aki

cadastre-se aqui
aki
Política
28-10-2018, 23h01

Lava Jato abriu caminho para eleição de Bolsonaro

Membro do sistema, eleito vendeu ideia de ruptura
23

KENNEDY ALENCAR
SÃO PAULO

A Lava Jato abriu caminho para a eleição de Jair Bolsonaro. Embora tenha revelado um enorme esquema de corrupção, a Lava Jato destruiu a classe política tradicional e permitiu que o candidato do PSL se apresentasse como uma novidade contrária ao status quo. Ocorreu no Brasil um efeito semelhante ao vivido pela Itália após a Operação Mãos Limpas.

Ele se elegeu às custas de representar ruptura, mas faz parte do sistema. Terá dificuldade para entregar o que prometeu. O presidente eleito não deixou claro o que pretende fazer com o país em seus primeiros discursos pós-vitória. Houve menções genéricas sobre medidas políticas e econômicas. Tampouco Bolsonaro fez aceno para seus opositores.

Fernando Haddad, que saiu da eleição maior do que entrou, também falou apenas para os seus eleitores. Faltou gesto para o conjunto do país e para o próprio Bolsonaro. No entanto, foi importante o petista pedir aos seus eleitores que não tivessem medo, colocando-se como líder de fatia importante da sociedade.

Eleito para o governo paulista, João Doria muda a configuração do PSDB, aprofundando o conservadorismo da legenda. O voto evangélico foi decisivo para as eleições presidenciais e também nos principais Estados. Bolsonaro impulsionou onda conservadora que elegeu Witzel (RJ), Zema (MG), Doria (SP) e Eduardo Leite (RS). Tom religioso marcou primeiros discursos.

Justiça Eleitoral é uma das maiores derrotadas da eleição. Fez bravatas contra fake news no começo do ano e foi engolida por avalanche de mentiras. É herança negativa para futuras eleições que demanda enfrentamento.

Em quatro horas no “Jornal da CBN – 2ª Edição”, foram feitas análises sobre o segundo turno das eleições. Ouça abaixo:

Comentários
23
  1. […] Fonte: Lava Jato abriu caminho para eleição de Bolsonaro | Blog do Kennedy […]

  2. José Antônio disse:

    Creio que a lua de mel com o eleitorado que acreditou e confiou nessa promessa de banir o “toma lá dá cá”, por exemplo, não vai durar muito tempo. Todos os presidentes tiveram que governar com Congresso. Em não fazendo isso só restam as alternativas: renunciar; fechar o Congresso; resistir e gerar uma crise institucional e não ter governabilidade; e sofrer impeachment.
    O que ele vai fazer se não agir do jeito que o Congresso sempre funcionou e ele, deputado de longas datas, sabe muito bem?

    • Mauro disse:

      Conversinha de derrotado, hein?
      Bolsonaro foi eleito e sabe muito bem em que terras vai pisar, até porquê tem aliados no Congresso, seja de seu próprio partido, seja de outros partidos que tem linhas de atuação e pensamento iguais as suas.
      Todos sabemos que 99,9% dos deputados e senadores dependem das tais emendas parlamentares, pois sem essas verbas ninguem faz nada e portanto, essa “oposição” vai até a segunda página.
      A verdade é que a oposição vai pisar em ovos tanto quanto Bolsonaro e qualquer radicalização por parte de setores que não admitem ficar longe do poder, terá resposta, seja dos adversários congressistas como tambem de aliados e de forças que apoiaram a eleição.

