não tem preço!

Deixe uma resposta para Maria da Consolação Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-10-30 10:20:33