aki

cadastre-se aqui
aki
Política
13-05-2016, 21h27

Meirelles quer nova CPMF; deficit pode atingir R$ 150 bi

31

KENNEDY ALENCAR
BRASÍLIA

Nos bastidores, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, avalia que será preciso criar um tributo para aumentar a arrecadação da União porque o buraco nas contas públicas neste ano pode ficar entre R$ 120 bilhões e R$ 150 bilhões, segundo avaliações iniciais do novo governo.

O mais provável é que, em algum momento, o governo proponha a recriação da CPMF. Só no ano que vem, esse tributo seria responsável por arrecadar cerca de R$ 60 bilhões. Temer assumiu o governo pedindo a Meirelles que implemente antes outras medidas e evite aumentar impostos na largada.

O objetivo é mostrar que o governo fará um esforço inicial para cortar gastos a fim de criar um ambiente favorável à aprovação da nova CPMF.

Meirelles considera que um novo tributo poderá ser fundamental para equilibrar as contas públicas no médio e longo prazo. O governo Dilma já havia pedido ao Congresso para mudar a meta fiscal para um deficit de R$ 96 bilhões, mas a nova administração avalia que o rombo é maior do que esperado.

*

Recado federal

Na primeira reunião ministerial do novo governo, o presidente interino, Michel Temer, pediu unidade aos auxiliares e que eles evitem opinar a respeito de assuntos que não são das suas áreas. Temer disse que Meirelles falará de economia, num recado claro para José Serra, das Relações Exteriores, e Romero Jucá, do Planejamento. O presidente interino quer evitar trombadas no ministério.

Partiu de Temer a ordem para manter a foto da presidente afastada, Dilma Rousseff, nas repartições públicas. Ele solicitou que os ministros cortem gastos e cargos em suas pastas. E recomendou que todos atuem para ajudar o Rio de Janeiro na realização dos Jogos Olímpicos.

Assista aos temas de hoje no “SBT Brasil”:

Comentários
31
  1. Affonso Celso disse:

    Antes de começar a criar novos impostos o governo precisava dar exemplo e cortar gastos/despesas !

    • walter disse:

      Exatamente Caro Affonso Celso, se os enxugamentos não forem feitos, estaremos apenas, “enxugando gelo”; levantar o tamanho do problema, e agir para minorar…
      Caro Kennedy, bastou o Meirelles, levantar a tese da CPMF que o mercado ficou agitado; mas com os problemas herdados, junto com a Saúde que esta em coma; os estados capengas de da dó, só tem uma saída, o aumento da arrecadação; como já haviam previsto, o remédio é amargo.O Grande desafio, é o tempo, todos estão impacientes, isto pesa…
      Quando for feito o levantamento, descobriremos que o buraco é muito maior; a recuperação da economia, será um grande sinal, mas sem caixa para suprir o deficit como será…
      Acredito que o Temer terá que se indispor com alguns, ou passa a cortar aumentos e até programas, para diminuir o buraco…ou em ultimo lugar, use parte das reservas internacionais, para fazer frente aos compromissos que temos pela frente…

  2. Mário Celso Silva de Souza disse:

    Agora vamos ver se o discurso do Congresso que o Brasil não aguenta mais impostos é verdade ou apenas oposição ao antigo governo. O primeiro desafio sera a recusa da CPMF.

    • Edi Rocha disse:

      Quando era Dilma não queriam de jeito algum aprovar a CPMF.
      Agora querem aprovar? Não.
      Fiquem atentos, esse discurso só significa uma coisa: “Após passar as eleições eles vão aprovar a CPMF, pra não ter prejuízo com votos antes disso”.
      O discurso é só ma adequação a essa estratégia.

    • PAULO FAGUNDES disse:

      A realidade das contas públicas, com o rombo estratosférico na casa dos R$120 a R$130 milhões(conforme avaliado pela nova equipe econômica), faz-me concluir que não será exclusivamente com a contenção de despesas que o governo conseguirá trazer a economia à normalidade. Não podemos dar eco ao discurso elitista contra a CPMF, pois esse é o tipo de tributo que penalizará mais pesadamente(em termos absolutos) as classes mais abastadas, que efetuam transações milionárias em suas contas bancárias. Apenas considero que, antes, seria necessário promover, com impacto:a tributação sobre grandes fortunas;o aumento dos tributos incidentes sobre os lucros bilionários dos bancos e sobre os ganhos de capital; o fim das isenções sobre a distribuição de lucros e dividendos.