      • José Antônio disse:

        Nada disso. Interpretou errado! Desde a fundação da República o Congresso funciona assim. Ninguém apoia ali só por amor à Pátria. Essa é a realidade. Alguns que apoiam ele, por exemplo Magno Malta, já apoiou Dilma. É nacionalismo ou interesse?
        Para romper com essa tradição secular é muito complicado. Creio até que ele tente fazer isso, mas é difícil. Foi isso que quis dizer.
        Se você voltar na História vai ver que o Marechal Deodoro, primeiro presidente do Brasil, teve sérios problemas com o Congresso porque não teve flexibilidade para negociar!
        Você acha que se fosse o Lula o presidente em vez da Dilma teria impeachment? O Lula teria “acalmado” os deputados! A Dilma quis dá uma de durona e quebrou a cara.
        Veja se Temer caiu? Ele tratou bem o Congresso!
        Raríssimas exceções, se é que existe, estão preocupados com Brasil em primeiro plano. Ninguém apoia a troco de nada, pelo Brasil, pelo bem do povo.

        • p/ José Antônilo - É hora de união nacional: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos"! disse:

          Não se esqueça que o Senado e Câmara Federal sofreram uma faxina substancial: extirpou-se boa parte de corruptos ali instalados há anos. Temos que ter esperança que os corruptos que permaneceram não tenham força suficiente para ser maioria para embaçar propostas positivas visando o melhor para o país. Se acharmos que o Senado e Câmara, porque sempre atuaram na base do “toma lá dá cá”, jamais mudarão tal procedimento, é acharmos que isso é algo ditado pelas instituições e não por senadores e deputados que as compõem. É a mania de generalizar tudo. Se um juiz é venal, ladrão, corrupto, não se pode dizer que o Judiciário é assim, pois o Judiciário é composto por “pessoas”. O mesmo temos que dizer em relação a todas as instituições. Instituição nenhuma “não presta, é corrupta”; ou é “honesta, correta” – há pessoas boas e ruins. Realmente haverá dificuldades mas a “maioria” venceu, e a maioria há de “continuar” lutando pela “Ordem e Progresso” da bandeira verde/amarelo/ azul/ branco!

    • walter disse:

      Caro Jose Antonio e Kennedy; teremos a sensação da mesmice por algum tempo, fomos enganados por vários governos, com o efeitos, do toma lá da cá…desta vez, as coisas terão funcionalidade; parlamentares vão querer participar, para demonstrar trabalho e presença, consequentemente…o plano é simples: sempre a favor da sociedade, evitar gastas desnecessários; cortar os supérfluos verdadeiramente…terá maioria na câmara; precisará negociar no Senado; ali não tem maioria, mas renovou…sinceramente, precisamos ter Fé em Deus, para agradecer o milagre, em todos os sentidos; nem o Bolsonaro havia planejado todos estes passos espinhosos; quando dizem que Deus é Brasileiro…todos os passos desta eleição, contem mistérios, e muita novidade positivas; este País vai conviver com dificuldades…votará aos trilhos da prosperidade, com maior movimentos produtivos, e empregos certamente…

  3. Mariza disse:

    O PT vai ter que fazer a lição de casa, encontrar uma forma de reparação. Aluno metido não passa em conselho de classe. O discurso nós contra eles continua forte de ambos os lados. Tanto a direita como a esquerda esquecem que o País é formado de vários pensamentos e necessidades.

    • Aloisio de Arruda Camargo Sampaio disse:

      Sra/Srta Mariza, boa tarde
      O discurso da DERROTA confirma o seu assertivo comentário.
      A arrogância é o farol que norteia o PT; é uma gente sem o hábito do convívio democrático.
      No fundo é bom ELES longe de nós, até que aprendam pela dor, conviver de forma republicana pelo amor.

