aki

Kennedy Alencar

cadastre-se aqui
aki
Política
19-10-2016, 9h19

Lava Jato tende a acelerar reforma política

Revelações contra PMDB e PSDB devem levar a reação do Congresso
8

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Há sinais de que uma onda de revelações da Lava Jato e de outras investigações de corrupção tende a acelerar não só um agenda de votações de matérias econômicas no Congresso, mas também de projetos de natureza mais política.

Sempre que sofre uma grande pressão da opinião pública, o Congresso reage aumentando o seu ritmo de votações, numa espécie tentativa de saciar críticas. Foi assim após as manifestações de junho e julho de 2013. O PT já sofreu efeitos duros da Lava Jato.

Agora, essa conta está prestes a chegar a políticos de peso do atual governo, atingindo mais integrantes do PMDB e do PSDB, que são os dois principais partidos de sustentação da atual administração.

Ao lado da agenda econômica, basicamente composta pela PEC do Teto e pela futura proposta de reforma da Previdência, uma série de projetos de natureza política poderá ganhar força.

Uma abrangente agenda sugerida pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), deve ser vista nesse contexto. Uma reforma política que produza regras que induzam a redução do número de partidos seria bem-vinda. Outra que tente resgatar o financiamento empresarial para campanhas políticas será vista com mais desconfiança.

Apesar da gritaria em relação às regras atuais, que proibiram financiamento empresarial, as campanhas ficaram mais baratas. O importante é limitar a possibilidade de um candidato rico tirar uma montanha de dinheiro do próprio bolso, porque isso desequilibra o jogo.

Nas propostas do Ministério Público, há detalhes ruins, como validar provas ilegais. No projeto de abuso de autoridade, existe uma intenção inadmitida publicamente de dificultar investigações de corrupção, mas é bom que se exija mais responsabilidade de quem apura.

Portanto, a depender dos detalhes, poderemos ter uma oportunidade para melhorar a política. Isso vai depender da qualidade da discussão e também do tamanho do desgaste que o atual governo sofrerá.

Ouça o comentário no “Jornal da CBN’:

Comentários
8
  1. Maria Aparecida Ramos Tinhorão disse:

    Reforma política deve começar obrigatoriamente pela extinção do imposto sindical e 99% dos sindicatos.
    Sem esse lobby espúrio é possível avançar livre desse corporativismo criminoso !

    • walter disse:

      Creio nisso cara Maria Aparecida…acredito que serão automáticos, o expurgo, destes sindicatos, pelo menos a diminuição destes; nenhum governo que se prese,vai bancar a “farra do boi”…
      Brilhante as previsões do Kennedy, de que a lava jato vai causar, e acelerar processos, e aprovações no congresso…infelizmente, temos ervas daninha”, como Renan, e Jucá; querem aprovar medidas, para proteger “criminosos citados”, do “colarinho branco”,muitos dentro do congresso.
      A Lava jato, depende das 10 medidas,a serem submetidas e apreciadas, que seguiram com 2 Milhões de assinaturas, para acabar com privilégios parlamentares, que o Renan, quer tanto aumentar; neste momento, valerá a pressão popular…até o Temer, pode ser destituído, caso se comprove, o dinheiro de cx dois, na campanha de sua chapa com dilma; corre se o risco…

    • Ricardo disse:

      Concordo, sindicatos hoje são maneiras de enriquecimento ilícito. Poucos sindicatos e muito bem fiscalizados.

  2. Mauro disse:

    Só a história fará muitos compreenderem a importância da Lava-Jato, para o Brasil.
    É óbvio e claro que sendo conduzida por seres humanos, está sujeita a escorregoes e falhas, que são infimas perto do que ela tem proporcionado e mostrado.
    A Lava-Jato, antes de qualquer coisa, mostra dentro das possibilidades legais que a limitam, que todos podem ser alcançados pela justiça e de que se havia como esconder algo ilegal no passado, hoje está muito mais dificil e complicado. Não existem mais barreiras de sigilo. Ninguem esconde nada de ninguem, por todo o tempo. Isso acabou.
    Os detratores da Lava-Jato, são justamente aqueles que devem e temem, pois sabem que sua hora chegará, pois a grande maioria da população brasileira é fã e totalmente favoravel aos trabalhos do MP e de Sérgio Moro.
    Deixar a Lava-Jato trabalhar…é isso que as pessoas honestas do Brasil, querem, pois quem não quer ou é criminoso, ou vive dos crimes que o outro cometeu.

  3. Sônia Ribeiro disse:

    O que estes políticos precisam entender, de uma vez por todas, e que ficou claro nas últimas eleições é que o povo amadureceu, não leva mais gato por lebre e está mais atento.
    Se eles não pararem de se marginalizar, se não acabarem com esta corrupção maldita, não deixarem seus privilégios pessoais em benefício dos direitos do povo, sucumbirão todos!
    Aos poucos, as manifestações populares, que se iniciaram em junho de 2013 e se estenderam, serão praxe e juntamente com a Lava Jato, que já tem vida própria, colocarão cada um no seu devido lugar e a tendência é que esses bandidos, que se escondem sob a alcova de políticos, serão destruídos. Ou governam e promovem as diversas mudanças necessárias (reforma política, tributária, previdenciária, penal, etc), sem enganação, ou verão o que lhes resta!

  4. mario machado disse:

    De todas as reformas, necessárias e urgentes, apenas a da Previdência não se acha de corda ao pescoço. Corrigindo as distorções – pagamento aposentadorias a homens do campo sob a capa de se fazer Justiça a uma classe importante – às dívidas aos acidentados e restará uma economia de 130 milhões de reais. O homem do campo não contribuía para a Previdência, não por suas culpas, mas do próprio Instituto. Ora, deveria ter-se adotado período de transição até que houvesse caixa suficiente ao crédito de aposentadorias a eles. De afogadilho, também se fez os pagamentos aos pescadores – que não contribuíam igualmente – ao chamado Seguro Defeso, e o que aconteceu? Milhares deles se apresentaram, talvez mais, até onde não há legítimos pescadores profissionais como a Brasília, que não tem mar e que nunca se soube haver uma classe profissionalizada ao ramo. Ora, quantos reais foram dispendidos? Não sou contra a que todos recebam aposentadorias, mas não pode é prejudicar os com direitos reais.

  5. ANDRE disse:

    Não acredito que da bancada atual deste congresso sai nada de bom para o país, principalmente com relação à reforma política. Vejo com desconfiança, por exemplo o voto em lista. A diminuição do tempo de campanha, só favoreceu nas últimas eleições para que tivéssemos menos renovação nas câmaras municipais. Na realidade, o objetivo principal desta reforma é criar mecanismos que facilitem a permanência destes políticos no poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-11-25 01:21:19