  3. walter disse:

    Este é o governo caro Kennedy, que uma meia dúzia defendia, por interesses próprios; se for 150 BI, vamos estar no “lucro”, ela delapidou, junto com seu partido, em tudo que tocava…
    Infelizmente caro, a CPMF eram “favas contadas”, só não liberaram para a dilma, por falta de transparência e confiança em seu governo;motivos suficientes para o impedimento…
    Quanto ao Meirelles, só não pode nos enrolar; a CPMF, não é provisória coisa nenhuma; com os tantos gastos, aumentos compensações aos Estados, enfim, a arrecadação, vai demorar a se recuperar; terão que fazer do “limão, as limonadas”; somos vítimas, de um “governo de faz de contas”; se a dilma perdurasse no poder, o Brasil quebraria de forma irremediável…enquanto isso, o lula acabaria com as tais reservas internacionais a seu favor; distribuiria os 300 BI, para os quatro cantos,se promovendo p/ 2018.Por estas e por outras, que a dilma não vai ficar no poder, nem os seis meses previstos…

  4. Tem muito para ser cortado na estrutura do Governo Federal.
    Três bancos públicos, BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal (Não incluo o Banco Central) Poderia fundi-los ou privatizar dois.
    Gastos com a publicidade do Governo Federal. O Governo não precisa ficar fazendo propaganda dos seus feitos. Na camisa dos times de futebol patrocínio da Caixa. Dinheiro público deve ser priorizado para a saúde e educação, segurança e transporte.
    Milhares de cargos comissionados. A desculpa de que a economia com estes cargos é pouca não cola. Se fosse de $1,00 Real já seria economia. tem que valorizar o dinheiro dos contribuintes.
    Pente fino em ONGs. Pente fino nos cadastros dos programas sociais. Proibição do uso de aviões da FAB por políticos.
    Se tiverem boa vontade dá para cortar muito.

  5. Façam auditoria nas contas e em cada órgão federal, em cada empresa estatal, e mostrem aos brasileiros os rombos que o governo do PT deixou para todos nós.
    O PT se foi, mas, as contas ficaram penduradas. Pedalada é isto. Gasto no fiado e pago quando puder.
    Quem votou Dilma aceitou ser fiador de um governo de picaretas. Se o inquilino não paga a conta, quem paga é o fiador.
    Que zika! Corrupção Mata mais que mosquita!

  6. MOACIR VIANA disse:

    Isto de recriar a CPMF, eu sempre disse que seria uma das primeiras medidas do NOVO GOVERNO, apesar de antes não concordarem. São corruptos, mentirosos e traidores. Será que já não seria hora para começar pensar em cassa-los ??

  7. izaltino f santos disse:

    ja esta dando sinal que o governo temer não vaie funcionar querer criar imposto ja esta provocando desconfiança, a premeria coisa que tem e abrir campo de serviço ainda bem não começou trabalhar ja esta pensando no CPMF, e sinal que so intervenção militar vaie resolver a premeira coisa que tem que fazer e retira imposto,retirando o IPI abre as porta das industria coloca o povo p/ trabalhar, so frutos começa aparece, os frutos mas os políticos do brasil só pença em cobrar imposto , esta todo parado , cobrar imposto de quem?

  8. Mais impostos? por que não pedem as corruptos para devolverem o dinheiro para pagarmos o rombo nos cofres públicos.

  9. Raymundo Almeida disse:

    O próprio Temer enquanto vice por diversas vezes disse ser contra a instituição da CPMF, aguardemos agora a postura do mesmo em relação e este imposto, já que está presidente?

  10. Pedro disse:

    Não adianta, sai uma porcaria de governo e entra outra. É sempre o contibuinte que paga pela roubalheira do governo. Proponho afastamento imediato do Meirlles, que pelo visto já começou errado sua função. CHEGA DO CONTRIBUINTE PAGAR PELAS MAZELAS DO GOVERNO. GOVERNO DECENTE É O QUE CORTA GASTOS DESNECESSARIOS, ACABA COM A CORRUPÇÃO E LADROAGEM INTERNA. COMEÇA MAL O GOVERNO TEMER.