  4. Mauro disse:

    O PT foi derrotado, por inumeras dezenas de razoes, mas com certeza, algumas delas foram fundamentais e em um primeiro momento parece que esses motivos irão perdurar.
    Nunca admitir e condenar seus filiados que se envolveram em corrupção!
    Afastar-se do povo e das periferias, dando voz e vez sómente aos intelectuais de boutique e aos “revoltadinhos sem causa” do meio universitário! Vide palavras de Mano Brown!
    Nunca condenar publicamente a ditadura venezuelana e emitir sinais de apoio ao criminoso Maduro.
    Vociferar e tentar desmoralizar delegados, juizes e promotores ligados a Lava-Jato!
    Tentar com todos os metodos, meios e chicanas, fazer valer a candidatura de Lula, mesmo sabendo que a lei da ficha-limpa impediria.
    Transformar Haddad em um verdadeiro boneco de ventriloquo, obrigando-o a um beija-mao a um condenado pela justiça.
    Tentar vender a idéia de que Temer era um inimigo, mesmo sabendo que o mesmo foi parceiro e aliado nas eleiçoes, na chapa de Dilma.

    • Elaine disse:

      No conjunto da obra, todos erraram: Justiça, Executivo, Congresso, Partidos, etc. O povo cansou de tudo isso e disse: BASTA! QUEREMOS MUDANÇA, MAS UMA MUDANÇA RADICAL.
      O problema é que estes eleitores não fizeram o dever de casa, ou seja, pesquisar no google para saber quem era Jair Bolsonaro, não tenho dúvidas de que quem fez isso votou em Haddad de olhos fechados.
      Essa turma que contribuiu para derrubar a Dilma e votou em Bolsonaro está transformando o Brasil numa Venezuela.
      A Venezuela tem um maluco no poder, o judiciário na sua mão e as forças armadas idem, além do povo na miséria.
      Qualquer semelhança com o nosso país não é mera coincidência.
      Uma hora a ficha cai e o delírio passa.
      Quem viver, verá.

  5. ANDRE disse:

    Não vou dizer que ontem foi um página triste da história brasileira, vamos esperar que a própria história responda. Bolsonaro, levantou na coletiva um livro, que alguns disseram ser a biografia de Churchill, me pareceu no entanto, ser o livro memórias da segunda guerra mundial, mas o que importa é lembrar que Churchill, foi um anti-comunista, mas também um anti-fascista, um defensor ardoroso da democracia britânica e que jamais se quer cogitou um governo de militares no Reino Unido, apesar de todo o respeito que tinha por estes ( o mesmo foi militar por um curto período). Bolsonaro nunca conseguirá ter o mesmo brilho de Churchill, mas se pautar o seu governo pelo o que foi o mesmo, já é um bom caminho. Para a oposição, espera-se um caminho diferente do que adotou Aécio na eleição passada, reconhecer a derrota e dar um crédito inicial ao vencedor é necessário.

  6. Francisco Tavares de Melo Viana disse:

    Bom dia Caro Kennedy, uma coisa me chamou atenção, Haddad não teve humildade para agradecer os votos do nordeste (única região do pais aonde ele venceu), bem como também não teve a humildade e o cuidado de reconhecer a derrota. O discurso dele foi de divisão, ou seja, os 45 milhões que votaram e’m mim são meus e os 55 milhões são do Bolsonaro. Só que ele está errado, Bolsonaro será o presidente de todos os brasileiros, dos que votaram e dos que não votaram nele e será também o presidente do Haddad. Haddad e o PT precisam entender que o Bolsonaro foi eleito democraticamente e que a vontade da maioria de uma nação deve ser respeitada. O povo decidiu e assim será pelos próximos 4 anos, e qualquer tentativa de desconstruir o Bolsonaro apenas por ideologia contrária deverá ser visto como crime de lesa pátria e enquadrado no plano de segurança nacional. A maioria deve ser respeitada custe o que custar.

