aki

cadastre-se aqui
aki
Geral
05-12-2019, 20h28

Maia alfineta Bolsonaro ao visitar Alberto Fernández

Moro e Senado quebram acordo com Câmara sobre 2ª instância
6

Kennedy Alencar
BRASÍLIA

É simbólico que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tenha sido a primeira autoridade brasileira a visitar o presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández.

Faz parte da estratégia de se diferenciar no campo conservador como uma alternativa mais moderada do que o extremismo de direita de Jair Bolsonaro. É um movimento inteligente para quem pode se apresentar como candidato a presidente em 2022.

Maia fez bem ao mandar mensagem explícita ao governo Bolsonaro, que tem uma política externa desastrosa. A forma como o Itamaraty trata o novo governo argentino é amadora.

O presidente da Câmara visitou a Argentina e deu o recado nas redes sociais. Ele disse: “A Argentina é o parceiro mais importante do nosso país. E, portanto, Argentina e Brasil são mais fortes quando estão juntos. A nossa visita hoje veio consolidar ainda mais esta parceria”.

Bolsonaro e o ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) poderiam ter dormido sem essa.

*

Quebra de confiança

Há contrariedade na Câmara com os senadores que quebraram acordo feito entre as duas Casas para votar a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância. Deputados dizem que Moro, que esteve presente na reunião que fechou o acordo, também traiu o entendimento ao pressionar por uma votação no Senado.

As duas Casas haviam decidido que tramitaria a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que está na Câmara, mas a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado quer reinstituir a possibilidade com um projeto de lei, atendendo ao pedido de 43 dos 81 senadores.

Se algo sair mesmo do papel, haverá uma batalha no STF (Supremo Tribunal Federal) a respeito da articulação que deseja aprovar uma PEC ou um projeto de lei para mandar Lula de volta para a cadeia.

Ouça o comentário a partir dos 8 minutos e 58 segundos no áudio abaixo:

Comentários
6
  1. walter nobre disse:

    Outro fato desconcertante Kennedy, o Rodrigo Maia não deveria atropelar o parlamento brasileiro, visitando o eleito da Argentina, desde sua eleição age como inimigo do Brasil, ou seja, não há razão pratica que não seja a politicagem com o dinheiro público, sua ida ao País vizinho, as véspera de uma reunião do Mercosul; atitude tosca não contribui para a harmonia entre os três poderes, age como desagregador, na verdade também faz campanha para o Dória por traz deste cinismo hipócrita. Por isto uma reforma ampla, se faz necessário no País, com o Povo nas Ruas agindo com o firme proposito em acabar com tantas benesses destes parlamentares mambembes..

    • Wellington Alves disse:

      Inimigo do Brasil?
      Não, inimigo do fascismo. É o presidente q vc elegeu que fala merda. O Brasil não se resume ao presidente e Maia mostrou isso. Até ´q, como presidente de uma das casas do parlamento, tem essa credibilidade.

  2. BRAGA-BH disse:

    Eu queria saber mesmo de verdade é o PORQUÊ Lula incomoda tanto estes caras!!

  3. Antonio disse:

    Prezado Kennedy. Continua a discussão sobre a prisão em 2º grau. Nem haveria discussão se não fosse pelo fator Lula e a luta pelo poder. Mas cabe algumas considerações. 1- O corporativismo dos juízes: Sendo todos juízes, desembargadores tendem a confirmar sentenças de seus colegas de 1ª instância. 2- Não há como negar a cumplicidade de juízes, como no caso de desembargadores com o ex juiz Sérgio Moro. Colegas e amigos, íntimos da mesma cidade. 3- As preferências, preconceitos e engajamentos na política de juízes (cabos eleitorais descaradamente). Assim sendo como pode alguém recorrer de uma sentença de 1ª instância? A 2ª instância deveria ter uma composição mista: juízes de carreira e juristas com comprovação ética e de elevado saber jurídico. Ou a 3ª instância nestas condições. Talvez houvesse mais equilíbrio. A união de juiz com procurador e delator, contra um acusado, representando 3 conta 1, como no caso Lula, deveria levar a anulação de todo o processo. Houvesse imparcialidade.

  4. NSK disse:

    Rodrigo Maia. Quem diria… Uma coisa é certa. O desgoverno do Bozonaro torna qualquer um muito melhor pela comparação. Rodrigo Maia vira diplomata, General Mourão é um político sensato, o Gilmar Mendes se torna o defensor da justiça. Nesse desgoverno, qualquer chimpanzé se torna uma figura de destaque.

Deixe uma resposta para Antonio Cancel reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

 
2020-01-19 11:42:48