  11. Eduardo Malheiros Guedes disse:

    Nos últimos 10 anos cargos comissionados passam de 17,6 mil para 22 mil. Deveriam cortar para 14 mil. Prometeu 4 mil até o fim do ano, pouco, é lento!!! O número de ministérios deveria ser talvez 18. O novo ministério têm 8 acusados e alguns inexpressivos e inexperientes, deveria ter primado pela tecnicidade neste momento de transição. E deixar a base política no congresso para aprovar medidas emergências e cuidar sobre tudo da reforma política deveríamos ter um máximo de 5 partidos! temos 29 legendas de aluguel.
    Os gastos federais em todas as esferas ( administração direta/indireta autarquias) devem ser auditados, as empresas estatais saneadas com gestão profissional oriunda de seus quadros preferencialmente. As aposentadorias especiais, vazamentos do sistema devem ser identificados, responsáveis punidos.Empresas ineficientes como VALEC, EPL, Hemobrás devem ser liquidadas(fechadas). Em termos de ´política econômica o governo deve reduzir os juros para 7,5% imediatamente.

  12. Fred disse:

    Não precisamos de mais impostos. Se conseguirem repatriar todo o dinheiro que estão em paraíso fiscal, e confiscar propriedades e bens conseguidos ilicitamente por políticos corruptos e converter em moeda, dará um bom fôlego pro governo começar. Precisamos diminuir a quantidade de ministérios, e o mesmo em partidos.

  13. CADE SKAF , VAI FICAR COM CARA DE PATO , A CPMF VEM AI !!!! kkkkkkkkkkk!!!!!

  14. Claudio Cordeiro disse:

    Paulo Skaf vai bater panelas? kkkk.

  15. Maria da Consolação disse:

    O Congresso vai aprovar a CPMF pois só não aprovava porque eram adeptos da tese do “quanto pior, melhor”. Os únicos que ainda poderiam se insurgir contra o tributo seriam os empresários. Mas não tenham dúvida, o Temer vai sugerir uma moeda de troca: a aprovação da lei de terceirização que está no Senado. Vamos ver…

  16. Bennito Jr. disse:

    Realmente, desejamos saber a posição dos contra à CPMF. Se aumentar ainda mais os impostos, nenhum empresário vai aguentar; vão fechar as portas ou mudar de país.
    Chega de explorações…e, que o povo fique esperto… Levante-se ao invés de ficar com os bundões assistindo seus programas favoritos com um copo de pinga na mão.

  17. Alberto disse:

    Se realmente apresentarem o buraco que a orcrim enfiou a terra brasilis,mostrará que demandará mais de meia década para começar a sair dele.Haverá muito sofrimento para saldar a conta que deixaram.Espero que não sejam apenas governantes e não estadista daqui prá frente.Quem viver/sobreviver verá.

  18. davi disse:

    É o jeito fácil e simples “de se criar solução” para a conta negativa deixada nos cofres públicos…
    Cria-se um imposto aqui e ali.., aumenta outros em alguns dígitos…e como regra quem paga o pato, é a população. ( ! ) ( ? )

    Nossos políticos não vêem (NUNCA) seus ALTÍSSIMOS salários e “todos os tipos de benefícios” serem afetados por CRISE ou AJUSTES na economia…será que isso tá certo? ( ??? )

    Parece que alguma coisa precisa mudar, na regra que rege os direitos da classe politica não é…? Porque só sofre o trabalhador e as pessoas honestas e de bem !?!! ( ? ) …e os políticos sempre se dando bem ! ( ? ) é certo ?

    EU VOTO NULO. E TENHO CERTEZA QUE 90% DA POPULAÇÃO FAZENDO O MESMO, O TSE E TODOS OSTROS ÓRGÃOS COMPETENTES, DARÃO INÍCIO A NECESSÁRIA REFORMA.

  19. Gil disse:

    Eu sou absolutamente contrário a um novo imposto, enquanto isso, eles continuam vivendo com fartura de imperadores romanos em brasilia.Vão pra m…..!