  7. Francisco Ricardo disse:

    Pode não se concretizar o que vou falar, pois não ponho minha mão no fogo por ninguém, mas a expressão “modelo disruptivo” é o que se está discutindo. Portanto, até os primeiros atos efetivos do novo governo, tudo o que for dito é pura especulação, afinal quem disse que só se pode governar com toma lá dá cá? Se for pelas experiências passadas ainda não é possível dizer que sim nem que não. De resto, a atitude dos dois foi bem feia não acenando um ao outro. Mas discordo da sua visão de “proteção” pelo Haddad para os que acham que serão prejudicados. Não tem nada disso… na verdade ele quer mesmo é se manter como líder da oposição e para isso precisa manter o “nós contra eles” vivo na figura dele. Puro maniqueísmo. Por fim, a eleição foi dura e os dois guardam mágoas um do outro. Para o bem ou para o mal, agora o Bolsonaro é o Presidente eleito e vamos ter que lidar com isso pelos próximos 4 anos.

  8. Fabio disse:

    A eleição do Bolsonaro é simplesmente um desastre sem precedentes para nossa fragil e decadente democracia.

  9. Miguel Ângelo disse:

    Falemos a verdade. Não só para 55% dos brasileiros, mas sim para todos. Bolsonaro é o presidente do Brasil. Hoje já é um novo dia, e com uma nova realidade. Não julguemos o mérito disto tudo, porque o resultado já mostrou. Bolsonaro fez o caminho dele. Aos outros 45%, cabem trabalhar e se preparar para um Brasil diferente. Se bom, se ruim, só o tempo dirá. Não moramos feito Peru de Natal. Parabéns aos Bolsonaristas! Parabéns ao PT por ter o colocado lá. E no fim… vamos todos é trabalhar mesmo.

  10. Alberto disse:

    A população elegeu,democraticamente,o novo presidente.O derrotado,num clima de velório,falou s/o “nós contra êles”,tradicional chavão democrático da sigla,os conhecidos “gopi” e a condenação do seu chefe,além da ONU,etc,etc.Discurso de guerra logo após ser oficializada a derrota.Hoje após sofrer várias críticas,protocolarmente,parabenizou o vencedor pelo twitter.Esperamos que a população tenha acertado na escolha,já que as últimas foram um fracasso amplo,geral e irrestrito.
    Rezemos.

  11. DEMOCRACIA: "BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS"! disse:

    Na democracia não há governo sem diálogo com o Congresso. Só que “diálogo” não é “conchavo”. Milhões de brasileiros deram recado que queriam “mudanças” no sistema político corrupto no país, excluindo participação de “partidos” e “políticos” nas manifestações de rua, em 2013. Ali foi o 1º recado. De 2013 a 2018 o povo observou e mais se indignou: Lava Jato, STF (principalmente com os disenterias verbais e decrepitudes morais do STF), os brados de “É PRECISO ESTANCAR ESSA SAGRIA”, a “amaciada” para dilma no impeachment, as “amaciadas” para aécio e temer pelo Senado, as tentativas de tirar lula da cadeia, as armações no Congresso para manter as reeleições das velhas raposas corruptas (quebraram a cara/exceções jader barbalho, renan calheiros, aécio, gleisi) etc. Bolsonaro, contra toda essa corrupção, foi abraçado por sessenta milhões de brasileiros. Agora é a segunda etapa da luta. Bolsonaro não é presidente de 60 milhões de eleitores, mas de todos os brasileiros. Isso é democracia.

  12. VIVA A DEMOCRACIA! VIVA A UNIÃO NACIONAL! VIVA BOLSONARO, PRESIDENTE DO "BRASIL"! disse:

    Você, Kennedy, jornalista reconhecidamente competente e admirado, sabe que há jornalistas venais, desonestos, mentirosos, corruptos etc. Sabe que, entretanto, não são maioria – uma minoria, muitos até não identificáveis pelo público, mas identificáveis por quem é do meio. O mesmo sucede entre advogados, médicos, juízes, promotores, engenheiros, comerciantes, industriais, religiosos, artistas etc. Não aceitar conviver com esses tais, mesmo sendo do meio, cabe a cada um. No meio político, é a mesma coisa. Só que chegou a um ponto, no meio político nacional que os corruptos se tornaram maioria – a corrupção se tornou praxe e Mensalão e Petrolão são apenas dois terríveis exemplos. Como brasileiro, Kennedy, louvo qualquer político que, mesmo estando nesse meio há anos, resolve se rebelar contra tudo isso, colocando em risco a sua própria vida. Só isso já nos impõe uma boa dose de respeito e admiração. Torcer por ele e, se possível ajudá-lo, faz parte do caráter de cada brasileiro.

  13. antonio sousa disse:

    “Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado” Ruy Barbosa

    Não tenho essa vergonha, porque eu fui as ruas e as praças lutar pela democracia, pelo estado de direito e as garantias individuais, que só um estado livre e democrático pode garantir para ao cidadão.
    Eu não tenho essa vergonha, porque não acreditei nas milhares de mensagens que recebi em meu celular.
    Eu não tenho essa vergonha, porque não enviei e nem repassei mensagens falsas mentirosas.
    Eu não tenho essa vergonha, porque porque não defendi o fascismo.

    Eu sou um vencedor, porque lutei pela Democracia e liberdade nunca será um derrotado, ainda que tombe no campo de batalha.

    em tempo:
    Ainda no domingo, em Salvador, no bairro do Rio Vermelho, vi uma pré-estréia do que serão esses quatro anos.

    Foi terrível.

  14. jose disse:

    Talvez o propósito fosse esse, ou não. Então, agora já podem soltar o Lula e, às vésperas de 2022, o prendem novamente. Li no UOL uma pérola vinda de outra pérola “estamos vacinados contra o autoritarismo”. Nós quem? Nós brasileiros somente estaremos vacinados contra o autoritarismo quando militares e civis torturadores forem julgados, pois o Brasil é o único país do cone sul que não julgou o regime ditatorial e militar nas décadas de 60, 70 e meio 80. Daí, o festival de bagunça nessa campanha eleitoral, general chamando candidato para entrevista.

  15. João Grilo disse:

    O Moro prende o Lula. O Bolsonaro vira presidente. O Moro vai pro STF ou Ministério da Justiça.
    Precisa desenhar ?

    • p/ João Grilo - A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE! disse:

      Pois é, resumindo: tudo é consequência do operário que virou presidente, que o mundo admirou, que os brasileiros reverenciaram (alguns idolatraram). Ele veio como aquele que acabaria com os privilégios, faria reforma agrária, mexeria nos ganhos absurdos dos agiotas oficializados, combateria a corrupção e colocaria a ladrãozada na cadeia (Maluf era o mais denunciado por lula, como o maior ladrão do país). Só que o operário se corrompeu: Mensalão e Petrolão são dois exemplos das roubalheiras que transformaram partidos políticos em quadrilhas de ladrões de cofres públicos. Revolta, e o povo nas ruas, em 2013, deu o recado, que os políticos não entenderam. Impeachment, Lava Jato, lula na cadeia. Bolsonaro representando o que a maioria do povo pede, é nosso novo Presidente. Confio nele, piamente! Trabalhei para ele mais do que para lula, em seu 1º mandato. Odeio lula e tudo o que ele representa. Amo Bolsonaro e tudo o que ele representa! Viva Bolsonaro! Viva eu!

  16. João disse:

    O lulopetismo virou um caudilhismo corrupto e corruptor”

    Brasil 31.10.18
    06:33

    Ciro Gomes sempre insinuou que tiraria Lula da cadeia.

    Só agora, depois de voltar de Paris, ele entendeu que fez o cálculo errado.
    Ele disse para a Folha de S. Paulo:

    “O lulopetismo virou um caudilhismo corrupto e corruptor que criou uma força antagônica que é a maior força política no Brasil hoje. E o Bolsonaro estava no lugar certo, na hora certa. Só o petismo fanático vai chamar os 60% do povo brasileiro de fascista. Eu não, de forma nenhuma.”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2018-11-19 19:35:47