  20. Wilson Sismotto disse:

    Se a solução para combater o déficit público for através de aumento de impostos, como já disse antigo ministro do planejamento, seria aconselhável os Srs ministros colocarem suas avós no ministério e irem pescar.

  21. Luiz José Dietrich disse:

    O que precisamos é de uma CBBB: Contribuiçãozinha dos Bancos para o Brasil! Uma espécie de Lei de Responsabilidade social, que limite a transferência de dinheiro público para pagar juros de uma dívida que já foi paga duas vezes aos bancos! Que o governo Brasileiro fique com metade do valor dos 3 a 8% que as administradoras de cartão de crédito tomam de todas as compras – seja no crédito, seja no débito, seja pagas em dinheiro! – realizadas em estabelecimentos que trabalham com cartões!

  22. Ricardo disse:

    Isso mesmo! Tem que criar mais impostos! Aliás, CPMF não dá pra sonegar, a não ser que o cidadão não tenha conta bancária. É o imposto perfeito para os mais abastados. Afinal, pobre que é pobre nem conta bancária tem. Hummmm… Espera, e aquela conversa de que não aceitavam criar mais impostos?! Que o governo tinha primeiro que cortar na própria carne?!

  23. Fernando de almeida disse:

    Decidir corte de salários seria uma grande ideia se os cortes começassem com os próprios salários dos Senadores, Deputados, Governadores, Vereadores.
    Ah, é não nos esqueçamos dos polpudos benefícios indiretos e mordomias.
    Vão encarar?

  24. Fernando de Almeida disse:

    Depois que inventaram cobertura automática de rombo nas contas públicas, então, Ministro da Fazenda, ou de Planejamento ou at´de mesmo Economista qualquer um pode ser pois: Estourou o orçamento, não se preocupem é só criar uma CPMF da vida que estará tudo resolvido, só que quando isto acontece com o Trabalhador ele não tem chance, isto para não falar quando acontece com o Trabalhador desempregado.
    Achei que você Meirelles, fosse mais criativo e diferenciado mas pelo que vejo, me enganei.

  25. Pasquale disse:

    Navalha na carne

  26. Elaine disse:

    Vocês acreditam em Papai Noel? Não dou três meses para o Governo Temer. Quem viver, verá.

  27. NETO DE PRESO POLÍTICO disse:

    Senhor Temer, auditoria em todas as empresas públicas, autarquias, administração direta e indireta, ongs… com publicidade ao contribuinte, assim saberíamos o montante roubado pelos falsos socialistas e trabalhistas de araque.
    Constatado o roubo, sugiro que fossem apenados tal qual o regime marxista e socialista da Coreia do Norte.

  28. Stanislaw: O POVO NÃO TEM QUE PAGAR A CONTA DA LADRÃOZADA ! disse:

    Recriar CPMF ou criar novos impostos é fácil e para isso não precisaria o povo ir às ruas para exigir mudanças – o desgoverno corrupto faria isso.
    Entenda, senhor Michel Temer: seu baixo índice de aprovação é o sinal de que o povo está lhe creditando um “voto de confiança” – mais institucional do que qualquer outra coisa.
    Suas nomeações incluindo nomes citados nas delações premiadas foram um golpe à nação – falar em mais impostos é sacrilégio!
    As manifestações do povo nas ruas, Lava Jato, Sergio Moro, MPF, PF, RF, TCU etc são a “menina dos olhos” do país e tudo que vá de encontro a isso não é aceito pela maior parcela do povo brasileiro – a parcela do povo indignado e de vergonha na cara!
    Algumas sugestões: corte de cargos nomeados, corte de salários e mordomias astronômicos de políticos e governantes, aumento de penas para ladrões de cofres públicos, investigações de obras superfaturadas com devoluções aos cofres públicos etc são medidas eficientes e que não aumentam impostos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados

Não serão liberados comentários com ofensas, afirmações levianas, preconceito e linguagem agressiva, grosseira e obscena, bem como calúnia, injúria ou difamação. Não publicaremos links para outras páginas devido à impossibilidade de checar cada um deles.

2020-09-29 21:32:18